FelipeMoura Brasil

Burke contra os fantasmas bolsonaristas

03.07.20

O estadista e pensador irlandês Edmund Burke – “fundador do verdadeiro conservadorismo”, como definiu o autor conservador americano Russell Kirk – zelava pela contenção dos gastos públicos e pelo corte de privilégios, inclusive nos gabinetes.

No posto altamente lucrativo de tesoureiro das Forças Armadas no governo britânico, o privilégio de emprestar com juros, em proveito próprio, as quantias que o gabinete tivesse temporariamente à disposição dera a seus antecessores uma renda anual de cerca de 23 mil libras. O inglês Richard Rigby, que ocupou o cargo por 14 anos e teve ganhos acima da média, acumulou meio milhão de libras. A primeira nomeação de Burke como tesoureiro veio em 1782, logo após a gestão de Rigby.

“Com uma fidelidade aos próprios princípios surpreendente para o século XVIII, Burke de imediato reduziu os benefícios do próprio posto – apesar de precisar de dinheiro – ao abolir o privilégio de emprestar quantias e ao estipular o próprio salário em meras quatro mil libras” anuais, escreveu Kirk, seu biógrafo intelectual.

Já a autoproclamada “conservadora” família Bolsonaro curte, além do foro, um gabinete privilegiado. A rigor, vários. Não necessariamente para trabalhar dentro deles.

Aos 19 anos, em dezembro de 2000, Flávio Bolsonaro ganhou e “ocupou” um cargo em Brasília, no gabinete do então partido do pai, o PPB, enquanto fazia faculdade e estágio no Rio de Janeiro. Em 2001, esse cargo – antes ocupado pela segunda mulher de Jair Bolsonaro, Ana Cristina Siqueira Valle – rendeu ao filho 01 do atual presidente da República o equivalente a 4.712 reais por mês, ou 13,5 mil reais mensais em valores corrigidos. No total, ele ficou 18 meses registrado na função de assistente técnico, encerrada em junho de 2002.

Aos 18 anos, foi a vez de Eduardo Bolsonaro ser nomeado para o mesmo cargo que Flávio havia ocupado seis meses antes, mas a nomeação acabou anulada após três semanas, quando Jair trocou o PPB pelo PTB de seu até hoje aliado Roberto Jefferson. Nada que impedisse a boquinha a distância, claro. Dois meses depois, em fevereiro de 2003, Eduardo ganhou e “ocupou” um cargo em Brasília, na liderança do PTB, enquanto fazia faculdade no Rio. O salário era de 3.904 reais por mês, ou quase 9.780 reais mensais em valores corrigidos. Eduardo ficou 16 meses registrado na função de assistente técnico, encerrada em julho de 2004 (apenas seis meses depois da criação do Orkut, a primeira rede social a fazer sucesso no Brasil. A internet ainda engatinhava, mas a família Bolsonaro já era PhD em suposto home office.)

As informações da Câmara dos Deputados acima resumidas, confirmadas por registros oficiais, constam em duas matérias obrigatórias da BBC, de janeiro e outubro de 2019, quando Flávio e Eduardo já haviam sido eleitos senador e deputado federal, respectivamente. A Câmara informou à reportagem que os cargos de gabinete que ocuparam “têm por finalidade a prestação de serviços de assessoramento aos órgãos da Casa, em Brasília. Desse modo, não possuem a prerrogativa de exercerem suas atividades em outra cidade além da capital federal”.

Enquanto as apresentações do ex-ministro relâmpago Carlos Decotelli e dos ainda ministros Ricardo Salles e Damares Alves incluíam os títulos jamais conquistados, respectivamente, de doutor na Argentina e pós-doutor na Alemanha, de mestre em direito público nos Estados Unidos, e de mestre em educação e em direito constitucional e direito da família, os currículos disponíveis de Flávio e Eduardo omitiam os cargos como assistentes (remotos) em gabinetes dos partidos de Jair Bolsonaro.

Diante dessa tradição na família, não é de surpreender que haja atualmente investigações sobre funcionários fantasmas bolsonaristas – sem contar o caso do assessor de Eduardo, seu xará Eduardo Guimarães, que usava conta anônima de Instagram para atacar rivais do chefe, como revelou a CPMI das Fake News.

O filho 02, Carlos Bolsonaro, que perdeu o foro especial de vereador em razão de decisão do STF, é investigado por empregar uma dupla sem registros de presença na Câmara Municipal do Rio: Márcio da Silva Gerbatim e Claudionor Gerbatim de Lima, ambos ligados ao agora preso Fabrício Queiroz, ex-assessor do investigado Flávio. Márcio é ex-marido da mulher de Queiroz e pai de sua enteada; Claudionor é sobrinho da mulher de Queiroz. O nome de Márcio, após dois anos, passou do gabinete de Carlos na Câmara carioca para o de Flávio na Alerj. O de Claudionor fez o inverso.

Protegido pelo TJ do Rio com um foro privilegiado retroativo até o STF avaliar os pedidos do MP e da Rede para a Corte devolver o caso à primeira instância, Flávio também empregou Luiza Souza Paes, que depositou 155,6 mil reais em espécie na conta de Fabrício Queiroz e só foi localizada nas cercanias da Alerj três vezes em quase três anos. O pai de Luiza, que era amigo de Queiroz, pediu que ela reunisse extratos bancários para “combinar com o operador financeiro uma versão falsa de que se trataria dos pagamentos de uma suposta dívida”, de acordo com o relato do MP baseado em mensagens apreendidas. Curiosamente, esta é a mesma alegação de Jair Bolsonaro sobre os 24 mil reais depositados por Queiroz na conta da atual primeira-dama, Michelle.

Flávio, cujas filhas tiveram mensalidades escolares pagas em dinheiro por Queiroz, também empregou Raimunda Veras Magalhães, que, segundo o MP, não compareceu à Assembleia Legislativa do Estado enquanto exercia função pública. Ela é mãe de Adriano da Nóbrega, o Capitão Adriano, miliciano morto na Bahia em fevereiro que havia sido homenageado por Flávio na Alerj e Carlos na Câmara Municipal e que havia transferido mais de 400 mil reais para contas de Queiroz. Essas transferências incluem os depósitos feitos em espécie por Raimunda e pela ex-esposa de Adriano, Danielle Mendonça da Costa, então igualmente lotada no gabinete do 01.

Flávio e Jair Bolsonaro ainda empregaram na Alerj e na Câmara dos Deputados, nesta ordem, a filha de Queiroz, Nathalia, personal trainer que atendia celebridades enquanto “ocupava” o cargo em Brasília e que devolveu 80% do salário da Câmara ao pai, de acordo com relatório da Receita Federal. Flávio e Jair exoneraram Queiroz e Nathalia na mesma ocasião, durante a campanha eleitoral – logo após um delegado da Polícia Federal ter vazado a informação de que pai e filha seriam atingidos pelos desdobramentos da Operação Furna da Onça, segundo o ex-aliado Paulo Marinho. Os três assessores de Flávio que teriam se encontrado com o delegado são alvos de pedidos, feitos pelo MPF do Rio à Justiça, de quebra de sigilo telefônico e de e-mails.

“Melhor não pagar de ‘gostosão’ com os investigadores do MPF porque você e eu sabemos o que você fez no verão de 2018”, escreveu Marinho a Flávio, em bate-boca nas redes sociais. “Você sabe que as informações que essa quebra de sigilo revelará sobre a localização dos seus assessores durante o 2º turno das eleições vão mostrar com clareza a veracidade do que você me relatou quando veio chorando à minha casa pedir ajuda.”

Já Queiroz, em áudio enviado a um interlocutor não identificado, chegou a falar abertamente de indicações políticas para cargos no Congresso e de uma “fila” no gabinete do atual senador: “Tem mais de 500 cargos lá, cara, na Câmara e no Senado. Pode indicar para qualquer comissão ou, alguma coisa, sem vincular a eles em nada. Vinte continho aí para gente caía bem.” A suspeita é que ele se referia a vinte mil reais que poderia obter com o desvio de parte do salário dos seus indicados, mas, considerando as centenas de cargos e um período mais longo de repasses, não seria espantoso se fossem 20 milhões, sem vincular aos Bolsonaro em nada, claro. “É só chegar: ‘Meu irmão, nomeia fulano para trabalhar contigo aí’. Salariozinho bom, para a gente que é pai de família, puta que pariu”, disse Queiroz, tratado recentemente por Flávio como “um cara correto, trabalhador, dando sangue por aquilo em que acredita”.

As crenças e atitudes de Edmund Burke eram completamente diferentes, quando não o exato oposto do bolsonarismo. Em 1780, ele propusera pela primeira vez um projeto de lei para reformar a lista civil da Coroa visando a abolir os cargos obsoletos ou inúteis, diminuir o poder político do rei exercido pela dotação de pensões ou pelos fundos do serviço secreto e assegurar o controle do Parlamento sobre o que, na ocasião, chamou de serviço civil. “Se não puder reformar com equidade, absolutamente não reformarei”, declarou, avesso ao corporativismo. O governo britânico tinha um déficit anual de 14 milhões de libras e, como conta Kirk, “Burke estava disposto a eliminar as sinecuras pelas quais o rei recompensava os membros obedientes do Parlamento”.

Jair Bolsonaro, padrinho dos gabinetes privilegiados com cargos obsoletos ou inúteis, emudeceu depois da prisão de Queiroz e turbinou a recompensa preventiva, ou seja, a compra de apoio dos parlamentares do Centrão contra eventual processo de impeachment, oferecendo-lhes justamente as sinecuras do Estado inchado brasileiro.

Por essas e muitas outras (que venho apontando nesta coluna), ou se é Burke, ou se é Bolsonaro. Ou se é conservador, ou se é bolsonarista.

 

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Infelizmente os brasileiros, divididos em ruidosas torcidas de estádio, conseguiram substituir uma Quadrilha de ladrões corrupPTos com outra Quadrilha de ladrões faMili-cianos. Ke porcaria!! Depois dá pra entender porque todos os Governantes não investem na educação.

  2. Felipe, onde encontro informação na revista sobre a delação de Marcelo Odebretch , acusando Toffoli de receber propina? Ví na JP na sexta passada. Efeito STF?

  3. É, é isso aí. Nao adianta tapar o Sol com a peneira. Jair e seus filhos fizeram exatamente o que os outros 50 mil eleitos como vereadores, deputados estaduais e federais e senadores fazem. Essa sem vergonhice acabará quando esses aspones forem pagos com grana dos politicos e nao com NOSSOS IyďrfMPOSTOS !

  4. Meu caríssimo Felipe, você é imbatível em elencar FATOS pretéritos e compará-los a FATOS recentes e atuais. Definitivamente, Bolsonaristas não são conservadores. CQD (Como Queríamos Demonstrar). A forma como você apresenta e desenvolve as mais complexas equações políticas é primorosa. Seus argumentos são indiscutíveis. Os Bolsominions fanáticos não encontram pontos para rebater seus argumentos, por isso emudecem ou o insultam. PARABÉNS por mais um artigo 5 estrelas 🌟 🌟🌟🌟🌟

  5. Realmente, não dá para ser bolsonarista e dizer que é conservador, mas os fanáticos são ignorantes e não percebem a contradição

    1. Bela oportunidade pra se acabar com essa pilantragem da tal verba de gabinete, de vereador a senador! Mais como se diz em Minas Gerais: um erro não justifica o outro; por essa é que por combatermos os bandidos de plantão , petistas e adjacências, que não vamos aliviar para os picaretas dos filhinhos fascínoras! E se houver impeachment do Bolsonaro, que venha o Mourão.

  6. Quantas pessoas desse povo brasileiro, pseudo amável, têm ideia de quem seja Edmund Burke e de sua "visível" assertividade, quantos aqui têm em mente que deve-se fazer o certo? Ainda, quantos sabem o que é o certo? (se há a oportunidade de uma "boquinha" na prefeiturazinha do municipiozinho que "EUZÃO" moro) Desculpe Felipe, é necessário, na minha humilde opinião, um refazimento estrutural completo, um verdadeiro enxerto de raiz para alterar os galhos e a copa dessa árvore.

  7. ...em criar golpes e fluxos de oportunismo escuso e muito mal amparado e dedicado em desenvolver expertisse e tecnologia assertiva, seja em qualquer área, ou seja, estudar e agir de acordo com a "nomos" do progresso e do bem estar humanos, como melhorar, como conduzir um barco extrativista em direção a um desenvolvimento intelectual que trará, consequentemente, o político, o ético e a, tão almejada, pax???

  8. concordo com você Felipe, admiro seu trabalho e discernimento há muito, mas peço nesta ocasião, sugira uma saída coerente e possível, o sub mundo, como classifico o governo petista, foi um absurdo, a demagogia populista do atual, é outro, e a vocês todos, brilhantes articulistas da crusoé, pergunto: (lógico, sabendo que tanto na arte da guerra como nos negócios, o segredo é a grande chave) como poderíamos "encaminhar" uma nação onde o pior é seu povo que é extremamente criativo e bem sucedido...

  9. Felipe, sempre gostei do seu trabalho no Pingo nos is, entretanto fiquei algum tempo sem acompanhar os vídeos no YouTube. Depois de passados alguns meses, resolvi voltar a assistir e me deparo com um grupo de passapanistas com ar conservador e defensor da moral e da ética: leia-se Fiuza e Augusto. Entretanto entre uma "lustrada" e outra dos "conservadores" residuais do programa, percebi que aquele não era mais o seu local. Parabéns pela saída, ao invés de ser um recebedor de verbas da SECOM.

    1. Concordo! Os passapanistas Augusto , Zé e Fiuzza lustram um governo fraco , opaco e contraditório . Não sigo mais a Jovem Pan. Estamos cada vez mais sem opção , sigo o Antagonista desde o início e encontro aqui um porto seguro e realista...Felipe e a turma daqui sempre com boas e realistas matérias!!!!!

    2. Faço das suas as minhas palavras. Desde a saída do Felipe eu abandonei Os Pingos. Gostei do termo "passapanistas"!

  10. O presidente não tem a menor ideia do que é ser um Conservador. O mundo dele é outro. E assim, caminha este pobre Brasil!

  11. Felipe, depois que deixou os Pingos nos Ís, fiquei em dúvida sobre você. No início, achei que você poderia ter problema de caráter. Pois, tinha certeza da sua qualificação como intelectual e profissional de imprensa. Hoje, não tenho mais dúvidas, além de extremamente competente, também é um homem íntegro.

  12. Todos os ratos são iguais (PTralhas, Bolsonaros, etc). Você e a imprensa brasileira fariam um excelente serviço ao país se parassem de falar apenas de uns e outros e batalhassem pelo fim do foro privilegiado, pela prisão em segunda instância e pelo corte dos privilégios. Essa é uma pauta de interesse do Brasil. Não adianta tirar um rato e colocar outro. Por que não faz também um levantamento do gabinete do tal Ceciliano, presidente da Alerj?

  13. Fico me perguntando: O quê se faz com tanto dinheiro? Vale o custo? Sou mãe e humana, tenho muitos defeitos mas tento, e me policio, para não dar maus exemplos para minhas filhas. Que mundo é esse???

    1. bolsonarista e lulista são as duas pontas de uma mesma ferradura.

  14. Fico imaginando um parasita vendo brasileiros chutando o PT para fora do poder, pela corrupção sistêmica. E então esses parasitas se oferecem para o povo como opção. E o povo tem que escolher entre esses parasitas e o PT. E agora a cada dia fica mais claro, que ser parasita do sistema não era o pior. E agora acho que a maioria dos brasileiros se perguntam: como chutar os parasitas para fora? Foi duro aguentar o PT. E está sendo duro aguentar esse sociopata que se instalou no Planalto.

  15. Espetacular o seu artigo! Aproveitou bem o espaço que lhe foi reservado na revista e vomitou toda uma comparação pontual entre Burke e Bolsonaro. Pra´quem não sabe, essa é cortina de fumaça utilizada, desde os primórdios da história documentada, pelos desafetos de cada época. Bons ardis! Dá um certo ar de credibilidade. Mas, sinceramente, eu te desmontaria aqui, item a item, se tivesse espaço, tamanha a sua força de imaginação pueril. Vamos ver à frente...

  16. Bolsonaro e sua família são cevados em dinheiro publico, usam da espertezas, que de grão em grão a famíglia enche o papo... Mafia em tom menor, até que as milícias soprem mais forte.

  17. Diante do quadro do segundo noturno votei no Bolsonaro, pois entre outras coisas tinha a agenda anti-corrupção, mas seguir defendendo ele somente pessoas muito ingenuas ou fanáticas daquelas que aderem a seitas suicidas.

  18. Perfeito. Linha de raciocínio clara, encadeada e principalmente embasado em dados. Da mesma forma que vc escreveu sobre os petistas e seu líder mor Lula, agora vc escreve sobre o irmão gêmeo, Bolsonaro. Coerência e fidelidade a si são valores de Homens não de Hominídeos

  19. Isto sim é jornalismo! fatos, dados, datas , envolvidos etc. Perfeito! Não tem defesa. O problema é olhar todo o zoológico do executivo, legislativo, STF, como também uma investigação nos estados e municípios, com certeza serão encontradas muitas semelhanças ou piores, concorda Felipe? Sugiro inclusive que realize alguma investigação no STF e Camara/ Senado, pelo menos para ser considerado justo, além de jornalista

  20. Excelente e texto, nossas opiniões geralmente não apontam na mema direção mas é isso, quando escuto algum defensor fanático "disso ai" se autoproclamar conservador dou risada, realmente bozista (assim como petista fanático) é um caso a ser estudado

  21. Felipe, está ganhando meu respeito. Ainda sinto falta da Ana Paula, já falei aqui que a coluna do Mario sozinha já vale a assinatura e agora também posso acompanhar os pensamentos do próximo Presidente da República, se Deus quiser. Seus textos, para mim, agora estão entrando nesse seleto grupo. Parabéns!

  22. Artigo tão contundente que, até agora, NENHUM defensor do "mito" publicou um comentário "inteligente" do tipo: "... mas e o PT?", "revista lixo vendida", "quero ver vocês provarem que o 'mito' cometeu corrupção", etc, etc, etc... Meus parabens, sr. Articulista!

    1. O gado teleguiado pela familia aloprada foi posto de castigo no curral, pelo menos até o sociopata conseguir se livrar dos processos das fake news.

  23. Parabéns Felipe , muito bem escrito. A batalha para o Brasil se livrar de outra quadrilha no comando do país, logo após o Lulopetismo , vem o bizarro e criminoso clã do Bolsonaros .

    1. Quaquaqua.. nao vomita dormindo cara, senào tu vai se engasgar com teu vômito

  24. gostaria muitíssimo de entender por que FMB mudou tanto de posição, defendia bastante Bolsonaro em muitas oportunidades...não que desacredite em suas explicitações; sou absolutamente imparcial e justo, estou aguardando saber.

    1. José Luiz, se é imparcial e se for bem informado, vai ver que Crusoé e Antagonistas sempre foram a favor da lava-jato e contra o petrolão. JMB foi eleito nessa linha. Depois disso o que ele fez? Foi mudando aos poucos. Acordão com Toffoli sobre COAF, não vetou e não organizou base congresso contra a lei de abuso de autoridade e ao pacote anti-crime (incluindo juiz de garantias), interferência na PF, nomeação de PGR anti lava-jato. Por tudo isso, FMB e eu mudamos de posição. E mais milhões.

    2. Muito simples. Coronaro é um misto de Berlusconi com Chavez (o venezuelano, não o mexicano, apesar de ter muitas atitudes semelhantes às daquele da comédia infantil). Em toda a sua vida de quase 30 anos na Câmara, jamais defendeu pautas liberais ou o combate à corrupação. O mito de que o fazia foi forjado, apenas para dar-lhe uma imagem de contraposição ao PT. Não passa de oportunista demagogo.

  25. Brilhante. Infelizmente os brasileiros se acostumaram tanto com corrupção que acham que o Rachid é fichinha. É roubo do dinheiro do próprio brasileiro. Quando vamos acordar e parar de votar em políticos desonestos e populistas? O povo brasileiro deve se unir contra o bolsopetismo

  26. Familia de sanguessugas sempre na jugular do tesouro nacional, como militar ou como político. Ele, suas mulheres, seus filhos e seus asseclas diletos. E ainda tem gente que acredita...

  27. O populista e demagogo Bolsonaro somente foi conservador nos costumes, e mesmo assim após aderir, exclusivamente por interesse político, ao evangelismo de ocasião.

  28. Não me causaria surpresa o esquema ser provado e comprovado, e os viciados na rachadinha alegarem que se trata de procedimento tradicional entre políticos brasileiros, que achavam que era permitido diante da concordância e silêncio de seus pares. Talvez houvesse até uma concorrência entre eles pra ver quem "arrecadava mais". Muitos cargos, pra rachar vinte mil por mês com cada um, por muitos anos, é uma fortuna. Talvez julgassem que não era desvio,que eram doações de amigos gratos pelo emprego.

    1. Nao seria de se admirar se nao der em nada por causa dos outros casos de milhoes que seriam tambem punidos.

  29. Muito bom! Por favor, continue apontando! Um dia a casa cai, e esperamos que nas eleições essa família seja varrida do cenário político e preste contas de sua ligação com milicianos.

  30. Excelente análise! Recomendo o livro que retrata O Grande Debate , do qual Burke é um dos protagonistas, de Yure Levin, que originou a esquerda e a direita.

  31. Todos estes e todos os outros, basta procurar em cada político, deveriam serem cassados. Pior que não vai sobrar nenhum em Brasília, nos estados e nos municípios, pois TODOS sempre, fez eram isso. E vocês jornalistas só cqueremcir atrás dos Bolsonaros. Criticam e são iguais ou piores.

  32. Mais uma vez o povo vai na lábia do discurso populista. Mais um Fernando Collor de Mello no poder. Vai ser difícil moralizar o Brasil assim.

    1. Prefiro o conservadorismo do que o comunismo!!! É pobreza de espírito estudar e se informar de um lado só! Serão eternamente manipulados!

  33. Duvido que vão publicar aqui meu comentário, mas vá lá: Por que o Programa "OS PINGOS NOS IS" não se fala nada a respeito? Deveriam também fazer o mesmo que fazem (corretamente) com os ladrões do PT. Bolsonaro é igual a todos. Nunca me enganou

    1. Infelizmente eles , até com boas intenções, focaram muito no apoio ao PR. Mas na medida em que os atos passados inconformes do clã foram se explicitando mais, e dando razão às falas do moro, foi ficando difícil a defesa cega que têm feito. Estão ficando meio ridículos em algumas situações, precisam fazer correção de rota...E agora entendo motivos prováveis da saída do FMB

  34. Considero o Felipe Moura Brasil um jornalista honesto e não duvido da sua reportagem. Mas, se ele se propuser a fazer com cada político brasileiro a mesma pesquisa e reportagem e confrontar o prejuizo que cada um deles deu ao Tesouro Nacional, poderá nos apresentar um ranking, tal qual o das rachadinhas, só que em escala nacional. E pelo critério da comparação teremos o retrato do que é o povo brasileiro. De vereadores a Senador, por favor. Agora só a dos Bolsonaros é covardia.

    1. Ele se propôs a fazer essa pesquisa com o POLÍTICO que OCUPA o CARGO MAIS IMPORTANTE DO PAÍS e que se elegeu justamente EM RAZÃO do discurso “contra a corrupção”. Ele e seu clã afetavam uma preocupação com a moralidade pública, que hoje mostra-se completamente falsa. Que o jornalismo continue expondo todas essas mentiras. Claro que o Presidente da República vai atrair mais os holofotes no Brasil e em qualquer lugar do mundo.

    2. Concordo plenamente! Já há um bom tempo observo esse colunista, e percebe-se que ele voltou-se contra a família Bolsonaro já logo que saiu o caso Queiroz! Como se esse fosse o principal problema desse país. Faça-me o favor, FMB! Não insulte nossa inteligência!

  35. Pior é que tanta gente tenha pensado que eles pudessem ser conservadores... ou q Olavo de Carvalho pudesse ser um gd intelectual...

    1. Procure pelo livro "O que você precisa saber para não ser um idiota". Passe numa livraria e veja apenas a capa. Autor, organizador etc. Ou apenas consulte na internet.

  36. O conservadorismo é uma bela utopia, uma boa meta a ser perseguida pelos brasileiros mas antes temos que nos tornar decentes e honestos como os ingleses. Alguma chance?

  37. Muito bom Felipe. Hoje temos a falsa direita bolsopetista como temos a falsa esquerda lulopetista. Ambos tem desprezo a democracia e tem apenas projeto para se perpetuar no poder.

  38. Felipe, sabe o que me dá muita raiva? É ficar sabendo tudo isto só depois de ter votado nesta porcaria chamada Bolsonaro. Meu pai, homem inteligente e observador, nunca caiu na conversa fiada do liberalismo do Bozo. Sempre citava o corporativismo do atual presidente quando era deputado. No fundo, eu sabia. Que envergonhada estou!

  39. Esse é o Felipe"Tucano" Brasil. A assessoria parlamentar se com gabinete em Brasília e escritório político e também no estado de origem do parlamentar. Isso é bom ressaltar.

  40. Ou se é vibrante comentarista de "Pingos nos i" ou se é empregadinho de Diogo Mainardi. Não dá para comparar. Porque tanta raiva e tanto rancor com o Jair Capitão, tirando seus filhos da questão? Não dá para entender porque vocês mudam tanto. Tá faltando uma verbinha prá calar a boca, acho. Tenham vergonha na cara e façam jornalismo honesto. Critiquem o Governo de Jair Bolsonaro no que deve mesmo ser criticado. Não há necessidade de puxar saco de governo nenhum. Basta. Tenham vergonha.

    1. O Jose e o Ivaldo devem estar se perguntando: Burque? É de comer ou passar no cabelo. Trogloditas Bolsopetistas, como esses dois, não se importam de serem roubados. Incrível!

    2. É certo Evaldo, q esses jornalistas formados nos porões das univ ideologisadas p Paulo Freire e seus psolistas, perderam toda a razão, a ponto de criarem factóides que contemplem seus chefes chineses, exceto Maynard q descaradamente deu as costas pra realidade, optando por atender seu patrão Marinho, nesta "ilha Crusoé", q tão mal já vem fazendo a todos.

  41. Finalmente temos quem nos protege neste país. Mas estamos com BOLSONARO, não votamos em MORO ou em seus filhos. Como não votamos em dona Marisa e nem fomos dentro de zoológico buscar alguém fedido. A próxima reportagem do Felipe é só sucesso da Marisa como representante da Avon. Nossas pautas ANTICORRUPÇÃO já têm 1,5 anos de fidelidade. "Nunca antes na historia deste país..." tivemos isto. Dobra até p colocar água no semi árido nordestino. Triste fim de Crusoé e seus comparsas.

  42. Foi uma ótima leitura, caro Felipe. Muitos bolsopetitas, alguns amigos meus, ainda não acordaram para a realidade. Mal entendem o real sentido do conservadorismo.

    1. A máscara mal colocada nos rostos dos bolsonaros está caindo a cada edição da Crusoé. Felipe Moura brasil, tenho muito orgulho por saber que ainda temos jornalistas isentos e que não tem medo de meter o dedo na ferida de quem quer que seja.

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO