Casa Branca

O labirinto de Trump

Joe Biden crescendo, pandemia, resistência em nichos historicamente republicanos e insegurança econômica: para se reeleger, o atual presidente americano tem pela frente uma extensa lista de obstáculos
17.07.20

Uma caminhada por Washington, a capital dos Estados Unidos, mostra o que pode estar passando na cabeça dos americanos a dezesseis semanas das eleições. Não é incomum deparar-se com filas longas na porta das escolas públicas que distribuem refeições gratuitas. Em algumas lojas, cartazes trazem a mensagem “negócio de proprietários negros” e a sigla BLM, do movimento Black Lives Matter. Outras têm os vidros ainda estilhaçados, resquícios das manifestações contra o racismo e a violência policial. Ao redor do terminal Union Station, sem-teto se aglomeram. No bairro Georgetown, conhecido pelo agitado comércio e pelos restaurantes, os clientes são escassos. Nas calçadas desérticas, ambulantes vendem máscaras contra o coronavírus com a bandeira americana e a frase: “Torne a América segura novamente”. A mensagem, segundo a vendedora salvadorenha Areni Andrade, de 44 anos, faz referência tanto ao medo de contágio por coronavírus como à crise econômica. Faxineira em um restaurante, ela perdeu o emprego há cinco meses.

O país que começou o ano discutindo se o presidente Donald Trump poderia sofrer um impeachment mudou radicalmente o tema das discussões políticas com a pandemia. O quadro atual, dominado pela crise na saúde e na economia, em nada favorece aquele que está no comando da nação e tenta a reeleição. A última pesquisa da Universidade Quinnipiac, do dia 15 de julho, mostra o candidato democrata Joe Biden quinze pontos percentuais à frente de Trump. Até então, a vantagem de Biden estava oscilando entre 8 e 11 pontos. O democrata parece ter conquistado os independentes, aqueles que não se identificam com nenhum dos dois partidos, mas representam 40% da população. De cada dez independentes, seis acham que Biden estaria fazendo um trabalho melhor que o de Trump no combate ao coronavírus. Apenas três preferem Trump.

Nathalia WatkinsNathalia WatkinsA salvadorenha Areni Andrade e a máscara: “Torne a América segura de novo”
A preocupação com a pandemia tem levado o presidente a perder apoio entre vários grupos que votaram nele em 2016. Entre essas parcelas do eleitorado estão os idosos, que são mais vulneráveis ao vírus e gastam mais com atendimento médico. Americanos com mais de 65 anos foram fundamentais para que Trump se saísse vitorioso na disputa com Hillary Clinton nos estados de Michigan, Pensilvânia e Wisconsin. Desta vez, quem está ganhando na terceira idade é Biden. Nos três estados citados, o democrata abriu mais de dez pontos percentuais de folga nessa faixa etária. Outro grupo insatisfeito com o republicano é o de mulheres brancas de classe média sem diploma universitário. A diferença a favor de Trump contra Hillary na eleição de 2016 foi de 27 pontos percentuais. A vantagem para Biden é menor: 14 pontos percentuais. Em geral, mulheres são mais atentas para a saúde do que os homens. Para aquelas com filhos pequenos, o tema é ainda mais sensível.

Até junho, Trump estava se saindo bem quando os americanos eram questionados sobre o estado da economia, o outro assunto relevante da campanha. Mais da metade dos entrevistados aprovava a maneira como o atual presidente estava lidando com a questão. O desemprego que estava no patamar histórico de 4% pulou para 14% em abril e depois caiu para 11% em junho. Em torno de 30 milhões de pessoas receberam o auxílio emergencial do governo. A aprovação a Trump na economia, contudo, está atrelada à expectativa de reabertura do comércio e ao retorno às atividades. Em maio, diversos estados, incluindo Texas e Flórida, anunciaram o afrouxamento das medidas de isolamento social. Como os casos de óbitos por coronavírus voltaram a crescer, governadores tiveram de dar um passo atrás. “Entre as pessoas que tinham voltado ao trabalho, havia um alívio, uma sensação de que a situação tinha melhorado. A última coisa que elas queriam ouvir é que tudo voltaria a fechar. E foi isso o que aconteceu”, diz a cientista política americana Susan MacManus, professora aposentada da Universidade do Sul da Flórida.

ReproduçãoReproduçãoAnúncio de Biden para a TV no Texas: “Fique seguro, use máscara”
Dos 50 estados americanos, mais da metade precisou interromper seus planos de reabertura. O número de casos de Covid está subindo em 47 deles. Para Trump, foi uma péssima notícia. Pesquisas têm mostrado Biden à frente nos seis estados-pêndulo, aqueles que podem preferir candidatos democratas ou republicanos, dependendo do momento. São eles Arizona, Flórida, Michigan, Carolina do Norte, Pensilvânia e Wisconsin. Biden está na dianteira até mesmo em redutos tradicionalmente republicanos, como o Texas. Na semana passada, a campanha do democrata começou a veicular anúncios de televisão no estado, que tem preferido candidatos republicanos nos últimos 44 anos. Na peça publicitária, Biden promete não abandonar os americanos e os aconselha a usar máscaras, a lavar as mãos e a manter o distanciamento social.

Saúde e economia são atualmente os temas mais quentes da campanha, seguidos pelas tensões raciais. Nos próximos três meses e meio, é impossível adivinhar o que pesará mais. Em breve, Biden deve escolher seu vice, provavelmente uma mulher. Os debates só devem começar no final de setembro. Até o dia 3 de novembro, data da eleição, ainda há muito para acontecer e determinar se o pleito deste ano será ou não um déjà-vu de 2016.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. É cômico, nós, já fazendo comentários com grande autoridade e já escolhendo o lado na política americana, uma coisa é fato, temos uma enorme capacidade de escolher o pior, a prova? Lula 2 vezes, Dilma idem e pelo andar da carruagem o Capitão Cloroquina ganha a próxima. Mas enquanto isso vamos ver o que é melhor para os gringos.

  2. A escolha do vice presidente é crucial. O Biden apresenta um risco maior de não completar o mandato. Se escolher qualquer uma mulher radical e mais à esquerda, pode perder. Os independentes é que serão o fiel da balança.

    1. Ele escolherá uma mulher, possivelmente negra. Com isso ele acabara de vez com as chances do Trumpismo entre as minorias. O Trumpismo funcionou até até da pandemia. O Bozismo acabou com a pandemia.

  3. Se os democratas ganharem será o começo do fim dos EUA! Biden está completamente senil e cairá nas mãos dos cada vez mais radicais socialistas, que dominam o partido, como AOC. Que a economia se recupere e o vírus chinês seja contido, para o bem dos EUA e do mundo! 🙏🏼

    1. Está tão senil que vai golear impiedosamente o Trump. Bozistas estao morrendo de medo....kkkkkkkkkkk!

  4. O Trump está tão perdido, mas tão perdido, que não sabe mais o que faz. Até os republicanos mais radicais já pularam fora. O caminho está aberto para um massacre eleitoral. Os republicanos levarão umas décadas para se recuperar do trauma. O Brasil, pobre Brasil, será renegado a parceiro de última categoria até o Bozo renunciar. Restará ao Bozo implorar apoio dos comunistas russos e chineses. Vocês já imaginaram? Bozo lambendo bota de comunistas, kkkkkkkkkkk. De comunistas, kkkkkkkkkk!

  5. Mais um que será derrubado pela prepotência junto ao Covid-19... Sem humanidade, não há solidariedade e nem confiança... Sem confiança, não há nada...

  6. Então, eles lá também são imediatistas? Afinal, o Trump estava indo bem, não se ouve falar em família abusada nem se ouviu falar em estelionato eleitoral, e querem culpa-lo pelo virus? Olha a patota progressista do "mundo melhor" tirando proveito da situação.

  7. parece que eu tô vendo um replay de 2016. enquanto todo mundo falava o quão na frente a Hilary Clinton estava e que a reeleição era certa e o resultado foi completamente o oposto. espero que esse episódio se repita e não tenhamos uma "Dilma" nos EUA.

  8. Trump se reelege ainda mais fácil que o Bolsonaro que tem de vencer a mídia desorientadora e os corruptos (70% dos políticos/juristas/jornalistas/funcionários publicos)

  9. por lá eles tem os "estados pêndulo", já por aqui o país todo é um pêndulo, pende pro lado que tiver mais inclinação.

  10. Reportagem dissimulada e pretenciosa, forçando um entendimento que o Biden disparou nos EUA e que ate no estado do Texas, existe a inclinacao para rejeicao dos republicanos. Conseguiram construir uma bela narrativa. Saudades dos textos claros, inteligentes, diretos, verdadeiros, coerentes com a realidade da Ana Paula Henkel.

    1. Verdade. Por isso escrevi a minha. Bem diferente do que existia na época da ditadura, aquela cujo retorno a articulista copy and paste sonha.

    2. Você quis dizer a Ana Paula Copy and Paste? Kkkkkkkkkkkkkkk. Pelo amor de Deus. Aquela foi a colunista mais mentirosa e desqualificada que já passou por aqui. Ainda bem que ela se foi para a revista dos seres bestiais!

  11. Os "repórteres" metidos a jornalistas da C rusoé precisam ler o artigo da Ana Paula Henkel, na revista Oeste, descartada pela Crusoé depois que se recusou a virar a casaca. Moro nos Estados Unidos há 20 anos e lhes digo com certeza que o "Dilma" americano (Biden) , velho caquético que não diz coisa com coisa, não será eleito. É Trump na cabeça de novo.

    1. Ana Paula Henkel, Narloch, Duda Teixeira, Constantino e tantos outros, são ideólogos extremistas, pouco inteligentes e nada honestos, como você Alberto, “o de sempre”. Te aguardo, por aqui, no final de novembro. Não vai sumir, Talkey?

    2. Kkkkkkkkk. O cucaracha pede para ler o artigo da plantetaria copia e cola, kkkk. Dois cucarachas na terra do tio Sam que pensam que são iguais aos hermanos do norte, kkkkkkkkkkkkkk. Vocês dois não passam de cucarachas. Tomem cuidado com a KKK. Um dia eles pegam vocês. Sobre o a Trump. Falei desde janeiro de 2019 que ele perderia a eleição de qualquer jeito. Este é sempre o ritmo americano. Os republicanos destroem o país e depois o povo chama os Democratas para consertarem.

  12. Nada sobre as inúmeras atrocidades cometidas por Trump desde o início da pandemia? Nada sobre o qual vil e incompetente é esse cara? Trump é, disparado, o pior ser humano e presidente a pisar na Casa Branca e vocês não falam nada? Cegueira ideológica, ignorância ou mau-caratismo mesmo, hein Crusoé?

  13. torcer para que o reacionário de cima seja derrotado e que em 2022, seja a vez do nosso, já que o povo está anestesiado; parece que ele não sairá antes

  14. Profundamente decepcionado com a posição política da revista. Quando começaram enganaram muitos se fazendo passar por conservadores/liberais e "republicanos", mas agora têm mostrado a sua verdadeira cara e nem precisa tirar a máscara. Na verdade, vocês do o antagonista e da crusoé são esquerdopatas. Defendem o progressismo/socialismo/comunismo, e torcem para os democratas ganharem nos EUA. O biden é um caquético e não terá pulso e capacidade para reerguer a economia americana no pós pandemia!

    1. A Revista Crusoé está noticiando fatos.Cada um interprete como entender.

    1. Os Americanos seguem o que manda o bolso. Trump já mostrou que tem capacidade tornar a economia americana punjante. Biden é um caquético com alzheimer!

  15. Pelo jeito aí é torcida contra os EUA. Os progressistas/socialistas/comunistas querem tomar conta dos Estados Unidos também, aí o mundo vai ver o que é está por trás de toda a farsa da esquerda... Hummm... mas quem disse que o Biden vai ganhar? A Folha de São Paulo?

    1. Kkkkkkkkkkkk. Dois bozistas desesperados porque o Biden vai ganhar e dar um pé na bunda do Bozo, kkkkkkkkkkk. A verdade dói no couro bozista da Helba. No caso do Albertinho cucaracha, ele não tem couro, apenas exoesqueleto. A KKK está atrás de você cucaracha..se cuide! Você não é ariano não!

    2. Mai um paspalho leitor da FSP, Veja, IstoÉ e por que não Crusoé, a nova queridi9nha da esquerdalha. Certamente também assiste o JN e o Jornal da Band. Vai ser mal informado assim lá na casa do c......! Ney, se vc entende Inglês, pare de ler WP, NYTimes. Esperar o que de quem dá destaque a um bosta como o Felipe Neto? TRUMP ganha folgado. Em 2016, segundo essas mesmas pragas que vc lê, a Hillary já estava eleita.

    1. O rabicó e o maisnada vão cair do cavalo. O esquema com a empiricus será desmontado em breve!

    2. O rabicó e o maisnada vão cair do cavalo, pois o esquema ANTAS Empiricus vai ser desmontado!

    1. O biden é um incapaz! Na hora h os americanos pensam com o bolso!

    1. Torcida, parece matéria do Caio Blinder, que não acerta uma.

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO