O dilema do STJ

19.02.21

Deu tilt nos ministros do Superior Tribunal de Justiça que andaram maquinando, nas últimas semanas, um plano para punir procuradores da Lava Jato de Curitiba. O plano, que vinha sendo gestado pelas excelências cujos nomes apareceram nas mensagens roubadas da força-tarefa, era abrir um inquérito contra Deltan Dallagnol e companhia sob o argumento de que a operação tentou investigá-los ilegalmente. Tudo vinha caminhando bem até que surgiu um dilema inquietante: os ministros se deram conta de que, uma vez aberta, a investigação poderia se virar contra eles próprios porque, provavelmente, os procuradores pediriam que fossem juntados aos autos os documentos que colocam o tribunal na rota dos esquemas investigados na operação.

Atualização: A vontade dos ministros prevaleceu. Nesta sexta-feira, 19, o STJ anunciou que o presidente do tribunal, Humberto Martins, instaurou inquérito para apurar “suposta tentativa de intimidação e investigação ilegal de ministros” (leia mais aqui).

Gustavo Lima/STJGustavo Lima/STJHumberto Martins, atual presidente do STJ: ódio da Lava Jato

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Felipe Moura Brasil, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
    1. Ajuda sim. E como dizia Rui Barbosa, a pior ditadura é a do judiciário, não temos pra quem recorrer. Porcos nojentos e inimigos do Brasil!!!

  1. O maior inimigo do povo brasileiro é a Brasília corrupta. Sergio Moro se tornou o maior inimigo da Brasília corrupta. O povo decente precisa de defensores honestos e competentes como Sergio Moro, Deltan Dallagnol e afins! Povo na rua em grande massa para salvar a democracia das garras dos corruptos! Quem mais salvaria o Brasil?

  2. Gostei desta. O Brasil deveria fazer um pacto. Libera às gravações para todo mundo, menos às questões pessoais. Depois cruza tudo. Cruzando tudo, carta branca para às investigações, com MPF, PF, Receita... Sem foro privilegiado. Vamos ver onde isso vai dar.

  3. Embora não concorde com alguns métodos, a prova é ilícita, a qual não detem eficácia jurídica de prova, por força da Constituição Fededal.

  4. Belo exemplo de um TSJ, utilizar provas ilegais para abrir um processo, espero que levem até as ultimas consequencias, pois muitas coisas nunca ficaram claras nas divulgaçoes dessas fitas!!! Que os procuradores abram o jogo já que vale tudo, soltem o verbo!!

    1. Principalmente os corruptos top, esses têm medo e ódio!

  5. Realmente o jornalismo independente da Crusoé tem sido de enorme importância para denunciar essa podridão do submundo político. Dou plena razão a todos esses que querem acabar com essa imprensa. Parabéns a vocês todos pelo profissionalismo das reportagens sempre cheias de comprovantes.

  6. Em 2022 SÉRGIO MORO “PRESIDENTE LAVA JATO PURO SANGUE!” O Brasil finalmente terá Um Governo Fundado no “IMPÉRIO DA LEI!” Não seremos LUDIBRIADOS com o “Velho Plano de MELHORAS na ECONOMIA!” Triunfaremos! Sir Claiton

  7. Quem tem telhado de vidro não atira pedra na vidraça alheia. Esses caras quando processarem o Sergio Moro, Deltan e outros profissionais sérios e idôneos perceberão que atiraram contra o próprio pé.

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO