Adriano Machado/Crusoé

Prefeito goiano agora diz que combinou verba milionária com senador do Acre; parlamentar nega

14.05.21 21:35

O senador Márcio Bittar, do MDB do Acre, e o prefeito da pequena cidade de Gameleira de Goiás, Wilson Tavares, do Democratas, apresentaram, nesta sexta-feira,14, versões conflitantes sobre a destinação de 20 milhões de reais do governo federal ao município goiano.

Em sua mais nova edição semanal, Crusoé mostrou que o senador acreano aparece em uma planilha elaborada pelo Planalto como padrinho da indicação da verba milionária, moeda de troca na negociação entre o governo Bolsonaro e o Congresso, para Gameleira de Goiás.

O prefeito Wilson Tavares disse nesta sexta ao jornal O Popular, de Goiás, que chegou a ser informado pela assessoria de Márcio Bittar, no fim do ano passado, que a verba chegaria ao município. “Em Brasília, eu converso com todos os senadores e ele (Márcio Bittar) só quis nos ajudar”. Alegou ainda ter sido mal interpretado em sua entrevista a Crusoé, concedida na quarta-feira, 12, quando negou conhecer o padrinho do recurso que irrigou os cofres da cidade e disse que a verba tinha sido enviada pelo Planalto por livre e espontânea vontade.

A conversa com Crusoé, no entanto, foi gravada e desmonta a versão do político. Eis o trecho:

Na planilha do governo, o repasse para Gameleira de Goiás aparece associado ao senador Márcio Bittar. Qual é a relação dele com o município?
Não, eu desconheço. A gente não fica sabendo. Como é uma emenda extra orçamentária, eu não sei quem colocou pra mim.

Mas o senhor não teve nenhuma articulação com alguém no Congresso pra pedir essa verba? O governo federal mandou simplesmente por mandar?
Aham.

O senhor não fez nenhum pedido ao governo federal? Ou o governo mandou de ofício?
Não, mandou de ofício.

Nenhum pedido via Congresso?
Não.

Nenhum diálogo com o Desenvolvimento Regional, com o ministro?
Não.

Após ser questionado sobre a mudança de versão, o prefeito se calou e ainda bloqueou o contato da reportagem, via celular.

Já Márcio Bittar não quis falar nem antes nem depois da publicação. Em entrevista, porém, ao jornal AC 24 horas, do Acre, negou peremptoriamente que houvesse destinado recursos para o município do interior de Goiás.  “Quando eu mando é tudo para o meu Acre. Não tem nada meu nesses recursos. Não é um dinheiro que eu tive sob o meu comando”, disse.

Como mostrou Crusoé, a verba de 20 milhões de reais destinada a Gameleira de Goiás indicada pelo senador seria usada para asfaltar e pavimentar as ruas do município. No sistema do governo federal, mais da metade da cifra consta como paga. Até agora, no entanto, não há nem sinal das obras que seriam realizadas com esses recursos, que equivalem a 13 vezes a arrecadação anual da cidade de 3,8 mil habitantes.

Já é assinante?
Assine a Crusoé ou nosso combo e ganhe o novo eBook de Mario sabino

Assine a Crusoé

*válido até 30/06/2021

Assine a Crusoé ou nosso combo e ganhe o novo eBook de Mario sabino

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Nós, os brasileiros, somos idiotas, principalmente os que não são funcionários públicos. O Estado somente existe para o funcionalismo público, agentes públicos e políticos. O restante é escravo, somente restando pagar a farra com dinheiro público. Ou mudamos a Constituição com implantação do voto distrital puro e recall, como existe nos EUA, ou seremos eternamente escravos.

  2. Sr. Bittar, o "seu Acre" está sendo enganado por você, pois mandou dinheiro para ser desviado em cidade de outro estado. E eu votei no Bolsonaro. Quanto arrependimento. Vou votar no Lula pois pelo menos ele rouba mas faz. Igual ao Maluf.

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO