Divulgação

De outdoors com Queiroz a lobby no Congresso: a estratégia contra a reforma administrativa

25.07.21 12:20

Com a instalação da comissão especial que vai debater a reforma administrativa, servidores públicos intensificaram o lobby contra a proposta. As estratégias envolvem visitas de representantes de categorias a parlamentares e a instalação de outdoors em pontos de grande circulação.

Nos últimos dias, a Associação Nacional dos Advogados Públicos Federais tem veiculado propaganda em canais de televisão contra o texto, em que compara a PEC a uma “reforma a favor da corrupção”.

Em Brasília, servidores têm chamado o projeto da reforma administrativa de “PEC da Rachadinha” e publicidades contratadas por sindicatos exibem uma foto de Fabrício Queiroz, o ex-assessor da família Bolsonaro acusado de participar de um esquema de rachid na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro. A intenção é argumentar que a matéria não tem mecanismos para coibir o apadrinhamento político de cargos comissionados. Mas a grande preocupação das categorias é com o corte de benefícios, como o fim da estabilidade.

“A votação do projeto que regulamenta o teto constitucional foi um marco importante e, agora, a reforma administrativa segue nessa linha importante de cortar privilégios, porque muitos ganham pouco e poucos ganham muito”, diz o deputado Darci de Matos, do PSD, que relatou a reforma na Comissão de Constituição e Justiça.

Apesar das promessas de que o debate sobre os supersalários seria uma prévia da reforma administrativa, a proposta de emenda à Constituição segue sem apoio político para avançar. O presidente Jair Bolsonaro, que tem raízes corporativistas, não quer desagradar ao funcionalismo às vésperas de um ano eleitoral.

O texto original da PEC atinge apenas servidores civis do Executivo e deixou de fora militares, parlamentares, integrantes do Ministério Público e do Judiciário. Uma emenda apresentada pelo deputado Kim Kataguiri, do DEM, prevê a inclusão de todos esses agentes públicos. “A aceitação está boa, estou bastante otimista”, garante Kataguiri. “Mas o maior entrave nem é a emenda, é a reforma em si. A proposta original do governo é tecnicamente muito ruim, tem erros e distorções”, diz.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Você esqueceram de colocar que servidores do executivo, legilsativo e judiciário federal e estadual e executivo e legislativo municipais, menos juízes membros do MP, cargos eletivos e militares, que são os que mais ganham e possuem as mordomias estão de fora, quem está dentro é o professor que educou a maioria da população, médicos e enfermeiros que estão na linha de frente da covid, deem uma arrumadinha no texto, que fica melhor

  2. Na minha opinião só uma constituinte sem participação de políticos e que fiquem inelegíveis por cinco anos resolverá uma grande gama de nossos atuais problemas, se for com políticos é o mesmo que por as raposas para cuidar do galinheiro

  3. Mais um remendo indecente que mais uma vez atingirá o servidor civil, concursado e de carreira. Coragem para enfrentamento dos absurdos dos super salário indecentes do judiciário, congresso e as mordomias que englobam ambos e as FAs? Jamais! Denúncia não é lobby, Antagonistas e respeitável Deputado Kataguiri. Defende-se o Justo.

  4. As pessoas repetem como um papagaio a frase que funcionários públicos não trabalham e ganham bem. Mas ninguém vai checar os fatos reais. Mais de 80% desses funcionários ganham abaixo de 4 mil, trabalham batendo ponto, fazendo relatório de atividades e sendo avaliado pelos chefes. Se levam trabalho pra casa, não ganham hora extra como nas empresas privadas, muitos têm dedicação exclusiva e não podem ter outro emprego. Dizer que são preguiçosos e não trabalham é desconhecer a realidade da maioria.

    1. será?? o problema não é o quanto ganha, mas a média e relação ao mercado.

    2. Concordo contigo. Há muito desconhecimento da população em relação ao tema.

    1. A turma não quer perder a mamata ou vocês apoiadores, querem criar uma mamata? A mamata é dos grandes salários. Presta atenção

  5. De 70 por cento de funcionários públicos são desnecessários, preguiçosos , corruptos, incompetentes! Gente q não dei certo na iniciativa privada!

    1. Que vergonha! Você leu a PEC? Não se trata apenas da perda da estabilidade. Perderemos o acesso a educação e saúde. Será tudo privatizado. Preste atenção!

    2. Quanta asneira ardo. Pra começo de conversa, tem que ralar muito para ingressar no serviço público e não porque não deu certo na iniciativa privada.

    3. Se você não é funcionário público, nao fale do que não sabe.

  6. Crusoe vê a estabilidade como privilégio. Que repórter desinformado! Se quiser modificar os motivos de demissão é só alterar a lei. Esta reforma é acabar com o concurso público e que a demissão do servidor tenha que ser justificada. Novamente, se quiser modificar as causas de demissão é só modificar a lei. Esta pec é para retirar quem quiser do serviço público sem justificar nada e não ter mais concurso público.

  7. Que reforma que nada. Este governo está deslegitimando para propor qualquer reforma. Sua única preocupação é com o obsoleto voto impresso que servirá para judicializar as eleições. O Brasil precisa de funcionários públicos concursados para estabilizar a máquina pública e não de milhares de cargos comissionados para serem preenchidos por indicações políticas e assim facilitar roubalheiras do Erário Público como tem ocorrido no país.

    1. Exatamente, Paulo. Há pouco vimos a diferença entre um servidor público concursado e ocupante de carreira e um "servidor" apadrinhado e suas ações no Ministério da Saúde.

  8. A Reforma Administrativa se faz necessária, agora mais do que nunca. Se tem funcionários públicos que se tornaram uma casta de privilegiados, temos que combater. Se temos o problema da rachadinha, temos que combater. O fato de alguns funcionários públicos não terem salários altos, não é justificativa para que não sejam atingidos. Do outro lado do balcão, tem cidadãos que não ganham nada, pois estão desempregados. E esses são hoje dezenas de milhões. Equacionar isso é o grande desafio.

    1. Sergio, percebo que você é funcionário público concursado. Quer ficar rico? Quer ganhar um alto salário? Vai para a iniciativa privada ser executivo de empresa. Abre um empreendimento. Funcionalismo público não é lugar para quem quer ter um alto padrão de vida. É para ter uma vida sem privação, e para os mais capacitados, um padrão confortável, jamais um padrão de marajá.

    2. Sergio, você sabe ler? Se sabe, consegue entender? Entre eu e você só tem um pateta, e não sou eu. Consegue deduzir o que quero dizer? Cargo comissionado para gerar rachadinha nem deveria existir. A sociedade deve combater isso. Agora quem paga os funcionários públicos, inclusive os concursados? Para mim não interessa se ganha um alto salário ou um salário razoável. A maioria dos brasileiros da iniciativa privada, perderam renda. Sendo assim, a reforma administrativa tem que atingir todos.

    3. O CONCURSADO NÃO TEM NENHUMA OBRIGAÇÃO COM POLÍTICO. O SALÁRIO QUE ELE GANHA É RELATIVO AO SEU TRABALHO E ESTUDOS, QUE O FEZ PASSAR NUM CONCURSO PÚBLICO. Nunca um concursado devolve salário. QUEM é empregado pelo POLÍTICO CORRUPTO são os CC, cargos de confiança, que após indicação, são obrigados a devolver uma parte para o político corrupto que o indicou. Entendeu, PATETA.

    4. Paulo. O PATETA. É NAO SABER DE NADA, anta. Quando falares de servidores públicos entenda que servidor público CONCURSADO nunca foi problema à nação brasileira, pois esse faz carreira e esmagadora maioria ganha mal e dá a vida para servir. Os altos salários são os vagabundos dos CC, cargo de confiança, que são os indicados pelos políticos corruptos, para ao pegarem a boquinha, devolverem para o político ladrão uma parte dos seus ganhos e é aqui que estão os grandes salários e a vagabundagem.

    5. A rachadinha é em última análise, um incremento no salário do político, q já nos custa muito caro. O fato de termos desvios de finalidade com a rachadinha, o q configura crime, tem q ser combatido. O fato de termos juíz q busca manter os seus privilégios, tomando decisões pornográficas em favor desse crime, tem q ser combatido duplamente pela sociedade. Temos que ter um mecanismo p/ tirar essas laranjas podres do judiciário, p/ q tenhamos uma justiça de fato, e acabar com os seus privilégios.

    6. Agora me veio uma dúvida. A rachadinha era com servidores concursados ou eram comissionados que davam uma parte aos padrinhos ?

    7. A reforma administrativa não atinge os altos salários. A reforma administrativa termina com a estabilidade (precisar justificar o porquê está demitindo) e termina com o concurso público (pode nomear quem quiser), além de poder contratar quem quiser, por convênio, fugindo da licitação.

  9. 5 trilhões de renúncia fiscal nos últimos 20 anos; 5 trilhões de calote fiscal do empresariado; este anos 350 bilhões de renúncia fiscal mais 350 bilhões de sonegação e o problema é o auxílio moradia 6 é um bando de froxu cinico

    1. Que falta de imaginação,Zezinho diarreia, seu dono vai acabar cortando seu salário se você não conseguir mudar seus comentários repetitivos e boçais….

  10. Trabalhei durante o mandato de 11 prefeitos, até os anos 90, não havia restrição se o profissional fosse d direita ou d esquerda, era meritricacia. Após isso, na hora d contratar, d destribuir tarefas, cargos e serviços, só observavam a filiação, o apadrinhamento político. Assim, um funcionário notório saber, serviço relevante, ficava no ostracismo, na geladeira, em troca d um doutrinado ou ativista analfabeto institucional. Amarguei, 4 mandatos na geladeira. Destruição d carreiras é privilégio?

  11. Deixa eu ver se entendi. O antagonista e contra a estabilidade dos servidores públicos concursados? A única coisa que ainda protege o Erário contra a sanha dos políticos, loucos para colocar nas funções os comissionados, que não podem se negar a fazer coisas erradas? É isso?

    1. Sim! De qq forma, o “lógico” seria o partido crescer ou se associar a outros partidos. SE não há dinheiro público e SE for fácil constituir partido, toda vez que um cacique não ouvir a tribo, fica sozinho pq as pessoas saem para formar novo partido.

    2. Teses interessantes, coisas que nunca ninguém tinha pensado antes. Detalhe mais um pouco a questão dos partidos locais? Poderia ter um partido progressista de Pindamonhangaba, por exemplo? Mas ele poderia participar de eleições nacionais ou estaduais? O fato de termos 5570 municípios não seria nefasto? Não é este um dos problemas, temos tantos partidos ?

    3. A ÚNICA COISA q PROTEJE o erário é a FISCALIZAÇÃO do ELEITOR! O resto é ILUSÃO positivista INFANTIL! Voto distrital PURO, recall, fim de suplência, fim de financiamento público, candidatura avulsa e liberação geral p/ criação de partidos regionais, locais, etc. (SEM $ PÚBLICO), eleição em 2 turnos p/ congressistas, redução da estabilidade do servidor e recall/confirmação para juízes, promotores, chefes de polícia e cargos do tipo, DESCENTRALIZAÇÃO política, LEGISLATIVA, FISCAL e administrativa!

  12. Como sempre, o executivo que é a parte do governo que trabalha e carrega o estado, e é também a ganha menos, é que vai se ferrar. Os outros poderes, que só produzem pra eles mesmos e que teem os grandes previlegios fica de fora, como os militares que deixam pensão pra filhas solteiras toda vida, as viúvas que recebem várias pensões se casarem várias vezes, isso sem falar nas dezenas de "verbas indenizatórias" do judiciário, eufemismo para não pagar IR, e por aí vai . É f*da.

    1. Concordo Fernando. Primeira vez que me Pronuncio nos comentários do site. Triste é ver que o antagonista bate, corretamente, na esquerda e na direita, quando é o caso, mas não tem discernimento para ver que quem ainda faz alguma coisa pelo Brasil, no âmbito da administração pública, é quem não deve nada a político algum

  13. Essa reforma administrativa que o Paulo Guedes enviou seria a africanização completa do Brasil. O Brasil seria transformado num imenso Rio das Pedras.

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO