Reprodução/TwitterBukele: redução na taxa de homicídios seria resultado de negociação com o crime organizado

Um ditador em construção

Proximidade com o crime organizado, ataques à imprensa e anulação das investigações sobre corrupção. Assim é o autoritarismo de Nayib Bukele em El Salvador. Eduardo Bolsonaro aprova
21.05.21

Desde o dia em que o publicitário Nayib Bukele assumiu a presidência de El Salvador, em 2019, jornais do país têm sido constantemente atacados pelo governo. Um dos mais afetados é o digital El Faro. Seus jornalistas são impedidos de participar das entrevistas coletivas oficiais e de falar com integrantes do governo. Funcionários federais chegaram a ser interrogados para saber se teriam algum vínculo com repórteres do jornal. O governo de Bukele direciona sua publicidade apenas para os órgãos chapa-branca, enquanto anunciantes privados desistem de estampar publicidade no El Faro, temendo represálias. Repórteres já viram agentes do governo monitorando suas casas e registrando em fotos e vídeos os seus movimentos. Suspeita-se que telefones da redação tenham sido grampeados.

Nas redes sociais, os jornalistas têm sido alvo dos seguidores do presidente. Foram insultados e ameaçados de morte. Também houve ameaças de incendiar a sede do jornal e de explodir um carro-bomba. Em vez de repudiar a violência, Bukele compartilha os insultos e tem publicado críticas ao que chama de “jornalistas incômodos” no Twitter. Para proteger a vida e a integridade de 34 funcionários do El Faro, a Comissão Interamericana de Direitos Humanos pediu ao estado de El Salvador a adoção de medidas cautelares. “Essa foi uma decisão útil que serviu para acionar o alerta. Mas, na prática, o governo continua sem garantir a nossa segurança”, diz o jornalista Sergio Arauz.

A raiva de Bukele se deve principalmente a uma reportagem que revelou um acerto entre membros do governo e criminosos do grupo conhecido como Mara Salvatrucha-13, ou simplesmente MS-13. Baseada em documentos de inteligência do próprio governo e nos registros de entrada e saída dos presídios onde ocorreram os encontros, a reportagem apontava para a existência de um acordo entre o governo e a facção. O acerto explicaria, por exemplo, a redução dos índices de criminalidade no país, uma dos principais pilares da propaganda de Bukele. Além de “acalmar” seus integrantes nas ruas, os bandidos também prometeram apoio eleitoral ao partido Novas Ideias, de Bukele. De sua parte, o governo se comprometeu a autorizar benefícios aos criminosos presos, como a autorização para a venda de frango, pizzas e doces dentro dos centros penitenciários.

US CustomsUS CustomsIntegrante da Mara Salvatrucha: grupo é identificado pelas tatuagens
Nascida entre comunidades de imigrantes salvadorenhos na Califórnia, nos anos 1980, a Mara Salvatrucha cresceu nas prisões americanas e hoje domina diversas áreas de El Salvador. Negociações com o governo do país centro-americano já aconteceram antes. Em 2012, houve tratativas com a gestão do esquerdista Mauricio Funes, da Frente Farabundo Martí de Libertação Nacional, a FMLN. Assim como ocorreu com Bukele, os bandidos se comprometeram a reduzir o número de homicídios e dar apoio eleitoral ao partido no poder.

Esses acordos reduzem os assassinatos temporariamente, mas fortalecem os criminosos e elevam a incidência de crimes como extorsão. “A questão do controle territorial por esses criminosos é um dos problemas mais antigos do país. A Procuradoria-Geral prometeu fazer uma investigação, mas não sabemos o que aconteceu”, diz Javier Castro de Leon, diretor da Fusades, uma organização civil da capital San Salvador.

A chance de qualquer investigação sobre algo que possa prejudicar o governo diminuiu bastante desde o início de maio. Após o partido de Bukele obter a maioria na Assembleia, os deputados destituíram o procurador-geral e cinco magistrados da Sala Constitucional da Corte Suprema. Do Brasil, o deputado federal Eduardo Bolsonaro, cujo pai com frequência lança ameaças ao Supremo Tribunal Federal, elogiou a medida autoritária. “O presidente Bukele tem maioria dos parlamentares em seu apoio. Agora, o Congresso destituiu todos os ministros da Suprema Corte por interferir no Executivo, tudo constitucional”, escreveu o filho de Jair Bolsonaro.

DivulgaçãoDivulgaçãoPeça de uma campanha do governo oficial celebra a redução dos homicídios
O controle que Bukele irá exercer na Procuradoria-Geral e na Corte Suprema do país impactará as investigações sobre corrupção, um dos males que Bukele prometeu combater em sua campanha. Aos eleitores, ele dizia que exigiria a devolução dos recursos públicos usurpados. Bukele ganhou aprovação popular muito em razão da rejeição dos salvadorenhos ao governo do esquerdista Mauricio Funes, que foi casado com uma brasileira, a militante do PT Vanda Pignato. Condenado por enriquecimento ilícito, Funes recebeu asilo político, em 2016, da Nicarágua comandada pelo ditador esquerdista Daniel Ortega. “Bukele se aproveitou da desilusão da população com o governo de Funes. Ele vendeu a ideia de que seria uma pessoa que combateria a corrupção, mas várias de suas ações têm ido na direção contrária”, afirma Eduardo Escobar, diretor da ONG local Ação Cidadã, que tem entre suas atribuições fiscalizar a política.

Lá, como cá, o presidente que chegou ao poder prometendo combater a corrupção tem atuado para blindar as suspeitas que envolvem o próprio governo e pessoas de seu entorno. Recentemente, o novo procurador-geral, Rodolfo Delgado, tem se movido para atrapalhar investigações sobre contratos irregulares da área de saúde. Ao mesmo tempo, o Congresso de El Salvador, dominado pelo partido de Bukele, promulgou um decreto que impede que funcionários do governo sejam investigados por corrupção em compras feitas durante a pandemia. Além de jogar no lixo as investigações passadas, os parlamentares deram um cheque em branco para o governo realizar novas compras irregulares, desprezando os controles usuais.

Bukele também tem escalado militares aposentados para alguns cargos. Entre os postos ocupados pelos fardados, está o de chefe da Polícia Nacional Civil, que pelo regulamento não poderia ser um militar. Militares têm sido convocados para fazer segurança pública e ajudar no controle da pandemia. O presidente conseguiu dominar totalmente as Forças Armadas. Em fevereiro do ano passado, ele entrou no Congresso acompanhado de soldados para tentar forçar os deputados a aprovar uma lei autorizando a compra de armas. Em resposta à acusação de que está construindo uma ditadura a partir de suas medidas destinadas a controlar todos os poderes, Bukele diz estar construindo uma “nova história”. É assim, sempre, que nascem os autocratas.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Uma boa matéria. Observo, porém, que p/ além das semelhanças com o Brasil bolsonarista existe tbm aquelas com o Lulapetismo. Mais perigosa, porque age nos bastidores e tem um discurso populista de esquerda (cultural + empatia solidária) comprada pela gde mídia - que por sua vez ignora investigar e denunciar o método utilizado por eles que é o de uma organização criminosa que se articula em meio a negócios com PCC, institutos de pesquisa e pessoas em cargos estratégicos dentro de instituições.

  2. Semanas atrás, li matéria na revista Oeste sobre este mesmo presidente e a visão passada lá é oposta à desta matéria aqui. Quem é o jornalista vesgo?

    1. Também sonho do Lulabosta, por ter o STF sob seu controle.

  3. THE BRAZIL TRASH- manchete: MOLUSCO, agora, se diz honesto. Nefelibatas sonham que SIM. Antenados sabem que NÃO. Siga no Twitter/Instagram.

  4. Eita imprensa marron. Quanto o larápio de nove dedos deu nosso dinheiro pra todas as ditaduras do mundo vocês se calaram. E agora se calam por conta de 8pilas!!!

    1. O principal eleitor de Lula, de modo indireto, será o acusado de genocida, ao desprezar a Ciência e abraçar o charlatanismo.

  5. Que bom que não estamos nos transformando em uma Venezuela, e sim numa El Salvador. Ou seja, no lixo do lado direito em vez do lixo do lado esquerdo. De todo modo, uma republiqueta de banana, cada vez mais longe dos melhores exemplos de civilização.

  6. Eu achei que finalmente tinham trocado a musica de uma nota só, e viria informação relevante... Mas não, apenas narrativas e o motivo ficou claro logo na terceira frase após o título. Jornalismo da Crusoé morreu e parece que não ressuscita mais.

    1. Querem saber o que é um "jornalismo de verdade"? Assinem e leiam a bloomberg...

    2. A tropa de choque do genocida, comandada pelo desequilibrado Carlos Bolsonaro, tem estado bem ativa atacando o Antagonista e a Crusoé. Sinal de que as verdades inconvenientes estão incomodando muito, é a hora em que o gabinete do ódio entra em ação. Aos fanáticos, uma má notícia: o Brasil não é El Salvador e apesar das recentes derrotas no combate à corrupção - alavancadas por Bolsonaro - não vamos retroceder a uma ditadura militar comandada pelo "democrata" psicopata. Jamais permitiremos.

    3. Quando a Crusoe fala acertadamente o gado acha que o jornalismo acabou. Terão vocês no final deste desgoverno a maior corrupção que já foi vista, ganhando do Lula ladrão. A vossa decepção será muito grande. Passar a boiada, o tratoraço e os milicianos.

  7. Caramba Duda, o cara é uma mistura do SANTO aqui de SP (que dizem ter feito “acordo” c/aquela facção conhecida) com o PRES TRAIDOR DA PÁTRIA que se elegeu prometendo combater a corrupção...os métodos dos 2 são idênticos hein Duda, quem copiou quem?Abs!

  8. Com tristeza, países que têm tido governos como os nossos, são inegavelmente repúbliquetas de bananas, onde as instituições democráticas, onde ao contrário do que dizem, estão muito longe de estarem funcionando, pelo menos bem e a favor da democracia e não de alguns privilegiados

  9. Estamos caminhando a passos largos para desfecho semelhante. A CPI precisa dar o seu melhor e pedir o afastamento do nosso futuro ditador, esse tal de Bolsonaro.

  10. Igual ao que está acontecendo aqui no Brasil sob Bolsonaro sua prole e os que ele coloca para ocupar altos postos do governo.Sinceramente, perdi qualquer esperança.

  11. os EXEMPLOS EXCECRÁVEIS que uma SOCIEDADE tão CORRUPTA é capaz de produzir! São DEGENERADOS MORAIS que IMPEDEM o BRASIL de AVANÇAR! Em 2022 SÉRGIO MORO “PRESIDENTE LAVA JATO PURO SANGUE!” Triunfaremos! Sir Claiton

  12. O caudilhismo latino-americano um dia fazia diferença e os outros paises se preocupavam quando um novo ditador assumia o poder. Hoje o mundo andou para a frente, olhos no oriente e a américa latina esta sendo deixada à sua sorte...Até a Africa hj é mais interessante.

    1. Até o genocida aqui ter os seus direitos violações. Entretanto, o Newton não tem que se preocupar, pois nem humano ele é!

  13. Nesta altura do campeonato, quem se dispõe a votar em Bolsonaro ou em Lula é vagabundo. Claro está que, mesmo os vagabundos, tem direito ao voto, e se for a escolha da maioria, que assumam. O Brasil precisa e merece (tenho duvidas) uma liderança com o mínimo de qualificação. O que, por óbvio, não se aplica ao ex-presidiário e ao projeto de ditador Bolsonaro. Que surja uma terceira via, PADD.

    1. Exitem opções: ALEXANDRE KALIL (Pref de Belo Horizonte), EDUARDO LEITE (Gov do Rio Gde do Sul). Ambos tem experiência. Aquela "estória" de voltar em "novidade" na política deu muito certo não, né ? Só o olhar o Estado do Rio.

  14. Bem semelhante ao Lula, Dirceu e comandita, moçada. " Nóis (PCC) tinha diálogo cabulo com o PT " " Suprema corte acovardada - Lula- " " Vamos tomar o poder, que é diferente de ganhar eleição - Dirceu - " " Se eu voltar, vai haver regulação dos meios de comunicação - Lula - " " Cadê as mulheres do grelo duro do nosso partido? - Lula -" " Deveria tirar todos os poderes do STF - Dirceu - " Pois é, Duda...

    1. Sim Lourival, a forma de tentar se perpetuar no poder é muito parecida com o Petismo e o Bolsonarismo.

    1. Destino, quem faz é o povo. Não queremos Bolsonaro, nem Lula. Votemos nesta direção.

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO