CrusoéMendonça em êxtase no palco-altar: "Se você está sendo perseguido porque você é justo, dê um glória a Deus"

O pastor sobe o monte

Sofrimento, superação e sectarismo: acompanhamos uma pregação de André Mendonça, o “terrivelmente evangélico” indicado por Jair Bolsonaro para o STF
24.09.21

O portão da igreja Comunidade das Nações, localizada a 10 quilômetros da Praça dos Três Poderes, estava abarrotado de fiéis na manhã de domingo, 19. Duas filas se formavam para aquele que seria o mais concorrido culto do dia. Após se submeterem a um termômetro para medir temperatura, ao entrar os fiéis se deparavam com um salão repleto de luzes coloridas e três telões gigantes que exibiam a imagem de um portentoso edifício. A foto era uma referência ao tema da principal pregação do dia, que viria a seguir, feita por um pastor ilustre. Passava pouco das 11 horas quando o bispo João Batista Carvalho, presidente da congregação, anunciou o convidado. Foi então que, carregando uma bíblia debaixo do braço esquerdo, subiu ao palco-altar André Mendonça, o ex-advogado-geral da União e ex-ministro da Justiça “terrivelmente evangélico” escolhido pelo presidente Jair Bolsonaro para ocupar uma cadeira no Supremo Tribunal Federal.

Pastor presbiteriano, Mendonça vive uma situação insólita. Nesta sexta-feira, 24, completam-se 71 dias desde que Bolsonaro enviou o nome dele ao Senado para ser sabatinado. Davi Alcolumbre, presidente da Comissão de Constituição e Justiça, reluta em marcar a audiência, porém – ele defende publicamente o nome do procurador-geral da República, Augusto Aras, para a vaga aberta no Supremo com a aposentadoria de Marco Aurélio Mello. Além de agir por interesse próprio, Alcolumbre vocaliza a insatisfação de outros senadores que também torcem o nariz para o escolhido de Bolsonaro. Hoje, diz o presidente da CCJ, Mendonça não teria votos suficientes para ser aprovado pelo plenário, o ato seguinte à sabatina na comissão. Seria algo sui generis. Desde que o STF foi criado, há 131 anos, apenas cinco indicados ao tribunal foram rejeitados pelo Senado, todos eles em 1894, no governo do marechal Floriano Peixoto, quando o Brasil vivia a transição da monarquia para o sistema republicano e o então presidente enfrentava uma oposição cruenta.

Premido pela ala evangélica, uma de suas principais bases de sustentação, Bolsonaro mantém a indicação mesmo diante dos sinais de resistência. Para não ficar mal com seus apoiadores, o presidente apelou pessoalmente a Alcolumbre para tentar tirar os obstáculos da frente, mas não teve sucesso. Nos bastidores, ele já admite um possível infortúnio. Por tudo isso, a pregação de André Mendonça na manhã de domingo foi, também, uma metáfora do momento que ele atravessa. Aos fiéis da Comunidade das Nações, ele discorreu sobre sofrimento, superação e dificuldades no trabalho. Também falou da “saga” que é progredir na vida e na carreira em um mundo repleto de “inimigos e tentações do diabo”. Os temas compõem a essência do Sermão da Montanha, uma conhecida pregação de Jesus Cristo com ensinamentos morais que orientam a vida em sociedade e cuja mensagem essencial – “Não sejam iguais a eles” – passa longe do establishment reinante em Brasília.

Depois de pedir que os presentes o acompanhassem, em suas próprias bíblias ou nas versões digitais do livro sagrado baixadas em seus smartphones, Mendonça partiu para um sermão sentimental, ilustrado por suas experiências pessoais. Explicou que a vida é feita de momentos difíceis, cheios de tentações extramundanas “que estão aí para serem superadas com fé em Deus”. “Cairá chuva, transbordarão rios, o vento dará com ímpeto contra sua vida. Talvez esse seja o momento que você esteja vivendo. Talvez essa palavra lhe prepare para momentos como esse”, disse. Apontando o dedo indicador para o alto, ele emendou: “Bem-aventurados os perseguidos por causa da justiça. Se você está sendo perseguido porque você é justo, dê um glória a Deus. É sinal que, dentro da perspectiva do reino de Deus, do mundo espiritual, você está chegando para ser diferente. Fazer diferença incomoda. Isso incomoda aquilo que não pertence ao grande Deus”.

No centro das atenções, o indicado de Bolsonaro para o Supremo desfilava familiaridade com a oratória e o physique du rôle de pastor. Gesticulava, fazia pausas longas entre uma fala e outra, circulava por todo o palco, de 30 metros quadrados. Diminuía ou acelerava o discurso ao sabor do entusiasmo dos fiéis. O tom de voz ia de um sussurro, quando queria imprimir ênfase a um trecho bíblico, a frases mais vibrantes e graves na hora de concluir um argumento. Era a senha para os aplausos, seguidos, em geral, de um coral eloquente de “amém”. Cada trecho da pregação obedecia a uma ordem bem definida de temas. Quando mudava de assunto, fazia sempre uma pergunta, que era imediatamente respondida por ele mesmo. “Quer uma vida plena? Se prepare, você vai disputar uma Olimpíada. Você não vai ficar no joguinho do bairro. Você não vai ficar disputando palavra cruzada, você vai estar disputando a Copa do Mundo”, bradou, exortando os fiéis a não se contentarem com a mediocridade e a se prepararem para desafios grandiosos. Era como se estivesse falando para si mesmo: “Vocês estão vendo que os obstáculos, os desafios, são grandes? Meus irmãos, os obstáculos e desafios na vida do crente foram feitos para serem superados. Não queira uma vida medíocre”.

Foi nesse momento que Mendonça apontou para a imagem reproduzida nos telões e aconselhou os “irmãos” a edificarem suas vidas como engenheiros edificam prédios seguros, sobre bases sólidas. A certa altura da pregação, de 43 minutos, ele passou a se referir a si mesmo em primeira pessoa. E se disse confiante, apesar das pedras no caminho. “As pessoas me perguntam, por exemplo: ‘Nos momentos difíceis, como é que você está?’. Estou em paz, continuo em paz. Porque Deus é poderoso.” Ovacionado, Mendonça explicou que não costuma fazer pedidos específicos a Deus e que deixa as bênçãos “a cargo do Todo-Poderoso”. “Eu me fio muito em Isaías, 55 (refere-se ao livro da Bíblia). Como eu sei que os pensamentos d’Ele são maiores que os meus, e os caminhos d’Ele são maiores do que os meus, se eu estivesse pedindo a Deus só o que eu queria, eu teria parado na minha aprovação lá na AGU em 98 e 99 (quando ingressou no órgão por concurso público). Mas falei: ‘Não, eu quero que o senhor me diga o que eu quero”. A pregação, enfim, era também sobre ambições.

Milton Ribeiro desejou sorte ao amigo em sua jornada: caminho para o STF está repleto de obstáculos
Mendonça disse que o Sermão da Montanha foi decisivo em alguns momentos de sua vida. E exemplificou: “Esse texto me falou muito ao coração na véspera da minha ida para a Espanha em 2012 (para fazer o doutorado em Salamanca). Eu era diretor de um departamento na AGU, tinha acabado de receber vários prêmios. E a decisão que eu tomei era ter um período de estudo, dar alguns passos atrás, e muita gente da minha família disse: ‘André não faça isso, você vai deixar seu cargo, vai deixar benefícios financeiros, materiais’. Era um passo que eu tive que dar pela fé”.

A maior parte dos fiéis era formada por jovens entre 20 e 30 anos. Para atrair esse público, a igreja se adaptou aos novos tempos. Para participar do culto, era preciso fazer uma inscrição por meio de um aplicativo. Após deixar alguns dados, cada fiel recebe um QR Code que precisa ser apresentado na entrada. Pouco antes de Mendonça começar a falar, um pastor lembrou os fiéis da necessidade de pagamento do dízimo, explicando que a contribuição seria “retribuída por Deus por meio de bênçãos e vitórias financeiras na vida de cada um”. Maquininhas de cartão de crédito circulavam entre os fiéis para coletar as doações.

Fundada em Brasília, há 17 anos, a Comunidade das Nações é uma igreja evangélica com cerca de 25 templos espalhados em nove estados. A congregação, que há tempos atrai políticos, ganhou mais projeção no atual governo pelo alinhamento com Jair Bolsonaro. Seu fundador, o bispo João Batista Carvalho, conhecido como JB Carvalho, costuma aparecer em eventos públicos ao lado do presidente. Em julho deste ano, ele esteve com Bolsonaro em Ponta Porã, na fronteira com o Paraguai, para a inauguração de uma obra. Natural de Teresina, o bispo se apresenta como teólogo, conferencista, professor universitário, compositor, jornalista e escritor. Ele também é amigo do pastor e deputado Marco Feliciano e de vários outros parlamentares. Entre os políticos que frequentam a igreja, estão a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, e a deputada federal Celina Leão, que emprega Ana Cristina Valle, ex-mulher de Jair Bolsonaro e mãe do filho 04 do presidente.

Assim que concluiu sua pregação, André Mendonça acomodou-se na primeira fileira de assentos. Ele ainda permaneceria no local por mais 30 minutos. Na ida à igreja, ele foi escoltado pelo ministro da Educação, Milton Ribeiro, que também é pastor evangélico e chegou a usar o microfone para desejar “sorte” ao amigo “em sua jornada”. Se o ministro estava se referindo à aprovação de Mendonça para o STF, o desejo não basta. O amigo vai precisar bem mais do que sorte. Como no Sermão da Montanha, o caminho para Mendonça está cada vez mais estreito e apertado.

O CENÁRIO NO MOMENTO – Nesta quinta-feira, 23, Davi Alcolumbre já admitia agendar a sabatina de André Mendonça até a segunda quinzena de outubro. Na semana passada, a previsão era de que a sessão só seria marcada para depois de novembro. O presidente da CCJ resolveu se mexer depois que o ministro do STF Ricardo Lewandowski lhe enviou um ofício questionando as razões para a demora em destravar a questão. Como não tem como explicar os reais motivos para postergar a sabatina, Alcolumbre ficou emparedado. Mendonça ainda terá algum tempo para reduzir a má vontade em relação ao seu nome e cabalar os apoios que faltam para a aprovação de seu nome em plenário. Nos cálculos dos governistas, hoje ele contaria com algo em torno de 39 votos – são necessários 41. No STF, ministros não acreditam que o nome de Mendonça será rejeitado pelo Senado.
Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Há uma confusão proposital aqui. Ele não disse nada antibíblico. Tem demonstrado ser um lambe botas de Bolsonaro, mas não parece ter cometido erros na sua exposição bíblica. É preciso ter cuidado para não jogar uma denominação das mais sérias como a Presbiteriana, no mesmo lamaçal que outras.

  2. Malditos pregadores de mentiras. O que querem esses espertalhões e arrecadar dinheiro dos trouxas para alimentar suas ganâncias. Vão para o inferno evangélicos de merda!

  3. Um sujeito desse naipe não está à altura da mais alta Corte do país. Não apenas pelo discursinho de charlatão, enganador e que transborda arrogância, mas pela completa absoluta noção do conceito de liberdade de expressão. Alçar ao posto de ministro do STF um AGU que PERSEGUE INDIVÍDUOS que exerceram o direito de se manifestar contra o governo, fazendo uso da LEI DE SEGURANÇA NACIONAL para tal mister, representa a falência da República.

  4. Na verdade há por esses ares evangélicos ondas de mediocridade. Trazer Deus ao plano financeiro e material é obra bem conhecida neste século. Matéria por matéria, não vejo notório saber jurídico no Senhor Mendonça, pois para tal precisaria ele ser um renomado Professor de Direito com obras publicadas numa disciplina jurídica em áreas fundamentais do Direito, como o Direito Constitucional, o Civil, o Penal ou no Tributário. Demais, ele foi ideólogo no Ministério da Justiça.

  5. Dessa vez tendo a concordar com o presidente maluco. Se a maioria dos senadores corruptos não aprovariam o nome do André Mendonça, tenho que admitir que ele deve ser melhor do que esse Aras. Deus nos livre!

  6. O Genocida Sociopata FAMILICIA conseguiu compor seu Desgoverno como nunca dantes conseguido; tem ministro que faz questão fazer gesto obsceno para manifestantes , outra diz que subiu na goiabeira e falou com Deus, outro manda abrir a porteira para passar madeiras ilegais para contrabandeaR, sem falar da prole especialista em logística de RACHADINHAS e o conluio com experiências do Mengele Tupiniquim com Kit COVID.

  7. Gostando ou não dá indicação de Mendonça para o STF, Alcolumbre tem que ter um bom motivo para não ser acusado de crime de prevaricação caso mantenha essa postura ridícula de não cumprir com o dever institucional de pautar a sabatina de Mendonça. Se Mendonça merece ou não ter a sua indicação aprovada pelo Senado, isso é prerrogativa do plenário do Senado. Alcolumbre não está acima de seus pares e tampouco das normas constitucionais que regem o preenchimento das vagas do STF.

  8. Estamos indo de mal a pior. Só Deus para ter misericórdia do Brasil. Cada um querendo a sardinha na sua brasa. Sobre o avanço da China no país, será que ninguém percebeu ¿ procuradores, ministérios, etc É MUITO JABÁ em jogo. Ninguém se importa com a soberania nacional

  9. Relendo a matéria duas coisas que não entendo : 1- porque a matéria omite que Malafaia é o principal cabo eleitoral do presbítero ao STF . 2- Porque a revista nunca mais tocou no assunto da empresa familiar dos Mendonças , na exploração mineral com licença conseguida no início deste desgoverno cf matéria publicada em junho deste ano aqui nesta revista e na O Antagonista

  10. A matéria deveria ser o MONTE DE B()STA. Lewan, o ministro que não conhece a CF; Alcolumbre, o decepcionante; André, o terrivelmente evangélico que escreveu um livro em homenagem aos 10 anos de Tófoli (que bombou 3 x em concurso p juiz!) no STF; e finalmente JMB, aquele traiu pelo menos 45 milhões de eleitores que acreditaram nele e que não eram gado.

  11. Um presidente ruim escolhido, além de não prestar bom serviço à população, deixa sua marca para ser “engolida” no decorrer do tempo! De forma análoga faz o cão demarcando território ao mijar em postes. Isso após defecar... Escolher seus candidatos, em todos os níveis, é uma missão árdua e requer acurácia dos eleitores, para não desembocar nessas porcarias que atualmente assistimos!

    1. saudades do ladraum que cagava fio?

    1. o notório saber do STF hoje é discutível .. no mínimo.

  12. O BRASIL NÃO TEM SOLUÇÃO! Desanima, deprime, revolta, envergonha, irrita , desampara , enerva , entristece, corrompe, rouba, mente , manipula, desorganiza, articula, menospreza, infringe, decepciona, segrega, desrespeita, ofende, regride, trafica, assalta, mata, empobrece, separa, transgride, tudo em nome de um único objetivo , o verdadeiro objetivo dessa classe política : PODER !

    1. Como pioramos nesse desgoverno,😭as pessoas não percebem que são usadas como massa de manobra, é estarrecedor.

    2. Verdade … Cada dia , vemos - a luz no fundo do túnel 😒

  13. Este STF que está aí vai se tornar ainda mais medíocre com a aquisição de um pastor evangélico! Com que arcabouço intelectual e técnico este senhor julgará as grandes questões da sociedade brasileira do século atual?? O aborto, a maioridade, a eutanásia, os crimes cibernéticos, a liberdade de escolha do gênero, a pedofilia, o feminicídio e tantos outros temas de extrema gravidade que nos assombram dia-a-dia? A sociedade precisa e exige homens probos, éticos, sábios, de conduta ilibada!

  14. Quanta mediocridade!Andre Mendonça nao, nem Himbeto Martins, nem Aras… ! Esta mais gordinho o Andresinho terrivelmente evangelico,nao?

  15. Ridículo, simples assim. Aliás, eu ganharia o ano (apesar de muito difícil) se seu nome fosse rejeitado, isso pelo atraso de visão de mundo que representa para o país .

  16. O pastor dizimista quer muito essa boquinha, e tem muitos outros amigos interessados, já pensou? Ter livre acesso ao STF, o quanto vale? pergunta aos outros membros, vejam que eles já ajudaram. E uma enorme famiglia, tem os consiglieri, os capos, os soldados e etc. Uma organização centenária muito conhecida e retratada em vários filmes e séries

  17. Presbítero com inclinação constrita , perfil de bajulador confesso, Bíblia embaixo do braço , escarnecedor do Divino , com Silas Malafaia abrindo alas à sua frente , opaco e desconhecido advogado de carreira da AGU antes de Bolsonaro , tinha mesmo que fazer parte deste desgoverno perdido . Imagina isto aí sendo ministro na mais alta corte por décadas .

  18. 1- Quero ver a qual artimanha mental os evangélicos cretinos vão recorrer, p/ equacionar nas suas mentes doentias, q o Flávio Bolsonaro, juntamente com um lobista da Precisa, foi para Las Vegas obter know-how p/ implantar o jogo de azar no Brasil, obviamente com a benção do Bolsonaro. Jogo, analisando às forças de Porter, é substituto p/ igreja. Bolsonaro vai mexer no bolso dos pastores. A ñ ser q coloque máquinas caça níquel na entrada das igrejas. Sugestão de nome para elas: BOLSOFAIA INC.

    1. 2- BOLSOFAIA, oportunamente, é uma corruptela de Bolsonaro e Malafaia. O 1° é um presidente, cujo governo é ávido por negociatas. O 2° é mais homem de negócios do que pastor. É...acho que BOLSOFAIA é um bom nome. Moro 🇧🇷

  19. André Mendonça já prepara o seu discurso, p/ um eventual vexame, q será o seu não ingresso no STF. Pastor, vc ñ fez a diferença. Vc desceu até o esgoto, para conseguir algo pautado num desejo pessoal. AGORA DISPUTA COM O ARAS, QUEM É O MAIS CRETINO PARA O BRASIL. O maior cretino dos dois, ficará com a vaga. Moro 🇧🇷

  20. Se o motivo de ele ter sido indicado é esse, me pergunto como ele vai se portar no STF. Estranho é que ele tem até torcida por lá.

  21. Só faria uma simples pergunta: A vida de Jesus, um homem simples era uma vida medíocre? Um homem que não tinha onde reclinar a cabeça era uma vida medíocre? Esse homem deve ter não entendido que não oque se tem mas sim oque você é!!!

  22. Que o pastor André Mendonça continue pregando para seus fiéis seguidores; e que o Senado rejeite seu nome para o STF. São os meus sinceros votos!

  23. Quanta baboseira e a máquininha de cartão atuando em todos os cantos para cobrar os fiéis da seita. Exploradores da carência da população que ludibriam a boa fé do povo brasileiro. Os fiéis contribuem e os pastores aproveitam para surfar na onda bolsonarista, que visa somente o bem comum deles próprios.

  24. BOLSONARO: os EXEMPLOS EXECRÁVEIS que uma SOCIEDADE tão CORRUPTA é capaz de produzir! São DEGENERADOS MORAIS que IMPEDEM o BRASIL de AVANÇAR! Em 2022 SÉRGIO MORO “PRESIDENTE LAVA JATO PURO SANGUE!” Triunfaremos! Sir Claiton

    1. SERGIO FERNANDO MORO PRESIDENTE SERGIO FERNANDO MORO PRESIDENTE SERGIO FERNANDO MORO PRESIDENTE SERGIO FERNANDO MORO PRESIDENTE SERGIO FERNANDO MORO PRESIDENTE SERGIO FERNANDO MORO PRESIDENTE SERGIO FERNANDO MORO PRESIDENTE SERGIO FERNANDO MORO PRESIDENTE SERGIO FERNANDO MORO PRESIDENTE

  25. André Mendonça me lembra o personagem Uriah Heep, o vilão bajulador, hipócrita e falsamente humilde do romance David Copperfield, de Charles Dickens.

    1. ou quem sabe o Carlos Lupi aquele ridículo sinistro que beijou a não da Anta de joelhos .. ridículos são os outros?

    1. Idem!!!! Estes dois foram grandes e trabalharam muito para que nós, brasileiros, conhecêssemos a nata dos ladrões do colarinho branco. Quando Moro se deparou com um homem que mentiu para ser presidente, saiu do governo porque não nunca se vendeu.

    1. Concordo plenamente. O Templo de Salomão em SP foi erguido com o trabalho dos miseráveis

  26. Ah esses pastores diabolicamente evangélicos e suas maquininhas de fazer dinheiro !!! Estão mais para vendilhões do Templo do que para servos do Senhor !!! Chicote neles, Jesus !!!

  27. Sásinhora...... as nossas instituições transformaram-se mesmo em um prosaico e ridículo circo, isso pra não dizer um "terrivelmente" TRÁGICO CIRCO, realidade medíocre e dolorosa por demais pra gente conseguir metabolizar!!!!! Sásinhora... coisa hoooooorroroooosa!!!!....

Mais notícias
Assine 50% off
TOPO