Elas contra ele

08.02.19

Ministras de tribunais superiores começam a costurar, silenciosamente, um movimento para impedir que Admar Gonzaga seja reconduzido para mais um período no Tribunal Superior Eleitoral. Elas entendem que seria escandaloso o Supremo Tribunal Federal chancelar a nomeação de alguém que foi denunciado à corte por violar a Lei Maria da Penha. Acusado de agressão por sua ex-mulher, o ministro chegou a ser acusado formalmente pela Procuradoria-Geral da República. A denúncia foi apresentada ao STF no final de 2017. O período de Gonzaga como titular de uma das cadeiras da corte eleitoral se encerra em março. Para ser reconduzido, ele precisa integrar uma lista de indicados que o Supremo envia ao presidente da República, a quem cabe a decisão final.

Roberto Jayme/TSERoberto Jayme/TSEAdmar Gonzaga: ele ganhou notoriedade no julgamento da chapa Dilma-Temer

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Ess pulha, machão para bater na mulher dele, já havia se comportado como um perdeito idiotana diplomação do Presidente Bolsonaro, ficando de costas para o publico, quando todos os Ministros estavam de frente e ainda mentiu para justificar a postura: dizendo que estava de frente para onde a bandeira estava sendo hasteada... Isso tem que ser exonerado e afastado da vida pública, pois um ministro de uma das mais altas cortes de justiça do país, não pode bater em mulher.. isso é uma afronta!

  2. Ué, muito pior que agredir uma esposa é agredir a uma sociedade inteira, coisa que os colegas delas (senao as proprias....) estao fazendo a anos. Facadas e mais facadas na populaçao, com suas porcas medidas e "legislaçoes" que nao lhes cabem, e invençoes de toda especie para atingir seus proprios "umbijetivos" nojentos.

  3. É o que sempre venho afirmando: Leis, são para nós que não possuimos meios para sustentar grandes advogados e por maior que seja o crime, sair impune. Quem sempre paga são os pobres, a população brasileira por tantos escândalos que em qualquer lugar que não o Brasil, esse tipo de pessoa estaria nos Bancos de réus!

  4. Esse é mais um advogado de partido que chegou nas cortes superiores pelo quinto constitucional. Em 1998 advogou para a campanha da reeleição de Fernando Henrique Cardoso. Em 2010 advogou para a campanha de Dilma Rousseff. Já foi advogado do PP, PFL e PSD. Em 2013, foi empossado por Dilma Rousseff para seu primeiro biênio como ministro do TSE. Precisa desenhar??? Bater na esposa é a coisa menos lícita que este cidadão deve fazer. Remem!!!

    1. Fora...temos que, aos poucos, irmos retirando estes canalhas travestidos de senhores do Brasil. A lei deve valer para todos, sem excessão.

  5. Se realmente agrediu a mulher, tinha q ser preso. Quanto a presidir o tribunal é melhor esquecer, senhoras expulsem o calhorda!

  6. Esse indivíduo não foi o fdp que ficou de costas no TSE, durante a execução do Hino Nacional, quando da diplomação do Presidente?

    1. Ele não ficou de costas, mas sim de frente para a Bandeira Nacional. O problema é que ele também desconhece que inexiste hierarquia entre os símbolos nacionais. Enquanto touca o Hino Nacional, ouve deve permanecer em posição de respeito somente.

    2. Oi, Lindoval. Sem querer defender o Admar, mas só pra esclarecer, ele na verdade estava de frente para a bandeira do Brasil. É que o formato do plenário dá essa impressão. É esquisito mesmo...

  7. E o critério da vida pregressa desse cidadão? Esse rapaz é mais um dos muitos que contaminam os tribunais regionais e superiores pela desgraça do famigerado Quinto Constitucional. Não tem cultura jurídica, não sabe escrever e o que é pior, é ligado a partidos políticos, portanto, qual a isenção para julgar contra interesses de correligionários das agremiações para as quais defendeu? E ainda agride mulher?

  8. Essa forma de investidura temporária de Magistrados (classe advogados) para o TSE tem que ser extinta. Uma típica jabuticaba brasileira.

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO