LeandroNarloch

Israel, capital Jerusalém

08.02.19

Por que a embaixada brasileira na Itália está no centro de Roma? Porque os italianos consideram Roma sua capital. Por que temos uma embaixada em Washington? Porque Washington é a capital dos Estados Unidos. Mas então por que a embaixada brasileira em Israel fica em Tel Aviv e não em Jerusalém Ocidental?

O Brasil foi um dos primeiros países a reconhecer a existência do estado de Israel, em 1949. E desde então esse país que nós reconhecemos considera Jerusalém sua capital.

O mesmo vale para o escritório da representação brasileira na Palestina, que existe desde 2004, em Ramala. Em 2010, Dilma reconheceu a existência do estado Palestino segundo as fronteiras de 1967 (ou seja, Cisjordânia e Faixa de Gaza formando o estado Palestino; Jerusalém dividida entre os dois países).

Depois que Bolsonaro anunciou que seguiria Trump e mudaria o endereço da embaixada, o governo tem fraquejado nessa decisão. Não deveria. Israel é um oásis de liberdade, democracia e direitos humanos no Oriente Médio – é importante que o Brasil sinalize apoio a sua autonomia. A atitude não precisa soar como provocação aos árabes. Se algum dia houver um estado Palestino, a embaixada também pode ser em Jerusalém, na parte oriental.

Argumentos muito ruins costumam aparecer nesse debate. “Trata-se de um território em disputa”, me diz um amigo contrário à mudança da embaixada. Sim, territórios da região têm sua posse contestada. É o caso dos assentamentos judeus na Cisjordânia, uma controvérsia que divide até mesmo os israelenses. Estive lá em novembro: a tensão é evidente. Jornalistas e turistas que se aventuram a passear pela região de Eli, no norte da Cisjordânia, costumam usar ônibus blindados para se proteger de pedras e tiros disparados por palestinos. Ao volante, o motorista listava locais de atentados recentes; na porta de uma fábrica, faixa e flores lembravam o atentado contra dois israelenses duas semanas antes.

Mas esse não é o caso de Jerusalém Ocidental. Só o mais radical defensor dos árabes deve achar que os palestinos têm direito ao território onde está a sede do governo israelense desde 1950. O Parlamento, a Suprema Corte e os ministérios ficam em Jerusalém desde quando a cidade ainda era dividida entre Israel e a Jordânia. Ninguém sensato defende controle palestino na área do Museu do Holocausto, por exemplo. Só pensa assim quem reivindica a “Palestina Original”, sem nenhum estado judaico. Mas, para esses, a embaixada até mesmo em Tel Aviv é motivo de ofensa.

“Se mudarmos a embaixada, os países do Oriente Médio vão retaliar e boicotar produtos brasileiros”, diz outro argumento duvidoso. Aqui é preciso levar em conta a tal “soberania nacional”. Tenho calafrios com essas duas palavras – elas já serviram para Ernesto Geisel justificar a proibição de computadores importados no Brasil. Mas esse caso é, sim, questão de soberania. Ora, quem decide onde instalaremos representações diplomáticas somos nós, não a Turquia ou a Arábia Saudita. O Oriente Médio responde por 4% das exportações brasileiras – isso já é o suficiente para baixarmos a cabeça?

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Desconheco a existência de algum povo nativo do território da Itália que conteste que Roma seja a capital daquele pais. Também não conheço nenhum povo nativo do território dos EUA que recuse que Washington seja a capital do pais. As comparações do artigo são descabidas. A população nativa do Estado de Israel não aceita Jerusalém como capital do Estado judeu e isso é sim uma questão a ser considerada.

  2. Esta disputa entre judeus e Arábi é complicado, incompreensível. "Vou te expulsar de sua casa e morar nela, ok." Não é tão simples assim, por mais que eu procuro não chego a uma opinião de quem é o opressor e quem é a vítima.

    1. Eles eram irmãos antes da história escrita (pleonasmo), diásporas, cisões...uma zona.

  3. Beleza de Artigo ,o Brasil tem essa mania de Avestruz ora quem não concordar com as nossas opiniões que vá comprar frango em outra freguesia !!

  4. Perfeito! Endosso totalmente a decisão de Bolsonaro. Nossa embaixada deve ser transferida para Jerusalém, a acapital de Israel.

  5. concordo com a implantação da embaixada brasileira em Jerusalém e também concordo com o tamanho da Crusoé no facebook quando compartilhamos, kkk.

  6. Concordo, plenamente, com o seu comentário. Bolsonaro não deve voltar atrás. Não sabia dessa depredação de ônibus. Quem vai à Israel como turista é bem preservado. Estive lá em 2014 e volto agora nesse ano. Depois vou à Jordânia conhecer Petra e Aman.

  7. Se é o país q decide onde colocar a embaixada pq não deixa-la em Tel Aviv? Pq o país deve bancar uma mudança q não lhe traz nenhum benefício?

  8. muito enviesado 4% não é uma parcela expressiva das exportações? pra perder com pura bravata sem qualquer ganho geopolítico risível? ora pois, é um jornalista falando

  9. Deus prometeu esta terra a Abraão e seus descendentes, portanto os palestinos são os intrusos. Enquanto os palestinos não compreenderem isso, não haverá paz naquela terra. Somos sim, a favor da transferência da embaixada brasileira para Jerusalém. Viva Israel!...

  10. 1º. Jerusalém é a Capital Indivisível de Israel. 2º- Os Jebuseus, primeiros habitantes de Jerusalém, não mais existem, bem como os Tamoios, primeiros habitantes do Rio de Janeiro. 3º- Devemos nos submeter nossas decisões às chantagens dos povos árabes? 4º- Bolsonaro elegeu-se prometendo essa mudança. Infelizmente Bolsonaro está se liquefazendo, falta-lhe coragem, e com Deus não se brinca.

  11. Jerusalém é a capital de Israel. Nada mais lógico do que a embaixada brasileira ser localizada em Jerusalém! A embaixada da Palestina é em Brasília, não em São Paulo, Rio de Janeiro na "tríplice fronteira. Porque deveriam reclamar se o Brasil mudar sua embaixada para Jerusalém? É problema nosso, decisão nossa!

  12. Palestina é o nome com que o Imperador Adriano, por volta de 135 d.C., rebatizou a Judeia. Não parece muito difícil entender que a capital de Israel é Jerusalém.

  13. Daí a Cezar o que é de Cezar e daí a Deus o que é de Deus. O tema é delicado sim, mas não podemos tirar este tema da agenda do governo. Sou neto de avós maternos muçulmanos e penso que Jerusalém é a capital de Israel. Temos que encarar isto sem medo, pois o Nordeste Brasileiro tem muito a ganhar com as tecnologias desenvolvidas pelos Israelenses.

    1. Sim e delicado, mas acredito que devemos olhar para o nosso próprio umbigo e que é melhor para o Brasil economicamente, concordo que 4/% de exportações e ínfimo para abaixar se a cabeça! Odeio ouvir uma coisa e depois o indivíduo vir com o famoso but...e exatamente o que está fazendo Bolsonaro

  14. Tema muito sério para ser decidido na base da religião e posiçōes ideológicas de uma minoria. Não deve ser prioridsde do governo queimar cacife antes de resolver assuntos muito mais urgentes e criticos para o país.

  15. Argumentos pertinentes, clareza de raciocínio, conhecimento das informações, interpretação coerente dos fatos. Que texto bom de se ler. Simples, claro, e por isso mesmo, fantástico. Obrigada Leandro Narloch.

  16. Num comentário abaixo, ressaltaram a razão pela maioria. Ora, a maioria não determina o certo ou errado. O certo ou errado tem bases sólidas - a verdade e a justiça - e estas, estão com os judeus nesta questão. O ódio e perseguição aos judeus é de ordem espiritual. Os judeus são o povo da aliança com o DEUS único e verdadeiro. Opor-se aos judeus é opor-se ao próprio DEUS. Os impenitentes que se contorçam ou contestem, com base em seu senso (mau), guiado por mentiras e engodos milenares.

  17. Jerusalém é a capital de Israel. E toda a cidade de Jerusalém é dos judeus por direito perpetuo. Um dia, os palestinos serão expurgados. Querendo eles, a ONU, os árabes, o mundo todo, ou não querendo. Simples assim. Viva Jerusalém, a cidade do grande REI.

  18. Sou contra essa mudança. A capital é Tel Aviv. E essa mudança é mais um incentivo para essa guerra continuar. Por que Israel não cede logo a Faixa de Gaza a quem ela realmente pertence? Os israelenses querem dominar tudo com o poder do dinheiro e das armas. É uma guerra desigual. Nem todo árabe é terrorista!

    1. Dorothy. com o devido respeito , explique claramente por que 'e contra a mudança de nossa Embaixada para a Capital de Israel

    2. A capital é Tel Aviv????? Em que livro você viu isso?

    3. Se nota que você não entende nada deste assunto.... conhece as propostas de Israel para a Palestina sobre Gaza? Certamente não... e vem ser contra algo que nem imagina o que seja. Dorothy, Dorothy....

  19. A embaixada deve ser transferida, por respeito ao povo de Israel e pela democracia. Porém, me preocupa uma possível retaliação dos Árabes. Os pecuaristas brasileiros dependem muito dessas exportações, seria um risco enorme. Acho que isso é uma decisão que não deve ser tomada agora.

    1. apoiado. Isso vai fomentar a guerra entre judeus e palestinos. E é claro que o mais forte sempre vence. É uma guerra desigual. Armados e ricos contra pobres sem defesa

  20. Parabéns pelo texto lúcido , sensato e educativo. A verdade incomoda os abutres de plantão. Por que não debatem as embaixadas abertas durante o desgoverno petista em países de importância suprema no cenário mundial , todos paraísos fiscais tais como Sao Cristovam & Nevis , Sta Lucia , Antigua& Barbuda , Dominica , St. Vincent & Grenadines , entre outros e todos no Caribe . P.S. Devorei seu livro "Guia ......" , reli e recomendo a todos meus conhecidos.

  21. Absolutamente correto. Se perdemos em exportação de carne que ganhemos em tecnologia de ponta. Israel só tem a nos ensinar. Que ganhemos um aliado verdadeiro, um aliado que prima por valores democráticos e humanos, um aliado em que matar estupidamente um crítico não faz parte da sua cultura, um aliado em que a mentira não seja uma ferramenta corrente, tão corrente que quem a usa mal mal dá conta disso. Um aliado que precisa de aliados sinceros. Tudo isso antes que seja tarde demais.

  22. A vergonha e a desgraça que mancharam a diplomacia brasileira nos anos petralhas só se apagarão com atitudes firmes e claras a favor da liberdade, da democracia, da justiça. Mudar a embaixada pra Jerusalém será um enorme primeiro passo nesse sentido. Que Bolsonaro não recue!

  23. Infelizmente, há algumas imprecisões no seu texto. Primeiro, você diz “ se um dia houver um Estado Palestino” , quando cerca de 70 % dos países membros da ONU já reconhecem o Estado Palestino, inclusive o Vaticano e Suécia. Segundo, você esquece de mencionar que há também muitos ataques contra palestinos, praticados por colonos judeus. Terceiro, se o governo de Israel já declarou que Jerusalém é a sua capital INDIVISÍVEL, como os palestinos poderiam fundar sua capital em Jerusalém Oriental ?

    1. Stephane Dujarric, porta voz do secretário da ONU, assim como o secretário Antonio Guterres em pessoa, já afirmaram que não se metem no assunto presidência da Venezuela. Essa neutralidade da ONU não vem de hoje; esse organismo não serve como referência para discutir Palestina.

  24. Até que enfim uma matéria digna de respeito ! Parabéns Leandro Eu também sinto calafrios quando penso nesse assunto A Bancada Evangélica e nós população, Temos que repensar esse assunto Adorei Leandro

  25. Excelente texto, quem decide sua capital é o país. Quem já visitou Israel sobe o choque cultural, um país democrático em meio aos outros totalitários, onde as mulheres não têm nenhuma autonomia ou respeito. Temos que respeitar e compactuar politicamente com países que seguem nossos costumes. Agora, o comércio, tanto para um como para outro tem que ser feito com quem atende seus interesses econômicos.

    1. Não se trata de ser “evangélico “ e sim de soberania nacional

  26. Sendo certo ou errado, não é a prioridade para o país neste momento. Nossa prioridade internacional são mais acordos comerciais e mais investimentos estrangeiros no país.

  27. Uma parceria, somente é valida, quando favorece a ambos e de um modo apartidário, não vejo vantagem alguma para o Brasil fazendo essa mudança. Temos que pensar como um pais , ou seja, é bom para os israelenses, mas seria realmente bom para o Brasil? Reflitam... deixem de lado suas convicções religiosas e pensem a respeito.

  28. Uma parceria somente é valida quando favorece a ambos e de um modo apartidário. Não vejo vantagem alguma para o Brasil fazendo essa mudança. Temos que pensar como um pais , ou seja, é bom para os israelenses, mas seria realmente bom para o Brasil? Reflitam... deixem de lado suas convicções religiosas e pensem a respeito.

  29. Temos as exportações de carne que representam 4% do total , ou seja, muito expressivo, os transtornos buracraticos que envolvem a mudança, e mesmo sendo uma possibilidade muito remota, mas não impossível, o Brasil , entraria no bloco de países que poderiam sofrer atentado por estar apoiando Israel, basta lembrarmos que temos a tríplice fronteira, então, muito fácil artefatos bélicos entrarem nas fronteiras.

  30. Quais seriam os benefícios reais para o Brasil mudando sua embaixada ? NENHUM... Quais seriam as consequências? MUITAS. Paises árabes já agendaram reuniões, com Bolsonaro , justamente para discutir esse assunto.

  31. Voltando ao assunto em questao , será que o mundo todo está errado e somente , Guatemala, Honduras, Islas Marshall, Micronesia, Nauru, Palau , Togo, Taiwan, República de Vanuatu, República Checa e Usa (por assuntos estritamente políticos ) estão certos? Países como França, Belgica, Holanda, Portugal , Alemanha , Espanha , Noruega, Finlandia, Suecia, Dinamarca , entre outros , que têm uma democracia altamente desenvolvida, estão errados?

  32. Acredito que todos os leitores viram quando a equipe de israel chegou , trazendo consigo a promessa de somente ir embora quando todos os corpos fossem achados(vivos ou mortos), trouxeram consigo, 16 toneladas em equipamentos , porem , o que vimos pelas poucas imagens mostradas, foram a nosso corpo de bombeiros , ajudando os israelenses atolados na lama, e tirando os mesmos do grande mar de lama.. mesmo com todos os equipamentos e tecnologia, não foram suficientes para vencerem a lama

  33. Leandro a sua reportagem, do goiaba e a do Igor Gadelha( quem diria) foram as únicas relevantes nessa semana. O resto pareceu ser escrito por obrigação e sem vontade.

  34. Esse topico , levanta uma outra questão... Sem querer de modo algum , ser desrespeitoso , mas qual foi a ajuda oferecida pelos soldados de Israel, ao povo de Brumadinho?

  35. Israel é uma nação milenar, e esteve naquela região por eras. A história nos conta! Com palestina ou sem, Israel continua sendo uma grande nação e merece o devido respeito. Como tal, Jerusalém deve ser reconhecida sim como capital de Israel.

  36. Prudência é a palavra certa em toda a ação que envolve questões da diplomacia. A maioria das representações estrangeiras em Israel, acautelam-se; ainda encontram-se em Tel-Aviv. Visões simplistas e reducionistas nestes casos, quando postas em prática, sempre redundam, no mais das vezes, em grandes equívocos, quando não em desastres. Calma, muita calma, essa não é, de longe, uma prioridade, e tem custos.

  37. Seu artigo embora curto é esclarecedor. Essa questão ainda é muito mal conhecida no Brasil devido ao preconceito disseminado pelos últimos governos contra Israel.

  38. LEANDRO, GOSTARIA DE LER UM ARTIGO SEU FALANDO ALGO ACERCA DE SINGAPURA, QUE NO COMECINHO DE SEU DESENVOLVIMENTO SE ALIOU AO LADO CERTO, OU SEJA ISRAEL E USA.

  39. Devgarinho, devagrinho, Israel vai engolindo a Palestina, até que ela seja reduzida à Faixa de Gaza, e Jerusalém faz parte desse projeto.Só quem não quer enxergar não vê isso.

  40. Se o governo Bolsonaro ainda tinha alguma dúvida da transferência, com este artigo não terá mais.É lógico,se o centro político está lá, é lá que as embaixadas devem estar tb.

  41. O "novo" antisemitisto tem o anti israelismo como disfarce. Israel é a única luz na escuridão do oriente médio. Qualquer apoio a Israel será alvo de críticas, assim.como qualquer apoio de Israel, o caso de sobradinho mostrou isso claramente. 4%? Soberania? Nada iddos é o que importa, desde que se fique contra Israel!!! A guerra dos 6 dias e a tomada de Jerusalem foram mais um milagre dos muitos que acontecem lá. Como a eleição de Trump e Bolsonaro. E mais virão...para irritar mais a escuridão!!!

  42. Gostei muito dessa análise do jornalista Leandro Narloch ! Eu ainda não tinha estudado por esse lado geográfico e histórico ! Para mim foi um esclarecimento importante !!

  43. Como internacionalista fico grata por sua avaliação sensata sobre o tema que tanta falta faz no meio acadêmico. Muitos especialistas já não sabem diferenciar fatos de opiniões e não tem capacidade de fazer uma análise imparcial e realista.

  44. Excelente texto, com o qual concordo integralmente. Instalar a embaixada em Jerusalém Ocidental me parece correto e legítimo e não afronta os árabes. Perfeito.

  45. Essa babação de ovo com Israel, tanto no caso de Trump como no de Bolsonaro, visa agradar o eleitorado evangélico (devido à sua crença de que os judeus têm um papel especial junto a Deus) . Nada tem a ver com os interesses do Estado brasileiro que, apesar de muitos se esquecerem, é laico. Se o Brasil pretende ser imparcial, então que também crie uma embaixada na área palestina.

    1. Renato: descontando seu preconceito - penso que esquerdista - contra a opção religiosa, permitida e protegida pelo Estado "laico", o que Israel vai ofertar ao Brasil, nunca um país árabe, incluindo o Iraque nos bons tempos de Sadam, deu nem 10%. E já existe, desde 2004 Representação Brasileira na Palestina, sabia? A terrorista Dilma Vana reconheceu o Estado Palestino em 2010.

  46. Concordo com você mas a imprensa fez um estardalhaço tão grande e um drama como se fosse gerar um caos nas relações com os países árabes.... tanta polêmica que Bolsonaro achou melhor deixar quieto mas acredito nessa mudança deixar a poeira baixar

  47. Tenho uma opinião Já FORMADA sobre isto: “Temos coisas muito, muito, muito mesmo, muiiiiiito, mais prementes e urgentes a discutir, convencer, definir, encarar, encaminhar, resolver e mandar ver no Brasil.”

    1. Em caso de não cumprimento da promessavai haver muita decepção. Espero que sua visita aquele país seja para inaugurar a Embaixada.

  48. Por que Trump e Bolsonaro embarcaram nessa pauta menor para seus países em plena campanha eleitoral??? Algo a ver com patrocínio de alguém???

  49. O articulista deve ser judeu ou mal informado. Ignora que Israel é um estado montado pelas grandes potências do mundo ocidental, para satisfazer interesses políticos ou econômicos domésticos, criado pela ocupação de território ocupado por outros povos. Ignora também que este Estado de ocupação expande constantemente suas fronteiras desde a sua criação. Entre estas expansões está a própria cidade de Jerusalém, antes dividida entre judeus e palestinos. Por que o Brasil entra nessa bola dividida?

    1. Sr Roberto: qual decisão internacional define o Estado Israel? Foram tantas...desde 1910 fala-se em Jerusalém ser a capital de Israel. Vamos estudar?

  50. Não se espera que um assunto como este seja resolvido sem discussões sérias e lúcidas. As exortações são sim importantes, mas não podem ser APENAS isso que pese na decisão. A Arábia Saudita acharia bom opinarmos sobre Kaaba de lugar, ou a Turquia aceitaria que o Brasil a pressionasse a ceder parte do seu território ao Curdistão? Quase sempre, infelizmente, pessoas sem o devido cuidado falam sobre assuntos que não dominam e isso é ruim, pois resumem tudo a dinheiro. Dinheiro é bom, mas não é tudo

  51. 4% é uma fatia muito grande. Visto por outro ângulo, O Brasil é o maior exportador de carne halal do mundo. O Brasil é referência em abate halal. Em troca de que vamos arriscar perder esse posto para outros países?

    1. É igual a reforma da previdência. Sempre tem quem se ferra. Mas vamos deixar de fazer o certo?

    2. Em troca de defender a verdade e o que é certo. Se chama ética e coerência.

  52. Narloch tem razão - a única ressalva que faria é que Bolsonaro poderia muito bem honrar sua promessa de campanha sem incorrer em qualquer problema com a questão político-jurídica internacional: basta sediar a embaixada na parte oeste de Jerusalém, como já informado acima.

    1. Marcos Mc/77, a explicação está correta, mas o fato de um país como os EUA, enxergarem de outro modo muda o quadro. Veja, se a ONU fosse o fiel das balanças, então Lula teria disputado a presidência, o que corretamente não ocorreu. E ninguém teria relações com Taiwan, o que também não ocorre - e por aí vai. Na prática, Jerusalém é a capital do país para os israelenses, e isso é o que conta. A ONU tem sido sistematicamente contra Israel, portanto se esperarmos o "ok" dela nada acontecerá.

    2. Marcos, infelizmente você esqueceu de acrescentar na sua aula de história que a autoridade Palestina reinvidica a criação de um estado palestino com capital em Jerusalém... E aí, é justo? Brasil deve reconhecer e mover sua representação nesse caso?

    3. Marcos/Mc77, parabéns pela sucinta aula de história que o jornalista não foi capaz de esclarecer ou informar em seu artigo. Fica bem fácil defender o que se queira quando não se analisa com profundidade e imparcialidade o assunto, o que foi o caso desse artigo

    4. Os EUA têm razão. Tem que mudar e pronto. Acabou p... Tá, ok?

    5. Basta oficializar a embaixada em Jerusalem. Sem maiores justificativas Brasil é Brasilia, Italia é Roma, etc

    6. Não é tão simples assim. O ato da Assembléia da ONU que criou o Estado de Israel em 1948 também previu que Jerusalémteria status de cidade internacional independente. Israel concordou e fez de TelAviv a sua capital. Posteriormente, com a guerra dos 6 dias, veio a ocupar toda Jerusalém e mais recentemente a transformou unilateralmente em sua capital, o que nunca foi reconhecido pela comunidade internacional. Até hoje todos os países - com exceção dos EEUU - mantêm suas embaixadas em TelAviv.

  53. Tá, mas mudar para quê, no final das contas? Em que pese minha simpatia por Israel, perder mercado e ganhar o quê, deve ser analisado! Basta de militância ideológica, né?

    1. Que tal mudar para colocar as coisas nos lugares corretos? A militância ideológica é a que é contra essa mudança, pq defendem os movimentos sanguinários dos terroristas do oriente, que por sua vez são aliados do comunismo. Leia a entrevista do Eduardo nesta edição para entender sobre o tal argumento de perda de mercado.

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO