RuyGoiaba

Treta em Debate

02.10.20

“Piada em Debate” é, de longe, o quadro mais premonitório da TV Pirata — caso os jovens e extraterrestres que me leem não saibam, trata-se daquele programa de humor que a Globo levou ao ar no fim dos anos 1980. O esquete começava com uma piada bem idiota. Por exemplo: mãe e filha no avião, a filha passando mal. A comissária de bordo pergunta: “Foi comida?”. A mãe: “Foi, mas casa amanhã” (eu disse que era BEM idiota). Daí se passava a um painel com sociólogos, psicólogos e outros ólogos debatendo ferozmente o sentido da piada.

Fast-forward para décadas depois: hoje internet é precisamente isso, um lugar onde pessoas passam um tempo infinito TEORIZANDO sobre piadas e tretas. E nada, absolutamente nada, é tão insignificante que não possa ser discutido. O que para seres humanos normais é só um vídeo engraçado do WhatsApp — que a gente vê, ri, repassa pro grupo da firma e depois esquece — para esses analistas é mais uma chance de explicar o Brasil, o mundo, o capitalismo predatório, o machismo, o feminismo ou tudo junto. Não julgo: pessoas precisam ganhar a vida sendo picaretas honestamente, e eu mesmo “resumi o Brasil” na minha coluna passada. Mas, como diria o poeta, tem hora que enche o saco.

O exemplo mais recente é o Barraco do Leblon, no fim de semana passado. Resuminho para quem orbitava fora do planeta: conversível dirigido por um bombado, com duas gostosas de biquíni, passa na frente de um bar na Dias Ferreira. Uma das moças leva uma garrafa de plástico nas costas, desce do carro para tirar satisfação e dá um tapa na arquiteta que, sentada à mesa do bar, havia arremessado a garrafa. Corre de volta para o carro e é perseguida pelo namorado da arquiteta, que arranca seu sutiã na hora em que o conversível acelera. Tudo isso registrado em vídeo por Andréa Veiga, ex-paquita da Xuxa —e melhor que a live alegadamente profissional de Gal Costa no dia seguinte.

Os desdobramentos do barraco foram o esperado: arquiteta explica em vídeo por que tinha jogado a garrafa, na linha “tinha criança vendo” (não existe mesmo lugar mais adequado para criança que um bar do Leblon na sexta à noite). Bombado diz que é “engenheiro concursado da Petrobras” (claro, e eu sou o Frank Sinatra) e ameaça processar a arquiteta. Moça da garrafada nas costas dá a sua versão dos fatos com uma voz que, por obra e graça das bombas de testosterona, parece a da Nair Bello depois de 50 anos fumando (sem o sotaque da Mooca). Todo mundo com alguma passagem pela polícia, como O Globo revelou depois. E, claro, todo mundo ganhando um porrilhão de seguidores no Instagram, que é o habitat natural dessa turma-ostentação: até a arquiteta exibe uma série de fotos nas areias de Dubai, em poses à la Tieta do Agreste.

E é nesse ponto que chegam os especialistas, os grandes debatedores de treta, teorizando. E como eles teorizam, meu Deus. A culpa é da pandemia, que está deixando as pessoas mais agressivas e barraqueiras (antes, como sabemos, o brasileiro médio era um lorde). A culpa é do machismo internalizado, que faz o corpo da mulher ainda ser alvo de controle. A culpa é do bolsonarismo, que reprime o sexo (eu posso apostar que TODOS os envolvidos na briga, sem exceção, cravaram o 17 na eleição passada). Enfim, o Barraco do Leblon, assim como o do Gero — muito mais sem graça, com aqueles paulistanos ricos e idiotas falando em “berço” e “vou chamar meu delegado” —, explica o Brasil, e nós precisamos aproveitá-lo para REFLETIR sobre o país que queremos.

O pessoal fala como se “reflexão” tivesse sido o forte do Bananão nos últimos 520 anos. Sinto dizer que, nesse caso, não há nada a refletir: quem consegue fruir as possibilidades de entretenimento do barraco sem ceder à tentação de analisá-lo já está prestando um relevante serviço à pátria, que é deixar de ser chato. (Quem consegue ignorar é ainda melhor, mas acho que é pedir demais do brasileiro. Todo mundo gosta de ver o pau comendo na casa de Noca: desde que não se metam a fazer a Sociologia do Pau Comendo, pra mim tá bom.)

***

A GOIABICE DA SEMANA

E Michelle Bolsonaro foi à polícia prestar queixa contra os Detonautas — a mulher de Jair se diz vítima de “calúnia, injúria e difamação” por causa de “Micheque”, música que basicamente pergunta aquilo que o casal presidencial continua se recusando a responder sobre os 89 mil reais depositados por Fabrício Queiroz na conta da primeira-dama. Não só: Micheque, ops, Michelle também quer proibir a execução pública da música e retirá-la das plataformas digitais.

Censura é uma coisa tão, mas tão absolutamente burra que o efeito só pode ser, como foi, propaganda: a música já superou os 2,2 milhões de visualizações no YouTube e entrou na parada das mais ouvidas no Spotify. Até eu ouvi — eu, que em condições normais de temperatura e pressão jamais passaria perto da obra de Tico Santa Cruz e companhia. O bolsonarismo é realmente imperdoável.

***

AVISO DE FÉRIAS

Deixo o melhor para o fim: vocês ficarão livres de mim pelas próximas semanas. Finjam sentir minha falta e continuem prestigiando o jornalismo da Crusoé.

Até a volta, se ainda houver Brasil.

Isac Nóbrega/PRIsac Nóbrega/PRMichelle mostra o tamanho do tiro pela culatra com a sua tentativa de censura

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Eis aqui “alguém que orbita fora do planeta” tanto , kkk que só hoje li a sua matéria Ruy! Impagável ! Me aculturei . Sabendo do Barraco do Leblon e da “música” da Micheque que jamais conhecerei pois eu gosto é de MÚSICA . De resto , sabendo que vc não está aqui , lastimo não ter desejado boas férias a tempo !! Preciso de sua coluna querido Ruy!!!!É a hora em que seu humor me deixa sentir menos alienígena de meu próprio planeta !kkkkkkkkkkkkkkkkkkll

    1. Aconteceu a mesma coisa comigo: só deu tempo ler essa coluna hoje (o que é até bem legal, pois consigo passar a semana inteira lendo a Crusoé nos minutos vagos do dia, kkk!). Concordo com Ruy no que diz respeito ao fato de que jamais teria escutado Tico Santa Cruz, que, até pouco tempo, eu pensava ser jogador de futebol pela cara e pelo nome, kkkk!

  2. Ruy o pior é que não estamos mais achando graça em nada neste país. Viramos um grande filme de terror, e está chegando a hora do sacrifício final .

  3. do Tico santa Cruz eu só ouvi aquela do "tico mia no quarto, tico mia no no sofá, tico mia no banheiro" e por aí vai. péssimo gosto

    1. Calma Joaquim "gado" "bolsominion". Dias melhores virão, afinal a próxima empreitada do Bolsolulismo será a anulação das sentenças do seu grande e novo aliado, via supremo. Afinal, a aliança com centrão, Dias Toffoli, Gilmar Mendes e Acolumbre tem sido bem frutífera!!

  4. Sem fingimento: como sempre, todas as sextas vou iniciar a leitura da Crusoé pelo final. Espero que sejam poucas as semanas que eu leia apenas: de férias ou em férias (eta português difícil). Boas férias!

  5. Boas Férias, mas cuidado esse pessoal da treta está na espreita te esperando, louco para fazer uma treta contigo, e nos como bons brasileiros estaremos aqui, comentando não acredito que o "Goiaba " entrou para essa turma, bem adoramos o pau comendo na casa de Noca(como tu dizes)kkkk

  6. Os barracos são necessários. Se não, não teríamos essas tiradas. Férias são bem vindas, mas continue torcendo por mais barracos por aí, para tirar algumas casquinhas

  7. O Brasil é jeca demais, né, Goiaba? E os brasileiros se acham o povo mais bonito , inteligente e elegante do planeta. Dá muita pena.

  8. Boas férias, Goiaba. Só não apareça desfilando de sunga branca, tênis preto e meias em alguma praia, porque aí vai ter treta e mais sociologia do pau comendo.

  9. Boas férias, Goiaba. Só não apareça desfilando de sunga branca e tênis preto com meias em alguma praia, porque aí vai ter treta e mais sociologia do pau comendo.

  10. Ruy sempre consegue me arrancar pelo menos uma boa gargalhada, e todo mundo gosta sim é de "ver o pau comendo na casa de Noca", foi aí que me acabei! Curta bastante suas merecidas férias, vc merece um pouco de normalidade! Rsss...

  11. A mellhor coisa que li na semana. Ridendo castigat mores. Castigat p. nenhuma. O nosso ridendo nunca vai castigat o mores dessa gente. Micheque é feminino de Michê?

  12. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK! para seu artigo engraçadíssimo. SNIF SNIF SNIF SNIF SNIF SNIF!!!!! para suas férias. (snif significa choro)

  13. Michelle Bolsonaro é paupérrima de QI. Apenas rica de sonhos, muitos deles sem qualquer pertinência para a vida do país. Seus melhores sonhos são aqueles a favor dos deficientes auditivos, mas o país já vem evoluindo no cuidado destes há muito tempo.

  14. Rogerio Ortega sempre sensacional e spot on! Aproveita as férias mesmo se não houver mais Brasil! Obrigado pela lucidez e humor nos teus textos. Já estou sentindo tua falta!

  15. Na volta talvez dê para reciclar a foto com a legenda ligeiramente modificada: o tamanho do buraco em que nos metemos. Ou o tamanho do que meteram no nosso buraco, dá no mesmo.

  16. ... o ser humano é feliz e sofre muito em função de suas expectativas. A sociedade brasileira gosta de "endeusar" seus preferidos (políticos ou não) e como não tem trigo limpo nesta área, tem um primeiro momento de euforia/felicidade pela novidade da moda e posteriormente, a frustração, o desengano, a consciência de que foi manipulada trazem, aí sim de forma definitiva, a sofrimento demonstrada pela realidade trazida pela retirada das camadas da cebola, uma a uma mostrando a podridão desta turma

  17. Crusoé e Goiaba, excelente liga. Um valoriza o trabalho do outro. Ótimo jornalismo e fino humor. Com muito suingue. Sentirei falta do RG nas suas férias. Aproveite e bom retorno. Se ainda o Brasil existir, então.

  18. Micheque, vagabunda, desocupada. Daqui a um tempo virão as compras de imóveis com dinheiro vivo. Foi assim com as vagabunda anteriores que se amasiaram ao jumento corrupto fdp

  19. Que absurdo. Vou cancelar minha assinatura da Crusoé. Goiaba não pode tirar férias!!! Quem vai explicar o Brasil Real nas próximas semanas?!?

  20. Fui ouvir a música agora! As tretas do Leblon e do Gero são o exemplo da vulgaridade desse país. Nada de surpreendente. Boas férias! Já estou com saudade. E eu continuo aqui na Crusoé, que nos ensina a ter pensamento crítico.

  21. Mas que cínica a santinha do pau oco (nos dois sentidos, por favor), agora afanou dinheiro de doação para a covid! Não nega a famiglia a que pertence hoje e a da que veio!

  22. Até euzinha ouvi a bosta da música com seu conteúdo totalmente verdadeiro. Já entrou para os clássicos do nosso cancioneiro mais popular!

  23. hahahaha, como sempre impecável!! Posso dizer com alegria que ignorei o caso das moças estapeantes do Leblon - vim saber dos detalhes aqui, em sua coluna. Nada dessa sujeira fedida me interessa. O que vai fazer falta é seu humor inteligente e ácido. Aproveite bem as férias, mas volte logo.

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO