Ricardo Stuckert / PR

Faça a Bolívia grande novamente

09.07.24 17:14

A Bolívia está ficando sem gás natural, sua principal fonte de divisas externas.

A culpa, segundo o governo do presidente Luis Arce Catacora, é da falta de investimentos em novas reservas.

O país não tem dinheiro para investir, e os empresários estrangeiros caíram fora desde que, em 2006, o então presidente Evo Morales estatizou as refinarias de companhias inglesas, espanholas, britânicas e argentinas — além de duas unidades da Petrobras.

Naquela época, Morales dizia que a Bolívia estava sentada sobre um “mar de gás“.

E o Brasil, ainda no primeiro governo Lula, não esboçou qualquer reação.

Mas, sem um investimento constante na busca de novos poços a todo momento, os poços antigos acabam secando, ou ficando sem gás. É assim que esse mercado funciona.

Com a fonte secando, o atual presidente, Luis Arce Catacora resolveu recorrer ao presidente Lula (na foto, com Catacora).

Em uma coletiva de imprensa nesta terça, 9, em Santa Cruz de la Sierra, Lula afirmou na Bolívia que é preciso “ampliar o investimento nessa área (energética) e incrementar o volume exportado para o mercado brasileiro“.

Na Declaração Conjunta dos presidentes, divulgada na mesma noite, fala-se que os dois chefes de governo expressaram a “vontade de avançar uma agenda de investimentos para a prospecção e exploração de hidrocarbonetos, o que poderá contribuir para o desenvolvimento energético de ambos os países“.

Lula poderia fazer o que prometeu por meio do uso político da Petrobras, em que colocou Magda Chambriard como presidente.

Em sua posse no comando da estatal, em junho, Magda disse que irá fazer tudo o que o seu chefe mandar.

Nossa visão, como não poderia deixar de ser, está totalmente alinhada com a visão de país do presidente Lula e do governo federal, afinal eles são os nossos acionistas majoritários. Está em consonância também com a visão de mercado, com a geração de valor econômico e com a rentabilidade”, disse Magda.

Lula não pensa duas vezes antes de usar o dinheiro do contribuinte brasileiro para exercer influência política na América Latina e, com isso, fazer uma propaganda dentro do Brasil.

Em maio, o governo brasileiro aceitou pagar um preço extra pela energia de Itaipu, mesmo depois de a dívida contraída para a construção da usina já ter sido quitada.

 

Leia na Crusoé: Faça o Paraguai grande novamente

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Lula, não repita a vergonhosa traição q vc fez contra a Pátria dos brasileiros, perdoando dívidas relacionadas ao confisco de refinarias e instalações da Petrobrás construídas na Bolívia com dinheiro nosso! Cuidado! as coisas mudam com o passar do tempo e vc poderá enfrentar a Lava Jato II. Pare de bajular servilmente governos e ditaduras corruptos.

  2. O problema da Bolivia não é apenas falta de investimento, aqui não tem segurança jurídica,leis trabalhistas adequadas, etc. mas o principal problema é que as leis para exploração de petróleo não atraem as empresas petroleiras. Quem se interessa em invertir em prospecção de novos poços sabendo que si são rendáveis ficarão com apenas 15% dessa "torta" e o governo com 85%. Só Lula mesmo pra jogar fora o nosso dinheiro.

Mais notícias
Assine agora
TOPO