Eliane Carvalho/Governo do Estado do Rio de Janeiro

Investigações no STJ por gastos com pandemia já atingem três governadores

19.05.20 21:34

A Procuradoria-Geral da República já pediu ao Superior Tribunal de Justiça investigações sobre três governadores por suspeitas de fraude e desvio de dinheiro em contratos emergenciais para combater o novo coronavírus. São eles: Wilson Lima, do Amazonas, Helder Barbalho, do Pará, e Wilson Witzel (foto), do Rio de Janeiro. Este último, noticiado por Crusoé na segunda-feira, 18.

Os pedidos de investigação foram feitos pela subprocuradora-geral Lindôra Araújo após uma apuração preliminar constatar indícios de irregularidades nas contratações que podem ter envolvimento dos chefes dos executivos estaduais. Lindôra é uma das principais auxiliares do procurador-geral da República, Augusto Aras, e atua pela PGR junto ao STJ, onde os governadores possuem prerrogativa de foro.

Tanto no caso do Amazonas quanto no estado do Pará, as suspeitas recaem sobre um suposto superfaturamento na compra de respiradores para tratar pacientes infectados pelo coronavírus. Já no caso do Rio de Janeiro, a PGR investiga a contratação do Instituto de Atenção Básica e Avançada à Saúde, conhecido como IABAS, para construir hospitais de campanha pelo valor de 770,5 milhões de reais. Todas as investigações estão sob sigilo.

A ofensiva da PGR sobre contratos emergenciais suspeitos celebrados pelos estados ocorre no momento em que o presidente Jair Bolsonaro tem cobrado publicamente investigações sobre os gastos realizados pelos governadores, que têm sido duramente criticados pelo chefe do Planalto por causa da adoção de medidas restritivas para tentar conter o avanço da Covid-19, como a quarentena e o lockdown.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

Edição nova toda Sexta-Feira. Leia com Exclusividade!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

Deixar para mais tarde

Mais notícias
Assine
TOPO