Agência Brasil

Lava Jato atrás de “Batman”

05.12.18 14:23

A Polícia Federal emitiu um alerta para a Interpol incluir na sua lista de procurados Rodrigo Garcia Berkowitz, o “Batman”. Assim era chamado Berkowitz, funcionário da Petrobras nos Estados Unidos, na troca de e-mails e de mensagens dos participantes do esquema de corrupção desbaratado hoje na Operação Sem Limite, 57ª fase da Lava Jato.

A PF já cumpriu sete dos 11 mandados de prisão que constam na operação, deflagrada na manhã desta quarta, 5. Berkowitz é uma das três pessoas que devem ser presas que estão no exterior. Carlos Roberto Martins Barbosa, o “Phil Collins”, como era chamado na troca de mensagens dos envolvidos no esquema, não foi preso por estar hospitalizado. “Batman” é acusado de receber 2 milhões de dólares em propinas.

Segundo a Polícia Federal e o Ministério Público Federal, as investigações indicam a existência de um esquema em que empresas pagavam a funcionários da Petrobras por facilidades e melhores preços em operações de compra e venda de petróleo. O inquérito levantou provas do esquema até meados de 2014, mas os investigadores não descartam a hipótese de os crimes terem continuado ou ocorrido em outras áreas da empresa.

O total de propinas que teria sido pago a funcionários da Petrobras entre 2009 e 2014 chega a 31 milhões de dólares, dos quais 11 milhões de dólares desviados de operações com três grandes empresas estrangeiras: a Vitrol, a Trasfigura e a Glencore.

A PF e o Ministério Público investigam se houve omissão dolosa do ex-diretor Paulo Roberto Costa (foto) sobre o esquema. Costa foi beneficiado por um acordo de colaboração premiada com a Lava Jato, mas é obrigado a revelar todas as informações que tinha sobre crimes na Petrobras.

“Se caracterizada a omissão dolosa, ele perde os benefícios do acordo”, avisou o procurador Athayde Ribeiro Costa, do Ministério Público Federal em Curitiba.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

Edição nova toda Sexta-Feira. Leia com Exclusividade!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

Deixar para mais tarde

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Brasil, aqui o crime compensa e muito. Um absurdo este senhor está solto, deveria apodrecer atrás das grades. Minha esperança é que com Moro as Leis passem a funcionar e os órgãos superiores que hoje só servem para proteger bandidos poderosos, passem por uma verdadeira faxina.

    1. Até o criminoso maior da nação em depoimento disse: 'nunca foi tão fácil roubar nesse país'. Privatização geral de todas as estatais!

  2. Jamais a Petrobras estará livre de ser assaltada. A começar pelo número de funcionários, com certeza 30% fantasmas. Privatização e a solução.

    1. É a mais pura verdade. Não há o fornecimento de um simples rolo de papel higiênico, sem que haja acerto com alguém da estatal.

  3. O pai de Rodrigo "Batman" Berkowitz, foi preso em meu prédio nesta manhã. Ele seria o gerente da offshore do filho, para o recebimento e distribuição de propina.

  4. Deveriam começar vendendo esta empresa, antes que seja tarde. E ai fazer um pente fino em todos os funcionários, acho que não haverá um só honesto.

    1. Por favor, Galdino. Não pode ser generalizado este conceito de que a PETROBRAS só tem funcionários corruptos. Há, na sua grande maioria, empregados honestos e dedicados ao trabalho que executam.

  5. Tem que ir atrás de todo o dinheiro e colocar todos de volta na cadeia. Contaram só uma parte das falcatruas para saírem e usufruírem do roubo.

  6. TÊM QUE PRIVATIZAR PETROBRÁS INTEIRINHA. SE ISTO NÃO FOR POSSÍVEL, QUE ENTÃO SE MANTENHA ÚNICA E TÃO SOMENTE A PROSPECÇÃO E EXTRAÇÃO DE PETRÓLEO. NADA MAIS!!!!!!

Mais notícias
Assine
TOPO