Adriano Machado/Crusoé

Plano de retomada de Doria resgata trem prometido por tucanos há quase 20 anos

17.10.20 18:24

O plano de retomada econômica recém-anunciado pelo governador de São Paulo, João Doria (foto), do PSDB, para os dois próximos anos traz como carro-chefe dos investimentos em infraestrutura uma antiga promessa de políticos tucanos para o estado: um trem de alta velocidade ligando a capital à cidade de Campinas, no interior paulista.

Batizado de “trem intercidades”, o projeto é prometido ao menos desde 2002, quando o estado era governado por Geraldo Alckmin. Naquele ano, o senador José Serra, também do PSDB, havia incluído o trem São Paulo-Campinas entre as suas promessas na eleição presidencial. Juntos, Alckmin e Serra governaram São Paulo por 17 anos, e o trem nunca saiu do papel.

Agora, na versão Doria, o projeto prevê uma linha de 100 quilômetros de extensão ligando São Paulo à região do Aeroporto de Viracopos, em Campinas, com capacidade para transportar até 565 mil passageiros. O investimento estimado é de 1,4 bilhão de dólares. Em 2004, estudos previam um custo de 700 milhões de dólares para a ferrovia, que é planejada desde a década de 1970.

O plano de recuperação econômica de São Paulo é a grande aposta de Doria para o palanque eleitoral na corrida presidencial de 2022, ao lado da vacina contra o coronavírus. Ao todo, o tucano anunciou uma carteira de 19 projetos de concessão para atrair investimentos privados para o estado nos próximos dois anos, estimada em 36 bilhões de reais. Mais da metade envolve obras de transporte de passageiros.

Durante a coletiva de anúncio do plano, Doria exibiu um vídeo institucional em inglês que, segundo ele, será apresentado a investidores dos Estados Unidos, Canadá, Europa, Ásia e Oriente Médio interessados em aportar recursos em projetos de infraestrutura no estado. O roteiro é muito parecido com o apresentado pelo tucano no início de sua gestão na prefeitura de São Paulo, em 2017.

Como Crusoé mostrou em fevereiro, Doria apresentou 55 projetos de privatizações e concessões da capital em um road show que fez pelo mundo, prevendo arrecadar 7,5 bilhões de reais. O tucano deixou a prefeitura em 2018 sem entregar nenhum deles e, passados três anos, os números apresentados pelo sucessor Bruno Covas, também do PSDB, somavam apenas 66,7 milhões.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

Edição nova toda Sexta-Feira. Leia com Exclusividade!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

Deixar para mais tarde

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Espero que consiga, mas seja transparente na prestação de contas destas obras, de forma que demonstre que não houve peculato, como tivemos em outras obras do PSDB (que sempre votei neles, decepção).

  2. Não é tão simples assim uma obra dessas, uma vez que a cidade gigantesca de SP dará espaço agora para tal linha? Ser gestor público não é tão simples assim.

    1. São irmãos siameses. todos da mesma laia. Esse boneco é um espúrio na política. Gestor do que..enganou o Paulistano e também todo o estado.

  3. O projeto que está sendo “planejado” há 50 anos e vem sendo prometido há 20 pelo partido q está no poder do sp nesses 20 anos, agora vai?? Hã hã... sei...

  4. Alberto (Belém-Pa). Privatizar neste país parece ser um trababalho hercúleo, a coisa não anda. O que move a gestão da grande maioria desses governadores brasileiros é a gastança e não a contenção de despesas. E a grande maioria deles não tem compromisso com a gestão eficiente dos recursos públicos, estão mais para perdulários do que para bons gestores.

  5. Pois é, o atraso de 20 anos não é só culpa do Dória, está há pouco tempo na política, uma coisa, acho muito importante, ele nunca foi acusado de corrupção, o pior defeito, então, ponto positivo pra ele, são poucos honestos neste país da impunidade, portanto vou aguardar. Não tenho partido e nem político de estimação, só que, além de criticar, eu elogio também o que vai bem, ele está conduzindo o estado de SP muito bem na pandemia, já pensou se fosse o PT? Não quero nem imaginar!

    1. Acho que vc é jovem, esse camarada foi presidente(Embratur) do famigerado Sarney, década de 80 é foi destituído do cargo por corrupção.

  6. Prezado Fabio, capacidade para transportar até 565.000 passageiros em quantas viagens e durante quanto tempo por viagem? 565.000/mês ?

  7. Bom que se volva atenção para o transporte ferroviário, o Brasil precisa muito deste incremento... Tanto na mobilidade urbana como nas regionais o transporte ferroviário é uma excelente opção que ora se pauta. Independente do que se possa vir a auferir bom ter essas iniciativas. Parabéns a São Paulo pela sinalização positiva a melhor busca de transporte de carga e passageiros...

    1. Na cidade de São Paulo não privatizaram o prometido por causa da justiça e câmara de vereadores, basta ver oq aconteceu na assembleia de SP na última semana.

Mais notícias
Assine
TOPO