RuyGoiaba

Legalizem a rinha de políticos

06.12.19

Esta quarta-feira (4) foi um dia glorioso para o chamado debate político no Bananão. Na Assembleia Legislativa de São Paulo, o deputado youtuber Mamãe Falei escapou por muito pouco de virar Mamãe Apanhei na tribuna. Outro deputado estadual, Heni Ozi Cukier, que tentou apartar a briga, contou ter sido mordido por um colega petista (torço para que Cukier esteja em dia com a vacina antirrábica — temo que ele corra sério risco de começar a gritar FOI GOLPE e LULA LIVRE, do nada, no meio do plenário da Alesp).

Enquanto isso, na CPI das Fake News na Câmara, Margaret Thatcher e Angela Merkel — digo, Carla Zambelli e Joice Hasselmann — se engajavam em uma estimulante discussão intelectual, digna da Casa presidida por Winston Churchill (Rodrigo Maia): Carla perguntava no WhatsApp se chamar Joice de Peppa Pig seria considerado quebra de decoro, Joice chamava Carla de burra e Carla chamava Joice de louca. Ainda houve tempo, na mesma sessão, para Carlos Jordy (dur, dur d’être bébé) afirmar que Alexandre Frota tem uma prótese peniana e Nereu Crispim acusar Bia Kicis de difamá-lo (“minha esposa é chamada de prostituta, eu sou chamado de corno todos os dias”).

Eu me senti um pouco como quem assiste àquele jogo de futebol chatíssimo cujo melhor momento é a pancadaria entre jogadores no final — as famosas “cenas lamentáveis”. E não é só no Legislativo que isso acontece. Embora o Judiciário não tenha (ainda) chegado ao nível Gigantes do Ringue da Alesp, todo mundo sabe que a audiência da TV Justiça bombou no dia em que Luís Roberto Barroso mandou aquele “me deixe de fora desse seu mau sentimento” para Gilmar Mendes. Claro: até transmissão ao vivo de tratamento de canal é mais divertida que o decano Celso de Mello fundamentando seu voto por cinco horas.

Vamos ser francos? Chega dessa afetação de “debate de ideias”. Ninguém quer saber de ideias no Brasil, até porque os políticos brasileiros em geral não as têm: é uma gente burra e jeca, eleita por uma legião de jecas e burros (eu, você, a torcida do Flamengo e a dos secadores do Flamengo). A gente quer é acreditar em boatos de WhatsApp (mas só aqueles que corroborem o que já pensamos) e se dar bem na vida — passando rasteira em aleijado, se preciso. E, sinceramente, para que se dar ao trabalho de debater quando é mais divertido bater?

A solução óbvia é legalizar a rinha de políticos: vamos parar de fingir que somos civilizados e adotar logo o modelo “Parlamento ucraniano”. Quero assistir a luta no gel, puxão de cabelo, unhada, mordida, mata-leão, dedo no olho e joelhada no saco. Quero poder apostar dinheiro no meu lutador favorito, ajudando a movimentar a economia do país; se organizar direitinho, dá até para fazer Olimpíada e Paraolimpíada da porradaria política — coisa bacana, inclusiva. E quero ver um magistrado gritando para outro “Vossa Excelência sente na minha benga e rode!” — sempre respeitando a liturgia, como pede Marco Aurélio Mello.

MMA legislativo e Supremo Tribunal da Farofa são tudo o que eu quero para o Brasil. Se não tem pão — e a carne está cara –, é favor caprichar no circo.

***

A GOIABICE DA SEMANA

Não aguento mais escrever por aqui que, no Brasil, todo dia os humoristas enfrentam a concorrência desleal, predatória mesmo, de políticos e celebridades. Mas eis que, na semana que passou, me deparei com essa mistura de Pelé com Jimi Hendrix do humor involuntário que é o novo presidente da Funarte. No pensamento vivo de Dante Mantovani, o rock ativa a droga, que ativa o sexo, que ativa a indústria do aborto, que ativa o satanismo; Elvis Presley é fruto de um experimento de engenharia social dos soviéticos, que também se infiltraram na CIA para distribuir LSD em Woodstock; e a Terra, que surpresa!, é plana.

Não há a MENOR condição de competir com isso. Deve ser o que Roberto Alvim, novo secretário de Cultura e responsável pela escolha de Mantovani, chamou em um discurso de “nova atmosfera” para os “valores ancestrais de elegância, beleza, transcendência e complexidade” — tudo isso consubstanciado em Jair Bolsonaro de camisa falsa do Palmeiras, calça de abrigo e chinela Rider.

ReproduçãoReproduçãoMantovani, que vai presidir a Funarte em vez de usar uma camisa de força

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. O certo seria lamentarmos o seu texto, mas vamos esquecer que estamos bancando esse conjunto, que lhe deu munição para nos proporcionar essa conscienciosa mas divertida leitura. Parabéns pela inspiração, apesar dos fatos.

  2. Já berço parece que falta no Congresso,deveriam proibir baixarias...não estão lá para isso,AO TRABALHO, por favor, não são pagos para brincadeira.

  3. Adorei a parte do debater idéias. Quem quer saber disso aqui? Talvez só o Celso de Mello. Como ninguém presta atenção no que ele diz, ninguém sabe se ele expõe idéias ou se fala só besteiras..

  4. Rui, não seja injusto e azedo. O Mantovani (internet, sobrenome ítalo....) tem lá suas razões e ninguém falou disso antes por completa falta de coragem.. O cara é contra cotas raciais!! Ponto pra ele... O cara falou que a escravidão foi boa para os descendentes que nasceram no Brasil... Novamente ponto pra ele...queria ver esse povo atravessar o Mediterrâneo em bote, com capacidade excedida em 300% ao invés de estar na praia ensaiando samba enredo, com bolsa família e tudo o mais ..

  5. O que mais me diverte é o ódio dos tarad0s bozotralhas revoltados com qq coisa que descreva corretamente o palhaço Bozo e seus asseclas. Estes caras do Min da Cultura e FUNARTE são o retrato fiel destes maluc0s.

    1. Petista recalcado e frustrado ...Proponha a Dilma para 2022, otário!!!

  6. Vc deveria ter falado sobre os reais motivos que levaram a confusão na assembleia de São Paulo. Pensei que vc não fosse jornalista tupiniquim retrógrado.

  7. Goiaba,estou achando que você está bichando,no bom sentido,sabe aquela comida estragada que só faz mal e intoxica? Pois és o protótipo dela,deixe a indumentária do PRESIDENTE,ainda bem que não é fissurado em Grifes),outrossim,todos os "loucos" nomeados estão dando certo,com raríssima excessão,afinal quem não errou ou errará um dia?

    1. Vc é a prova disso, já que errou feio escrevendo exceção com ss. Excelente artigo Goiaba!

  8. E de dar nojo e envergonhar qualquer pessoa de bem. Mas é o nível cultural do nosso eleitor. Mas o que fazer? enquanto não tivermos candidatura avulsa, e a queda do tal coeficiente eleitoral não teremos melhores oportunidades de escolha, e o esculacho vai continuar. Já que a nossa democracia começa sem dar oportunidade de escolha. Votamos em quem os partidos determinam e nem assim sabemos pra quem o vota vai... e chamam isso de DEMOCRACIA.

  9. É interessante que o presidente da Funarte cause mais indignação nos professores e jornalistas do que o resultado do Pisa. Bananão tem valores e princípios nobres. Por isso, com tranquilidade, pessoas como Lula, Dilma e Bolsonaro se tornem líderes escolhidos pelo povo. Há muitos outros boçais por vir...

  10. A Alesp tá bem mais animada agora. Chega daquele marasmo! Bom mesmo é ver o pau quebrando. Também adoro quando sai aquelas brigas no final do jogo. Ah..Rui, você é dos meus!

  11. Políticos brasileiros são gente burra e jeca, eleita por gente burra e jeca. As gentes que definem as eleições não vão mudar, por consequência os políticos não vão mudar e, portanto, o Brasil, SMJ, não tem chance

  12. Saudade do tempo em que nosso parlamento contava com colendas figuras tais como Mão Santa, Papaleo Paes, Heráclito Fortes. Vou escrever uma versão atualizada do "Figuras do Senado Antigo", de Machado de Assis.

  13. Rui, hj voce foi perfeito!! Estou rindo até agora da nossa desgraça como povo. Já que não dá pra chorar e lutar o tempo todo, pelo menos o circo! Só senti falta do bronzeamento do períneo.

  14. Sr. Goiaba, não sou jeca nem burro, muito menos penso em dar rasteira em aleijados para me dar bem na vida. Se é o seu caso, fico dececionado e se for brincadeira, não acho engraçado.

    1. Deixa de ser besta, rapaz! Vc não é melhor que ninguém não! É jeca e burro, como toda a torcida do Flamengo - e dos secadores do Flamengo.

  15. SOCORRO! Mas você não incluiu a nova moda: bronzeamento do períneo. O sol não merece isso. E realmente, não tem como superar esta concorrência. Sorry.

  16. Com a subida de Bolsonaro ao poder, a Jequice se instalou no país. Vejam a quantidade de ministros, secretários e assessores de baixo nível cultural e intelectual falando besteiras país a fora. Viramos uma Zâmbia, com o poder da Zâmbia.

    1. Certamente os ministros dos governos anteriores eram muito elegantes, cultos, eficientes e honestos... Com toda a sua elegância, deixaram nos um país primoroso, nos trinques.

    1. 👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻

  17. Circo de horrores! O que pensaria D.Pedro II cuja elegância permaneceu até o fim , num 5 de dezembro em Paris, não porque era elegante morrer em Paris, mas porque assim o quiseram os deselegantes que o exilaram!

  18. pensei que só eu dormia quando Celso de Melo começa a falar e não tem fim......bora para o ringue, eba vamos ter luta livre, quem será o Ted Boy Marino da época?

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO