ReproduçãoMaduro fora do bunker, em visita a trabalhadores do setor elétrico

O tempo a favor de Maduro

As chances de um golpe ou de uma intervenção estrangeira diminuíram e espalharam o desânimo entre os venezuelanos. Agora, o ditador, que despacha de um bunker, ensaia a prisão do líder da oposição
05.04.19

Já se passaram dois meses desde que o deputado Juan Guaidó se proclamou presidente interino da Venezuela, sendo reconhecido quase que imediatamente pelos Estados Unidos, pelo Brasil e por outros países. De início, a vibração das ruas, em sintonia com Guaidó, levou a especulações sobre generais depondo o ditador e sobre a possibilidade de uma intervenção estrangeira. O tempo passou e nenhuma dessas apostas concretizou-se. Desde março, o país passou a conviver com apagões de energia quase diários, que deixam a população não apenas sem luz como também sem água. Os pequenos protestos nos bairros perderam força com a repressão a tiros e as grandes passeatas opositoras ficaram mais raras. Receoso de que algo lhe acontecesse, e aconselhado por agentes de inteligência cubanos, o ditador agora despacha de um bunker, em endereço desconhecido. Com a autoridade que ainda lhe resta e o consentimento dos militares, Maduro parece estar preparando a prisão de Guaidó. Em tempo muito curto, a inversão das expectativas foi quase total.

As investidas oficiais contra Guaidó começaram logo que ele se anunciou como presidente interino, no dia 23 de janeiro. Ainda naquele mês, o procurador-geral da Venezuela pediu o congelamento dos bens do deputado e logo foi atendido. O Supremo Tribunal de Justiça, chavista, também proibiu o opositor de deixar o país. No final de fevereiro, após uma campanha internacional para que os militares permitissem a entrada de ajuda humanitária, Guaidó saiu clandestinamente pela fronteira e viajou por vários países da América Latina, inclusive o Brasil. No final de março, seu chefe de gabinete, Roberto Marrero, teve a casa invadida sem ordem judicial e foi preso. Neste momento, está sendo acusado de liderar uma célula terrorista. Na quinta-feira, 28 de março, a Controladoria-Geral proibiu Guaidó de exercer cargos públicos por quinze anos. Na terça-feira, 2 de abril, a Assembleia Constituinte, criada por Maduro, decidiu retirar a imunidade parlamentar do presidente interino por supostamente planejar um atentado contra o ditador e ter deixado o país ilegalmente. “A cada nova atitude, o governo calibra a reação da oposição, da população e de outros países, para saber até onde é capaz de ir”, diz o economista e especialista em relações internacionais Raul Gallegos, da consultoria Control Risks, em Bogotá. “Não acharia estranho se, em breve, eles prendessem Guaidó”.

Reprodução / redes sociaisReprodução / redes sociaisJuan Guaidó com o chefe de gabinete Roberto Marrero, que foi preso e acusado de terrorismo
Apesar de toda a penúria provocada pela ditadura, nada até agora foi capaz de balançar o poder de Maduro. O presidente Donald Trump segue dizendo que todas as opções estão sobre a mesa. No final de março, Trump recebeu, na Casa Branca, Fabiana Rosales, mulher do presidente Juan Guaidó. Fabiana também fez selfies com Melania Trump na residência do casal presidencial na Flórida. Mas não existe nada que indique a disposição americana de realmente intervir na Venezuela. Dentro do país, grupos de oposição têm defendido que a Assembleia Nacional, eleita em 2015 e de maioria opositora, aprove um artigo da Constituição que autoriza intervenções estrangeiras. A iniciativa não tem prosperado. “Esse tipo de coisa só pode ser feito depois de se combinar com outro país. Sem isso, corre-se o risco de a oposição perder a credibilidade”, diz o cientista político venezuelano José Vicente Carrasquero.

ReproduçãoReproduçãoA mulher de Guaidó, Fabiana Rosales, com Melania Trump, na mansão de Donald Trump na Flórida
A única ação prática que teve efeitos foi a decisão dos Estados Unidos de parar de comprar petróleo da Venezuela. Apesar de a data limite ser 28 de abril, há três semanas os americanos já não importam um único barril da Venezuela. Ainda que a estatal petroleira, a PDVSA, possa vender a produção para outros compradores, o dinheiro não será o mesmo de quando se vende para um cliente como os Estados Unidos.

Maduro também conseguiu manter o apoio da China e da Rússia. Desde o fim de março, foram anunciados uma base de treinamento de pilotos de helicóptero e um centro de manutenção. Trata-se de uma promessa antiga da Rússia, já que  a Venezuela conta com cinquenta helicópteros de combate russos. O que mais preocupa é a chegada de 99 militares da Rússia, em dois aviões que pousaram em Caracas vindos da Síria. Uma aeronave saiu da base militar de Latakia e outra de Damasco. Seus passageiros, ao que tudo indica, operavam sistemas de mísseis antiaéreos S-300 na Síria e deverão fazer o mesmo trabalho na Venezuela. O sistema, comprado em 2009, foi instalado perto de Caracas e pode proteger a capital e três bases próximas de ataques aéreos. “Maduro está ficando mais cruento porque não lhe restam muitas opções. Além disso, a ativação desse sistema de defesa aérea pode lhe dar uma sensação de invulnerabilidade, aumentando sua autoconfiança”, diz o analista venezuelano Andrei Serbin Pont, diretor da Coordenadoria Regional de Investigações Econômicas e Sociais (Cries), em Buenos Aires.

ReproduçãoReproduçãoProtesto contra a falta de luz e de água na Venezuela: 47 presos em quatro dias
Entre a população, o apoio a Maduro não passa de 10%. Os apagões desde o início de março pioraram ainda mais a realidade do povo. “No primeiro blecaute, ficamos 100 horas sem luz. No segundo, três dias. No terceiro, foram doze horas. O quarto e o quinto duraram nove horas cada”, diz Fabiola Solis Caballero, de 53 anos, que vive em Santa Paula, um bairro de classe média em Caracas. Sem eletricidade, as prefeituras e os prédios não conseguem bombear água para os quarteirões e andares mais altos. Cozinhar ou tomar banho ficou quase impraticável. Em diversos bairros do país, incluindo os mais chavistas, pessoas saíram com baldes de plástico às ruas, para protestar contra a falta de água e de luz. A maioria das manifestações foi reprimida a bala por paramilitares armados, os colectivos. Em quatro dias, 47 pessoas foram presas. Segundo a consultoria Meganálisis, cerca de 73% dos venezuelanos acham que participar de protestos agora é perda de tempo. Sem nada que confronte seu poder, Maduro continuará dando as cartas a partir de seu bunker.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

Edição nova toda Sexta-Feira. Leia com Exclusividade!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

Deixar para mais tarde

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Infelizmente lidamos com um psicopata. O desejo é que o povo continue com força sabe-se Deus, para manter o protesto contra essa situação.

  2. A Crusoé é ingênua ao acreditar que seria fácil remover Maduro do poder tendo em seu entorno cerca de 2.000 generais, criados para este propósito, além de mais de 60.000 agentes cubanos altamente treinados dando suporte e contra inteligência. Tentem vocês, infiltrar um repórter investigativo em Caracas, antes de criticar Trump e sua estratégia.

  3. O Embaixador RICÚPERO declarou à imprensa que a Venezuela já é uma nova CUBA. Assim como FIDEL, MADURO viverá eternamente. A intervenção militar dos EUA seria muito pior do que o VIETNAM.... REST IN PEACE.........

  4. Os venezuelanos colocaram essa desgraça no poder através de Chaves. Agora aguenta e se vira porque sabemos que tds as vezes q se implantou um governo comunista, demorou muito pra tirar e qdo saiu, teve q recolher os cacos do q sobrou. Eles agem como querem, matam, mentem, trapaceiam e quem combate, tem que agir dentro da lei

    1. Permissão: 01 bilhão e 400 milhões na China. E professa um comunismo de Estado (ditadura, para poder controlar essa chinesada toda) e um capitalismo de mercado, para atuar num mundo monetarista, afinal. Esse o principal segredo do avanço do dragão.

    2. Verdade. A leitura do PERESTROIKA e GLASNOST do Gorbachev mostra que uma economia SEM PREÇO não tem mercados, e portanto é impossível o equilíbrio OFERTA X DEMANDA. China e Rússia até se sustentaram por décadas, mas hoje são DITADURAS militares com regime capitalista, tecnologia, competitividade mundial. Resta saber como está a distribuição de renda na China: 1 bilhão de pessoas.

  5. 🇧🇷 Grande oportunidade para se fazer uma colisão Brasil, Colômbia e USA bolsonaro declacra estado de guerra, governa sem as amarras do congresso e do STF, o Brasil ganha prestígio com USA, o exército reequipado com armas modernas e bolsonaro consegue sua reeleição, os liberais mais trinta anos de governo.

  6. Em tempo: se Trump quer mesmo desbancar Maduro e sua quadrilha, tinha de estar falando grosso, há muito tempo, com os comunistas russos e chineses. E não é o que vimos e vemos: só aparecem dando uns miadinhos, reclamando com o Putin disso e daquilo - e com os chineses, nada - e a Rússia cada vez mais se estabelecendo na Venezuela. Os EUA estão esperando um gato trouxa para tirar as castanhas da brasa?

  7. Bem que o Bolsonaro podia pegar esses poços de petróleo para a gente!! 50/50 com o Trump, mas é nisso que a China e Rússia estão de olho, tá cheio de ditadura feia pela África e ninguém se importa

  8. A única opção possível é a identificação do bunker do Maduro e o ataque com a bomba das bombas, a famosa arrasa quarteirão.

  9. Tanto a China quanto a Rússia estão protegendo a sua parte do petróleo Venezuelano que êles já pagaram antecipadamente - dívida venezuela-!!!

  10. Celso.Abaixo vc opinou que os EUA, Colômbia e Brasil devem resolver o problema da Venezuela.Concordo.Mas isto deveria ser feito depois da OEA tomar atitudes mais drásticas e, principalmente, a ONU. Esta deu um miadinho pela boca da bolivariana Bachelet. O Brasil entrar numa aventura incentivado pelos gritos histéricos e destrambelhados do Trump, é arrumar prá cabeça.E para colocar quem no poder? O Guaidó? Membro da Internacional Socialista e do Foro de S. Paulo,amigo do FHC? É fazer papel de...

  11. Então, olha só o que o filho do PT está fazendo. Cria do Lula e da Dilma. Povo morrendo de fome e de doenças. Catástrofe mundial e ninguém toma atitude. A Rússia aproveitando para se apoderar de mais um país.

  12. Se os EUA + COLÔMBIA + BRASIL não se mexerem o ditador não cairá, como não caiu Fidel Castro!! Em breve teremos uma base Russa na América do Sul: o que será péssimo para o equilíbrio de forças na região!

  13. Não quero acreditar q um governo tinarico e opressor oprimida uma Nação levando todos ao sofrimento! Avante Povo Venezuelano! A Guerra não terminou!

  14. 3. continua.. mas principalmente os católicos, não merecem a atenção do papa Bergólio? Porque a Venezuela fica na América Latina? Mas o atual bispo de Roma, Dom Bergólio, é da América Latina! É argentino! Esteve na fronteira dos EUA, quando visitou o México, para protestar contra a construção do muro, e não protesta quando milhares de venezuelanos são massacrados diariamente pelos "colectivos"? Quando o governo de Maduro não lhes dá água nem comida? Isto, sim, causa espanto!

  15. 2. continuação... Mas fico pasmo mesmo é com os protestos, fraquinhos e tardios, da hierarquia católica e do próprio Vaticano. Aliás, o Vaticano abandonou a Venezuela, um pais de maioria católica, à sua própria sorte, e da mais desconcertante: o Papa Francisco enviou uma carta-resposta ao "sr. Maduro" (não o tratando como presidente),recusando a condição de mediador. Como?Ele que tanto esforços faz para países europeus receberem imigrantes clandestinos mulçumanos? E os católicos e não-católicos

  16. AVELAR. Você externou abaixo seu espanto por Rússia e China apoiarem Maduro. Isto não nos deveria causar espanto, como também o apoio de Cuba, que precisa do petróleo e $ da Venezuela em retribuição pelos médicos e militares que mantém no país Deveria nos causar espanto a pressão frouxa dos EUA (muita gritaria e pouca ação, a não ser bloquear o $ venezuelano); a gritaria também da OEA (pressão só no papel); e a omissão vergonhosa da ONU,que deu uns gritinhos fanhos com a Bachelet. continuo...

  17. Como pode acontecer isso no século XXI? E como pode a Rússia e a China apoiarem esse regime? A Rússia não deixou de ser comunista? A China não pratica um capitalismo de estado? Nada justifica o apoio a esse governo fraticida

  18. Um dilema crítico ao povo Venezuelano e os países que dão sustentação. Hoje todos esperam alguma medida dos EUA a fim de tecer os próximos passos.

  19. tudo isso no país com as maiores reservas de petróleo do mundo. taí a prova de que ter riquezas naturais não é o principal - vide Hong Kong, Dubai e outros. lembrando que a cambada que sempre apoiou esse regime ditatorial e facínora continua firme e forte aqui no Brasil. como isso é possível?

  20. Guaidó que ponha as barbas de molho, a Venezuela agora já é um caso perdido, qualquer coisa vira uma Siria, mas Maduro não sai, pois Putin já começou a transferir seus mercenários de Damasco.

  21. Enquanto o maluco contar com o apoio da caserna, que é altamente beneficiada pelo tráfico de drogas, não será fácil apea-lo do poder.

  22. Não da nem pra dizer "o último apague a luz" nesse paraíso socialista dos esquerdopatas da ORCRIM petista et caterva.

  23. Nós, mórbidos expectadores desta tragédia, estamos aguardando o momento em que a corda irá arrebentar. Muitos venezuelanos ainda sofrerão por mais um tempo.

    1. Pateta é quem entrar com armas ali dentro. Oh, ignorante, a guerra fria ainda não acabou!

  24. Enquanto o Putin ‘arma’ o Maduro, escancaradamente, e o Trump nem pia, o povo da Venezuela padece, já com milhões de pessoas à míngua. Por aqui, o PT, em gritante silêncio!

  25. Esse vagabundo só morto. Por que TRUMP não manda para a Venezuela a mesma equipe dos SEALS que cancelou o CPF de Osama Bin Laden? Obama franzino e educado é mais macho que o grandalhão cagão.

  26. Perfeito. Conclui-se que sem uma intervenção externa Maduro continuará a matar seu povo e não haverá já que Rússia e China se uniram ao facínora.

  27. Sem um líder que os guie, o povo venezuelano continuará em marcha rumo ao caos, e os comunistas massacrando a dignidade humana. Enquanto nenhum país se insurge contra o ditador Maduro, os lobotizados crentes em Marx e Engels continuarão acreditando que o comunismo dá certo, nem que seja com milhões de almas sacrificadas ao diabo.

  28. Venezuela é prego no sapato de Cuba, Russia e China; só incomoda. Se fosse feita uma intervenção em Cuba, mataria três coelhos com um só tiro: Cuba, Nicarágua e Venezuela. Mas Trump não pode agir sozinho.

    1. Caro Cícero, a solução é por aí mesmo.

  29. A agonia da Venezuela não tem nada de novo, foi assim ou pior em todos os regimes socialistas devidamente "bem" implantados. A diferença é que agora é ao vivo e a cores nas redes. A esquerda francesa e mundial, incluída toda a grande mídia, " também escondeu e negou os gulags, a escravidão do povo russo, até hoje ignorada, assim como os genocídios e a fome sempre presentes no processo. Na China então... Me preocupa, assim como no mensalão, as consequências da impunidade, da indiferença.

  30. incompreensível como Guaidó pudesse acreditar que derrubar uma ditadura socialista fosse uma coisa simples, é mais fácil isto lá se transformar em uma nova Síria. A presença de russos e cubanos agora em Caracas nos remete aos anos setenta, jem plena guerra fria quando Angola e Moçambique haviam se tornado independentes de Portugal, e aqueles paises foram invadidos por soldados cubanos que foram bucha de canhão dos soviéticos.

Mais notícias
Assine
TOPO