Montagem com fotos de Adriano MachadoBolsonaro e Haddad: a disputa está cada vez mais polarizada

O plebiscito do século

Polarizada entre Jair Bolsonaro e Fernando Haddad, a disputa presidencial mais renhida de todos os tempos se transformou, já na campanha de primeiro turno, em duelo entre petismo e antipetismo. No meio do tiroteio, há um país a ser recuperado de uma situação lamentável
21.09.18

Em uma das últimas conversas que tiveram na cela na sede da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, onde Lula cumpre prisão por corrupção e lavagem de dinheiro, o ex-presidente foi claro na missão a ser cumprida por Fernando Haddad: “Em 2012 eu precisava de um candidato com a cara do PSDB para ganhar em São Paulo. Você cumpriu. Em 2018, para ganhar no Brasil, preciso de um candidato com a cara do PT. Quero o confronto”. No contrato informal selado entre os dois estava o combate intransigente à Lava Jato, a defesa de uma política econômica menos liberal e mais intervencionista e, claro, a devoção suprema ao próprio Lula. Haddad deixaria o encontro transformado. Ali saía de cena o petista moderado, que antes via com ressalvas os métodos usados pelo PT para conduzir a economia e defendia que os companheiros fizessem uma autocrítica depois dos escândalos que marcaram a passagem do partido pelo governo federal. Vestindo a nova máscara, a de substituto de Lula na corrida presidencial, Fernando Haddad assumia um novo personagem: adepto do populismo econômico, agressivo e leniente em relação ao mensalão e ao petrolão. A missão que Lula acabara de lhe dar era clara: eleger-se presidente da República e, então, conduzir com mão de ferro o processo de enfraquecimento da maior operação anticorrupção da história do país.

Haddad vem cumprindo com certa desenvoltura o processo de subversão de sua identidade original. Desde o dia em que foi anunciado como substituto de Lula na corrida presidencial, ele subiu 13 pontos no Ibope e sete no Datafolha. Herdou boa parte dos votos do chefe petista e se consolidou como o principal nome da centro-esquerda na disputa, deixando para trás os candidatos Marina Silva e Ciro Gomes. Sua ascensão foi acompanhada, no outro extremo, por Jair Bolsonaro, vítima de um atentado a faca no dia 6. No mesmo período do petista, o ex-capitão se estabilizou na liderança após subir seis pontos no Ibope e quatro no Datafolha, amealhando votos que antes eram destinados a candidatos de centro-direita, como Geraldo Alckmin, João Amoêdo e Alvaro Dias. A menos de três semanas do primeiro turno da mais renhida sucessão presidencial da história brasileira, as intenções de voto em Bolsonaro e Haddad se assentam a cada pesquisa e, desde já, dão à eleição o caráter de um grande plebiscito entre o petismo e o antipetismo.

Esse cenário se desenha e se consolida na mesma medida em que diminuem os votos brancos e nulos, assim como o número de eleitores que antes diziam não ter candidato. O Sr. Ninguém perde fôlego, ao contrário do que se imaginava. Conforme se aproxima o primeiro turno, mais eleitores fazem a sua opção, com um componente que tem se demonstrado forte nesta reta final: o voto útil. Segundo a última pesquisa Ibope, divulgada na terça-feira, mais de um terço dos entrevistados disseram ser alta ou muito alta a chance de votarem em um candidato que não seja de sua preferência para evitar que outro ganhe. De um lado, são eleitores avessos ao PT que admitem votar em qualquer candidato que impeça Haddad de vencer. De outro, há eleitores avessos a Bolsonaro que admitem mudar de voto para ajudar a derrotar o candidato do PSL. Um fator que demonstra o viés plebiscitário é a configuração, ao menos nas pesquisas, de um país dividido social e territorialmente. Nas sondagens mais recentes, Haddad cresceu muito no Norte e Nordeste, entre os eleitores com renda de até um salário mínimo mensal e com formação até a quarta série do ensino fundamental. Bolsonaro domina o outro extremo. É forte no Sul e no Sudeste, entre eleitores com curso superior e renda maior que cinco salários mínimos.

ReproduçãoReproduçãoJair Bolsonaro, em transmissão a partir do leito do hospital: o candidato do PSL faz campanha pela internet
As coordenações das duas campanhas que lideram a disputa até aqui avaliam que, com vaga praticamente garantida no segundo turno, a hora é de acenar não só aos demais partidos, mas principalmente ao eleitor moderado para vencer a eleição. O grupo próximo a Bolsonaro, por exemplo, repreendeu nesta semana o vice, general Hamilton Mourão, por suas declarações. Na segunda-feira, Mourão afirmou que famílias em que os filhos são criados por mães e avós têm mais probabilidade de virar “fábrica de elementos desajustados que tendem a ingressar nessas narco-quadrilhas”. Na semana passada, ele defendera uma nova Constituição sem uma Assembleia Constituinte. O general também disse  que, em situação de caos institucional, as Forças Armadas seriam acionadas, como previsto pela Carta Magna — uma das falas de Mourão que ajudaram a alimentar o discurso dos adversários de que, uma vez eleito, Bolsonaro promoverá um autogolpe, com apoio dos militares, para permanecer no poder. Já no PT, se antes o objetivo de Haddad era absorver ao máximo os votos que seriam destinados a Lula, o eleitor de centro passou a ser o alvo. O próprio candidato já menciona a possibilidade de aliança com Alckmin e Ciro no segundo turno e tenta fazer inflexões no discurso sobre a Lava Jato. Nos últimos dias, jogando com as palavras, ele negou publicamente a possibilidade de conceder indulto para soltar Lula – mas deixou aberta a janela para que “se faça justiça”.

No PT, o indulto presidencial não é tratado como o caminho preferencial em caso de vitória, mas está longe de ser descartado. O ideal, na visão da cúpula do partido, seria promover uma concertação entre os Três Poderes. “Concertação” é uma palavra elegante para definir do que de fato se trataria. Paralelamente, para livrar Lula da prisão, o partido segue apostando em uma solução “de fora para dentro”. O plano é insistir na cantilena falaciosa de que o Comitê de Direitos Humanos da ONU tem autoridade para declarar a prisão injusta e, no ano que vem, caso Fernando Haddad ganhe a eleição, usar essa balela para embasar um processo que resulte na libertação do ex-presidente, sem passar a impressão de que as leis foram atropeladas. Missão difícil. Claro está que vencer o pleito imporá a Haddad a obrigação de costurar “um grande acordo nacional” – aquele das célebres palavras do ex-aliado Romero Jucá – que seja capaz de emparedar a Lava Jato. Tudo, sempre, sob a tutela de Lula.

Em privado, petistas admitem que o ex-presidente será o dirigente de fato do país no caso de vitória de Haddad. Uma surpresa, não é mesmo? Enquanto estiver preso, a comunicação se dará por meio de emissários. Se for solto, muito provavelmente ocupará um ministério. O novo projeto do PT já está tão definido que, nas conversas, os petistas lançam mão até de um antecedente sul-americano para ilustrar o que seria a situação. O paralelo histórico está na Argentina de 1973. Naquele ano, do exílio, o ex-presidente Juan Domingo Perón, inabilitado para concorrer porque estava fora do país havia 17 anos, escolheu o ex-presidente da Câmara Hector Cámpora, “El Tío”, para ser o seu candidato sob o lema “Cámpora no governo, Perón no poder”. O ungido não só venceu como renunciou menos de dois meses depois para abrir espaço para novas eleições vencidas por Perón. A situação é semelhante à do PT de 2018. Com a diferença de que não está no roteiro a renúncia de Haddad para Lula assumir. A ideia é que o chefão seja o presidente “de fato”. Haddad seria o presidente “de direito”.

Renato Gizzi/Photo Premium/FolhapressRenato Gizzi/Photo Premium/FolhapressFernando Haddad em campanha em Guarulhos (SP), na quarta-feira: onipresença de Lula
Nos sonhos dos petistas, as urnas darão respaldo popular a uma espécie de revisionismo da Lava Jato. “Se ganharmos, a população estará dando o recado de que o combate à corrupção precisa ser feito dentro da Constituição. Temos que discutir com a sociedade como aperfeiçoaremos o Legislativo, o Executivo e o Judiciário”, disse a Crusoé o deputado Paulo Teixeira, um dos parlamentares mais próximos de Fernando Haddad e que auxilia a legenda na interlocução com os tribunais superiores. Sim, ele disse isso. Para não repetir os erros cometidos pelo poste anterior, a ideia é que, caso Haddad vença, Lula exerça sobre ele uma influência muito maior do que a que exercia sobre Dilma Rousseff. Dilma foi alvo de impeachment após quebrar o país e abrir mão da interlocução com o Congresso. Para Lula, ela descuidou da política. O mesmo erro, na visão dele, foi cometido por Haddad quando foi prefeito de São Paulo — ele teria feito um governo voltado para a classe média paulistana e, por isso, perdeu no primeiro turno ao tentar se reeleger. Lula tem dito que erros assim não podem se repetir. Para o condenado, os erros são sempre dos outros.

Da cadeia em Curitiba, uma das tarefas de Lula no sentido de moldar o novo poste presidencial a seu gosto é, neste momento, contornar a rejeição interna ao candidato. Como disse um petista a Crusoé, “Haddad era o plano C do PT para 2018”. Só foi escolhido depois que Lula caiu na Ficha Limpa e Jaques Wagner recusou o desafio de se candidatar ao Planalto. A relação de Haddad com a presidente da sigla, Gleisi Hoffmann, por exemplo, é de desconfiança. Ela sonhava em ser a escolhida de Lula. Preterida, não acredita, segundo seus interlocutores, que ele fará o enfrentamento que Lula e o PT precisam fazer à Lava Jato. Aliás, é justamente do grupo de petistas mais atingidos pela operação que costumam partir os maiores ataques a Haddad.

O azedume interno tem relação com o estilo do candidato de Lula. O ex-prefeito nunca conseguiu formar, dentro do partido, um grupo para chamar de seu. Nas vezes em que precisou se relacionar com a máquina petista, não se saiu bem. Sua relação com a esquerda sempre foi mais acadêmica do que política. Haddad é um marxista convicto. Formado em direito pela USP em 1985, defendeu cinco anos depois sua tese de mestrado na Faculdade de Economia, sob o título “O caráter socioeconômico do sistema soviético”. Sim, é de dar comichões. Durante os anos 1990, ajudava Guido Mantega na formulação de políticas públicas e de programas de governo do partido. Ocupou sua primeira função pública relevante como chefe de gabinete da secretaria de Finanças de Marta Suplicy em São Paulo. A vitória de Lula em 2002 abriu caminho para que ele fosse trabalhar em Brasília. Primeiro, com Mantega no Ministério do Planejamento. Depois, na secretaria-executiva do Ministério da Educação com Tarso Genro. Mais tarde, foi finalmente alçado ao cargo de ministro da pasta.

Divulgação/TV AparecidaDivulgação/TV AparecidaDebate nesta quinta-feira, na TV Aparecida: os demais concorrentes têm esperança de que o cenário da corrida mude nos próximos dias
Lula via em Haddad um professor universitário afinado com a classe média paulistana, a chance de avançar sobre uma faixa da população historicamente arredia ao petismo e, àquela altura, incomodada com o mensalão. O Haddad ministerial chegou a Brasília como uma estrela ascendente. Ao mesmo tempo, as desavenças no interior do partido se intensificavam. À boca miúda, petistas o classificam como “arrogante”, “intragável”, “cheio de exigências”. A lista inclui o apelido de “Fernando Vaidade”. Os críticos o tacham ainda de “vacilão” e “errático”. Dizem que, quando tinha o poder nas mãos, seja como prefeito, seja como ministro, “tomava decisão e ficava em dúvida depois”. “Ele sempre teve pouca confiança no que decidia”, diz um dos queixosos do estilo do candidato petista.

Se no ministério Haddad já não era visto por muitos petistas como o companheiro ideal, na prefeitura de São Paulo as relações internas se esgarçaram ainda mais, na mesma medida em que a dependência de Lula aumentava. De cara, ele permitiu que o ex-presidente loteasse todo o seu governo entre petistas e aliados. As correntes internas do PT paulistano ficaram com as áreas que detinham maior volume de recursos. As demais foram divididas entre integrantes do “Centrão” da capital paulista, que, assim como no Congresso, carrega a marca do fisiologismo. Acordos nacionais foram reproduzidos na esfera municipal. O então ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, atual líder na Câmara do governo Michel Temer, indicou o secretário de Habitação. O MDB de Temer ocupou duas pastas – para uma delas, indicou uma das filhas do atual presidente. O PTB de Roberto Jefferson também esteve presente. A divisão do latifúndio fez com que Haddad, inexperiente na administração de uma cidade do tamanho de São Paulo, perdesse o comando sobre diversos setores municipais. Eles foram tomados pelos políticos profissionais. “Era um relacionamento extremamente clientelista, com as subprefeituras loteadas, vereadores com indicados em tudo quanto é canto. Ele era inepto, não saía do gabinete, não ia nos bairros”, ataca o principal líder da oposição na época, Floriano Pesaro, do PSDB.

No plebiscito em que se transformou a eleição, Haddad é apenas a expressão de uma má ideia — a de soltar Lula e permitir que o condenado governe o país. Do outro lado, há uma vaga ideia — a de eleger Jair Bolsonaro para deter o plano petista de reconquistar o poder e também modernizar o país. O sistema político brasileiro não conseguiu regenerar-se para criar alternativas a essa polarização. No meio do tiroteio, há um país a ser recuperado da mais grave crise econômica da sua história, causada pelo primeiro poste lulista, e doente de qualquer ângulo que se examine: infraestrutura, educação, saúde, segurança e instituições. O confronto que o Brasil precisa ter é com a situação lamentável em que se encontra.

Leia a reportagem de capa que publicamos em maio sobre Jair Bolsonaro:

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

Edição nova toda Sexta-Feira. Leia com Exclusividade!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

Deixar para mais tarde

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
    1. O povo tem o governo que acredita e isto até hoje foi manipulado, com o advento da internet, o povo, tem mais condições de escolher os seus governantes. Esta mudança será muito importante para todos.

  1. O povo brasileiro tem às mãos, a chance de escolher: reabilitar e deixar retomar o poder as diversas quadrilhas que bem conhecemos, chefiadas por um presidiário, condenado. Ou buscarmos uma alternativa de quem não tem qualquer envolvimento em esquemas de corrupção e roubalheira. Façam suas escolhas.

  2. O recurso de áudio pula frases. Pode ser que o texto final publicado não seja a mesma versão disponibilizada para para leitura virtual. por favor, corrijam isso

  3. Eu acho uma insanidade as pessoas votarem no capacho de um presidiário! Nem consigo acreditar que uma pessoa que se candidate à Presidência da República preste vassalagem a outra. Como será? Será que haverá tipo um telefone vermelho na cadeia em Curitiba para transmitir as ordens do molusco? Cadê a vergonha desse povo?

  4. O país tem uma dívida de gratidão com a imprensa - globo, folha, antagonista/crusoé, principalmente, por ter transformado uma coisa séria - as eleições - nisso que está aí. E o país pagará o preço da campanha que levou a isso, possibilitando tirar do páreo gente que poderia ter contribuição a dar na resolução dos problemas urgentes que ficarão mofando em alguma prateleira nefanda do autoritarismo, de esquerda ou de direita. Parabéns!

  5. Amigos , O plebiscito é consequência da realidade brasileira.Ele simplifica o sofrimento do povo ,roubado e assassinado .60 mil crimes por ano precisa destrinchar ? A CAUSA está na nossa realidade política cuja complacência está sendo enfatizada por esses raciocínios sofisticados da MÍDIA , rica de pantufas elonge da tragédia do povo . Este fica à mercê dos malfeitoros , os ostensivos habitantes da PF de Curitiba e das vestais tipo nariz da grã-fina de NELSON RODRIGUEZ . Abram o olho .CARLOS

  6. Amigos ,O CIRO está lá para fazer o corta luz , na linguagem futebolística,para o LULA , e para o PT ,lógico. O ALKIMIM e FHC se borram de ver o BOLSONARO lá em cima ,pois o quinhão deles sumiria . Como a direito é desunida , por vaidade ,tanto o AMOEDO como ALVARO chamam de aventura apoiá-lo .Tudo isso atrapalha o eleitor mais racional e aí as pesquisas do 2o turno indicam o HADADD ,nesse momento.Quando fecharem as urnas do 1o turno , aí o eleitor debanda para o lado certo ,senão ..........

    1. O Brasil não tem que passar por isso. É só os eleitores antipetistas do bolsonaro votarem, no primeiro turno, em Alckmin para tirar a esquerda do segundo turno. Bolsonaro vai passar para o segundo turno de qualquer jeito e é mais fácil ele ganhar do Alckmin do que do Haddad. Sejam inteligentes.

  7. Nem o Bolsonaro acredita no nível a que chegou porque nem transmitir uma ideia direito ele sabe. Grande parte dos seus eleitores, então, nem sabe de que partido é. Dá para se ter uma ideia da coisa que os eleitores emburrecidos estão tentando levar à presidência do Brasil. Bastou o homem falar em bala e ser carregado em público por um bando de cupinchas para dar a entender que estava sendo carregado pelo povo, que entraram na sua conversa fiada. Duvido que os eleitores do Amoêdo mudaram para ele

  8. Não haverá segundo turno. Essa "lorota" do poste do PT estar subindo nas intenções de voto foi criada pela mídia, que não quer perder a mamata. Esse poste não conseguiu reeleger-se nem a prefeito de São Paulo, quanto mais a presidente do Brasil. Aí dizem, mas é o candidato do Lula. Quem é o Lula? O maior ladrão da história do Brasil.

  9. Contra o universo corrupto, sem dar chance de mentiras e covardias conjuntas dos candidatos-lixo: BOLSONARO- PRIMEIRO TURNO!!! O único capaz de fazer boas mudanças!

    1. Ainda pesquisando os candidatos, está muito difícil escolher o menos pior, porém aceitar que o partido que mudou de nome de PT para Lula volte a saquiar novamente o PAÍS

  10. É preciso entender que isto é o desejo da Mídia e dos corruptos , que tem seu líder preso e que fique bem claro , não é de esquerda , parece que se esqueceram da lavada que o " lula " levou em todo o País , nada mudou e agora volta a ser um fenômeno de votos ? , não bate o PT quebrou o País e não adianta fazer de conta que nada aconteceu .

  11. É errado colocar a polarização entre Bolsonaro e Haddad, o correto e literal, é afirmar a polarização entre direita e esquerda, é assim é no mundo todo. No Brasil, é Bolsonaro o representante da direita e todos os que estão na outra ponta representando a esquerda, sem exceção.

  12. ESTÁ ESCRITO NAS ESTRELAS: AS FORÇAS DO BEM TEM UM CAPITÃO GUARDIÃO COM A ESPADA APONTADA PARA CORTAR (DERROTAR) A ESQUERDA APÁTRIDA.

    1. Isso mesmo, Walter, o 'capita' está com a sua espada de Caxias desembainhada, pronta para entrar em ação!! E estamos juntos com o 'Capita'!!!

  13. O Problema é que a MAIORIA sempre vence na Democracia , como a maioria nos três Poderes e em grande parte do Empresariado e na população , são corruptos , temos ai um pt que roubou e quebrou o País , em alta , os políticos corruptos todos voltando ao congresso e com as bençãos do Judiciário que lava as mãos .

  14. Entendo a posição de isenção jornalística assumida pela Equipe Crusoé, em apontar riscos com o lulismo sob o suposto comando de Haddad e com o antilulismo, de Bolsonaro e nosso. Entretanto, chegará o momento em que esse embate, reconhecidamente plebiscitário, irá impor a explicitação de argumentos que definam claramente as razões da escolha de uma das duas opções e a consequente posição da Equipe Crusoé. Imagino que o momento ideal seja agora, no final do 1º turno.

    1. Seria muito bom, mas toda e qualquer ISENÇÃO no nosso jornalismo não chega a tanto, caro Ney.

    1. O Novo disse que estaria indeciso no 2 turno entre o poste e o mito. Como um candidato tem essa visão no momento crucial que o Brasil esta vivendo.

  15. Gente, o perigo é real. Precisamos pensar no Brasil, vamos de voto útil; nada de Alckmin, Ciro, Marina, Amoedo ou Álvaro. Bolsonaro já no 1o. turno. A volta do PT, como diz o Diogo Mainardi, explode o país.

    1. tambem acho....Sera o caos....irao pra cima da sociedade

  16. Acho que o paralelo histórico, nestas alturas, está mais para a Venezuela, 1-qdo todo mundio via o ex motorista de ônibus como um bobão; 2- O criador morre (de cancer); 3- o principal opositor (Oscar Perez) é eliminado.

  17. Quem vota no Bolsonaro está votandono no Bolsonaro, apesar do Bolsonaro. Por isso não adianta mostrar ou inventar defeitos nele. E os outros candidatos não entendem isso. Perda de tempo, perda de "munição"

  18. Sinceramente, acho que corremos mais riscos de uma intervenção militar com a eleição de Haddad , do que teríamos, se caso Bolssonaro ganhar e seu governo se desestruturar, por inconformismo da esquerda e falta de apoio da mídia! Afinal, do lado de Bolssonaro, não se pensa em controle da lava jato, não se cogita de intromissões de conselhos da ONU. Ele tem a simpatia das forças armadas, dos religiosos, quase que unânime e finalmente de todos os brasileiros que querem ordem no país.

  19. Se as urnas não forem adulteradas vocês vão se surpreender com o resultado, muito embora vocês já saibam que Bolsonaro ganha no primeiro turno, porém vocês querem continuar com essa palhaçada das pesquisas manipuladas,fico pensando qdo foi que esse país chegou tão baixo ao ponto da maioria da imprensa desejar um criminoso por presidente, silenciosa qdo não tendenciosa se Deus quiser vamos deixar pra trás esse período negro da história do Brasil

  20. Crusoé, acabei de fazer minha assinatura e a primeira matéria que leio é um texto enorme com mais de 90% falando do Haddad!!! Vocês são de esquerda??? Cadê a insenção???

    1. Concordo com o Rafael, Márcia. Já critiquei várias vezes alguns artigos da Crusoé. Mas este texto, embora 90% dele se refira ao Haddad, é bastante crítico ao candidato.

    2. Desculpe, Márcia. Não consigo encontrar um só argumento para afirmar ser "esquerdista" o texto do Caio Junqueira. Pelo contrário... Ele chama de poste o candidato em todo momento e desqualifica o antigo governo petista. Fala sobre a possibilidade de freio na Lava-jato. Chama Haddad de "expressão de uma má idéia".

  21. Bolsonaro é a incerteza de um Brasil melhor e Haddad é a CERTEZA do retrocesso, da destruição do nosso país! Lamento profundamente pelas pessoas que ainda estão adormecidas e não enxergam o mau que estes comunistas fizeram a todos nós!

    1. Parabéns pelo seu comentário, você disse tudo. É exatamente isso, de um lado a incerteza e uma possibilidade e de outro a certeza da continuidade da desgraça de todo um país que não pode mais se dar ao "luxo" de uma escolha desastrosa.

    1. E quem disse que os eleitores do "picolé" votarão no "poste"?

    1. Boa escolha, Eduardo, até porque a cruz deles é confeccionada com uma foice e um martelo.

  22. PT nunca mais e infelizmente o PSDB se transformou no "PT de Polo", não dá no momento pra confiar mais nos tucanos, então tem que ser Bolsonaro no primeiro turno.

  23. Duas ressalvas sobre o texto e uma conclusão. 1- O texto não faz juz ao título, até porque sobre Bolsonaro só escreveu um mísero parágrafo, na verdade o texto é sobre o Haddad. 2- Me deu vontade de vomitar ler sobre Haddad recebendo ordens da prisão e o Brasil não estar nas ruas gritando por intervenção, e eu nunca fui fã da ditacuja. O Brasil merece Haddad!

  24. Antes um do PT do que Bolsonaro , Geraldo Alkimim que em 04 mandatos de governador compra vagão para o metrô com vitrola menor e fica jogado no tempo.

  25. O Brasil hoje é,das Democracias do mundo,talvez a Democracia menos representativa:os representados, os cidadãos brasileiros são conservadores na sua maioria (liberais na economia e costumes) e seus representantes, os agentes/servidores públicos são esquerdistas (estatizantes na economia e destruidores dos costumes e tem desprezo a vida humana). É uma situação totalmente esquizofrênica onde quem deveria mandar é mandado por uma casta de agentes públicos corrupta ou improdutiva ou perdulária.

  26. A Crusoé é petista! Onde está a isenção desta revista? Me senti lendo a grande imprensa. Onde está a análise do candidato Bolsonaro? Este artigo é a prova cabal!

    1. PT centroesquerda???? Já pedi o cancelamento a mais de 1 semana e nada de respostas.

  27. A crise econômica foi consequência do governo petista como um todo não só do poste. Quando a polarização era entre PT e PSDB não tinha críticas ao sistema político. Será que é difícil entender que esse PT não é um partido político, que é uma quadrilha? Não pode ser opção para brasileiro honesto

  28. Excelente matéria. Análise com profundidade e coerência. Para reflexão. O texto exigiu apoio do Aurélio. Renhida, concertação, cantinela e comichões.

  29. Estou aberto a apostas de que no dia 6 de Outubro segundo as "pesquisas" do Ibope e Datafolha, estarão "tecnicamente empatados dentro da margem de êrro". Aí o quadrilhão estará sinalizando que vai tentar repetir a fraude que vem fazendo há quase vinte anos.

  30. A política PTralha do assistencialismo foi implantado por mais de 13 anos, por isso tememos. Mas um Pais como o Brasil não pode permitir que quem “decida as eleições não sejam as pessoas que leem jornais e as que limpam a bunda com jornal”. PT nunca mais. Bolsonaro no primeiro turno para o País voltar a crescer.

  31. O povo brasileiro tem que acordar. Como é que pode um partido que esculhambou o país, em todos os segmentos, ir para o segundo turno. Se vencer, vamos ser uma Venezuela. Acorda Brasil!!

  32. Meu Deus!, o que ainda precisa acontecer no Brasil para as pessoas deixarem de acreditar nas mentiras e engôdos do PT e da esquerda?

  33. Estranhei a Crusoé chamar essa eleição de plebiscito. Em toda a matéria lê-se elogios ao Haddad nas entrelinhas. Parecia que eu estava lendo a Veja. A Crusoé está deixando de ser ilha e se tornando peníssula, nesse embalo aabará antes de se tornar um continente.

  34. Voto em Bolsonaro, e caso esse verme Haddad ganhe as eleições, temos que sair às ruas e acabar de vez com essa merda chamada Brasil. Já que vamos morrer de fome, antes vamos eliminar alguns bandidos.

  35. Primeiro turno votarei no João Amoedo, segundo turno voto em Boussonaro. Jamais votaria em qualquer candidato do PT. Não vou aderir ao voto útil.

    1. Creio, firmemente, que não podemos nos arriscar. Votar em BOLSONARO no 1º turno é varrer os partidos vermelhos definitivamente do embate.

    2. concordo com a Simone. meu voto é pra competência de quem quer mudar, de quem representa a verdadeira melhora pro país, que não vejo em qualquer outro candidato.

  36. Não inutilize seu voto. Para derrotar Bolsonaro o inferno vai se unir promiscuamente e quando você acordar é tarde demais. Vote certo! Vote Bolsonaro!

  37. Estou no meio dessa situação lamentável no Brasil e não votarei em Haddad, pela incompetência e ladroagem do partido e nem em Bolsonaro por ser mentalmente lerdo e autoritário, pondo em risco sério a democracia.

  38. Fiquem tranquilos. Nem jornalistas, nem os pesquisadores, nem mesmo os políticos estão entendendo o que está acontecendo. Só a grande maioria do povo. O Bolsonaro vai ganhar é com folga. A maioria já entendeu o que está em jogo. Não sabemos o que ele vai fazer com exatidão. Mas qualquer outra opção é o Caos.

    1. Pois é, Cristina. Impressiona o grau de distanciamento dos políticos, da imprensa, e dos formadores de opinião, em relação ao sentimento da população. Estamos gritando um estridente NÃO a tudo que foi feito até agora: corrupção, conchavos, destruição da educação, da cultura e dos valores morais, leniência com o crime e tudo o mais que inferniza a vida dos cidadãos de bem. Vamos todos de 17!

  39. Não é possível que não aprendemos nada. É tão óbvio. Não é plebiscito não. Só temos um candidato aceitável. Bolsonaro vai ganhar de lavada!

  40. Muito boa a matéria. Acredito, no entanto, que a incompetência do Haddad será demonstrada durante essas duas semanas de campanha. Ele esta indo muito mal nas entrevistas e debates. Consegue ser pior que a Dilma. E olha que isso não é fácil...

  41. Dá a impressão que os dois lados tem o mesmo peso e não é assim. O PT está forçando a barra e do outro lado a grande maioria da população torcendo para uma grande mudança e arregaçando as mangas para isso acontecer. ' Brasil acima de tudo e Deus acima de todos'

  42. Erro dos anti petistas histéricos que apostaram num deputado pifio, polêmico, despreparado, boquirroto, não afeito às artes da política e com alto grau de rejeição. Amparado por uma militância intelectualmente deficiente e agressiva, que conquistou muitos votos junto aos amedrontados doutrinados das redes sociais, provocando o efeito manada; e afastou os eleitores mais intelectualizados e moderados. Para o PT foi ótimo. Um extremo não vive sem o outro. E está feita a lambança nefasta.

    1. Élide, parece que você não leu o que até a grande imprensa já não pode esconder: os eleitores do Bolsonaro são os de maior escolaridade, e os pertencentes às classes média e alta. Haddad fica com os mais pobres e menos escolarizados. Massa de manobra! Óbvio!

    2. Prezada (o) Élide, tenho certeza que não é bem assim. Como eleitor do BOLSONARO, na minha simplicidade posso até vestir a carapuça e aceitar os adjetivos que você listou. Porém, conheço muita gente pós graduada, moradores da Zona Sul do Rio, com poder aquisitivo, que já mudaram o voto. Faça como eles, siga o líder.

  43. Li todos os comentários..pela primeira vez..e mais de 90 % dos votos são do Bolsonaro ...todos queremos mudança , um pais melhor , mais decente . Então a revista está errada mesmo , as pesquisas falhas...e torço que vençamos no primeiro turno . Quanto as divergências..meninos..calma..

    1. Boa tarde, Aparecida. Essa sua amostra (comentários) encontra-se enviesada!!!! Nenhum petista assina Crusoé!!!

  44. Excelente conclusão. Plebiscito entre o certamente errado e o possível certo. Não queremos seguir o caminho da Venezuela em direção à esquerda do século XXI.

    1. Apesar de concordar com você, devo dizer que a matéria conclui bem mais que isso. O confronto polarizado restringe a pauta da discussão deixando fora da mesa assuntos relevantes.

  45. Me recusei de ler a matéria toda..pois vcs claramente só falaram do P T..e de como será o governo deles..parece que vcs fizeram um pacto..que isso ???? E o como será o governo se o Bolsonaro ganhar..e vai ganhar..pq vcs não falam ????..estão sendo omissos com a vdd..

  46. O que se vê é a franca disposição de enfrentamento, custe o que custar, para a recuperação do poder pelos petistas e , se ganharem, lotearão o Brasil, junto com todas as esquerdas, corruptos, fisiológicos, facções narco traficantes, de forma nunca anteriormente vista nesse país. O povão é mero detalhe. Temos que ficar atentos. Ganhar no primeiro turno torna-se obrigatório. Lutamos contra a maior organização criminosa da América Latina, liderada por um criminoso psicopata encarcerado.

    1. Tbem..como vc..não li até o final..a Crusoé só fala do governo petista..afffff

  47. Não acredito nessa polarização! O PT saiu derrotado em todo Brasil nas últimas eleições para prefeito das cidades! Este crescimento das intenções de voto no PT ou é falso ou é incentivo às intençoes de voto de eleitores incautos

    1. Maria, fica tranquila. Os jornalistas tem que se basear nas pesquisas. Mas elas não estão conseguindo mostrar a realidade. O Bolsonaro vai ganhar com muita vantagem. A maioria do povo simplesmente não tem opção. É o Bolsonaro ou o Caos.

    2. É muito estranho mesmo essa subida repentina do Haddad. Parece uma conspiração do mal para destruir a Lava Jato e o PT se perpetue no poder. Pelo amor de Deus, Bolsonaro no primeiro turno.

  48. Essas pesquisas são fraudes. O Haddad vai ganhar por causa das urnas eletrônicas. Estamos ferrados com o Lula de volta ao poder.

    1. Estou bem preocupada, as pesquisas atuais demonstram empate técnico entre Bolsonaro e Haddad. Não foi estranho a queda do sistema, bem no final da apuração, onde Aécio estava na frente e após isso a Dilma manteve a liderança.

    2. quem sabe se isso acontecer pode ate’ ser melhor , assim os militares vão assumir de vez e pronto

  49. Se Haddad vencer , Zé Dirceu toma conta do governo, toma conta do PT e deixa Lula mofar na prisão. Dirceu já disse que o erro do PT foi não ter cooptado as Forças Armadas, mas agora será diferente. Então, se o PT vencer desta vez será um PRI mexicano, que ficou 70 anos no poder.

  50. Engraçado, por mais que se critique uma boa parcela da população vai optar no PT, por conta de um programa social atraente. De novo, é preciso: não confundir a pessoa com o programa; de que a situação horrível do País se deve ao conjunto de pessoas e programas dos partidos que não quiseram fazer ajustes no tempo da Dilma (MDB, PMDB, etc); daqueles que apostaram no "pior melhor porque ganhariam no futuro". Chupa Crusoé! Chupa Brasil!

    1. E Haddad é o novo poste do Lula. Atenção! O PT não sabe administrar dinheiro público. Nenhum país se tornou grande com regime comunista ou socialista.

  51. Haddad é um fóssil acadêmico. E ficou pior ainda. Vendeu-se para um ladrão ignorante, enterrando o pouco do caráter que lhe restou. Bem caracteristico dos tacanhos esquerdistas. O PT não serve para o Brasil. Muito menos o Lula.

    1. O pior é o que ele defende, a teoria Marxista, parece que 40 milhões morreram no governo de Stalin e muitos de fome. A Venezuela já está passando por isso. Que o Senhor nos ajude. Já ouvi comentários sobre restrições a liberdade de imprensa.

  52. Todas essas considerações e tramas discutidas a respeito do PT, PSDB, MDB, e toda esta esquerda satânica me causa nojo e ânsias de vômito .....

  53. Essa será a eleição pra mim será a mais triste da história se não conseguirmos eleger Bolsonaro que pra mim é um voto triste porque meu sonho era ser governada pelo Amoédo e pelo Partido Novo

    1. Concordo com você. Mas temos que evitar a volta do PT e da esquerda ao poder, pois senão, o Brasil virará uma "venezuela". Tenho um filho pequeno, estou pensando nele nesta minha escolha. Deus acima de todos!

  54. Legal, mas o repórter poderia também ouvir quem fala bem dele para podermos avaliá-lo melhor. Em relação às Subprefeituras, o loteamento de cargos continua do mesmo jeito com o PSDB de Pésaro.

  55. Começa errado chamando o petismo de centro-esquerda e insinuando que o radical é o Bolsonaro, quando o próprio autor constata o erro. Piora mais ainda quando diz que Haddad cresceu no Norte pra insinuar que ele ganha lá, quando o Ibope mostra o Bolsonaro ganhando no Norte tbm, com 30% no Amazonas e mais de 50% em Roraima

    1. Também notei a colocação do articulista, "centro esquerda". Bonzinho, né?

  56. Pois, é! Uma situação lamentável a que chegamos: nós contra eles! Antes, tínhamos uma política de ideologia. Mesmo! Haja vista a luta da espada contra a vassoura! Hoje é o pão-com-salame contra os coxinhas. Quem implantou essa política odiosa? Quem? Raimundo Nonato! PETRALHAS! Vão para os quintos dos infernos! Solução: Bolsonaro neles! No primeiro turno! Isso, se as urnas eletrônicas deixarem! Dá-lhes, Capitão! É 17!

    1. Fernando: Raimundo Nonato foi um personagem criado por Chico Anísio (e interpretado por ele mesmo) na Escolinha do Professor Raimundo. Havia um dos alunos, o Aldemar Vigário, interpretado por Lúcio Mauro, que nunca sabia as respostas corretas às perguntas do professor Raimundo e sempre inventava uma para puxar o saco do professor, atribuindo-lhe esse ou aquele mérito, usando o bordão: Quem fez isso? Quem? Raimundo Nonato! Risos, palmas e nota zero.

  57. Só num país de ignorantes, desinformados e idiotas para, depois de 14 anos de roubalheira e corrupção e apenas dois anos depois do impeachment, levar de novo o PT no poder, com Lula no comando de dentro da cadeia. É de arrepiar....

  58. Boa reportagem, deu um panorama do que é o Haddad que eu particularmente não conhecia. Obrigado. Só faltou também uma visão sobre o "administrador" Bolsonaro e o que ele pode representar para o país, além de evitar uma catástrofe petista.

    1. Exatamente isto que a revista não fez..nao falou do governo do Bolsonaro..e que ele tbem está liderando no norte e nordeste..estao tentando influenciar os leitores . Muito decepcionada com a revista .

    2. Se o Bolsonaro fizer isto, sem precisar dos militares, já será um herói.

  59. As FFAA deverao ocupar lugar de destaque no governo de #Bolsonaro. É o que o povo espera!!!Não alianças espúrias...Sarney já está em Brasília tramando a queda de # Bolsonaro e da lava jato...a famil ia corre muito risco...tem que " estancar a sangria"...mas as FFAA sabem.

  60. A ideia de eleger Bolsonaro não é vaga, ao contrário é bem clara. Se o PT voltar ao poder a nova chance do Brasil estará adiada por 50 anos ou mais. Em uma situação como essa os defeitos do candidato não importam. Apontá-los é como ver um banhista que está se afogando reparar na barba mal feita do salva-vidas. Algo mais claro que isso?

  61. Temos que votar em Bolsonaro. Queremos mudança. É ridícula a intromissão de FHC. Ele tb enriqueceu muito vendendo as estatais. As contas de Caima nunca foram investigadas. Naquela época não havia lava-jato. Ele é um crápula. Vem dar palpite sem ser chamado. A imprensa subversiva quer Haddad. A Globo news e demais emissoras não noticiam os fatos. Se preocupam com Marielle e não investigam a tentativa de assassinato de Bolsonaro. Alkimin desesperou e começou a inventar fatos.

  62. Com Bolsonaro temos sérias dúvidas de como o país estará; com Haddad temos a certeza de que o PT fará mais e pior contra o Brasil e a Lava-Jato. Basta ver as coligações regionais que eles fazem com os outrora "golpistas". Tudo para voltar ao poder a qualquer custo! Prefiro apostar na dúvida com esperança no positivo do que na certeza da manutenção do negativo.

    1. Tenho esperança no Paulo Guedes também, interessante o plano dos dois trilhões.

    2. a turma do antagonista e crusoe levou 2 meses pra chegar a conclusao que centenas de assinantes nos comentarios nunca cansaram de dizer : essa eleição e’ um plebiscito pro ou contra Pt, pro ou contra lavajato, pro ou contra a segunda turma do stf, pro ou contra o foro de SP, pro ou contra o comunismo no brasil e na AL ... agora’ que os genios estão realizando ... parece coisa de imprensa alinhada , parece o manhattan connection, decepcionante

    3. exato , parece simples mas tem gente aqui que , por se achar intelectualmente superior aos demais ( alguns provavelmente com razão , como o Mainardi, outros n sei .... ) , não quer se render a simplicidade e logica desse raciocinio que ate’ uma pedra entenderia, acham que concordar com uma coisa assim poderia corromper a imagem de altos intelectuais que defendem ate’ se tirnar ridiculos como esta’ acontecendo com o Mainardi e ai continuam fazendo poesia, retorica com o pais a beira do abismo

  63. Caso Haddad vença a eleição, revistas independentes como a Crusoé sofreram para se manterem no mercado. Será o começo do fim de uma Nação.

  64. Gostei da reportagem e ou artigo. Uma análise lúcida e realista da conjuntura desta eleição. As observações e considerações a respeito do candidato petista são precisas e fundadas nos fatos e conduta, comportamento e trajetória de vida do mesmo. Valeu minha assinatura.

  65. Esse fantoche vagabundo tem potencial para levar o país a uma Venezuela. É bom elegermos Bolsonaro no primeiro turno se possível. Falta pouco.

  66. O plebiscito só é plebiscito porque 99,9% dos eleitores do Brasil não entendem de política e acham que estão assistindo um campeonato de futebol, onde ou se ganha, ou se perde. Por isso que a eleição se transformou no embate entre dois candidatos cuja maior promessa é "eliminar o outro lado", mas que na prática devem ser governos bastante parecidos e ruins.

    1. Fernando, com toda sua sabedoria política, nos oriente então. Em quem devemos votar para nos melhor representar e por fim à este plano de poder permanente do pt e sua quadrilha?

    2. normal , na falta de argumentos so’ resta passar a chamar os outros de tolos e ignorantes

    3. Você é muito tolo se acredita que votar no boquirroto vai resolver estupros, roubos, sequestros e assassinatos. Essa sua mentalidade é parte do problema, não da solução.

    4. não e’ questão de ruim não ! e’ questão de inaceitavel , ruim e’ um giverno como o da Italia , e’ ruim mas da pra levar .... aqui n e’ assim não ... vc continua discutindo sobre o sexo dos angeis , aqui td dia tem gente estuprada, sequestrada, morta a pauladas e tijoladas , esquartejada e colocada em malas , etcetera , vc acha isso ruim ??? isso e’ inaceitavel , e’ emergencia , e’ beira de guerra civil

    1. Espero que você esteja certo, mas é fato que existe um monte de gente que, ignorante e desinformada com relação ao programa de governo do Bolsonaro, está aderindo ao #elenão simplesmente por discordar desta ou aquela fala do candidato, muitas vezes divulgada fora do contexto. É espantoso notar que, decorridos apenas dois anos do impeachment e ainda sob os efeitos da crise provocada pela corrupção e incompetência dos governos petistas, existam pessoas querendo a volta do Lula e sua turma.

    1. concordo, Marcelo. o TSE estava e está cheio de provas para cassar a legenda petista. Só o fato comprovado que o partido recebeu dinheiro ilegal para se manter, seria suficiente.

  67. O Sr. Mourão deveria ser mais precavido, mais cuidadoso. Ele engana-se por acreditar que se encontra entre pessoas que estão preocupadas com o jogo dialético. Em absoluto. Ele se encontra em um covil de cobras banguelas e vagabundas. Quando o Sr. Obama disse o que o Sr Mourão disse, ninguém falou nada, sequer uma notinha de jornal de passagem. São dados de uma pesquisa. Ademais, leiam a "vida na sarjeta", Theodore Dalrymple. Que o Sr. Mourão fale menos e ouça mais; veja mais e fale menos.

    1. Concordo Ângela, todo mundo sabe que ele está cientificamente certo, só hipocrisia e oportunismo dos adversários.

    2. E a Crusoé perdeu a oportunidade de “fazer” a interpretação das palavras do Gen. Mourão pra esse bando de ANALFABETO FUNCIONAL.

  68. Nao entendi pq ainda chamam o Haddad de centro esquerda ? Vcs acham que os militares vao bater continência para o pau mandado de um presidiário? Na hipótese remota do PT ganhar o sudeste, centro e sul vai para as ruas .

  69. A grande batalha que ainda não se apresentou aos olhos dos brasilianos é a que mais importa. O nome desse inimigo que oprime nosso país chama-se ignorância. No passado essa ignorância era espelhada pelo grande analfabetismo. Hoje o analfabetismo diminuiu, mas a ignorância continua alta apesar da grande queda no número de analfabetos.

    1. sábias palavras, concordo com vc em gênero, número e grau!

    2. ignorancia uma ova !!! o cancer e’ a imoralidade , pouco adianta educar se n se educa tendo como base valores eticos e morais corretos , quem levou esse pais pro buraco foram tds individuos da elite me bem educados com mestrado e doutorado

  70. kk fala serio ! agora que crusoe, antagonista ercetera chegou a conclusao q a eleição e’ um plebiscito pto ou contra o PT , pro ou contra a lavajato ?? parabens ! faz meses que centenas de assinantes dizem isso nos comentarios !! esta parece do imprensa alinhada ... e ainda semana passada o Mainardi solta a perola do”voto amoedo mas espero que o Bolsonaro ganhe “ kkkk realmente iluminado

    1. existem sim , sem duvidas , mas so’ em teoria , a pratica e realidade da situação n deixa margens para a teoria neste momento

    2. Existem outras alternativas e margens de manobra. Fica difícil qualquer compromisso quando há uma grande parcela que não está disposta a negociar nada. Involuiu-se ao nível infantil "ou todos fazem o que eu quero, ou eu choro e esperneio". Por isso os dois candidatos que representam melhor esse público são os que lideram as pesquisas. Se o brasileiro não sabe qual é o país que quer viver (e na verdade sonha com uma versão adulta da casa do papai e da mamãe), não há solução razoável.

    3. insergurança publica e a cidade estar nas mãos das facções... antes era so’ os presidios nessas condições, agora a cidade toda, e olha que demorou p cair a ficha

    4. eu posso ate’ concordar, mas vc continua tratando a questão como se tivessem outras alternativas e margens de manobra. NÃO TEM. Fazendo um paralelo ,ninguem com um minimo de QI ( ja’ que vc gosta de colocar nesses termos) gosta a principio de armas , militares e intervenções , mas qd vc e’ vitima de uma violencia chama a quem ?? a policia porra!!! n tem outras escolhas ... n sei aonde vc mora e que tipo de vida leva , mas aqui em Manaus o prefeito acabou de decretar estado de emergencia devido a

    5. O problema do plebiscito pró ou contra PT é que o representante do "contra PT" é alguém que segue a cartilha do petismo incentivado por fanáticos que acham que a única forma de fazer política é igual ao PT. Logo, o plebiscito é entre o PT que se diz de esquerda e o PT que se diz de direita.

  71. Eleger um inepto para consertar os feitos de uma inepta, sabendo que o governo de fato estará nas mãos de um presidiário. Somos um país de merda...

    1. Infelizmente essa é a mais pura verdade. O PT já ganhou o que queria, conseguiu manter em regime de alienação uma grande parcela do eleitorado e isso significa que o país vai continuar dividido e mergulhado no atraso. O senado é um excelente exemplo de que nosso país caminha sempre para baixo; Renan, Jader Barbalho, Eunício, Jarbas, Wagner, Suplicy.. todos garantindo sua cadeira cativa para os próximos oito anos. Antes de começar a melhorar, ainda vamos ter que afundar muito para então aprender.

    2. Importante lembrar que, dos 3 Poderes, o Executivo é o que menos "apita". Enquanto o Legislativo estiver infestado por corruptos e o Judiciário continuar dando cobertura aos canalhas, o Brasil vai continuar "atolado".

    3. Concordo plenamente com o Mauro e o Edson. Talvez em 100 anos a espécie braziliensis poderá evoluir. Até lá...posso pedir asilo em algum país ou me denominar refugiada? Só fugindo!

    4. Infelizmente tenho que admitir que você disse tudo. Me pergunto: mesmo que o PT não vença as eleições, essa cultura que nós, brasileiros, temos em idolatrar a falta de caráter impedirá de conquistarmos as mudanças que tanto precisamos....eu acho que não.

  72. O confronto que estamos vivendo tem nome: Cleptocracia, nos 3 poderes da nação ontem e hoje! Vamos deixar no amanhã também?

    1. Para mim, o PT está querendo mesmo cercar o Brasil. Os postes estão sendo colocados, e os fanáticos fazem vista grossa. O primeiro poste, a estocadora de vento, destruiu o país em todos os sentidos. Agora, o presidiário que continua com a mesma arrogância, com a mesma sede de poder, está querendo fincar outro poste, que é um pau mandado, marionete manipulado por ele. Acorda Brasil! Até quando vamos permitir que corruptos continuem mandando no nosso país e destruindo nossos sonhos?

    2. Populismo de direita e populismo de esquerda, e nós com essa triste realidade no dia 7/10.

Mais notícias
Assine
TOPO