Reprodução

Segurança do premiê do Reino Unido é detido por aposta sobre eleição

19.06.24 15:49

Um policial que integrava a equipe de segurança pessoal do primeiro-ministro do Reino Unido, Rishi Sunak (foto), foi detido por suspeita de envolvimento em esquema de apostas sobre as eleições gerais de julho.

A informação foi revelada pela BBC nesta quarta-feira, 19 de junho.

O suspeito havia feito apostas sobre a data da eleição geral, que foi convocada por Sunak para 4 de julho.

A denúncia do suposto esquema foi apresentada pela Comissão de Apostas, agência do governo britânico, à Polícia Metropolitana de Londres na sexta, 14.

“O assunto foi imediatamente encaminhado aos oficiais da Diretoria de Padrões Profissionais da Polícia Metropolitana, que abriram uma investigação, e o oficial também foi afastado de funções operacionais”, disse a Polícia Metropolitana à BBC.

O suspeito foi detido ainda na segunda, 17, e liberado sob fiança. Oficialmente, ele é investigado por suspeita de má-conduta em ofício público.

A má aposta de Sunak

 

A aposta do primeiro-ministro britânico Rishi Sunak em adiantar as eleições parlamentares do país para 4 de julho já se mostrava arriscada, com todas as pesquisas indicando o fim de 14 anos de comando do Partido Conservador em favor do Partido Trabalhista. Agora, parece que pode ser ainda pior que o esperado.

Isso por que o partido Reform UK, de direita populista, tem apresentado uma tendência de alta nas últimas semanas. A legenda, que era chamada de Brexit Party, tem uma base eleitoral muito próxima aos Conservadores, e seu crescimento é às custas da desidratação do partido.

Na pesquisa mais recente do instituto YouGov, realizada em 12 de junho, ambos os partidos aparecem empatados com 18% das intenções de voto, ainda bem atrás dos 37% dos Trabalhistas, que devem levar a maioria do parlamento e instituir Keir Starmer como o novo primeiro-ministro inglês.

Nas últimas semanas, a aposta de Sunak se mostrou tão errada que os Trabalhistas agora se encaminham para uma supermaioria no Parlamento. A plataforma Electoral Calculus projeta que os trabalhistas ganhem 264 cadeiras em Westminster, chegando a 461 das 650 cadeiras. O partido Conservador, que hoje tem uma maioria com 351 parlamentares, cairia para algo como 63 após a eleição do mês que vem.

O risco de Sunak agora é o Reform UK, partido comandado por Nigel Farage, o parlamentar que em 2016 mostrou o seu poder de fogo e coesão ao comandar a eleição que tirou o Reino Unido da União Europeia. O partido, renomeado após conseguir efetivar o Brexit, deve servir para o eleitor de direita britânico, insatisfeito com a liderança de Sunak, aplicar um voto de protesto.

Leia mais em Crusoé: Chance de vitória trabalhista no Reino Unido é de 93%

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
Mais notícias
Assine agora
TOPO