Ernesto surpreende

28.08.20

Surpreendentemente, em discussões internas no governo, o Itamaraty de Ernesto Araújo se posicionou contra o desejo dos Estados Unidos de derrubar o limite para a venda de etanol para o Brasil sem cobrança de imposto. Hoje os americanos usufruem de uma cota anual de 750 milhões de litros livres de tarifas. Se o governo brasileiro não fizer nada, o benefício irá vencer na próxima segunda-feira, 31. Para os americanos, porém, não basta que a cota seja mantida. Eles pressionam para que a isenção seja ilimitada. Um interlocutor a par das negociações diz que os ministérios das Relações Exteriores, da Economia e da Agricultura estão de acordo em só aceitar a ampliação da isenção em troca de uma contrapartida americana para empresas brasileiras do setor açucareiro, interessadas em exportar mais para os Estados Unidos.

Adriano Machado/CrusoéAdriano Machado/CrusoéO chanceler raramente se opõe aos interesses americanos

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Será que finalmente acordou. Admiro os Estados Unidos, mas com eles deve-se negociar com os dois pés atrás. Lembro-me do desastre Collor que entregou quase tudo sem contrapartidas e quando o Brasil acordou e quis rever eles disseram que se aceitaram era porque era bom para nós. E no caso 5G eles acusam os chineses do que está provado (vide Snowden) que eles próprios fazem. Até telefone da Dilma foi monitorado! Muito cuidado nesta área Brasil!

  2. EUA taxou o aço brasileiro, não quer o Brasil com 5G e agora quer levar o álcool sem pagar impostos. E tem brasileiro gritando Go Trump kkkkkk

  3. Indústria sucroalcooleira é outro clã no Brasil. tem que negociar, está certo, mas sem deixar isso contaminar os objetivos de longo prazo de livre mercado. Que vença o melhor - tem que ser a regra!

  4. Eu tô até vendo a cena: Trump de um lado, de ao nosso PR "Olha, vamos exigir um absurdo de vcs..." e nosso PR pergunta: "Que devemos fazer?" Trump: "Cara, vc é mesmo um patriota? Deve refutar, recusar, fazer cena!" Nosso PR: "Ah, tá...". Qual é? A contrapartida é parte do jogo. Uma mão lava a outra. Os americanos querem que empresa chinesa fique de fora do 5G brasileiro? Qual a contrapartida se fizermos isso? Tudo um jogo. E nós somos meros espectadores.

  5. Finalmente há pedido dd contrapartida!! Ainda assim, tenho certeza que é esforço da Ministra Tereza Cristina, porque pelos outros dois...

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO