MarioSabino

Sodoma

25.09.20

Num primeiro momento, achei que a fixação de Jair Bolsonaro, os seus filhos e adeptos no que as pessoas fazem ou deixam de fazer sexualmente com o esfíncter anal era devido a certa imaturidade que os fazia retroceder à pré-adolescência, quando a molecada descobre o sexo e, para afirmar-se, faz piadas sobre bunda e se ofende quando é chamada de “veado”. Até dei um descontão em relação à frase de Bolsonaro para a revista Playboy, em 2011: “Seria incapaz de amar um filho homossexual. Não vou dar uma de hipócrita aqui: prefiro que um filho meu morra num acidente do que apareça com um bigodudo por aí. Para mim ele vai ter morrido mesmo”. O descontão foi porque, na sua maioria, homens na faixa de idade de Bolsonaro têm muita dificuldade em aceitar filhos gays. Se um dos filhos de Bolsonaro declarasse ser gay, duvido que o presidente o preferisse ver morto.

A fixação, no entanto, começou a ganhar outros contornos quando, no carnaval de 2019, Bolsonaro fez um post no Twitter sobre o “golden shower”. De fato, a cena definida pelos protagonistas como performance artística era chocante. Mas fiquei encafifado: por que o presidente da República havia resolvido tuitar sobre assunto tão grotesco e distante dos negócios de governo?

Comecei, então, a enxergar com outros olhos a fixação de Bolsonaro e companhia no que as pessoas fazem ou deixam de fazer com o esfíncter anal. Havia algo ali que ainda me escapava à compreensão e, de certa forma, continua a escapar, visto que no meu horizonte só existe a questão que me farei lá adiante. Retomei mentalmente a história do “kit gay”, termo pejorativo aplicado ao manual contra a homofobia que o governo de Dilma Rousseff queria distribuir nas escolas. Acho essencial combater os preconceitos em relação a tudo, mas os educadores que elaboraram o manual talvez tenham ido longe demais em assunto que, justamente por estar cercado de ignorância, deveria ter sido discutido antes com os pais dos alunos. Como não o fizeram, foram acusados de “estimular o homossexualismo e a promiscuidade”. Ou seja, acabaram por reforçar a homofobia. No entanto, o ponto aqui é outro: quando falam em “kit gay” ou qualquer aspecto relacionado a homossexualidade, Bolsonaro e sua turma realmente parecem acreditar que ela pode ser ensinada, assim como matemática ou história.

O novo ministro da Educação, o pastor Milton Ribeiro, é menos esfuziante do que o antecessor Abraham Weintraub — e ainda menos interessado nos reais problemas da pasta que comanda. É como se nada fosse com ele, a julgar pela entrevista que deu ao Estadão nesta semana: nem a volta às aulas ou o acesso de estudantes à internet nem a desigualdade educacional no país. Sujeito formidável. Mas Milton Ribeiro tem a única qualidade que agrada a Bolsonaro: a preocupação com o uso do esfíncter anal alheio. Sem ser perguntado inicialmente sobre qualquer tema sexual, ele disse o seguinte ao Estadão:

A biologia diz que não é normal a questão de gênero. A opção que você tem como adulto de ser um homossexual, eu respeito, não concordo. (…) Acho que o adolescente que muitas vezes opta por andar no caminho do homossexualismo (sic) tem um contexto familiar muito próximo, basta fazer uma pesquisa. São famílias desajustadas, algumas. Falta atenção do pai, falta atenção da mãe. Vejo menino de 12, 13 anos optando por ser gay, nunca esteve com uma mulher de fato, com um homem de fato e caminhar por aí.

Tem muita gente que não é evangélico que também não aceita isso. É uma pauta da sociedade mais conservadora. Se eu estabelecesse, por exemplo, uma regra “não vai dar uma aula se o cara é homossexual”… Temos estados aí que têm professores transgêneros, isso não tem nada a ver comigo. Não terei influência.

Ele explicou melhor por que não vê com bons olhos professores transexuais:

Se ele (um professor transexual) não fizer uma propaganda aberta com relação a isso e incentivar meninos e meninas para andarem por esse caminho…. Tenho certas reservas.

Você que me lê pode até ter opiniões semelhantes às do ministro da Educação. Mas ele não pode mentir e distorcer os fatos. Em primeiro lugar, ninguém pode “concordar” ou “discordar” da homossexualidade. Ela está no campo da aceitação. A biologia, por sua vez, não faz classificações morais sobre normalidade ou anormalidade na tal questão de gênero, embora cause estranheza a velhos como eu a possibilidade de trocar de sexo como se troca de carro. Em segundo lugar, se gays fossem produto de “famílias desajustadas”, hipótese sem fundamento na realidade, eles existiriam em menor número. Além disso, seria preciso encontrar um padrão para definir o que é “família desajustada” no caso dos golfinhos com preferências homossexuais, por exemplo — mamíferos que, assim como seres humanos e outros da mesma classe, podem gostar do babado. Por último, a referência a professores gays e transexuais: o ministro não poderia proibi-los de dar aulas porque feriria a Constituição e praticaria crime. A menção à impossibilidade é, portanto, completamente descabida. Quanto a transexuais fazerem “propaganda e incentivar meninos e meninas para andarem por esse caminho”, voltamos ao meu ponto.

É bizarro que bolsonaristas acreditem que alguém pode se tornar gay ou transexual por aprendizado ou imitação. As razões que levam alguém a ser homossexual ainda não estão claras, há uma disputa entre a psicanálise e a biologia, mas uma coisa é certa: não é matéria que se aprenda ou se imite, mesmo em casa. Fosse assim, filhos de homossexuais seriam automaticamente homossexuais, e não é isso que ocorre. Mais: heterossexuais de famílias ajustadíssimas não teriam filhos gays. De onde vem, então, essa crença?

O autor francês Frédéric Martel, no livro Sodoma: Enquête au Coeur du Vatican, já citado nesta coluna, mostra como o celibato dos padres levou a que a Igreja Católica acabasse por ter uma enorme quantidade de gays entre os seus quadros. No curso das suas entrevistas, ele descobriu cardeais com namorados e mesmo companheiros de longa data. Guardas suíços lhe disseram que se sentem obrigados a fechar os olhos para certos frequentadores do Vaticano. Apesar disso, a Igreja Católica, que felizmente deixou de condenar gays à fogueira, permanece sentenciando-os à solidão obsequiosa ao repudiar o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Todas as tentativas de ao menos reconhecer qualidades nas uniões civis de gays e separar claramente o joio da pedofilia do trigo da homossexualidade vêm sendo frustradas pelos cardeais mais rígidos. A maior parte deles é gay, constata o autor. “Esses homossexuais enrustidos, mergulhados em contradições e homofobia interiorizada, eles se revoltam por ódio de si próprios ou por medo de serem desmascarados?”, pergunta-se Martel.

Eu também passei a me perguntar, eis a questão.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Disse o presidente: “Prefiro que um filho meu morra”... do que seja gay. Por detestar hipocrisia, acho louvável sua sinceridade; o resto da frase é abominável. A única condição em que NÃO aceito filho meu é morto. Desejo vê-lo com saúde, de preferência feliz, etc. Essa história me fez lembrar, outra, talvez ainda pior. Uma amiga que me disse, “prefiro ver minha filha morta a que perca a virgindade antes de casar”. As palavras me saíram da boca sem pensar, ‘Deus me livre

    1. ... ‘Deus me livre! Antes ver minha filha traficante e drogada, prostituindo-se, do que vê-la morta! Qualquer coisa, MENOS a morte. Eu quero mais é que ela seja feliz e não seja mais virgem quando é se casar’. Minha amiga ficou horrorizada, talvez mais que eu com a fala dela. Que preconceitos estúpidos!

  2. Acho que a coisa desandou quando algumas pessoas confundiram homossexualidade com homossexualismo. Homossexualidade se explica com Ciência, mas homossexualismo se trata de Comportamento, como pedofilia, zoofilia, e outras perversões sexuais sem qualquer explicação lógica a não ser o desejo de se experimentar coisas novas. Quanto ao Bolsonaro e seus adeptos a questão é apenas de ignorância e homofobia. Para que perder tempo com eles?

  3. A sementinha já está definida no fruto . Se é laranja dará semente de laranja . De onde vem o espanto ? Deve ter percebido a "semente " logo cedo para ter tanto medo

  4. A homossexualidade acompanha a história da civilização. É aceita ou não de acordo com a cultura de cada tempo e lugar. É só buscar na Grécia antiga e teremos um bom exemplo. O fato é que por mais que os conservadores não aceitem, terão de engolir e aprender com isso porque não há volta. Está aí, é fato, é questão de direito, educação e humanização.

  5. Essa obsessão com o anus alheio sempre me intrigou ... seria desejo reprimido do capitão? Alguma forte emoção sexual que experimentou no exército e reprimiu? estou me perguntando ate hoje! haahahahahah

  6. Curioso que o Agostinho, maquiador famoso e GAYzão, sempre é bem recebido na casa de Bolsonaro. Vocês entitulam Bolsonaro de racista, machista, homofóbico e etc, mas os atos dele provam exatamente o contrário!

    1. Como esse horrendo "gayzão" da mesma forma tb não representa nenhum preconceito, não é mesmo? Animal.

    2. Que atos provam o contrário? Pq todo bolsonarista tende a inventar e falar coisas como se fossem verdades? Mas que praga!!!

  7. Acho prematura a discussão sobre gênero nas escolas e extremamente irritante a necessidade de se falar sobre sexo com crianças de tenra idade. Por que uma criança de cinco anos precisa ter conhecimento de questões relativas à sexo? Por que precisamos expô-las a um assunto que não lhes diz respeito? Crianças vieram ao mundo para brincar. Quanto mais brincarem, mais crianças serão. E quanto mais crianças forem, mais felizes serão. Fui professora por 40 anos e a magistratura me deu essa certeza.

    1. Concordo plenamente com você Lucia. Também fui professora pormuitos anos e as crianças eram mais crianças hoje estão querendo que elas se tornem adultas antes do tempo

  8. Mário, gosto muito das suas matérias,mas está edição, você deixa desejar, cuidado para não ficar igual o Diogo,o que estava salvando a revista, era suas matérias,mas pelo jeito, será minha última assinatura! horrível!

  9. Só posso dizer em meu nome (óbvio): a questão não é QUEM alguém leva para a cama, isso é problema de cada um. O que me incomoda é a atitude desafiadora que alguns homossexuais têm o prazer de adotar; eles parecem gostar de chocar, de esfregar na cara dos outros sua... opção?Odeio baixarias, salamaleques, chiliques e ataques de frescura tão comuns quando se reúnem especialmente homossexuais masculinos. Se heteros tb tiverem esse comportamento, ficarei incomodado igualmente. E TENHO ESTE DIREITO.

    1. Concordo com você Maria. Cada um que pense o que quiser, mas que os sintomas são oferecidos de bandeja, isso são...

    2. É sempre bom lembrar que as crianças não são exatamente infantis por si só, nós é quem as idiotizamos. Quem super dimensiona questões tabus são os adultos e não as crianças...

    1. tem um ditado que diz ! o macaco não olhar seu próprio rabo , parabéns Mario!

  10. Meu caro, o kit gay era realmente uma tentativa de tirar das crianças sua inocência. A promiscuidade, o ataque a educação de base, o desarmamento da população, a fragilidade da população entre outras artimanhas, são ferramentas do comunismo. O homossexualismo é errado sim. Aceitar não é concordar. Se todos resolverem ser homo, o ser humano estará condenado. O que a esquerda faz é criar grupos de minorias com intuito de ficar eternamente no poder. Lamentável seu texto. Ň seja alienado!!!

    1. Meu caro: A cartilha foi criada CONTRA a discriminação sexual.O sexo é um mecanismo natural do ser humano .Cultura e hábitos estão em constante evolução e negá-los é negar a liberdade e direito do indivíduo de se assumir fora do padrão.A promiscuidade tanto pode vir do homossexual como do homofobico.Tanto a esquerda como a direita têm o mesmo olhar estratégico de permanecer no poder , atacar e manipular a sociedade.O homossexualismo não é errado.O preconceito e homofobia é! Não seja alienado!

  11. O artigo é bom como sempre, porém discordo na questão da proporcionalidade entre família desajustada e gays, acredito que haveriam muito mais, rsrs. Concordo com Elton John, quando afirmou que ser gay não é opção. Praticamente todos os gays que conheço, alguns dos quais, são grandes amigos, gostariam de não sê-lo. Não se sabe de fato o fator, ou fatores causais.

    1. Exatamente Paulo, ê incrível como pessoas em Pleno século XXI ainda pensam que alguém escolha ser ou não homossexual. Tenho inúmeros amigos e amigas Gays , nenhum deles gostaria de ser ...

  12. Parabéns !!! A pergunta de Martel, ao final, faz todo sentido. Assim como na igreja católica, as seitas extremistas de direita têm muitos enrustidos que sofrem por não poderem assumir sua homosexualidade.

  13. Tenho 62 anos, sou mulher e gosto de homem. Quando criança, eu tinha um amiguinho que só gostava de brincar com bonecas. Nada o fazia gostar de brinquedos de menino. Os pais tentaram de tudo sem nenhum tipo de castigo, com muito amor. Ele cresceu, se fez rapaz, namorou meninas mas, não se adaptou e saiu do armário e nunca mais se relacionou com mulheres. E a família, é super estruturada e religiosa. Ele, é um ser humano da melhor qualidade.

    1. Conheço mais de um caso, assim - de famílias estruturadas e religiosas, seres humanos incríveis, melhores que muitos héteros. Temos apenas que respeitar as escolhas individuais. O mundo ficará melhor, quando respeitarmos nossos semelhantes, independente das suas escolhas.

  14. Sabino leio vc sim. Não tenho semelhança com ministro.! rs rs 👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏

  15. Costumo fazer essa brincadeira com esse pessoal mais conservador. Digo que duvido que alguém me convença a virar homossexual, e pergunto se com eles não é assim, se é por isso que se preocupam tanto com essas "influências". Sempre ficam desconcertados...

  16. Quero fazer duas considerações: primeiramente, não concordo com o ministro quando fala em mudança de opção sexual, seja entre jovens ou velhos. ninguém muda sua preferencia. O que existe é um despertar tardio pelo que sempre reprimiram. Quanto ao celibato, creio que uma maneira conveniente dos que não têm coragem de encarar sua verdadeira condição (falo de condição, não de opção). Sempre foram e sempre serão homo, No celibato sua condição ficará escondida? Se pudessem eles casariam? Duvido.

    1. Exatamente Gilson!!! Muito bem colocado , não são opções ...

  17. Se o PR. Bolsonaro é "gay inrustido", o Mario Sabino é sujeito "Perdidamente Gay", o Claudio Dantas com "Tendências Gays Preocupantes" e o Mainardi CANALHA um Gayzaaaço.

    1. E você? Essa coisa de defender seu macho... sei não...

  18. Eu gostaria de poder falar com o ministro da educação. Fui professora primária e tive alunos que aos 7 anos já tinham características homossexuais. Eram ridicularizados pelos colegas, choravam não sabiam o motivo da chacotas mas não conseguiam mudar ou seja, ninguém os ensinou a ser o que eram e com certeza não queriam ser, mas nasceram assim. Quanto mais forem discriminados mais sofrem. Por favor senhor Ministro não aumente o preconceito.

    1. Concordo com ambos, Margarida e Gilson.. e por concordar, tenho receio de educação sexual na escola. Nada contra a ed. em si. Tenho receio de q nem em mto tempo.. digo mto tempo mesmo, haverá pessoas preparadas pra discutir isso com crianças/jovens na escola.. podendo piorar preconceitos em vez de melhorá-los. Dificuldade em falar sobre sexo, de uma forma geral, é comum.. e são dificuldades pessoais q um treinamento como professor(a) não elide. É preciso bem mais.. sei lá. Acho temerário.

    2. Sexualidade não é opção. Não concordo com o "não queria ser" dos garotos uma vez que eles ainda nem tinham consciência do que se passava com seus corpos e com seus desejos. Se tivessem uma orientação honesta eles jamais teriam conflitos e saberia lidar com as chacotas. Defendo que a orientação seja feita pelos pais que devem ser orientados para faze-la corretamente. Nem todos os professores estão preparados para lidar com tais situações entre adolescentes e alguns até conseguem piorara-la.

    3. o homossexualismo não é ensinado, mas a homofobia sim. Há pessoas sem coração e sem Deus que a disseminam diariamente. .

  19. Não sou psicólogo, mas me parece fazer sentido a ideia de, por ser algo que você não suporta em você, você condena nas outras pessoas. Lembra bastante a temática daquele filme "Beleza Americana".

  20. Quem criticar essa crônica focado no tema do homossexualismo ou na demonstração de despreparo para o cargo do ministro da educação(?) ou imaginando que houve aí algum preconceito, é porque não entendeu nada! kkkk

    1. Verdade, conhecer a bíblia não faz de ninguém cristão. Mas para falar sobre cristianismo e seus preceitos é impossível sem conhecer a bíblia.

    2. Onde o autor discutiu cristianismo? Perdi essa parte..

    3. E conhecer a Bíblia não faz de ninguém um cristão.

  21. Conservadores baseiam suas crenças em sentimentos não em dados concretos. Tentam racionalizar seu incômodo com afirmações descoladas da realidade. E ainda querem dizer o que os outros devem fazer com sua vida. Não se pode dar poder a essa gente.

  22. Sou assíduo na leitura de suas crônicas. Nessa realmente vx deixou a desejar, talvez por falta de assunto e inspiração para iniciar o comentário sobre 2019. O que vc acharia sobre um pensamento de um pastor presbiteriano, conservador sobre esse assunto de homossexualidade, etc? Tinha outras coisas mais importantes a se comentar.

  23. Nossa! estou sem fôlego. nunca li nada tão real quanto a questão gay e, principalmente, quanto a família Bolsonaro, eles nunca enganaram. nunca me preocupei com esta questão porque não me interessa o que cada um faz. os respeito e pronto. É assi. que se vive em mundo civilizado. Mesmo que seja uma utopia, tento viver assim

  24. O pastor está apenas sendo coerente com o que a Bíblia cita a respeito do homossexualismo, cristãos favoráveis ignoram:BÍBLIA HOMOFÓBICA "Eram maus os varões de Sodoma e grandes pecadores contra o SENHOR." (Maus pra quem? Eu imagino que eles eram bem alegres!) [Gn 13:13] Os dois anjos que visitam Ló lavam os pés e comem. Eles são sexualmente irresistíveis aos Sodomitas. [Gn 19:1-5] Deus mata todos em Sodoma e Gomorra. Isto porque - dirá um cristão direito, alguns homossexuais viveram lá. [Gn 19:

    1. Os varões de Sofômano eram maus porque eram violentos. Não aceitavam rejeições às duas práticas. Leia os textos sem ideias preconcebidas. Eles estavam dispostos a forçar os anjos, só não não foram capazes de subjugar o poder deles. A prática homossexual em Sodoma não tinha nada de pacífica.

  25. Sr.Sabino:Vejo o seu receio em responder sua própria pergunta como ironia implícita. Quando todos sabemos qual ela eh! Está ironia não seria um respeito velado a liturgia do cargo?ou uma leniência um pai?

  26. Clonagem humana parece que ainda está longe por obstáculos éticos mais do que biológicos. A natureza em geral escolheu a dupla óvulo/espermatozóide para manutenção das espécies. machos e fêmeas humanos "ainda" copulam e me parece que a preservação da vida continua a aumentar (7,6 bilhões). O resto é firula.

    1. São dois, textos claros e cheios de indagações. Parabéns Mário

  27. grande verdade sobre algo muito simples homossexualidade se aceita e pronto não tem essa de ser contra ou a favor, esse pessoal é rústico são os piores pois temem seus fantasmas e por isso tem opiniões tão radicais...deixem as pessoas serem felizes não importa o genero

  28. Esse medo de determinados pais que seus filhos “enveredem” pelo “lamaçal” da homossexualidade beira o quase ao fetiche. Primeiro que nem pais, nem o Estado detém a propriedade da vida de qualquer indivíduo, mesmo sendo seu filho. Ele não pertence a realização do seu ego. Segundo que absolutamente ninguém escolhe ser homossexual, porque se fosse escolha, a mais cômoda seria ser heterossexual.

    1. Perfeito! Sexualidade não é opção e sim condição. Não adianta ficar perguntado por que sou assim ou assado? Não adianta escutar opiniões de algum boçal que fala sobre pílula para curar gay. Não adianta esconder atras de um casamento sofrido; não vai mudar nada. Quando se aproximar de alguém que lhe atrai (homem ou mulher) os seu olhar e o seus gestos vão te denunciar.

  29. É fato que a preocupação com a sexualidade alheia sempre passa a impressão de que quem se preocupa com isso tem a própria sexualidade frustrada e mal resolvida.

    1. Concordo 100%! Imagine, responder à questão que nem foi levantada!

  30. Não dá outra. O incomodo em relação à sexualidade alheia já foi por demais estudado. Na esmagadora maioria é o medão de se deparar com as próprias inclinações. Haja divã!

  31. Creio que o problema das pessoas com os homossexuais não seja suas opções de vida, mas sim o fato deles acharem que esses pessoas devem além de aceita-los gostarem deles e aprovarem suas escolhas. Não reconhecem o direito da discordia, apenas da concordância.

  32. Contardo Calligaris também diz:" Quando as minhas reações são excessivas, deslocadas e difíceis de serem justificadas é porque emanam de um conflito interno. Por que afinal me incomodaria meu vizinho ser homossexual e beijar outro homem na boca? De forma simples, o que acontece é: 'Estou com dificuldades de conter a minha própria homossexualidade, então acho mais fácil tentar reprimir a homossexualidade dos outros, ou seja, condená-la e persegui-la, porque isso me ajuda a conter a minha."

    1. quem fala "desta água não beberei" ou já bebe ou deseja beber e tem inveja de quem bebe

  33. O psicanalista Contardo Calligaris diz "Há uma regra básica para a qual nunca encontrei exceções, em mais de 30 anos de clínica. Claro, qualquer um pode discordar do desejo e da conduta sexual de outros; mas quando alguém se sente compelido a agir para impedir ou punir uma conduta sexual diferente da sua é que, de fato, ele está tentando reprimir seu próprio desejo de se engajar nessa conduta diferente."

  34. O Estado trazer isso para pauta do jeito que traz (nas escolas, principalmente) só mostra o despreparo dos educadores.. Quem é da área e estuda, de verdade, sabe que para ser efetivo no combate à discriminação, você não precisa colocar sexualidade, raça ou religião na conversa. Quem sabe o que significa respeito e pretende levar para a vida; respeita tudo: gato, cachorro, natureza, seres humano, a opinião alheia. Manuais são para máquinas.

  35. O Ministro da Educação realmente entende pouco ou quase nada de educação. Nesse ritmo, nos sairemos muito mal na avaliação do Pisa novamente.

  36. Matéria inteligentíssima, disse tudo com extrema sutileza. De acordo com o livro do Marcel - No armário do Vaticano - a homofobia de clérigos e cardeais é uma cortina de fumaça para uma homossexualidade latente.

  37. Sabe...já sou até avó...e tenho certeza de uma coisa...ninguém pode mudar os gostos dos outros...não me interessa a sexualidade de ninguém...por isso acho uma barbaridade se falar tanto sobre isso...desconfio mesmo é de cristãos que vivem preocupados com a vida dos outros.

  38. amigão há excessos dos 2 lados. as ações e reações de ambos apenas aumentam a ignorância e a brutalidade. o que me desanima é que o ministro da educação participe de forma tão ativa nesse processo de afrontar e exaltar os ânimos. briga de torcida ideológica não deveria ser incentivada por ministro da educação, que deveria ter mais foco e disciplina para se dedicar apenas à atividade fim de seu trabalho. como está mesmo a meta de melhorar nosso resultado no pisa ? o próximo ministro responde...

  39. Para uem precissar de um desenho explicativo, uma parodia: Bozominion Essa é pra você, bozominion! Pra você, bozominion! Él, él, él, todo bozominion queria dá o anel Él, él, él, todo bozominion queria dá o anel Yoga, yoga, yoga, todo bozominion queria dá o boga Yoga, yoga, yoga, todo bozominion queria dá o boga Iú, iú, iú, todo bozominion queria fuma nu Iú, iú, iú, todo bozominion queria fuma nu

    1. Não há a menor sombra de dúvida de que Bolsonaro pai e Bolsonaro filho são claramente gays enrustidos! As preocupações e comentários deles com o tema revela claramente.

    2. Ou então é uma tentativa de preservar a integridade de seu filho querido. Com a palavra o Carluxo Boy!

  40. Excelente, como sempre! Voltamos a Idade Media com os bolsonaristas pregando valores deturpados e preconceituosos. Um horror de mau gosto!

  41. Bah. Que artigo. Elevaste essa discussão a um nível muito alto. E colocaste o ponto de interrogação e o ponto de exclamação nas frases certas. E nesse artigo não cabe um ponto final. Grande abraço.

  42. Mario, tem muito militar enrustidos fora dos quartéis, assim como os padres celibatários e ortodoxos. Não concordei com a relação entre idade e dificuldade com questões homofóbicas. Assista o filme “Beleza americana” e vai encontrar um pai militar preocupado com as relações de amizade do filho com a vizinhança. Qualquer semelhança com a vida real é pura coincidência.

  43. O machista não aceita seu lado feminino anima. Inveja a atitude libertadora do homossexual em aceitar sua vulnerabilidade , sensibilidade e humanidade . Culturalmente reprime a liberdade do indivíduo em se aceitar como ser sexual passivo e/ou ativo. A agressividade e truculência estereotipada demonstram um sujeito que não se aceita como indivíduo livre . Travestidos de masculos machos alfa , criam o estereótipo do forte , poderoso ,o ser dominante. Perde tanto achando-se mais...ele é menos...

    1. Perfeito o que disseste Vera, mas complementaria que muitos desses "machões", na verdade são pessoas que não tem coragem de assumirem-se, daí atacam o que gostariam de ser, mas que se reprimem por medo da parte da sociedade tacanha e falsa moralista. Preocupam-se com a orientação sexual, que é direito de cada um, mas consideram normal utilizarem-se de falsas religiões para se locupletarem do pouco dinheiro dessa gama de pessoa humildes que são aliciadas por falsas pregações.

    1. Bolsonaro, os filhotes e a família toda são um bando de hipócritas e não precisa entender muito da Bíblia pra saber que ele e a família toda, não são Cristãos verdadeiros, no mínimo são evangélicos fajudos, como muitos no Brasil. Grande parte dos brasileiros são evangélicos, mas poucos são Cristãos verdadeiros e eu não estou julgando, porque se a pessoa tiver o mínimo de conhecimento da Palavra de Deus, percebe isso claramente nas atitudes dessas pessoas que se dizem Cristãs.

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO