Marcos Corrêa/PR

Quem é o agente da PF próximo a Bolsonaro que esteve na reunião com a Pfizer

12.05.21 18:01

O ex-secretário de Comunicação da Presidência Fabio Wajngarten afirmou nesta quarta-feira, 12, em depoimento à CPI da Covid, que foi “assessorado” pelo “assistente” João Paulo Dondelli (foto) na primeira reunião que fez com executivos da Pfizer, no Palácio do Planalto, para discutir a compra de vacinas contra o coronavírus, em novembro do ano passado.

Nomeado como diretor de “Projetos Especiais” da Secretaria de Comunicação da Presidência em setembro do ano passado, Dondelli é papiloscopista da Polícia Federal e foi um dos integrantes da chamada “Equipe Messias”, responsável pela segurança do presidente Jair Bolsonaro na campanha de 2018.

A ida de Dondelli para a Secom coincide com o período em que o diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência, Alexandre Ramagem, levou outros agentes da PF que também atuaram na escolta de Bolsonaro nas eleições para a Abin. Esses agentes são considerados pessoas de confiança da família Bolsonaro e integram a chamada “Abin Paralela”, que executa serviços fora do escopo da agência a pedido do Planalto.

Na CPI, Wajngarten disse que Dondelli o assessorou na reunião do dia 17 de novembro de 2020, com o presidente da Pfizer do Brasil, Carlos Murillo, que irá depor à comissão nesta quinta-feira, 13. Segundo o ex-secretário de Comunicação, outras duas reuniões com executivos da Pfizer ocorreram dois meses depois de o governo federal ter ignorado uma carta enviada pela empresa propondo uma negociação para compra de vacinas contra a Covid-19. O negócio só foi efetivado neste ano e as primeiras doses chegaram ao Brasil em abril.

A atuação de Dondelli na Secom é pouco conhecida por funcionários que trabalham no Planalto. O currículo entregue pelo agente ao governo diz que seu objetivo é o de “prestar assessoria governamental voltada à análise de dados, atos e procedimentos em área especificada, a fim de criar ambiente transparente e de governança pública”.

Em linguagem vaga e generalista, Dondelli diz ainda que trabalha na “comunicação com canais de governança e administração de projetos e pessoas voltadas ao objetivo colocado pela administração”. Em janeiro, Crusoé mostrou que o tal “Departamento de Projetos Especiais” não havia produzido até então um documento oficial sequer que tivesse passado pelo sistema eletrônico de processos do governo.

Já é assinante?
Assine a Crusoé ou nosso combo e ganhe o novo eBook de Mario sabino

Assine a Crusoé

*válido até 30/06/2021

Assine a Crusoé ou nosso combo e ganhe o novo eBook de Mario sabino

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
    1. Só não é pior do que os governos de lula e dilma, mas ele tá se esforçando pra chegar lá!

  1. Não tem como explicar nada. Um cabidão de empregos. Secom na compra de vacinas com um papiloscopista. É surreal! Fora Bolsonaro!

  2. O que um papiloscopista tem a fazer na Comunicação... e o que um cara da Comunicação tem a fazer com os técnicos da Pfizer? Tudo errado é suspeito.

    1. É, vai ver se na diferença de preço, que agora é de $1bi a mais, não tem uma rachadona por trás?

  3. O que tem de errado nessa conduta??? Não vejo nada de anormal, principalmente pq no Brasil tem espertos de todos os matizes, na própria atividade de imprensa vcs sabem que existem muitos espertos hoje desesperados pelo vil metal que comiam. Para aqueles que trabalharam no grupo globo e na falha de são paulo que conforme diz o livro A Organização afirma que os dois ganharam um parque gráfico da Odebrecht. e vcs nada disseram. A defesa de quem não quer ser enganado e levar a policia mesmo.

    1. Não tem nada de certo na conduta, se o objetivo era fechar uma negociação para a compra de vacinas. Uma equipe dessas, não tem capacidade analítica para negociar a troca de uma galinha botadeira por um bicicleta com pneu careca e freio contrapedal. O governo Bolsonaro, fica cada vez mais explícito, é uma curva de rio, que só parou lixo. Se queriam realmente comprar vacinas, teriam que ter uma equipe mais qualificada, e pelo jeito, para isso, teríamos que ter um PR mais qualificado.

  4. Pelo visto o Sociopata Genocida conseguiu transformar a PF em Milícia Armada Particular da FAMILICIA . Quem diria que estava trocando uma Quadrilha Organizada por uma Milícia Familiar dos BolsoNeros.

  5. Todos pagos com dinheiro público, fazendo absolutamente nada, para falar com a Pfizer precisava escalar alguém melhor, que falasse inglês e entendesse a grandeza da empresa

    1. O que pode se esperar de uma Administração cabeça de prego? Lamento muito em quem votou nesse processo maluco do Presidente, a resposta vem vindo a prestações a sociedade brasileira, votando é que se aprende, é inicio de uma democracia.

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO