Guilherme Leite/FolhapressAgressor também chamou Bolsonaro de "marionete do capitalismo" na internet

No rastro de Adélio

A Polícia Federal encontrou pistas que aumentam ainda mais o mistério em torno do agressor de Jair Bolsonaro. Transações bancárias estranhas, um possível elo com a facção criminosa PCC e uma constatação: antes do atentado em Juiz de Fora, ele foi a outro evento do presidenciável
21.09.18
Mais notícias
Assine
TOPO

AJUDA