Agência Senado

Ministro já espera adesão de 15 reitores a programa para universidades federais

17.07.19 14:15

O ministro da Educação, Abraham Weintraub (foto), comentou com interlocutores que o novo programa para ampliar a participação privada no ensino superior público já tem a promessa de adesão de 15 reitores, sendo nove de institutos federais e seis de universidades federais.

Batizado de Future-se, o programa foi lançado nesta quarta-feira, 17. Ele permite às instituições federais de ensino superior fazerem parcerias público-privadas, cederem prédios, criarem fundos com doações e até venderem direito de uso do nome em campus e edifícios.

Antes de abrir o prazo para adesão das universidades e institutos, o MEC fará uma consulta pública sobre o Future-se pela internet, pelos próximos 30 dias. O setor jurídico da pasta prevê que alguns pontos do programa precisarão ser aprovados pelo Congresso para entrarem em vigor.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Ótima medida! Demorou! Trabalhei quase 10 anos em Universidades públicas; o modelo atual levou o Brasil a um sistema de pesquisa raquítico. O resto é chororô que repete discursos dos estudantes chulezentos da década de 80.

  2. Antevê-se uma cabeça de ponte , cujo objetivo final é a alienação da universidade pública em favor das raposas particulares. É a linha do Sr Guedes de fazer as coisas ao estilo e cartilha de Chicago

  3. Se as doações de particulares forem para cursos específicos as áreas exatas aero premissas pela sua meritocracia já as filosofias da vida que nao dão retorno continuarão precisando da teta governamental.

    1. É justamente este o ponto... dinheiro privado para áreas mais próximas ao mercado e dinheiro público (se houver) para as demais áreas...

  4. Estão vendendo mais um carro velho como se fosse novo. Parcerias com o setor privado sempre existiram via as fundações universitárias. Ou como vocês acham que a UFRJ montou a COPPE? Também, doações privadas as universidades foram aprovadas pelo Temer. Entretanto, estas doações não fluirão se não houver dedução no imposto de renda, coisa que o Guedes não cederá. O resto do projeto é o mesmo de sempre. Em resumo: estas ações não resolverão os problemas das universidades federais brasileiras.

    1. Deu a louca no João!!! #marcola livre, também! Alô...Terra!

    2. José, ainda não tenho opinião formada sobre a questão discutida, mas gostei do modo civilizado como Ronaldo discordou, diferente de algumas pessoas que comem o fígado das outras.

    3. Ronaldo e Lucas. Por favor, mostrem como o plano do governo contribuirá para que o brasileiro viva com dignidade? Sem isso, seus argumentos são pueris. João Bozista, pergunte aos pobres pobres formados nas universidades periféricas e pelo prouni o que eles acharam da experiência. Até lá você é apenas um apedeuta pago pelo Carlyxo para postar aqui.

    4. É isso aí companheiro Jose. #LulaLivre. Educação boa foi a de nosso desgoverno petista que abriu uma universidade em cada esquina e deu ao pobre preto periférico a oportunidade de comprar seu diploma com dinheiro público via ProUni. É assim que se educa e se compra votos pra esquerda. Chupem essa seus Bozistas! Lula voltará!

    5. Ronaldo que bela maneira, respeitosa, de discordar de alguém. Você é um exemplo para todos nós.

    6. José, deixe o brasileiro ter oportunidade de vida com dignidade.

  5. Muito bom . Fora pensamento esquerdóide , Marx , Paulo Freire , contra mercado e capital . Nunca deu certo, não temos nenhum Nobel , saem das universidades hoje um excessivo número de estudantes analfabetos funcionais. Parabéns pelos novos ares .

  6. sensacional, dificilmente Doria vencerá em 2022. Imagina o desespero desse preguiçoso em ficar mais 4 anos no governo, essa chatice. Acho melhor vcs mudaram de lado.

  7. As Universidades públicas brasileiras estão vivendo há anos, com o "pires na mão". Portanto, com este novo Programa denominado "Futura-se", que terá a participação de entidades privadas, espera-se que seja a salvação das Universidades públicas brasileiras. Isto acontece nos países desenvolvidos, como nos Estados Unidos, Inglaterra, Alemanha e até em Portugal. Por que não em terras brasilis?

  8. Aguardando projetos para a nossa combalida educação básica sem a qual continuaremos formando estudantes analfabetos funcionais. ???

    1. Concordo plenamente. Este governo começou dizendo que as prioridades seria a educação básica com atenção especial ao ensino médio profissionalizante. Parece que o foco agora é mais econômico do que sócio-educacional: atrair investidores e parceiros da iniciativa privada para reduzir investimento e custeio público no ensino superior, especialmente nas universidades. Mas o problema da educação básica vai continuar.

  9. Bora Abraham. Se, caneladas a parte, começar a marcar gols, o país ficará no lucro, já que nesta Pasta, uma das mais importantes para o alicerçar a reconstrução da terra arrasada que é este nosso assaltado e roubado país, reside a esperança de se transformarem em verdadeiros homens, os jovens, o futuro mais promissor desta nação.

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO