Outro amigo complicado

21.12.18

O ditado segundo o qual quem tem padrinho não morre pagão vale mais em Brasília. Que o diga Rogério Abdalla, amigo do peito do presidente Michel Temer. Durante anos, ele foi diretor da Conab, onde repetia em prosa e verso quem era o seu fiador. Saiu de lá no início do processo de impeachment de Dilma Rousseff, quando a petista ordenou uma limpa geral nos cargos ocupados por apadrinhados do então vice-presidente. Àquela altura, o próprio Temer pegou o telefone e ligou para Kátia Abreu, que como ministra da Agricultura se encarregou de assinar a demissão. A conversa não foi boa. Ante a fúria de Temer, que reclamava da canetada contra o amigo, ela explicou que pesavam contra Rogério Abdalla algumas suspeitas cabeludas. Uma, registrada oficialmente em um documento enviado ao ministério, envolvia a suposta cobrança de 60 mil reais por Abdalla para favorecer um empresário de Rio Verde, em Goiás, em um leilão de milho da Conab. O dinheiro teria sido entregue em um shopping da região central de Brasilia. Temer parece ter dado de ombros para o relato. Logo depois que ele assumiu de vez o Planalto, o mesmo Abdalla foi nomeado secretário do Ministério da Saúde, encarregado de gerir o milionário convênio do programa Mais Médicos. Mais recentemente, ele saiu de lá para ocupar um cargo importante na Anvisa, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Procurados por Crusoé, nem a Conab nem o Ministério da Agricultura informaram que destino foi dado à denúncia contra o amigo do presidente. Escolado nas mesuras do poder, Abdalla agora tenta se manter em algum cargo relevante no futuro governo. Recentemente, tentou se aproximar do vice-presidente eleito Hamilton Mourão em um jantar em São Paulo.

ReproduçãoReproduçãoO amigo de Temer tenta se aproximar do novo governo: na foto, ele posa ao lado de Mourão

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Vivem eternamente em berço esplêndido, às custas dos idiotas que se matam pra sobreviver. SÓ MATANDO ESSA RAÇA.....Enquanto não mostrar os dentes. Nosso povo será sempre essa merda.

  2. Apresenta ele para o Sérgio Moro para ele pedir uma boquinha, já que o General Mourão não deu voz de prisão para o iluminado.

  3. Alô , alô protagonistas silenciosos!!! Estão vendo porque eu berrei contra a nomeação do Presidente Bolsonaro com André Moura na chefia da Anvisa???? Mina de ouro da corrupção com lobbies das indústrias farmacêutica E de alimentos...

  4. Horrível o sorriso dele ao lado do vice presidente na foto. Parece um vampiro aproveitador. São muitos que se escondem em cargos e salários protegidos e apadrinhados. Será que seremos capazes de nos livrarnos disso no nosso país?

  5. Anvisa sempre foi um antro de corruptos. Cobravam para aprovação de medicamentos,para a escolha dos fármacos que seriam comprados pelo SUS para todos os hospitais do Brasil, etc. Quem ocupa este cargo sabe das vantagens que pode auferir, se for desonesto.

  6. Trabalho na Conab há muitos anos e digo com tranquilidade que cada diretoria era um feudo. Indicados políticos que sugaram muito da empresa e ainda prejudicaram o corpo funcional. Será que o Bolsonaro nos livrará dessas indicações maléficas? Espero que sim.

    1. Kkkkkkkk Dorei, nem mortos são confiáveis!!! Feliz 2019 pra todos nós!!

    1. Pelo que consta a CONAB deveria ter sido investigada. Ela está no acerto do FHC que cedeu o Porto de Santos e Conab em troca de votas para a Emenda Constitucional que permitiu a sua releição à Presidência. A coisa vem de longe ...

Mais notícias
Assine
TOPO