… e o mistério da pasta cinza

22.11.19

Antes de procurar o então presidente César Asfor Rocha no STJ, em 2009, para anular a Operação Castelo de Areia, a Camargo Corrêa cogitou tentar “subtrair” das dependências da Polícia Federal em São Paulo uma pasta cinza onde estariam armazenadas as principais provas de pagamentos ilícitos a políticos apreendidas na casa de um ex-diretor da empreiteira. Em sua delação, o ex-ministro petista Antonio Palocci diz que o plano foi abortado depois que Márcio Thomaz Bastos, ex-ministro da Justiça de Lula e advogado recém-contratado pela Camargo, havia checado o “background dos integrantes da equipe da operação” e constatado que “a estratégia não seria viável”.

Adriano Machado/CrusoéAdriano Machado/CrusoéEm delação, Palocci explicou o motivo de o plano ter sido abortado

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
    1. Poucos amam o MiNto depois de reveladas as mentiras, traiçao e ligação com milicianos. É tb um crá pula só que de terceira categoria mas faz o mesmo mal ou até pior ao país.

  1. Eu, tenho certeza, não estarei mais "por aqui" quando o "bagulho" do Márcio Tomaz Bastos for aberto. Mas, que esse advogado também era "famoso" exatamente por "azeitar" com alguns amigos membros do judiciário, muitos de nós já sabíamos desde àquela época. O LULALAU o conhece muito bem, claro! Sarcástico como era, "vai" rir muito na ocasião da abertura de suas memórias. Ah, vai!

  2. Eu me lembro quando Márcio Thomás Bastos faleceu foi comentado que ele deixou escritos sobre todas as falcatruas( claro que não foi esse o termo usado por ele e sim seus feitos) mas só perderiam o sigilo em 50 anos, imagino o que tem lá.

    1. O nome de MTB foi um dos primeiros a aparecer na operação "Banestado" usando as contas CC5 para esconder dinheiro no exterior.

    1. Os julgamentos têm q continuar pos morte . Os familiares são os principais culpados, CE ñ podem continuar usufruindo do produto dos roubos. Na verdade, familiares, principalmente esposas/MARIDOS, devem ser julgados, por ñ cuidarem de INCAPAZES. No caso de Gleise e Paulo Bernardo, prisão perpétua aos dois, na mesma cela, com escada e tudo. Pra poderem trepar à vontade, já q ñ mais geram marginais.

    2. Morreu mas a família continua usufruindo dessa corrupção !

    3. Chamado de "God", mas virou cinzas. Logo outras divindades atuais já eradas o seguirão, e não deixarão nenhuma saudade.

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO