Alan Santos/PR

Bolsonaro nega problemas diplomáticos com a China e diz que política externa está ‘excepcional’

21.01.21 19:58

Pressionado devido ao atraso na entrega de insumos importados da China para a produção nacional de vacinas contra a Covid-19, o presidente Jair Bolsonaro (foto) negou a existência de problemas diplomáticos com o gigante asiático e afirmou que, em um aspecto geral, a política externa está “excepcional“.

O chefe do Planalto falou sobre o assunto na tradicional live de quinta-feira, com o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, como convidado. “O governo vai muito bem. Nossa política externa está excepcional. Nunca fui tão bem recebido como nos últimos dois anos em todas as viagens que fiz para o exterior“, alegou.

O Instituto Butantan e a Fundação Oswaldo Cruz, Fiocruz, aguardam a entrega de matéria-prima encomendada da China para a fabricação, em larga escala, da Coronavac e da vacina de Oxford. Sem os insumos, há risco de paralisação do plano nacional de imunização contra a Covid-19.

Bolsonaro minimizou a dependência e argumentou que a relação entre Brasil e China trata-se de uma via de mão dupla, em que os dois países colocam interesses à mesa. Bolsonaro declarou, ainda, ter canal aberto com o líder chinês, Xi Jinping, mas disse não ser “o cara de falar e correr para a imprensa“. “Muita coisa é reservada. Como muita coisa a durante a semana foi tratada de forma reservada“, garantiu.

“O pessoal fala: ‘Ah, o Brasil precisa da China’. A China também precisa da gente. Ou tu acha que a China está comprando soja para jogar fora? Compra porque precisa. Lá está chegando na casa de 1,4 bilhão de habitantes e é uma população que, cada vez mais, se torna urbana. Há três anos, aproximadamente, eles revogaram a lei do filho único. Então, a tendência é haver crescimento populacional na China. E eles precisam de nós. Qualquer país do mundo tem interesse. Não existe amor, pessoal. Não tem amor. Qualquer país do mundo tem interesses: comprar, vender, fazer negócio”, completou.

O presidente ainda refutou a informação de que o gigante asiático pressiona pela demissão de Ernesto Araújo, que protagonizou embates com o embaixador da China em Brasília, Yang Wanming, e que, na famosa reunião ministerial de 22 de abril, referiu-se à nação como um país “não democrático” e que “não respeita os direitos humanos“.

Quem demite ministro sou eu. Ninguém me procurou nem ousaria procurar no tocante a esse assunto, como nós não faríamos com nenhum país do mundo”, assegurou. Ernesto, então, completou: “Isso não existe entre países soberanos”.

O presidente especulou a motivação por trás da defesa pela destituição do chanceler brasileiro do cargo, proveniente de diversos grupos.

“Querem tirar o Ernesto por que? Quem era o ministro que antecedeu o Ernesto? Aloysio Nunes. Não vou entrar na vida pregressa dele. É dele a lei de migração. Ela não teve votação nominal na Câmara, mas eu e, se não me engano, Marcos Feliciano discursamos contra essa lei. Ela permite que, caso chegue um navio com 10 mil pessoas de qualquer lugar do mundo e aporte no Porto dos Santos, o pessoal desça aqui, e eles se autodeclarando perseguidos, você tem que acolher todo mundo. Inclusive, tendo mais direitos que você, brasileiro”.

Bolsonaro demonstrou a intenção de alterar a legislação. “Vamos mudar isso aí? Vamos. Mas depende de muita coisa. Depende de quem está à frente da Câmara, do Senado, da Mesa Diretora, do convencimento junto a parlamentares”, comentou o presidente, que articula pela eleição de Arthur Lira e de Rodrigo Pacheco ao comando da Câmara e do Senado, respectivamente.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Felipe Moura Brasil, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. No "tocante" a ser Mandrião vagabundo milíciano assassino hipócrita RETARDADO bolsonazifascista burro parvo OBTUSO enrustido broxa o cara é um cara de pau.

  2. A China tem que fazer aqui no Brasil o que fez nos EUA relacionar pessoas nom gratas ao povo Chinês. Ernesto e os filhos de Bolsonaro

  3. Votei nesse incapaz. Sem opção. Agora temos Um presidente Supositório ele além de ter semelhanças físicas com o supositório, tb age como tal. Supositório no bunda dos maricas.

    1. Quem votou no lunático sempre vem com a desculpa de que não tinha opções. Assume que votou só para ser contra o PT. Opções tinha sim.

  4. Srs !! Na Boa ! Parem de culpar os outros .. paren de culpar O Presidente ! A culpa é minha ; sua e de todos que elegeram um “ despreparado “ !! Simples assim Nos somos responsaveis !! Nao adianta “ crucificar o “ Mito

  5. Vejam só: anteriormente o Weintraub usou as redes sociais para ironizar os chineses, depois o ex-futuro embaixador do Brasil nos Estados Unidos (filho do Presidente) foi extremamente descortês com a China (com resposta vigorosa do embaixador da China) e o nosso Presidente tem se mostrado não muito amigo dos chineses. O que vocês esperam do Governo da China? Boa vontade?

  6. Bolsonaro, eu diferente de você, que sempre foi um parasita da política, sou um homem de negócios. Certa vez um importante fornecedor teve uma atitude como a sua. Um novo diretor querendo mostrar serviço, procurou endurecer a negociação em algo que que para mim era inegociável. Nas empresas, diversas são as ferramentas de gestão para analisar situações como essa. Uma delas é a Matriz Swot.

    1. Sempre busquei mitigar as ameaças, para que elas não atingissem uma fraqueza, potencializando algo que colocaria em risco a empresa. Você senta em cima da sua soja e outras Commodities, achando que a China não está trabalhando para buscar outras alternativas. Tal qual as vacinas, em que você achou que o tamanho do mercado do Brasil seria o suficiente para chover propostas, ignorando a lei de oferta e procura, fica esperto, o jogo é dinâmico. Enquanto fica parado, outros se movimentam.

    1. Luiz, saiu na rua gritando: Eu cancelei. Luiz pede para o Alexandre Garcia e o Olavo de Carvalho fazerem uma revista nos moldes da Crusoé, que eu serei um dos primeiros assinantes. Vou entrar na revista e acabar com todo mundo, já que são tão limitados intelectualmente. Aproveita que não vai ler a revista e estuda. Quem sabe tem um upgrade e volta aqui com melhores argumentos.

    2. Bye bye bozista. Por favor, cumpra a sua promessa. Esteja certo que ninguém sentirá a sua falta. Gente, menos um bozista. Viva!!

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO