Departamento de Estado

Quem são os integrantes do gabinete de Biden em política externa e segurança nacional

23.11.20 17:22

A equipe de transição do presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou nesta segunda-feira, 23, o nome dos integrantes do futuro gabinete nas áreas de política externa e segurança nacional. A maior parte deles já assessorou Biden quando o democrata foi vice no governo de Barack Obama.

O primeiro da lista é Antony Blinken (foto), que será o secretário de estado. Ex-jornalista da revista The New Republic, em que cobria a área internacional, ele passou a escrever artigos de opinião para o New York Times e tornou-se analista da CNN. Depois, formou-se em direito e entrou no serviço público. Desde 2002, Blinken tem assessorado Joe Biden em questões de política externa. Em junho de 2015, ele acompanhou Biden em viagem ao Brasil e encontrou-se com a presidente Dilma Rousseff (foto). De 2015 a 2017, Blinken ocupou o segundo posto no Departamento de Estado no governo de Obama. “Nesse papel, Blinken ajudou a liderar a diplomacia na luta contra o Estado Islâmico, no equilíbrio de forças com a Ásia e na crise global de refugiados, enquanto construiu pontes com a comunidade de inovação”, diz o comunicado da equipe de transição.

Pela primeira vez, um latino ocupará o cargo de secretário de Segurança Nacional. Nascido em Havana, Alejandro Mayorkas mudou-se com a família para os Estados Unidos após a Revolução de 1959. Advogado com experiência no setor privado, ele tornou-se promotor na Califórnia, onde investigava crimes de colarinho branco. Durante o governo de Obama, entre 2013 e 2016, foi o segundo nome no Departamento de Segurança Nacional. Nessa função, ele comandou a implementação do Daca, programa que beneficiou os filhos de imigrantes que entraram ainda crianças nos Estados Unidos e que Donald Trump queria cancelar.

Avril Haines será diretora de Inteligência Nacional. Na CIA, a agência americana de inteligência, ela já foi a números dois. A partir de janeiro, ela será a primeira mulher a comandar a Diretoria de Inteligência Nacional.

Linda Thomas-Greenfield será a embaixadora dos Estados Unidos na ONU. Aposentada após servir por 35 anos, ela ocupou postos em diversos países como Suíça, Paquistão, Quênia, Zâmbia, Nigéria e Jamaica.

O cientista político Jake Sullivan será o assessor de Segurança Nacional. No governo Obama, ele comandou as negociações que levaram ao acordo nuclear entre as potências mundiais e o Irã. Também ajudou a negociar um cessar-fogo na Faixa de Gaza, em 2012. “Ele também desempenhou um papel fundamental na definição da estratégia de reequilíbrio da Ásia-Pacífico tanto no Departamento de Estado quanto na Casa Branca”, diz o comunicado.

O ex-secretário de estado John Kerry será o enviado especial para assuntos relacionados a mudança climática. Kerry foi um dos principais arquitetos do Acordo de Paris, que Trump abandonou oficialmente este ano. Ele fará parte do Conselho Nacional de Segurança.

“Minha impressão é que todos os indicados poderiam ser enquadrados na categoria de ‘falcões liberais’. São ‘falcões’ porque não se distinguem dos falcões normais e têm um comportamento anti-China. ‘Liberais’ no sentido americano da palavra, porque são progressistas e multilateralistas”, diz o embaixador Paulo Roberto Almeida.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

Edição nova toda Sexta-Feira. Leia com Exclusividade!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

Deixar para mais tarde

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Olhando rápido as manchetes, comecei a rir! Porque manchete+foto dá por um segundo, achar que era “ela” a escolhida! Já nossa “ex-presidenta”, se também for leitora da Crusoé, (tudo é possível!) a essas horas deve ter ido dormir com a certeza que fará parte da equipe de Biden! PS - orgulhosa pq ela nem precisou saber fazer hambúrguer!

  2. Veja no que dá, concluir informação só pela capa do jornal. De repente, pensei que o secretário de políticas externas do Biden iria ser a Dilma. Fiquei APERRIADA, kkkkk, e tratei de ler a notícia. Kkk

    1. Maria, tive a mesma impressão!!! É claro que era uma foto antiga. Mas valeu ler toda a notícia

  3. Dilma será a Tradutora do Presidente BADIN para o português e do Javanês do Toffoli para o Inglês. O Bolsonaro terá como tradutor para o Inglês o Hamburgueiro das EMBAIXADINHAS, famoso DUDU pipoca.

    1. O bom de fotografia é isso. Na foto a pessoa permanece totalmente estática e, o bom no caso da Dilma, sem falar e agir

  4. Putz!!! Dilminha no time não dá...😂🤣😂🤣 Brincadeiras à parte , a equipe é pra sacudir os trumptistas dos galhos! Não vejo a hora de que isso aconteça por aqui...

    1. Ulissis Guimarães já dizia : se algum dia você deparar com um jabuti na árvore, pode ter certeza de que aconteceu uma enchente ou alguém colocou ele lá.

    2. À esquerda! Acho que ela foi nomeada ministra de relações internacionais dos States rsrsss

Mais notícias
Assine
TOPO