O presidente e o chanceler: relações internacionais pautadas por ideologia

O isolamento brasileiro

Como a política externa de Bolsonaro e Ernesto Araújo está deixando o Brasil cada vez mais ilhado no cenário internacional
26.02.21

No último dia de novembro, o telefone da Casa Rosada, a sede do governo da Argentina, recebeu uma chamada importante. Do outro lado da linha estava o presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, ligando por iniciativa própria, para conversar com o presidente Alberto Fernández. Os dois falaram sobre o papa Francisco, conhecido de ambos (Biden e Fernández são católicos), sobre a dívida argentina que se arrasta com o FMI e, mais genericamente, sobre a situação econômica da América Latina. Para o ego de Fernández, não poderia haver agrado maior. Além de receber atenção da Casa Branca, o argentino tem se movido com extrema desenvoltura pelo continente. Hospedou o boliviano Evo Morales e parabenizou seu escolhido, Luis Arce Catacora, pela vitória nas urnas no ano passado. No Equador, o vencedor do primeiro turno da eleição, Andrés Arauz, orgulha-se de contar com o seu apoio. No dia 22 de fevereiro, Fernández participou de uma teleconferência para celebrar o aniversário de 41 anos do PT. Depois, viajou para o México para participar dos 200 anos da independência do país, ao lado do presidente Andrés Manuel López Obrador.

Com uma economia que retraiu 12% no ano passado, é improvável que a Argentina se torne um colosso a liderar o continente. O interesse na influência regional de Fernández se dá mais pela possibilidade de ele se tornar um contraponto ao cada vez mais isolado presidente brasileiro Jair Bolsonaro. Salvo visitas dos presidentes do Paraguai e do Uruguai, que dependem diretamente do Brasil, outros mandatários do continente não parecem dispostos a botar os pés em Brasília. Também evitam enviar convites a Bolsonaro, que tem sido igualmente ignorado por Joe Biden.

A solidão do presidente brasileiro decorre de um tropeço estratégico. Ao assumir a presidência em 2019, Bolsonaro repetiu o erro do PT, que dividiu os governantes dos demais países em grupos ideológicos. Enquanto o ex-presidente Lula e Dilma Rousseff se aproximaram do venezuelano Hugo Chávez, da argentina Cristina Kirchner, do equatoriano Rafael Correa e do boliviano Evo Morales, Bolsonaro inverteu o sinal. A política externa brasileira então passou a evitar todos os que se aproximavam da esquerda bolivariana, os quais eram considerados uma extensão do inimigo interno do bolsonarismo, o petismo. Ao ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, coube a missão de idealizar e implementar a política para enfraquecer forças de esquerda na região, amalgamadas na figura do ditador Nicolás Maduro. “Sabemos que não podemos dar trégua ou oportunidade para eles. Caso contrário, eles voltam, como voltaram no importante país para o mundo ao sul da nossa querida América do Sul”, disse Bolsonaro em uma reunião com empresários na Flórida em março do ano passado. Na viagem, ele afirmou ainda que queria “transformar, de fato, o Brasil como uma referência dentro da América do Sul”. “Vindo a prosperidade, outros países se associarão a nós e deixaremos de ter o pesadelo de outras Venezuelas aparecerem em nossa América do Sul”, emendou.

ReproduçãoReproduçãoAlberto Fernández em carreata na Argentina
O governo brasileiro chegou até a impulsionar, em 2019, uma iniciativa que congregaria os aliados da região, o Prosul, em oposição à capenga Unasul, criada pelo venezuelano Hugo Chávez. Também foi um dos mais ativos integrantes do Grupo de Lima, criado para tentar dar uma solução à crise venezuelana. Contudo, um a um, os países da região tomaram um caminho distinto do sonhado por Bolsonaro. Em 2019, Alberto Fernández e sua vice, Cristina Kirchner, venceram a eleição da Argentina. Foi um resultado amargo para Bolsonaro e seu filho 03, Eduardo, que se envolveram pessoalmente na disputa eleitoral do país vizinho. Após a eleição de Fernández, o Itamaraty reduziu as funções de seu representante em Buenos Aires, concentrando o relacionamento político com os argentinos na sede da chancelaria, em Brasília. No ano passado, o candidato de Evo Morales ganhou na Bolívia. Neste ano, o Equador tem dois candidatos de esquerda no segundo turno: Andrés Arauz e Yaku Pérez.

Ao manter uma política externa alicerçada na ideologia, o Brasil acabou sendo sabotado pelos vizinhos. Na reunião de cúpula do Mercosul, realizada por videoconferência em julho, a Argentina chegou a se desconectar do encontro quando a então presidente interina da Bolívia, Jeanine Añez fez um discurso como convidada. Os argentinos também se distanciaram das negociações de acordos comerciais com países como Canadá, Coreia do Sul e Singapura, as quais vinham sendo aceleradas pela diplomacia brasileira.

ReproduçãoReproduçãoEncontro do Prosul, em 2019, com Sebastián Piñera
O paradoxo da estratégia argentina está na influência que Nicolás Maduro e seus asseclas ainda exercem sobre parte da base aliada de Fernández. Foi o lobby bolivariano, encabeçado pela vice Cristina Kirchner, que freou uma declaração da Casa Rosada rejeitando o resultado das eleições legislativas organizadas pelo chavismo no ano passado. Oficialmente, o governo peronista defende o retorno à democracia na Venezuela e não apoia Maduro descaradamente. Ao mesmo tempo, os argentinos tomam distância das estratégias adotadas pelo Grupo de Lima e preferem outra organização com o mesmo fim, o Grupo de Puebla. Uma ala do governo argentino já anunciou que está preparando uma retomada da Unasul, incluindo a Bolívia e talvez o Equador. Se o plano der certo, a região ficará dividida entre o Prosul, de direita, e a Unasul, de esquerda.

O frustrante é que Bolsonaro nem sequer pode contar muito com o Chile no Prosul. Fontes próximas a Sebastián Piñera garantem que o presidente chileno não se dá bem com o brasileiro. Seus funcionários viveram momentos tensos em 2019, quando o Planalto bateu o pé e rejeitou qualquer ajuda para a Amazônia financiada com dinheiro da França de Emmanuel Macron. Em agosto daquele ano, Piñera tinha negociado com países do G7 uma campanha de doação de recursos para combater incêndios na América do Sul. O estresse foi tamanho que Santiago teve de redirecionar o dinheiro enviado por Paris a outros países, como a Bolívia, enquanto dois aviões mandados pelo Chile atuavam contra incêndios no Brasil. Mais recentemente, o governo chileno se queixou da falta de coordenação entre os dois países no combate à pandemia. Em março de 2020, Bolsonaro faltou a uma reunião do Prosul – presidido pelo Chile – para tratar do assunto. A Argentina também tem se ausentado dos encontros. O ministro de Relações Exteriores, Felipe Solá, não participou da videoconferência entre chanceleres do bloco no início de dezembro.

A situação é tão desalentadora que até mesmo integrantes do governo interino de Juan Guaidó, na Venezuela, têm criticado a condução feita pelo Brasil dos assuntos relacionados ao regime de Nicolás Maduro. O sentimento de integrantes da oposição ao ditador chavista é que o governo de Bolsonaro poderia ter sido mais efetivo para asfixiar o chavismo com inteligência. O Brasil decidiu ficar isolado, ao passo que políticos de esquerda recuperam suas forças. Na ânsia de reorganizar a região segundo uma linha ideológica, o país viu não apenas os fatos seguirem na contramão, como seu papel de potência regional ser desafiado pelos demais. De Brasília, não se vê qualquer tentativa de enfrentar esse declínio.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Felipe Moura Brasil, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Impressionante como o PR atrai problemas e mantém figuras e políticas tóxicas na área externa, meio ambiente e saúde. Que tal o Centrão mudar esses e outros ministérios? Poderia dar certo, pois pior não pode ficar!! Acredito que o PR, deputados e senadores não vão querer comprometer suas reeleições que já está bastante difícil.Ou muda ou dança!!

  2. a reportagem falou mais da Argentina q do isolamento do Brasil. pq não listou os parceiros do Brasil, para vermos se estamos isolados mesmo? então Brasil tem parceria com Chile, Uruguai, Paraguai? e a Colômbia, cadê? Se for ver, Brasil ainda está bem melhor q Argentina, de parceiros.

  3. Política externa? Qual é? Quais são seus interesses mais imediatos? O que tem feito para proteger a tradição diplomática do BR? Bastam essas três perguntinhas básicas para percebermos a desconstrução incompetente do governo do Jair também no campo da chancelaria. Taoquei?

  4. senhoras e senhores apresentamos o presidente do brasil sr. jair judas pinochio chucky gonorello barrigudinho brocha linguinha presa mentecapto old fart bolsonaro.

    1. Carla, o resultado da política marxista taí: povo nas ruas protestando contra a carestia, falta de alimentos, salário miserável e corrupção. Los hermanos ainda não aprenderam,👀😋

  5. Não aprovo nossa política externa (amadora e infantil, no mínimo - para não dizer contraproducente), mas não tenho a mínima inveja da Argentina. No mais, prefiro q o Mercosul, Unasul e XXXsul “morram de morte morrida ou matada mesmo”. Por fim: aí se não fosse a Argentina progressista que tivesse deixado a Bolívia falando sozinha na videoconferência... seria prova do “fascismo” do XXXX (governante não esquerdista).

  6. Então o autor dessa matéria está querendo nos provar que o Governo argentino é melhor que o nosso ? É que o Biden está isolando o Brasil e prestigiando a Argentina , Bolívia, Equador e etc ? Pergunto: Porque você não muda para a Argentina ? Lá você terá uma vida muito mais saudável e tranquila. É uma pena que os jornalistas desta CRUSOÉ são tão mau caráter.

    1. Que saudade da Crusoe informativa, e não comentarista. 😧

    2. Aprecio o teu masoquismo, meu chapa. Afinal, quem bancou a tua assinatura, paspalhão? Apscosta/df

  7. Jair fracassa também nas relações exteriores. Por falar em relações, o jair terá sido aconselhado a não mais usar as metáforas de namoro e casamento? Eram tão freudianas...

  8. Cada vez que vejo uma matéria tendenciosa como esta me arrependo amargamente do meu dinheiro ter ido parar nos bolsos do Robinson CRUSOé !!! Dizer que seja um grande feito acolher indivíduos com Evo, Hugo...etc é vergonhoso. Joguem esta reportagem na latrina !!!!

    1. Petralha a minha latrina é bem limpinha e posso entrar ....já a sua ... Sai fora vc!....vai pra Cuba ou Venezuela ou pra ...

    2. Melhor seria vc entrar na sua latrina e de descarga. Sai fora gado

  9. Que a política externa brasileira é um fracasso, acho que ninguém tem dúvida. Agora, querer achar a política externa dos hermanos um sucesso, tomando como base salamaleques do Fernandez dirigidos ao atraso em pessoa Evo Morales (e seu sucessor) e, pior ainda, à petralhada brasileira de triste memória, é a mesma coisa que dizer que a América Latina continua mais pra América Latrina.

  10. E ficaremos mais isolados ainda, o PR não sabe nada de política externa. As vacinas não deixam ninguém mentir... quem quiser vender vem aqui pq o interesse é deles... resultado: se dependesse dele não teríamos nem as duas que temos.

  11. O Brasil com mais um mandato do Bolsonaro, se tornará um país distópico, tal qual o mundo no filme Mad Max. Com Bolsonaro não temos uma perspectiva de futuro para o Brasil. Quem é o Ministro da Educação? Um pastor caquético. Relações Exteriores? Um aloprado. Ciência e Tecnologia? O cachorrinho de painel de carro, que quando é perguntado se a a Terra é plana, balança a cabeça positivamente. O mundo passando por transformações e nós discutindo, se uma vacina pode transformar um humano em jacaré.

  12. acho que assinar antagonista/Crusoé tá muito barato, porque os comentários estáo infestados de robôs ou bobôs!

    1. Coloca um comentário de fato, pois fica parecendo, que é um robô ou um estúpido.

  13. O governo atual não tem ideologia (provavelmente ignora o significado do termo) para traçar qualquer política externa. Bando de bufões e fanfarrões.

  14. Quem mais atrapalha o Brasil no exterior é a imprensa parasita que habita o país. Tentando ter de volta os benefícios que tinham, conduzem notícias falaciosa, como a grande maioria das matérias propagas pela Crusoe. Aliás Canalhada Crusoe.

    1. Esse cara aí é o tal afranio das piadas de pum? Com certeza alguem bancou a assinatura dele né?

    2. A imprensa livre incomoda o poder e a imprensa chapa branca, custa caro para o Brasil. O CEO da Petrobras caiu em desgraça e foi fustigado pelo bolsonarismo, entre outras coisas, por ter se negado a colocar 100 milhões na Record e SBT.

  15. Está America latrina só esta interessada em ter o lulaladrão de volta agora para pagar as duas dívidas, e os QUATRILHÕES que o lulaladrõa enfiou lá, esquecem, e que está fazendo muita falta aqui, estes políticos de esquerda citados não passam de coco de cavalo de bandido, este repórter deve vestir cueca vermelha!

    1. Verdade, a esquerda quer o PT de volta e todas as benesses que o Lula fazia com o nosso dinheiro. Mas o mundo não é só de governos de esquerda. Depois que o Bolsonaro ficou órfão do Trump, único aliado, numa relação de subserviência, em que o Bolsonaro entrava sempre com a bunda e o Trump sempre com pé, qual a política externa do Brasil? Temos a Amazônia que é de interesse do mundo. Qual o soft power estamos exercendo com esse ativo, a Amazônia?

  16. Os comunistas da América Latrina estão com saudades do lulaladrão que enfiou QUATRILHÕES do nosso povo, e que pode dizer adeus a este dinheiro, eles não querem o lula pelo lula, querem com o lulaladrão paguem suas dívidas, e este repórter que só escreveu merda,valoriza estes políticos esquerdopatas, que não passam de coco de cavalo de bandido.

  17. "De Brasília não se vê qualquer tentativa de enfrentar esse declínio" e do povo brasileiro também não. PARADO e ABESTALHADO esperando cair no precipício junto com o PSICOPATA.

  18. Se a Argentina pagar o que o PT enfiou de dinheiro naquela merda, já está de bom tamanho. O poste da Vagabunda, vai acabar de enterrar o país. Em breve, teremos que fechar as fronteiras do sul. Para não ter que alimentar os comunistas como os da Venezuela . Primeiro votam em quem promete vida fácil. Depois que roubam tudo, manda a polícia descer o pau nos burros.

    1. Isto que você comentou serve perfeitamente para o Bolsonaro. Ele prometeu combater à corrupcao, mas acabou com a Lava Jato. Prometeu uma política liberal, mas é contra às privatizações, reestruturação do Banco do Brasil e quer interferir no preço dos combustíveis. E agora quer chegar ao segundo turno com uma política populista, tal qual a esquerda. E mais, Aras como PGR, Kassio Nunes no STF. Se aliar ao Lula contra voluntariamente na fala contra a Lava Jato. Cair no colo do Centrão...

  19. na foto aí, os embevecidos com a sapiência do "kim be cil" deveriam estar todos com caderninho na mão anotando as sábias palavras do brontosauro...

  20. A mitologia grega tem o Mito do Rei Midas que transformava tudo oque tocava em ouro , nós pelo que parece temos um Mito genérico do Rei Midas porem com característica bolsonarista em que tudo que toca apodrece, falha, vira pura bostanarice.

  21. Grande coisa também esses países citados na reportagem. Acho q eles eh q precisam do Brasil. Se contar q o presidente argentino teve a deselegância de pedir a liberdade de Lula

    1. 2 erros não fazem um acerto! A realidade é que a “America latrina” que nós fazemos parte é uma lástima! E continuará sendo. Nosso DNA é muito ruim...

  22. Respeitosamente, o front externo com o alinhamento exacerbado a Trump foi um erro grasso do PR e permanecer no erro é contra os interesses do Brasil, aí incluindo-se toda a política externa e a agenda ambiental. O PR deve mudar isso e trabalhar com o PR Biden que é bom conhecedor do país e não é vingativo, devendo prevalecer os interesses das 2 nações e não simpatias pessoais. Mudar e se adaptar às novas realidades é sinal de inteligência. Para se reeleger melhor se livrar das políticas tóxicas.

  23. Política externa. Os russos estão ameaçando a União Europeia simplesmente pq Merkel resolvel dizer que a U.E não quer tomar partido (nem da Rússia-China, nem dos E.U.A). Negociar com ambos os blocos. Por outro lado, Bolsonaro tem se aproximado da China e da Rússia. Argentina? São nada em relação aos consumidores brasileiros. Biden quer forçar a opinião publica contra Bolsonaro, com a figura desgastada. Faz isso ao se telefonar para Fernandez. Assim, nos aproximamos dele e não ele de NÓS. Jogo.

    1. O Jaime escreve um monte de bobagens estúpidas e o Sebastião elogia. Conclusão, dois estúpidos.

    2. Belo comentário Sr. Jaime. Esses países da América do Sul precisam do Brasil mais do que o Brasil precisam deles. A maioria está em situação pior que o Brasil. A Cruzoé e seus colunistas estão com complexo de Vira-Lata. Dá lhe Bolsonaro.

  24. Tem um ponto positivo nisso tudo, pelo menos não precisamos mais temer a volta da esquerda. O PT já está governando...🤮

  25. ANTAGONISTAS, VOCÊS METEM PAU NO GOVERNO ATUAL MAS SÃO INCAPAZES DE CITAR UM PONTO POSITIVO SEQUER QUE, POR SINAL, SÃO VÁRIOS!!!! VOCÊS QUEREM O PT DE VOLTA, É ISSO QUE VOCÊS QUEREM?!?!?

    1. Os bolsonaristas continuam com a síndrome do PT para justificar e aceitar essa bosta de governo. Acordem, a maioria que acha esse governo péssimo não é petista, apenas não são cegos a tudo que vem acontecendo no país.

    2. Jesus, Maria e José, vou rezar por sua alma... PT de volta??? De onde vc tira essas ideias “luminosas”? Vc pensa nisso sozinho ou tem ajuda? Kkkkkk

    3. Bolsonaro é PT há muito tempo. Ainda não oficializou entrar no partido .

    4. Não existem pontos positivos. O que existe é pura PROPAGANDA para o gado continuar acreditando. Bolsonaro só pensa na reeleição, nem que para isso tenha que destruir completamente o Brasil. Após a praga petistas temos a praga bolsonarista para acabar com o que sobrou

    5. Verdade, não querem o Brasil. política do quanto pior, melhor.

    6. Sugiro ao Sr Jefferson a não assinar a revista ou será um infiltrado da malta bolsonariana pago pelo dinheiro publico

    7. o que vcs não vêem, é isso esse regime atual vai acabar trazendo o PT de volta.

  26. ...não entendo porque disso : o brasil já vacinou 90% da população, já estamos há meses mandando vacinas para ajudar os vizinho, mandamos até oxigenio para a venezuela, nosso desemprego é o menor do continente, o covid está desparecendo, nossa justiça funciona(corruptos indo para a cadeia), nossas forças armadas bem alimentadas e bem preparadas (vide o tamanho fisico/intelectual dos militares)...e mais... a palavra aqui vale, o presidente tem cumprido tudo o que prometeu... sinceramente !!!

    1. IRONIA/SARCASMO/SARCASMO/IRONIA...IRONIA///SARCASMO SARCASMO IRONIA

    2. Onde o Brasil vacinou 90% da população? Onde você vive? Você não lê e muito menos assiste tv para vê os dados? Me poupe

  27. Ernesto Araujo , Fritador de Hambúrguer, Passa Boiada , Especialista em Logística, Bobo da Corte , Bozo, o que vcs esperavam?

    1. Sr. Waldemar, anote aí, com essa mídia esquerdista e totalmente desacreditada e e esses candidatos que estão se apresentando para disputar a Presidência contra Bolsonaro, vai dar Bolsonaro folgadamente.

  28. De fato há decadas o Brasil deixou de ser/ter importância diplomática no mundo. A tal neutralidade "virou fumaça" e com ela, pelos ares, foi o prestígio do país nessa área. Optou por caminhar sob ideologias!

    1. O Itamaraty erra muito, mas estar fora desta turma não é demérito.

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO