Os rejeitados

Se a ideia era usar as eleições municipais como prévias para 2022, Bolsonaro e Lula reúnem motivos de sobra para se preocupar: os candidatos que eles apoiam afundam nas pesquisas
30.10.20

A promessa de permanecer distante das eleições municipais e não apoiar candidatos a prefeituras e câmaras municipais já entrou para o rol de compromissos não cumpridos pelo presidente Jair Bolsonaro — ao lado de juras como o fim do toma lá, dá cá e a tolerância zero com a corrupção. O chefe do Planalto gravou vídeos de apoio a aliados que estão na disputa e escancarou sua preferência por candidatos em várias capitais, como São Paulo, Rio de Janeiro, Manaus e Fortaleza. Bolsonaro não disfarça, entretanto, seu receio de se entregar de corpo e alma às campanhas. O medo é de sair das urnas tachado como perdedor, sobretudo em municípios estratégicos no xadrez eleitoral para 2022. E essa possibilidade está se desenhando nos mais recentes levantamentos de intenções de votos: candidatos que tiveram as bênçãos do Planalto, nos bastidores ou de forma explícita, começam a derreter nas pesquisas e já tentam se afastar do chefe do Executivo. Antípoda preferido de Bolsonaro, com quem o mandatário sonha em polarizar em 2022, o ex-presidente Lula experimenta o mesmo infortúnio. Se há 18 anos, no auge da popularidade, o petista era o cabo eleitoral dos sonhos de políticos de esquerda, hoje a presença de Lula na propaganda eleitoral ou nos santinhos gera o efeito contrário. Como consequência do desprestígio de seu morubixaba, o PT lidera a campanha em apenas uma capital, Vitória. Só em quatro capitais, ostenta mais de 10% nas pesquisas.

A corrida eleitoral em duas das mais importantes capitais brasileiras ilustra o toque de Midas às avessas do petista e do presidente da República. No Rio de Janeiro e em São Paulo, os candidatos apoiados pela dupla, cada vez mais faces da mesma moeda, enfrentam dificuldades, algumas delas intransponíveis. Na capital fluminense, a julgar pelas tendências indicadas nas últimas pesquisas, tanto o atual prefeito, Marcelo Crivella, do Republicanos, quanto a deputada federal Benedita da Silva, do PT, devem ficar de fora do segundo turno. Os dois aparecem em segundo lugar, tecnicamente empatados com Martha Rocha, do PDT, ex-chefe da Polícia Civil do Rio de Janeiro. Mas, enquanto a delegada decola, Crivella despenca ladeira abaixo nas intenções de voto. As pesquisas mostram que a associação com Jair Bolsonaro joga contra o prefeito. O último levantamento do Datafolha na cidade verificou a percepção dos cariocas quanto ao desempenho do presidente da República no combate à pandemia: 50% avaliam como ruim ou péssimo, 21% como regular e 28%, como ótimo ou bom. Já a gestão municipal da crise da Covid-19 foi classificada como ruim ou péssima por 56% dos moradores da cidade.

Desde agosto, quando foram realizadas as convenções partidárias, Bolsonaro foi ao Rio duas vezes e se deixou fotografar ao lado do aliado. Os dois inauguraram juntos uma escola cívico-militar e participaram de um evento da Marinha. O último encontro, em setembro, ocorreu horas depois de Crivella ser alvo de uma operação policial, o que acendeu o alerta no Planalto sobre a necessidade de evitar a vinculação. Poucos dias mais, a Justiça Eleitoral condenou o chefe do Executivo municipal por abuso de poder e o deixou inelegível – o TSE aceitou o efeito suspensivo do recurso e ele segue na disputa. Jair Bolsonaro fugiu do assédio do prefeito e tentou se esquivar de marcar presença explícita na campanha antes do primeiro turno. Na noite de quarta-feira, 29, o presidente declarou apoio de forma um tanto envergonhada. “Estou com o Crivella, mas se você não quiser votar nele, não tem problema”, disse em sua live semanal, sem deixar claro se o intuito era ajudar ou atrapalhar. Os familiares de Bolsonaro contribuem para manter sua imagem colada à do candidato do Republicanos. O senador Flávio Bolsonaro, correligionário de Marcelo Crivella, o chamou de “meu prefeito” em uma live. Rogéria Bolsonaro, ex-mulher do presidente e candidata a vereadora, gravou vídeo com seu companheiro de partido no começo de outubro e demonstrou estar em total sintonia com ele.

Fernando Frazão/Agência BrasilFernando Frazão/Agência BrasilMarcelo Crivella, atual prefeito e candidato da família Bolsonaro no Rio: em queda livre nas pesquisas, ele corre o risco de ficar fora do segundo turno
Uma derrota de Crivella, ainda mais se confirmada sua eliminação ainda no primeiro turno das eleições, tem o potencial de abalar a imagem de Jair Bolsonaro justamente em seu domicílio eleitoral. O comando da campanha, lideranças do Republicanos e da Igreja Universal pressionaram o Planalto pela mensagem de apoio do presidente – mesmo sob o risco de piorar ainda mais a situação do candidato. Para o staff de Crivella, vale a máxima segundo a qual “perder de dois é o mesmo que perder de mil”. Por ora, não há definição sobre uma gravação de Bolsonaro para o horário eleitoral do prefeito carioca – sobretudo se o naufrágio seguir em ritmo acelerado.

Adversária de Crivella na briga por uma vaga no segundo turno contra Eduardo Paes, Benedita da Silva ganhou um respiro nas pesquisas, mas ainda enfrenta uma forte rejeição do eleitorado, assim como o atual chefe do Executivo municipal. O desgaste do PT desde o mensalão, o impeachment de Dilma Rousseff e a prisão de Lula e companheiros na Lava Jato são uma conta alta demais para o partido e o preço chegou para Benedita. Mesmo assim, na semana passada, a propaganda da petista na TV foi para o tudo ou nada: exibiu um vídeo do ex-presidente Lula em que ele diz: “Benedita conhece a luta do povo pela sobrevivência. Por isso, é a melhor prefeita que o Rio pode ter”. A julgar pelos índices de rejeição de Lula na capital fluminense, pode ter sido um tiro no pé.

As duas capitais em que o PT reúne maiores chances de vitória são justamente onde figuram candidatos menos associados a Lula e à legenda. No Recife e em Vitória, as tentativas de desvinculação da imagem do ex-presidente por Marília Arraes e João Coser geraram insatisfação na cúpula petista, que cobra dos candidatos da sigla uma defesa institucional do partido – e, sobretudo, de Lula. Na largada da campanha, Marília praticamente eliminou o vermelho do material de propaganda. A estrela do PT deu lugar a um coração e, nos programas eleitorais, a deputada federal vestiu prioritariamente branco. “Uso todas as cores e vou usar vermelho quando quiser”, disse a parlamentar, após ser cobrada sobre o assunto em uma sabatina. Nos últimos dias, após a reprimenda da direção do partido, a parlamentar foi praticamente compelida a incluir Lula e o vermelho em sua campanha. Até agora, a sigla já repassou quase 1 milhão de reais do Fundão Eleitoral para Marília. A petista aparece em segundo lugar nas pesquisas, tecnicamente empatada com a Delegada Patrícia, do Podemos. Em Vitória, única capital em que o PT lidera, João Coser trocou a estrela vermelha do material de campanha por um símbolo colorido. Lula só teve destaque no programa eleitoral do candidato petista na última quarta-feira, 28, curiosamente um dia depois de o PT repassar 500 mil reais do Fundão para as contas eleitorais do capixaba.

Bruno Santos/FolhapressBruno Santos/FolhapressApoiado pelo ex-presidente Lula, o candidato do PT à prefeitura de São Paulo, Jilmar Tatto, estacionou em 4% das intenções de voto e está em sexto lugar
Na capital paulista, o PT é o retrato do seu principal líder: fora de forma política e dono de um discurso tão surrado quanto ultrapassado. Quatro anos após a saída de Fernando Haddad, derrotado por João Doria no primeiro turno de 2016, as chances de vitória da sigla na capital paulista são próximas de zero. Segundo levantamento do Datafolha divulgado na semana passada, Jilmar Tatto tem apenas 4% das intenções de voto e está em sexto lugar, 10 pontos percentuais atrás de Guilherme Boulos, do PSOL, o candidato de esquerda mais bem posicionado. Mantido esse percentual após a votação, esse será o pior desempenho do PT na eleição municipal de São Paulo desde a redemocratização – até hoje, Haddad teve a menor votação percentual da história do partido na capital, com apenas 16,7% na disputa passada. Lula, que negou apoio a Boulos e apostou as fichas na candidatura própria de Tatto, tenta aos 45 do segundo tempo se afastar do correligionário para escapar do desgaste de uma derrota acachapante. Não será possível, no entanto, dissociá-lo da débâcle eleitoral na principal capital do país, apesar dos comoventes esforços. “Quem tem que ganhar as eleições é o Jilmar”, disse o ex-presidente, em entrevista ao jornal El País, como se esquivasse da responsabilidade sobre o fiasco petista. Um fiasco com repercussão que vai muito além das fronteiras do município. “A eleição para a prefeitura de São Paulo é importantíssima porque tem um debate muito mais nacionalizado. Boa parte do que se discute nas eleições para prefeito da capital paulista aparece nas disputas nacionais, dois anos depois”, avalia Glauco Peres, cientista político e professor da USP.

Para Jair Bolsonaro, o cenário é nebuloso no centro político do país, o que pode prejudicar sua largada na corrida pela reeleição. A relação com Celso Russomano, do Republicanos, está tumultuada e criou-se uma repulsa mútua – o presidente teme vincular-se ao deputado federal em queda nas pesquisas, e o candidato agora esconde o seu mais novo padrinho político, visto como responsável pelo mau desempenho do parlamentar. Convencido de que o apoio de Bolsonaro mais prejudicou do que colaborou com sua campanha, Russomano decidiu tirar todas as menções ao chefe do Planalto de sua propaganda política. Os jingles criados pelo marqueteiro Elsinho Mouco, ligado a Michel Temer, eliminaram o presidente. Na próxima semana, Russomanno cogita voltar com Bolsonaro ao programa, numa jogada arriscada: a intenção seria a de trazer a militância bolsonarista para a sua trincheira na reta final da campanha, numa espécie de “ou vai ou racha”. O presidente parece ter topado essa estratégia: na quarta-feira, pediu votos para o aliado em sua live. “Celso Russomano é a minha pedida para São Paulo. Quem não escolheu ainda e puder escolher, a gente agradece”, declarou, sem demonstrar muita empolgação. Para terminar de rasgar a promessa de não-interferência na disputa municipal, o chefe do Planalto ainda deu pitaco no pleito gaúcho e declarou achar “o fim da picada” o voto em Manuela D’Ávila, do PCdoB.

Danilo Verpa/FolhapressDanilo Verpa/FolhapressDepois de perder a primeira posição nas pesquisas, o deputado federal Celso Russomano, do Republicanos, tirou Bolsonaro dos jingles do programa eleitoral
Nos últimos dias, em vez de ostentar o apoio do presidente da República, Celso Russomano optou por ataques aos adversários. Uma das provocações guarda relação justamente com o segundo malvado favorito de Bolsonaro: o governador de São Paulo, João Doria. O tucano, até agora, não marcou presença na campanha de Bruno Covas. Nas andanças pela periferia da cidade, Covas tem preferido andar a tiracolo com Marta Suplicy, que rompeu com o seu partido, o Solidariedade, para apoiar o tucano. “Cadê o Doria? Vocês viram o Doria por aí? Será que o prefeito esconde o governador com medo de ele atrapalhar?”, questionou Russomano, no programa eleitoral da última segunda-feira. “O jogo sujo vai começar”, limitou-se a responder o atual prefeito de São Paulo, segundo o qual o governador aparecerá na “hora apropriada”. A ver.

A rejeição ao presidente se reproduz em Belo Horizonte, onde o candidato de Bolsonaro, Bruno Engler, do PRTB, está parado nos 3% das intenções de voto, enquanto o atual prefeito, Alexandre Kalil, do PSD, tem 60% e caminha para se eleger no primeiro turno. No começo de outubro, Jair Bolsonaro gravou um vídeo em apoio ao deputado federal aliado. “Não vou fazer campanha para você, mas se eu fosse eleitor mineiro, votaria em você, pode ter certeza disso. Eu acho que em Minas, todos ganham”, afirmou o presidente ao lado de Engler. Na quarta-feira, 28, o chefe do Planalto revelou, em conversa com apoiadores, que “gostaria de ter uma participação nas eleições municipais, em alguns municípios”, e citou o deputado federal do PRTB mineiro. “Belo Horizonte me interessa, gosto muito do Bruno Engler, que pode fazer um bom trabalho caso chegue à prefeitura. Discretamente vou começar a apoiá-lo”, disse Bolsonaro, e acrescentou: “Tem chance”. Falta combinar com o eleitor.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Felipe Moura Brasil, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Até agora, na minha cidade e na capital do meu estado BH tudo bem. Pelos lados de cá o bolsonarismo não terá vez. Mas penso no Estado do Rio de Janeiro. É uma situação complicada em que nossos irmãos terão que resolver. Votar no Crivella!!!, no Eduardo Paes!!? terão de decidir. Ainda bem que não estou lá, pois seguramente não votaria em nenhum destes.

  2. O B17 traiu o povo não cumprindo as promessas básicas de limpar o Brasil, de reduzir a máquina pública, com o menos Brasília mais Brasil e tantas outras traições. E para completar, não fez a prometida faxina ética que teria que começar pela troca da linha do STF com a escolha de seu primeiro ministro. Preferiu se apequenar e compor com uma ala “complicada” do congresso. Vai colher as consequências.

    1. Não adianta mugir. Não se pode comparar Lula com Bolsonaro porque este último conseguiu matar a Lava-Jato de SP (a que investigava os filhos do Lula e tucanos) e indicar ao STF o pior ministro, pelos piores motivos.

    2. O pior cego é aquele que não quer ver. Comparar um vagabundo, ladrão, analfabeto que quase destruiu o Brasil nos 8 anos que "governou"e nos outros cinco da aberração que indicou com o Presidente que tenta por o Brasil nos eixos, é realmente coisa de quem tem mata-burro na sinapse. A Crusoé está cada vez mais recheada por um bando de imbecis que não tira a trave do olho antes de escrever tanta merda.Vão trabalhar, vagabundos!

  3. É inconcebível populistas como o Bolsonaro ficar posando por ai como algúem que pode fazer coisas boas para o Brasil. E essa rejeição aos seus candidatos a prefeitos tende a ser um bom sinal de que o povo abominar um ser desprezivel como esse. Chega de milícia bolsonarista do ódio, chega de apologia a armas(o que interessa pra ele com isso é uma guerra civil, que pra ele precisa matar pelo menos 30 mil), chega de milicianos, chega de Queiroz, chega de rachadinhas, chega de dinheiro nas nádegas!

  4. Eleição no Brasil serve para dar continuidade aos bandidos que estão no poder, ou trocar de facções. São todos bandidos.

  5. O cavalo paraguaio nunca decepcionou e não seria diferente agora com o apoio do #mitomentirosotraidor. Os 2 porqueiras se afundarão juntos e quem mais se juntar ao PR. Pior para o Brasil , onde só concorre ladrão, corrupto e mentiroso.

  6. Meu Deus, como demora para chegar 2022, quando poderemos mandar esses porcos para suas pocilgas. O MORO vem aí e vai mandar essa cambada de gatos, para seu devido lugar na história, ou para a cadeia mesmo, provando suas traficâncias e nos livrando dessa arapuca.

  7. broncossauro e luladrão, isso é que é a chamada overdose de droga!!!!.... O BRASIL precisa urgentemente se recuperar mas, será indubitavelmente curado com o Presidente Dr. SÉRGIO FERNANDO MORO. Já o Rio de Janeiro parece caso terminal, para a dor e o pesar de todos os BRASILEIROS.....

  8. Lula eh um animal politico que foi acometido por cleptomania, Bolsonaro eh uma farsa desmascarada, ambos ja mostraram quais seus "estilos" de governo e como sao prejudiciais ao pais, cabe a nos votar e apoiar algo mais moderno e transparente, votando em partidos alinhados com essa linha, nao falsos "mitos".

  9. Quem viver verá em 2022 o Bolsonaro reeleito. Vocês estão menosprezando a capacidade política do Ex-Capitão. Em 2018 já fizeram isso e se deram mal, bem a facada do Adélio derrubou o homem. Diziam que ele não chegaria no 2° Turno e se chegasse perderia pra qualquer um que chegasse com ele e todos nós sabemos o que aconteceu. Vitória do Capitão Bolsonaro.

    1. Bolsonaro já enganou os brasileiros uma vez! Não irá enganar novamente!

    2. Bolsonaro ganhou as eleições com os votos dos que acreditaram no PT e se sentiram traídos. Não havia opção. Infelizmente seu governo tb foi um estelionato eleitoral. Espero termos outras opções nas próximas eleições pois se não tiver anulo meu voto pela primeira vez.

    3. E você está menosprezado a inteligência de todos os que votaram nele, apenas para afastar o pt. Aqui na CRUSOE, bozolulismo não tem vez

    4. votei nesse esteleonatario eleitoral para tirar o PT. o PT fora voto em qualquer candidato que não seja ambos. vou usá-los como me usaram.

  10. Traiu seus eleitores, a resposta virá, a impressão que tenho é que ele não precisará dos eleitores, já tem o centrão, foi eleito com um discurso anticorrupção e fez tudo ao contrário, há de se enforcar com a própria corda! Desgraçado!

  11. CHEGA ME DÁ DÓ DESSES DOIS, ACHAM QUE ESTÃO COM A CORDA TODA, FINGEM NÃO PERCEBER QUE ELES POR PERTO ACABAM COM OS CANDIDATOS, E QUE VERGONHA HEIN COMPANHEIROS! VOCÊS JÁ FORAM, O POVO ABRIU OS OLHOS.

  12. Se isso representar uma indicação para 2022 já é um alento. Ao menos esses dois pilantras-lula e bolsonaro- estariam com sérias dificuldades para vencer a corrida presidencial

    1. Fica tranquilo q esses dois já rodaram..!! Acho q ainda não informaram eles..!

  13. Bom sinal. Passou da hora de a população se conscientizar de que há outras opções além da estúpida polarização petismo/bolsonarismo.

  14. Para a felicidade geral do gado bombeiro do Brasil, LULADRÃO E BOZO para 2022, junto com os apoiadores do centrão e milicianos do RJ.

  15. Bruno Engler em BH não conseguiu convencer nem o próprio partido sobre a vice que queria, quanto mais o eleitor que já sacou que Bolsonaro e companhia foram o maior estelionato eleitoral do Brasil!!!

  16. Finalmente,o eleitor está acordando...Candidato q tenha o dedo desses 2 VERMES,Voto ZER O.Vamos começar a limpeza,pelas nossas cidades.Em 2022,exterminio total desses LIXOS. O Brasil depende de nois. Não as velhas RATAZANAS.

  17. A minha frustração é a matéria não apresentar ao eleitor as opções de renovação, por exemplo no caso do Rio o Fred Luz (NOVO) e Eduardo Bandeira (REDE) . Gastaram longas linhas para cobrir os velhos políticos e velhas práticas que todos os dias vcs nos torturam. Perderam a oportunidade de dar ao eleitor tb a informação sobre novas opções promovendo o voto consciente. A mídia acaba ajudando a perpetuar esse sistema. O eleitor carioca pede socorro! Pede informação! Ajudem-nos!

    1. Concordo com Alan. Parece até uma certa propaganda disfarçada para os velhos lobos da política brasileira. #wakeupdeadman

    1. O carioca,tá esperto,não vai votar nessa bichona....Não a CARLUXA....

  18. Fatos quase sempre desmentem previsões. Previsões são ótimos meios de encher páginas e páginas de escritos que não serão submetidos a escrutínio. Escrutínio é na urna, e sem fraude, espera-se. rs

  19. E o Nilmário Miranda, com seus míseros 2% da intenção de votos na capital dos mineiros. Mais uma vez Minas dá provas de que sabe votar, pois até livrou o senado de uma Dilma Rousseff.

  20. O Bolsonaro é uma decepção tão grande para os seus eleitores -os não gado ,evidentemente, - quanto o Lula. Os políticos brasileiros precisam entender que o povo está ficando sem paciência. É bom parar com a roubalheira ou terminarão embaixo da ponte, sem teta pública para sugar.

  21. Essa foi campeã. Acho que quem tem que se preocupar é a CRUSOE. Sua credibilidade deve ser comparada com a do Lula. Distorce fatos, omite informações, atropela a verdade. CRUSOE fala um pouquinho dos lançamentos financeiros daquela família que manda em vocês. O pessoal do plin plin. Não falo o nome pra não ser censurado. CRUSOE lixo.

    1. estou com vc Afrânio. A Cruzoe é pior que todos candidatos.

  22. Nossa!!! Não é pra menos, depois de tanta traição, de tanta facadas nas costas, o povo tem mais é que rejeitar essa gente! Mas...cá pra nós ( Crusoé): No meio de tanta traição, safadezas políticas, truques pra lá de malabarescos pra se safar da justiça, será que sobrou algo de democrático? Não passou da hora de a Crusoé (melhor jornal sobre a matéria) começar a "desenhar" pro povo 'Quem são os verdadeiros dono do poder'? Qd a roda do carroção está comprmetida não tentamos consertá la, a substi.

  23. Gostaria de sugerir a CRUSOÉ apontar quais os candidatos tem o compromisso no combate a corrupção. A corrupção é o principal problema em nosso País.

    1. Grande observação. Na falta de argumentos a Crusoe cria situações. É uma prática da imprensa suja.

  24. BolsoLulas de tanto roubar , de tanto defender pautas contra a corrupção vão colher os frutos . E na eleição de 2022 será mais um momento de aposentar os Renans , Barros , Maias , Alcolumbres e demais , e , assim, o fim do foro privilegiado e o lava toga nascer e mandar para casa Gilmar , Toffoli . Um sonho

  25. O problema é que só tem canalhas. As alternativas são péssimas! Quem é que se anima, por exemplo, a votar em Celso Russomano? Eu não digo todos, mas cem por cento são vagabundos, pilantras e desmoralizados. A partir daí, há de se procurar as exceções da regra. Se é que existem.

  26. Lula já é finado, falta tão somente retornar s cadeia e devolver o suor subtraído de nossos impostos. Bolsonaro já sabe que Trump, seu ídolo, à quem ele imita, está prestes a receber do povo americano à sentença "TÁ DEMETIDO". Bolsonaro tambem vai receber o que estar fazendo com povo "CARTÃO VERMELHO "

    1. É isso aí Jose, tirar esses malandros do poder. O problema é que o povo se deixa levar facilmente com as falácias desses dois.

    2. Estamos juntos, José. Vamos dar cartão vermelho.

    1. Candidato apoiado por 2 VERMES.....VOTO ZERO.Acorda BRASIL.

  27. O Lula já enterrado e os esquerdopatas ainda não perceberam. O ex-capitão está plantando as sementes de sua derrocada em 2022. Quem viver verá!

    1. ANO QUE VEM JÁ TEREMOS AS VACINAS. SE O GOVERNO NÃO BOICOTAR A VACINAÇÃO,PORQUE DO BOZO SOCIOPATA PODEMOS ESPERAR AS PIORES LOUCURAS, IREMOS AS RUAS TODOS VACINADOS CONTRA A PANDEMIA E CONTRA ESSE GOVERNO DE LADRÕES SAFADOS.

  28. o presidiário é um sociopata, que como Narciso se acha o perfeito... se afoga dentro da sua imagem... o capitão se perdeu em sua gritaria sem eco... não se sabe se é louco ou sonso... acha que o eleitorado é besta em acreditar em suas jogadas manjadas... perde um pouco hoje e perderá tudo em 22...

    1. Povo não adianta vocês pode eleger DEUS para presidente do Brasil 🇧🇷 ele não vai conseguir fazer nada porque o povo elegem uma câmera de deputados horrível e corrupta e um senado na sua maioria horrível e corrupta . Ex Ciro Nogueira e Renan Calheiros por aí à fora sem legenda para vocês povo brasileiro

    2. O Moro é ruim - patético, na verdade -, mais ainda pior é a candidata de Porto Alegre que vai criar o Partido Comunista Cristão.

    3. Em 2022 fora 171. BOLSOLULA. Bangú para vcs família Miliciana

    4. Em 2022,CAPITÃO 171,terá a resposta do Brasil..O MOLUSKO já estará enterrado....Então é MORO PRESIDENTE.

    5. Torço pra sua previsão se concretizar, Marcelo. Seria uma catástrofe para o país mais quatro anos desse governo. Mas que o preço disso não seja a volta do PT. Temos que ter uma quarta via, deixando de fora também o PSDB. Se não for o Moro, quem poderá ser?

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO