Luis Macedo/Câmara dos Deputados

Lira suspende retomada de atividades presenciais na Câmara

01.03.21 20:13

O presidente da Câmara, Arthur Lira (foto), determinou nesta segunda-feira, 1º, a suspensão “temporária e excepcional” da retomada das atividades presenciais na casa diante do recrudescimento de casos e óbitos provocados pelo novo coronavírus.

A medida deve vigorar enquanto perdurarem as restrições decretadas pelo governo do Distrito Federal. Na capital, desde domingo, bares, restaurantes e demais estabelecimentos com atividades não essenciais fecharam as portas para frear a circulação do vírus.

Há duas semanas, Lira havia determinado a retomada gradual dos órgãos da Câmara, unidades administrativa e gabinetes dos parlamentares, num sistema que deveria respeitar o distanciamento e um rodízio dos funcionários. Além disso, seria retomada a marcação de ponto de controle de jornada pelos servidores.

Agora, os deputados voltarão ao sistema que entrou em vigência em março de 2020, o qual garante as votações de forma remota. Lira, no entanto, ordenou que “deve ser garantida a prestação dos serviços de apoio ao plenário e às comissões permanentes, temporárias e mistas”. 

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Felipe Moura Brasil, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Desde quando as atividades do Poder Legislativo não são essenciais ao país? Evidentemente existem protocolos de saúde que precisam ser observados. Entretanto, havendo vontade política é possível, sim, manter as atividades administrativas funcionando. Por que não?

  2. Não entendi. Para os bozistas, a pandemia não existe. É tudo lake news criada pela imprensa esquerdista. O que os nobres deputeiros temem? Será que são todos maricas, tal como o genocida-mor designou aqueles que seguem os conselhos dos médicos e cientistas? Como eu sempre falei, bozistas são tão covardes, tão covardes, que para se manter no poder ficam escondidos atrás dos generais de pijama, aqueles mesmos que esqueceram o termo patriotismo por um punhado de tostões.

  3. Nem tão apressado que pareça necessidade urgente da impunidade e nem tão devagar que pareça descuido com alguns de seus pares corruptos (lembrando Pinheiro Machado).

  4. Essencial nós sabemos o que é. No mais é futrica , conversa fiada e um desfile de caras de pau a prestar desserviço ao país.

  5. Serviços não essenciais não funcionarão!E a Câmara é o quê?Só é “essencial” para votar o que interessa diretamente aos deputados,como acabamos de presenciar,no caso da Pec da Impunidade!

    1. Não compare essa classe com um homem que trabalhava para o bem da empresa. A sua saída já nos custou caro.

    2. Castelo Branco faz o que a maioria está fazendo em tempos de pandemia: home office. E deu um dos maiores lucros que a Petrobras já conseguiu. Esta foi mais uma mexida desnecessária de Bolsonaro que vai trazer consequências no mercado que ele dizia acreditar, quando mentia ser um liberal.

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO