Reprodução

Marco Rubio como vice de Donald Trump?

21.06.24 10:43

O senador republicano Marco Rubio (foto), da Flórida, tem adotado nos últimos dias várias posições semelhantes às do ex-presidente americano Donald Trump, o que levantou suspeitas de que ele estaria almejando o posto de vice na chapa republicana que vai disputar as eleições de novembro.

Para agradar Trump, Rubio precisou fazer até mesmo algumas reviravoltas. Ele, por exemplo, tem se recusado a aceitar os resultados das eleições de 2020, vencidas pelo democrata Joe Biden. Porém, após a invasão do Capitólio, no dia 6 de janeiro, por apoiadores de Trump, Rubio votou no Senado a favor de reconhecer os resultados das urnas. “A democracia é mantida coesa pela confiança da população na eleição e em sua disposição para aceitar os resultados“, disse Rubio em 2020.

Rubio é filho de imigrantes cubanos e fala espanhol fluente, o que poderia ajudar Trump a ganhar o voto dos latinos.

 

Solidariedade em Manhattan 

O senador, contudo, não compareceu ao tribunal de Manhattan em que Trump foi condenado por um júri popular em 34 acusações, todas relativas ao pagamento da atriz pornô Stormy Daniels para que ela não revelasse um relacionamento às vésperas da eleição de 2016.

Para outros republicanos, a presença no tribunal foi uma demonstração de lealdade a Trump e, com isso, eles esperam ganhar alguma contrapartida no futuro.

Seria um fenômeno parecido com o que ocorreu com o presidente Lula. Políticos que foram para Curitiba prestar solidariedade quando o petista estava na carceragem da Polícia Federal acabaram ganhando cargos no futuro, no governo ou no PT. Exemplos de políticos beneficiados após a peregrinação à Curitiba são Fernando Haddad, Gleisi Hoffmann e Celso Amorim.

Nas questões de imigração, Rubio afirma que a entrada de ilegais está “envenenando o sangue dos Estados Unidos“. Dessa maneira, ele agrada aos republicanos e aos descendentes de imigrantes que já se estabeleceram no país e estão preocupados com a chegada de novos ilegais, principalmente de países da América Central e Caribe.

Rubio poderia ajudar Trump dando jovialidade à campanha. Ele tem 52 anos, enquanto Trump já conta com 77. Biden, que tenta a reeleição, está com 81.

 

Obstáculo constitucional

Mas há um importante obstáculo a ser superado. A 12ª Emenda à Constituição americana proíbe que os eleitores de um determinado vote para presidente e vice do seu próprio estado.

Os eleitores da Flórida, assim, não poderiam votar em Trump e em Rubio, pois ambos são da Flórida.

Isso poderia ser resolvido com Rubio mudando o seu domicílio eleitoral.

Para um político experiente como Rubio, essa decisão significaria abrir mão de uma carreira bem-sucedida na política estadual. Seria um risco grande, e não se sabe ainda se Rubio estaria disposto a tanto.

 

Leia na Crusoé: Ele voltou

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
Mais notícias
Assine agora
TOPO