Reprodução

Jogo arriscado da Evergrande pode elevar a tensão social na China

24.09.21 17:07

O prazo para a incorporadora Evergrande pagar uma parcela dos juros da dívida de 300 bilhões de dólares venceu nesta quinta, 23. Pouco antes, a empresa anunciara um acordo para parcelar os juros da dívida. O tempo passou, mas os detentores dos títulos afirmaram que não foram pagos.

Acredito que esse problema será acertado de uma forma ou outra, mas é no mínimo temerário em termos de tensão social permitir que os credores chineses, incluindo os empregados, os fornecedores e os mutuários que pagaram seus imóveis antecipadamente, não sejam ressarcidos“, diz o economista Roberto Dumas Damas, professor do Insper e especialista em China.

Ao propor uma solução para sua dívida gigantesca, a Evergrande priorizou os credores que estão na China. Estrangeiros ficaram para depois. Isso porque, para a ditadura comunista, é primordial evitar protestos maiores que possam afetar a estabilidade do regime. Nos últimos dias, ocorreram pequenas manifestações em diversas cidades contra a empresa (foto).

Porém, uma das coisas que a ditadura está tentando evitar é o risco moral. Segundo esse conceito, se alguém que age de maneira incorreta e arriscada sabe que será ajudado mais tarde, seguirá agindo sem corrigir o seu comportamento.

É uma questão delicada porque, para evitar esse risco moral, o governo está entrando em um jogo perigoso, permitindo uma tensão social maior justamente quando busca se projetar no cenário geopolítico“, diz Dumas Damas.

A Evergrande agora tem 30 dias para acertar suas contas com os credores. Caso isso não aconteça, a companhia dará oficialmente o calote.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. O que quebrou a Encol? É preocupante a situação da Evergrande. Uma incorporadora trabalha com fluxo de caixa negativo. Se porventura as torneiras forem fechadas, assim como a Encol, a quebra é certa. O problema de corporações muito alavancadas, é que elas ficam muito vulneráveis. Uma ameaça fora do radar, como foi o caso da pandemia, atinge em cheio uma fraqueza. Ocorrendo isso, uma ameaça atingindo uma fraqueza, a chance de sobrevivência são mínimas. Moro 2022 🇧🇷

  2. Como tem gente torcendo para que a China desmorone, adote a ideologia PC liberal americana e vire um Brazilzão pobre, corrupto, ignorante e subserviente aos EUA. Só que não vai acontecer….

    1. O José não errou no que disse; existem mais de 310 milhões de norte-americanos. Advinhe QUANTOS destes adorariam ver a derrocada da China e de Putin? Mais de 310 milhões. Isso é MUITA gente, ao menos pra mim. O tal do Leandro não lê e nem ao menos interpreta o que o cara diz e vai logo querendo exibir sua insignificância.

    2. Desculpe, mas teu comentário não tem pé nem cabeça. Mas não perca a esperança, se informe melhor, leia, releia até entender o cenário td.

  3. NO BRASIL O RISCO MORAL É O MAIOR DE TUDO POIS O CRIMINOSO PODEROSO SABE QUE SERÁ AJUDADO PELA LEGISLAÇÃO QUE O PROTEGERÁ DOS MALES.

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO