RuyGoiaba

‘Estudos mostram’ que jornalistas engolem qualquer coisa

10.05.19

Há uma grande tradição jornalística que se mantém com o passar dos anos, apesar dos esforços de amigos e conhecidos (principalmente o pessoal que trabalha com jornalismo científico): basta encher um estudo fajuto de números, amarrar com uma conclusão bombástica, que renda bons títulos, e publicar em um periódico que pareça — apenas pareça — confiável, que os jornalistas engolem.

Quando eu era um jovem goiaba, e isso faz muito tempo, já dava risada com aqueles “estudos” que programas televisivos viviam divulgando, às vezes contraditórios (“estudos mostram que ovo faz bem ao coração!”, “cientistas revelam que ovo faz mal ao coração!”, “médicos advertem que o colesterol bom é ruim e o ruim é horrível!”). Isso continua, seja porque jornalistas são como certos índios – só contam “1”, “2”, “3” e “muitos” — e raramente checam números, seja porque às vezes interessa divulgar uma pesquisa distorcida que confirme o que eles já pensam (o que é ainda pior).

Dois levantamentos divulgados nas últimas semanas são bons exemplos disso que escrevi aí em cima. Nos EUA, veículos geralmente respeitáveis como o Washington Post e a New Yorker reproduziram – em tom bastante alarmista — um estudo que associava 13 Reasons Why, a série da Netflix sobre uma teenager que se mata, ao aumento dos suicídios de adolescentes nos EUA em 2017.

Quem se deu ao trabalho de ler o relatório, como o blogueiro americano Daniel Bier, constatou o seguinte: 1) ele não incluía nenhum dado sobre a audiência da série entre os adolescentes que se mataram; 2) não explicava por que o número de suicídios aumentara também em junho e dezembro de 2017 (a primeira temporada da série foi lançada em abril); 3) atribuía a alta dos suicídios em março ao TRAILER de 13 Reasons Why exibido nesse mês (é sério); 4) não explicava por que altas semelhantes haviam sido registradas antes da série; 5) muito menos por que, se há ligação entre as coisas, o aumento foi entre adolescentes homens (a protagonista da série, repito, é UMA adolescente).

Ou seja, o tal estudo não serve para nada – a não ser que se use sua conclusão (“não há benefício de saúde pública perceptível associado à série”) para censurar a Netflix ou desestimular qualquer um de produzir arte ou entretenimento que porventura dê “mau exemplo” aos jovens.

O segundo caso é uma pesquisa do Bananão que serve bastante bem para ilustrar a “divulgação interessada”. A Andifes, associação dos dirigentes das universidades federais, publicou um levantamento que coloca nada menos que 80% da população brasileira nas classes D e E – basicamente, para tentar fingir que a universidade pública no Brasil atende majoritariamente aos pobres, em vez de ser o grande programa de pobres financiando ricos que de fato é (IBGE em 2015: 35% dos estudantes de universidades vêm dos 20% mais ricos da população, ante 8% que vêm dos 20% mais pobres). Como diz uma querida amiga, é faxineiro pagando faculdade para rico com camiseta de Che Guevara.

No Twitter, o economista Carlos Góes chamou isso de “classe média de Schrödinger”: “O mesmo grupo, com a mesma faixa de renda, é chamado de ‘nova classe média’ quando se referem à era de crescimento econômico sob os governos do PT e de ‘pobre’ quando estão falando das universidades federais”. Não importa: nesse caso, a intenção da pesquisa é ser uma arma política, não analisar as coisas como são – e quem a divulgou, creio eu, sabe muito bem disso.

Em suma, “estudos mostram” que é bom desconfiar dos estudos de vez em quando. Mas não exagere virando terraplanista, ô animal.

***

A GOIABICE DA SEMANA

“É tanta coisa no menu que eu nem sei o que comer”, como diria Raul Seixas: o ministro da Educação chama Kafka de “kafta” (certamente estava morrendo de fome durante a audiência na Câmara), o filho do presidente fala em “infinito estrelar” e o próprio Bolsonaro escreve que Olavo de Carvalho é “um ícone, verdadeiro fã para muitos” (em vez de “ídolo”). Juro que não sei mais como lidar com essa produção de goiabices digna do Ceagesp. Como diria aquele ex-presidente da Câmara preso, “Deus tenha misericórdia desta nação”.

Adriano Machado/Crusoé“A Metamorfose”, versão Abraham Weintraub: quando Gregor Samsa desperta de sonhos intranquilos, descobre que se transformou num espetinho de carne

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Felipe Moura Brasil, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. O que os 'jornalistas' engolem não é o maior problema. A grande questão é o que eles vomitam diariamente, sem o menor pudor ou drama de consciência.

  2. Segundo um amigo jornalista, sua profissão é composta por pessoas que estudam 4 anos, para escrever sobre coisas das quais nada sabem. rrsrs

  3. faltou a Frozen, uam perola da Dalmares que aparecer essa semana, vendo um vies de convencimento LGBT no desenho...pobre Brasil

  4. Essa guerra eterna entre ricos e pobres no ensino superior é em si uma goiabice. Professor de uma Federal, todo dia corrijo português antes do conteúdo técnico, ensinamos matemática básica para poder falar de cálculo; e isso é distorcer função da universidade. Não é culpa dos alunos mas é o assunto que deve ser discutido e resolvido, não a cor, ou o bolso de quem entra na universidade, ou ainda se gosta de goiaba ou outra fruta. O tal faxineiro deve investir mais em educação básica, não?

    1. Exatamente o que venho falando desde o início dos tempos!!!!

  5. Essa guerra eterna entre ricos e pobres no ensino superior é em si uma goiabice. Professor de uma Federal, todo dia corrijo português antes do conteúdo técnico, ensinamos matemática básica para poder falar de cálculo; e isso é distorcer função da universidade. Não é culpa dos alunos mas é o assunto que deve ser discutido e resolvido, não a cor, ou o bolso de quem entra na universidade, ou ainda se gosta de goiaba ou outra fruta. O tal faxineiro deve investir mais em educação básica, não?

    1. Mas o bichinho da goiaba botou a cabeça pra fora para vê a expressão facial...

  6. No Brasil só tem 3 jornalistas dignos da profissão: Nêumanne, Augusto Nunes e JR Guzzo, o resto é resto, esses 3 tem coragem pra fazer perguntas q incomodam os poderosos.

  7. É a célebre acomodação das suspeitas titubeantes dos jornalistas, às teses mirabolantes dos analistas egóicos, oportunistas e loucos para se destacar da massa. Sem nenhum compromisso com a verdade. Só com a vaidade. É pacabá...

  8. Gregor Samsa ter virado espeto de carne e não mais um inseto nojento tá no lucro!! Adorei o comentário das "goiabices". É como vc disse: "goiabas demais". Estamos todos com prisão de ventre...kkkkkkk

  9. Perfeito goiaba, quando leio "segundo um estudo" já levanto uma sobrancelha. Se eu fosse comer tudo o que os estudos dizem que se deve comer para não ter câncer, AVC, dor de barriga, cabeça e unha encravada eu estaria empanzinada.

  10. Olha senhores redatores: Estou enojado com as noticias que são publicadas, principalmente com noticias do centrão. A partir de hoje deixo de ler o Cruzóe e Antagonista, pois os senhores não tomam nenhuma posição contra o quie estão fazendo contra o Pais

  11. São tantos erros e incongruências que os deslizes ditos pelos personagens da novela "O sétimo guardião" se tornam quase aceitáveis (lá todos os personagens falam as expressões OS GUARDIÃES ... )

    1. Pois é, já notei isso. Se fosse apenas um, mas TODOS falam...

  12. Rui goiaba comeu muita goiaba e sofreu uma metamorfose. Uma intercambista australiana ficou na minha casa por 6 meses. Fez uma viagem ao pantanal com outros intercambista e disse que no seu quarto tinha um banheiro onde a pia estava cheia de goiabas podres. Aquele cheiro lhe provocava ânsia. Cuidado rui para não apodrecer. O cheiro exalado é deveras muito ruim!

  13. Toda vez que me deparo com alguma matéria que inicia com "estudos mostram" me vem a cabeça os comerciais daqueles aparelhos e suplementos que prometem rejuvenescimento instantâneo, forma física perfeita e outras baboseiras mais. Por que será?

  14. Muito bom. Parabéns Goiaba. Agora imagina nós meros leitores, que pensamos (talvez...), sem chance de retrucar. Bolsonaro perdia a todos nas pesquisas de segundo turno. Hoje, COAF, todos noticiam que o Moro perdeu, verdade naquela comissão especial, mas a notícia não é fiel, pois ainda tem a decisão do plenário, aí sim definitivo. Vou avisar o senador que votei na última eleição, que foi o último voto nele, pois não tenho político de estimação, alguém que tenha nada claro na sua vida.

  15. Há pouco tempo, na Folha de São Paulo, divulgaram que as hidrelétricas no Brasil "consomem" mais água que a população. É mais um caso de estupidez ou é apenas Marina Silva fazendo escola?

  16. Queremos e precisamos rir, a sua é a única coluna aqui na revista com essa pegada humorística, portanto, não se distancie muito dessa linha de humor sarcástico , falar de coisas sérias fazendo humor é um arte para poucos!Com relação à goiabice, a gente sabe que uma laranja podre na cesta contamina as outras, acho que foi isso que aconteceu, tiramos a laranja e esquecemos de lavar a cesta.

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO