Reprodução

Junta militar de Mianmar vai liberar 5 mil presos políticos

18.10.21 13:25

O chefe da junta militar de Mianmar, Min Aung Hlaing (foto), anunciou nesta segunda, 18, a liberação de 5.636 presos políticos.

Hlaing liderou um golpe de estado em fevereiro. Após a tomada de poder, milhares de pessoas foram para as ruas protestar e acabaram presas pelo regime.

De acordo com a Associação para Assistência de Presos Políticos, 9.028 foram detidas desde o golpe. Desses, 131 morreram nas prisões após tortura.

Apesar do anúncio, outros 1.600 presos políticos continuam nos cárceres do regime. Entre eles continua Aung San Suu Kyi. Prêmio Nobel da Paz, ela foi presa sob a acusação de cumprimentar outras pessoas com a mão na pandemia e ter walkie-talkies em casa.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. ESSE PAÍS É QUE NEM O BRASIL: NÃO É UM PAÍS SÉRIO. PRENDER UMA ATIVISTA POR APERTAR A MÃO DE ALGUÉM. IMAGINE SE ELA SOLTASSE UM "PUM". IA SER FUZILADA.

Mais notícias
Assine 50% off
TOPO