RuyGoiaba

Nos deram espelhos, e vimos um mundo doente

12.02.21

O BBB é um programa que fica muito melhor quando é editado pelas redes sociais. Juro que tentei vê-lo sem mediações mais de uma vez (a última delas foi alguns dias atrás) e a conclusão foi sempre a mesma: que coisa chata. Quem “assiste” ao reality show indiretamente, pelo Twitter — o que é impossível de evitar se você está na rede, porque o negócio é um tsunami —, já recebe só os melhores momentos, não raro com comentários e memes bem mais engraçados que aquele quadro com o Rafael Portugal (sarrafo baixo, eu sei). Num mundo justo, a Globo remuneraria não só alguns tuiteiros, mas todos esses que têm trabalhado de graça para Boninho como editores e comentaristas.

Só nas redes, por exemplo, você assiste a um vídeo dos confinados cantando a insuportável “Pais e Filhos”, da Legião Urbana (“é preciso amaaar as pessoas como se não houvesse amanhããã”) com o único comentário possível (“quando você chega ao inferno, é assim que é recebido”). Isso a Globo não mostra!

Também sei, graças aos BBBólogos das redes, que esta edição do programa já definiu queridinhos do público, como o pernambucano Gilberto, doutorando em economia e gay, não necessariamente nessa ordem (espera só o pessoal descobrir que ele repostou textos de João Amoêdo nas redes: será execrado como NEOLIBERAL). Assim como já definiu seus vilões: Lumena, Projota, Nego Di e principalmente Karol Conká têm sido os maiores alvos do ódio da torcida.

A mim, telespectador ocasional e indireto, parece que a novidade deste BBB 21 é expor para a audiência de milhões de pessoas de um reality show, em horário nobre da Globo, o que quem circula pelo meio universitário (e outros, como o artístico e o jornalístico) já sabe: como militantes por “boas causas” e integrantes de minorias podem ser autoritários, intolerantes, agressivos, sem empadinha (ops, empatia), falsos e preconceituosos eles mesmos. E nem estou contando o traço mais comum em todos eles, da esquerda à direita — a chatice extrema.

No pior episódio, um dos participantes, o ator Lucas Penteado, foi acusado de querer “se aproveitar” da agenda LGBT ao dar um beijo em Gilberto e abandonou o programa. A rapper Karol, negra como Lucas, é detestada porque incorreu em basicamente todos os comportamentos descritos nos adjetivos do parágrafo anterior; idem para Lumena, também negra, que parece uma versão piorada do “militante” de Marcelo Adnet. (Para vocês terem ideia do nível, já vi militantes psolistas chamando a psicóloga baiana de insuportável — o que equivale mais ou menos a Milton Cunha, o carnavalesco, criticando alguém por ser “gay demais”.)

É claro que já apareceu muita gente dizendo que o comportamento reprovável desses brothers e sisters “não representa a militância” — além dos conspiracionistas que acreditam que a marvada Grobo (”Globo golpista” se você for de esquerda, “Globolixo” se você for bolsonarista) escolheu a dedo essa turma para “deslegitimar” os movimentos identitários. Imagino que a emissora faça todo tipo de manobra nos bastidores do BBB, mas ela não tinha como saber da “maldade” dos vilões antes de escolhê-los. Pelo contrário: eram todos populares em suas bolhas e foram deixando de ser à medida que se revelaram.

O que o reality show está fazendo é o que sempre fez: pegar gente humana, demasiado humana e colocar sob a câmera/lente de aumento, com milhões de pessoas observando o experimento. Ficou claríssimo que, por mais que se empenhem no “outro mundo possível”, os defensores profissionais das boas causas também são demasiado humanos, com todos os problemas e defeitos da espécie — o que talvez não dê a eles a moral que gostariam de ter para enfiar o dedo na cara dos outros. No fundo, o resumo da ópera é outra música ruim da Legião, “Índios”, aquela que diz “nos deram espelhos, e vimos um mundo doente”. Como cantava Renato Russo, tentei choraaar e não conseguiiiiii.

***

A GOIABICE DA SEMANA

O site The Chronicle of Higher Education conta que, depois de semanas fazendo um curso on-line de história da arte numa universidade canadense, um aluno tentou contatar o professor que ministrava as aulas, François-Marc Gagnon — e só aí descobriu que ele estava morto desde março de 2019 (o título da reportagem é “Dead Man Teaching”). Como disse um amigo meu, o caso atualiza as definições de “aula remota”, mas posso apostar que mesmo morto Gagnon estava mais vivo do que alguns professores que me deram aula, por assim dizer, de corpo presente na ECA-USP há mais de 30 anos. Fica aqui a sugestão para as universidades brasileiras investirem mais no ensino médium.

Adi Leite/FolhapressAdi Leite/FolhapressO saudoso Renato Russo (1960-1996), aquele mix de Morrissey com Jerry Adriani

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Não posso deixar de imaginar como seria se o temperamental Renato Russo estivesse vivo pra ver esse "mix de Morrissey e Jerry Adriany".

  2. o nível de educação dessa terra de 5a categoria está formando analfabetos mentais exatamente como deseja a maldita classe política

  3. Pois é, sempre detestei Legião Urbana com seu Jerry Adriani cover e sua musiquinha ondulante. Aliás, aquela Eduardo e Mônica era a preferida dos gays militantes dos anos oitenta. Insuportável!

  4. A grande arma do telespectador do BB porcaria, botão de desligar da tv, grande texto de reflexão, infelizmente, poucos brasileiros terão acesso, por não conseguir pagar uma assinatura, mas estarão sendo massificado pela grande Mídia marrom.

  5. Insuportáveis e ruins não são só as canções da Legião Urbana, o grupo todo é. Tenho dó de você Goiaba que, por dever de ofício - já que escreve sempre com fino humor sobre assuntos relacionados à atualidade - é obrigado a ver programas desse tipo. Eu, hein, tô fora.

  6. O BBB tá valendo a pena dessa vez. Acho que a Globo não esperava que os militantes extrapolariam tanto a ponto de serem odiados até pelos esquerdistas.

  7. De inicio a coluna parecia ruim, BBB é um assunto chato. Como trouxe a poesia de Renato Russo insisti na leitura. A habilidade de prender o leitor e presenteá-lo na hora certa e com" grand finale" , ficou na última frase. "Ensino médium", exclusividade tua. Tá perfeito!

  8. Para assistir a Reality Show, só imbecil mesmo. Quem ainda acredita numa reviravolta política pelas eleições em 2022, só imbecil mesmo.O maior inimigo do povo brasileiro é a Brasília corrupta. Sergio Moro se tornou o maior inimigo da Brasília corrupta. O povo decente necessita urgentemente defensores honestos e competentes como Sergio Moro, Deltan Dallagnol e afins!

  9. Não dá pra rir. Tentar fazer graça com uma porcaria dessas, Ruy? É por isso que os bolsonaristas chamam a Globo de "globolixo". Não biaxe o nível da coluna. A goiabice teve alguma graça. Abraços.

  10. Você falou tudo sobre esse bagulho do BBB. Se aquelas pretas tivessem lido o capítulo "O Vergalho" do Memórias Póstumas, e o levado mortalmente a sério, talvez não fizessem o papel do Prudêncio na vida adulta. Mas a psicóloga (excluo aqui a rapper provavelmente não sabe ler) se leu alguma coisa foi aquela porcariada identitária de universidade.

  11. Hilário,as ainda insuficiente para me fazer ver (ou ler) BBB! E concordo: Legião Urbana é terrivelmente chato - pra não dizer deprimente.

  12. Está deve ser a única revista que obriga seu leitor, ao terminar uma matéria, a voltar à página inicial. Haja saco! É um vai e volta irritante!

  13. Muito bom.Sempre acreditei q não estava perdendo alguma coisa não assistindo bbbosta, vc me convenceu.Sempre penso neste tempo precioso que a tv tem e q poderia aproveitar de verdade para algo maior. É lamentável essa programação de fim de semana(e fim de dia) aberta ao povo e que descaradamente emburrece as pessoas, alimenta sua mediocridade, distorce valores e anestesia a percepção de uma vida melhor.

  14. Bom dia, Mr. Guava. Morri de rir, many tks. Você só não falou dos intelequituais que, desconhecendo o Twitter, juram que o BBB é um experimento sociológico riquíssimo.

  15. Todos dizem que não assistem ao BBB, mas todo mundo fica sabendo sobre a "casa". Nem aqui na Crusoé estamos livres dessa praga. Até esta semana eu estava completamente alheia ao assunto. Mas não tem como se alienar - como se nada mais importante acontecesse, o comentário sobre aquela "fauna" de zoológico foi geral. Povo é fissurado em fiscalizar a vida alheia - as fraquezas humanas na vitrine , pra muita gente se enxergar nela - eita passatempo mais besta! No mais, ensino médium foi ótimo!

    1. E o pior é que ninguém se dá conta disso. Chegamos até aqui pelo instinto de sobrevivência e não cantarolando músicas de paz. Há milhares de anos, eliminamos outras espécies “humanas” pela sobrevivência, hoje nos eliminamos por maldade e egoísmo. Certamente, a humanidade não deu certo.

  16. "Investirem mais em ensino Médium." Gargalhei, fechou com chave de ouro. Ha, ha, ha. Não consigo parar de morrer de rir. Morrer qual é? Nem morto quero pensar nisso. Goiaba vivíssimo, adorei.

    1. Não conheço BBB nem Twitter. Sou velha. Leio História no kindle. MUITA HISTÓRIA. Me consola mesmo com os horrores da nossa política e políticos, a humanidade nunca viveu tão bem. Sou dos anos 40, 50 , 60.... a covid veio cobrar o preço do excesso de gente e destruição da NATUREZA. Morrerei feliz. Ainda que vendo o Brasil sendo desgovernado por um mentecapto. Nosso POVO merece muito mais .

    2. É O PAÍS QUE ELEGEU UM MILICIANO TOSCO E GENOCIDA NO LUGAR DO POSTE DO LADRÃO. NOSSO PAÍS É UMA PORCARIA.

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO