Dono de laboratório diz esperar aval à Sputnik V para amanhã, mas Anvisa rechaça possibilidade

16.03.21 20:47

Precisamente às 18 horas desta terça-feira, 16, um jato executivo Bombardier Global dourado (foto) apontou na cabeceira do aeroporto de Brasília. A bordo, estavam o presidente da União Química, Fernando Marques, e sua família.

O laboratório é o responsável pela produção, aqui no Brasil, da vacina russa Sputnik V, que ainda não tem nem sequer previsão de ser liberada para uso no país, mas conta com um forte lobby, em seu favor, de políticos de diferentes partidos, incluindo os do Centrão.

Com uma garrafa de vodca importada debaixo do braço, Marques era aguardado do lado de fora da área de desembarque de passageiros da aviação executiva pelo diretor de negócios internacionais da União Química, o ex-governador de Brasília e ex-deputado Rogério Rosso, do PSD, e por seu motorista, a bordo de um vistoso Rolls Royce preto.

A Crusoé, Marques afirmou que nesta quarta-feira, 17, toda a sua equipe, incluindo Rosso, vai trabalhar duro para que a Anvisa libere a distribuição da vacina russa no Brasil — no início da semana, embora o governo tenha fechado um contrato para a aquisição de 10 milhões de doses da vacina russa, a agência informou que o papelório sobre a Sputnik V ainda não havia sido nem sequer apresentado.

A expectativa é que isso se resolva amanhã, pelo amor de Deus! Estamos precisando da vacina russa para ajudar a salvar as pessoas”, disse Marques.

Adriano Machado/Crusoé

O empresário, que chegara de Campinas, diz que aguarda a área técnica da Anvisa se posicionar. “Os técnicos da área regulatória, de Moscou e da União Química estão conversando. A documentação está toda sendo apresentada direto lá (na agência). Amanhã estará todo mundo envolvido nisso. A ideia é que (o processo) se conclua.

Marques sentou no banco do carona do Rolls Royce. Sobre a vodca, que ainda levava bem acomodada debaixo do braço, ele disse: “Isso aqui é pra pôr lá em casa, eu ganhei”.

Ouvida por Crusoé, a área técnica da Anvisa considerou “irreal” a previsão de Fernando Marques e descartou a possibilidade de haver qualquer definição na reunião desta quarta com a União Química.

Os técnicos da agência afirmam que não há, até o momento, emissão de certificado de boas práticas de fábricas da Sputnik no Brasil ou mesmo na Rússia. O que pode acontecer, na reunião, é a entrega do dossiê que precede o pedido de uso emergencial da vacina.

As pendências relativas de Sputnik V vão bem além do fato não ter sido testada ainda no Brasil: seus fabricantes nem sequer iniciaram o diálogo formal  com a área técnica da agência brasileira.

Não conhecemos os estudos russos. Por isso, essa aprovação não será fácil. Temos ainda que saber onde é a fábrica, na Rússia, das vacinas que chegarão prontas. Nem isso nos apresentaram. Nem com o pedido de uso emergencial poderão entrar já amanhã. A reunião é para oficializar o pedido. É de pré-submissão“, disse a Crusoé uma fonte da Anvisa, sob reserva.

Já é assinante?
Assine a Crusoé ou nosso combo e ganhe o novo eBook de Mario sabino

Assine a Crusoé

*válido até 30/06/2021

Assine a Crusoé ou nosso combo e ganhe o novo eBook de Mario sabino

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. A burocracia estatal cega e insensível a situação emergencial da nação. AAnvisa deveria ser mais célere e diligente mas não muda sua cultura burocrática por conforto e segurança. Ou libera logo ou dá uma negativa rápida. É a única produtora de vacinas no território nacional q produz o seu IFA e portanto a única q pode se chamar de produtora de vacina Covid19. As outras são envasadoras por hora. Merece no mínimo uma visão menos estatal e mais produtiva. Rapidez e celeridade na sua definição.

    1. Emílio, qual é a expertise deste laboratório? Eles fabricam BO, q pelo jeito é um ótimo negócio no Brasil, dado ao padrão de vida desse senhor. Então meu caro, ñ é uma farmacêutica conceituada. As demais vacinas tem por trás o Butantan e a Fiocruz, dois laboratórios centenários. A pressão que esse NEGÓCIO exerce na Anvisa, acende um sinal de alerta. Queremos vacinas sim, desde que a Anvisa chancele que a mesma é eficaz e segura, seguindo um rito mais rápido, mas com responsabilidade.

  2. Pela chegada pomposa do empresário à Brasília, imaginem a quantidade de dinheiro que vai rolar. É a pandemia substituindo a Petrobras na corrupção brasileira. Estamos de volta a sujeira, tem que investigar empresários, governadores e prefeitos.

    1. Tem que investigar o presidente da República, que é o responsável pela morte de 300 mil mortes de brasileiros, 75% evitáveis se não fosse o seu negacionismo, o seu obscurantismo e a sua irresponsabilidade.

  3. ...enquanto isso, "Rui Correria", governador da Bahia, já dá como certa a aquisição de milhões de doses da SPUTINIK V. NÃO quer saber se os Estados Unidos e a União Europeia estão boicotando a vacina pelas razões conhecidas (falta de transparência na preparação) e pelo fato da Rússia ter dado um sumiço num dos opositores de Putin. "Rui Correria" também PARECE ignorar q a tal vacina só foi testada em pessoa com idade igual a 60 anos.

    1. Rui Correria pagou adiantado 40 milhões, do consorcio nordeste, na compra de respiradores chineses. Tomou calote. Espero que nesta negociação os russos e seus representantes tenham piedade dos baianos e entreguem as vacinas após receberem o pagamento.

  4. Se vocês conhecer alguém que trabalha ou trabalhou em farmácias, perguntem a qualidade dos remédios desse laboratório União Química... no jargão da área de farmácia são todos "medicamentos BO" (gíria do comércio de remédios que significa Bonificados - quando se compra 1 caixa e o laboratório "dá de graça a segunda" - ou se fala ainda "BO" como significado "Bom para Otário"... Resumo: lixo.

    1. Não tenho inveja de ninguém. A questão é o contexto. O presidente de um laboratório de BO, pelo jeito ganhou muito dinheiro. E já coloca o pau na mesa, ostentando que tem muito dinheiro para uma aprovação sumária da vacina frente à Anvisa.

    2. O presidente da empresa chegar num jato, uma ostentação desnecessária, somente externa que tem muita grana em jogo. Aumentar a quantidade de vacinas hoje no Brasil, é algo essencial. Vender vacina agora, é como vender água no deserto. Então por que essa conduta? Algo não cheira bem no Reino da Dinamarca...

    1. João, vacinas são aplicadas em pessoas saudáveis. Isso é muito sério. O cara pode chegar de jato, carrão, num terno italiano, o que eu acho estupidez no contexto, visando um negócio bilionário. O que vale no final, é a aprovação dos funcionários da Anvisa, que podem ir trabalhar de carro popular ou mesmo de transporte público. O padrão de vida dessse esnobe, fica do lado de fora do portão da Anvisa. Quem paga o salário dos colaboradores da Anvisa são os cidadãos. Ninguém pode pressionar a Anvisa

    2. Todos gritam por mais vacinas,mas se são de um laboratório cujo dono tem um jato dourado e um Rolls Royce preto aí torcem contra... É isso que eu chamo de RECALQUE,entenderam? Precisamos de qualquer vacina ,desde que aprovada pela ANVISA não importa a origem!!

  5. Essa vacina não tomo nem sendo pago. É defendida pela parte podre do país, que quer aprová-la na marra. Não tenho dúvidas de que o novo ministro é o emissário dos fabricantes e vai lutar pela sua aprovação, sem cumprir os requisitos básicos. La garantia soy yo, e está acabado.

    1. Achei a colocação "carrão contra carros populares", um pouco exagerada..... O negócio das vacinas é um negócio milionário para todos laboratórios,para nos o que importa é qualquer vacina aprovada pela Anvisa. Futuramente poderemos escolher pelo preço ou se preferir de acordo com a ideologia,hoje não!!!

    2. Cade os trabalhos cientificos????? Cheirinho de mais uma cilada.

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO