MarioSabino

Os mortos e os vivos

20.12.19

Quantos mortos existem na sua vida? Na minha, há vários, desde cedo. Mario, Italia, Dinorah, Trento, Jorge, Futin, João, Lourdes, Alberto, Olga, Alice, Maurinho, Regina, Alba, Nelson, Musa, Nicolau, Antônio, Tales, Sarita, Renato, Sergio, Maurício, Vera… É, naturalmente, uma lista que tende a aumentar com o tempo, até que você acaba incluído em elenco semelhante. Neste momento, um deles, Mario, parece me observar. Mario retrato na parede olha Mario que virará retrato digital num telefone aposentado.

Não penso obsessivamente na morte, mas é um tema que se torna insidioso quando você tem como expectativa não mais do que vinte anos pela frente, se nada der muito errado. Sim, eu sei, para morrer basta estar vivo, todos podem morrer daqui a um segundo, não importa a idade. De qualquer forma, não é de todo mau pensar na morte como o desenlace do envelhecimento que vai se desenhando no espelho. E aceitar com certa resignação que você terá um fim e, apesar dele, os dias continuarão a ser dias e as noites continuarão a ser noites.

A aceitação está cada vez mais difícil. Basta olhar ao redor. Faces são paralisadas e corpos são torneados, em tentativa de fuga do cara a cara e corpo a corpo com a morte que se avizinha. Cirurgias, aplicações disso e daquilo, tingimentos, vitaminas, cremes, ginásticas, dietas, maternidades e paternidades tardias, os cinquenta são os novos quarenta, os sessenta são os novos cinquenta, os setenta são os novos sessenta, os oitenta são os novos setenta. Nada contra os expedientes, conservar-se é saudável em si mesmo. Em certos momentos, porém, as tentativas se afiguram pateticamente tristes. É como se pudéssemos aprisionar, mais do que a juventude, a própria vida, mumificando-a em caricatura.

Não podemos. Os meus mortos sempre aparecem para dizer presente nesta época do ano— e lembrar que você se juntará ao time, por mais que procure adiar o encontro. Muitos não sabiam que o seu último Natal era o derradeiro; poucos sabiam. Melhor não saber? Eu já tentei fugir dos meus mortos. É mais fácil quando você está no estrangeiro, em outra língua. O Natal vira uma vitrine que você admira à distância. Uma vitrine de Natal. Os mortos são dos outros e dispensam maiores apresentações. Eu disse que era mais fácil, não que você consegue escapar totalmente de deparar com um dos seus mortos. O Mario retrato na parede, por exemplo, compareceu à linda, porque solene, missa de Natal de Saint-Sulpice, então vigiada por soldados armados de metralhadoras, para evitar mais um ataque terrorista em Paris. Eu o vi sentado à minha direita, algumas fileiras à frente. Ele permaneceu lá até que o homem se levantou para comungar e, ao virar-se na minha direção, mostrou feições diversas. Mortos saem à francesa.

Com os sinais vitais preservados até o instante, também vou embora de fininho neste último artigo de 2019. Os parágrafos precedentes foram escritos para esta saída: lembrar que, no Natal, celebra-se o nascimento de alguém que viria a morrer, e jovem, para que pudéssemos renascer. (O Cordeiro a ser imolado pouco antes da Páscoa.) Há uma metáfora poderosa e extrema aí, mesmo para quem não crê na história ou a ridiculariza. O Natal é uma afirmação da vida que surge como doação, porque essa é a única forma de existirmos realmente. Não vivemos para não morrer; vivemos para que os outros vivam e a nós sobrevivam, em moto contínuo — nós somos eles e eles somos nós, eis a comunhão a ser aprendida. Vale para a religião e para quem acredita no gene egoísta. “Quem ensinar os homens a morrer os ensinará a viver. Quem viu um dia já terá visto todos”, disse o meu amigo Michel de Montaigne, que volta e meia vem me visitar. Pensando bem, sou eu que o visito. Não são os mortos que aparecem aos vivos, mas são os vivos que aparecemos aos mortos. Ir ao encontro dos mortos é tão inevitável quanto a morte que vem ao nosso encontro. Façamos isso com a tranquilidade e o desapego possíveis. Feliz Natal.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

Edição nova toda Sexta-Feira. Leia com Exclusividade!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

Deixar para mais tarde

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Embora com bastante atraso (essas férias de final de ano!) gostaria de parabenizar Sabino pela belíssima reflexão. Tratando com leveza tema tão delicado, e associando-o a uma data tão marcante e sentimental como é o Natal. Agora uma pequena reflexão de minha parte, e me perdoem quem não gostar, sinto muito, mas é como penso. Que distância abissal dessa crônica em relação à produção de quinta categoria do porta dos fundos (em minúsculas mesmo) sobre o Natal e o Cristo.

  2. Tive esta experiência esta semana, no aniversário de 70 anos da minha mãe. De repente aquele número me mostrou que a vida caminha inexoravelmente para o fim. Belo texto, ainda que triste.

  3. Mário Sabido,sabido mesmo,não houve erro na digitação. São poucos jornalistas que conseguem atingir o âmago do leitor,você é um deles,sabido,querido, ungido e abençoado. Meus mortos Mário,sempre estão nos meus sonhos,na minha memória e os que partiram antes do combinado eu finjo que estão viajando .Vou vivendo de amor, pra não morrer de saudade.

    1. Lindo isso que disse, Shirlei. Tenha um ótimo Ano Novo.

  4. Viu? Eu tenho razão, sim, em esperar ansiosamente p seu artigo semanal. Obrigada p dividir conosco os seus sentimentos, seu coração e seu intelecto maravilhoso. Um super 2020 p vc e todos os q te são caros!❤️

  5. Sabino, este último parágrafo me deu uma das mensagens de Natal mais poderosas que já li. Não hesitei em compartilhá-la. Feliz Natal!!

    1. Sua mensagem de Natal é linda e poderosa,dá uma visão fiel e feliz,tranquila. E qto aos mortos,os bons e queridos-revivi ontem alguns,rsrs. É tbm faço isso. Fantástico texto. Feliz Natal !

  6. Penso também assim, daqui a vinte anos serei uma lembrança para meus filhos e netos, para os filhos dos filhos destes a lembrança começará a se dissipar, até ser uma vaga lembranças da árvore genealógica. É a vida. cest la vie.Feliz Natal.

  7. Compartilho com você visitas a Montaigne. " ... quem já viu um dia terá visto todos.." Será? Neste nosso país há surpresas diárias do mais puro absurdo. Felicidades, Sabino e todos da Crusoé/Antagonistas e estaremos juntos no próximo ano.... se a morte deixar, é claro !!!!

  8. Hoje li notícias sobre o judiciário e parlamento, agora o texto do Sabino, só com muito anti depressivo para esperar a morte, minha geração não verá melhoras nessa nação espoliada por políticos e juízes, salve a terra dos tofollis O

  9. Um bom texto embora um pouco depressivo. Prefiro pensar na "morte ' como uma viagem para um nível superior da existencia . https://www.youtube.com/watch?v=mMYhgTgE6MU

  10. Nossa vã pretensão nos ensinou que enfeitaremos esse planeta com a nossa linda presença por mais ou menos 8 décadas, se tudo correr bem. E a galera que bateu a meta dos oitentinhas não quer largar o osso de jeito nenhum. Um bando de velhotes esticados, siliconados, bombados, antenados, conectados, curtindo a vida adoidados. Mário, pergunta pra um desses tiozinhos se estão pensando em ir logo pra terra dos pés juntos e irá se surpreender!! Ninguém tá a fim de morrer não.

  11. Como ainda estou viva graças a Deus, desejo ao POVO da Crusoé um Feliz Natal e muito sucesso em 2020! E espero estar viva para poder continuar lendo estes textos que muitas vezes me aborrecem, mas... a maioria das vezes me DIVERTEM! Abraços a todos da CRUSOÉ!

  12. Já há uns seis anos venho atualizando a lista dos "meus mortos". O que mais me aflige é a velocidade com que ela aumenta... Celebremos a vida diariamente pois o momento imediato a Deus pertence.

  13. A comunhão com os nossos mortos, com a dignidade que eles merecem! Obrigada pela sua admirável bagagem e pela luz que você nos ofereceu ao longo desse conturbado 2019! Feliz Natal e um Ano Novo repleto de paz e amor!

  14. Mário Sabino, que profundo seu olhar conseguiu neste texto sair com maestria do lugar comum e deixar uma mensagem não da morte(que é óbvia), mas de Vida. Grata! Feliz 2020

  15. Depois desse texto meus mortos serão rececebidos neste Natal num misto de alegria e saudades. Entendi que meus mortos sou eu mesma. Obrigada por este sábio presente Feliz NatL

  16. Mário, muito mais velho que você, meus mortos somam centenas. Estou no estrangeiro e sem perspectiva de missa; estarei completamente só neste Natal, em outros também. Os seus, não sei, mas os meus, independente de convite, me visitam a qualquer hora, em qualquer lugar. Com certeza não me faltarão no próximo dia 25.

  17. E a Bia? Meu bom Mário, já terá partido? Eu teria curiosidade em saber. Ah, e o Diogo gorduchão com o bundão no sofá; imagem patética.

  18. Impossível não me sentir como se te conhecesse, como se você fosse próximo. Você é próximo, desde quando li o livro o antagonista. Feliz natal.

  19. Olá, Mário. Temos um amigo em comum: Michel de Montaigne. Provavelmente, Marcus Aurelius, Epictetus e Pink Floyd também. Feliz Natal e um próspero ano de 2020.

  20. Talvez a maior vantagem que um Ateísta tenha sobre um Deísta é que para o primeiro a morte não existe, a vida é eterna, se consideramos que o infinito é aquilo que não se vê o fim ! Quem morre não sabe que morreu , aliás não sabe nem o momento que dorme, os outros é que vem nossa morte ! Portanto para que se preocupar com isto ??

    1. "Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu único filho, para que todo aquele que nele crer não pereça, tenha a vida eterna" Evangelho de João 3:16.

  21. Mário, segundo o raciocínio do Diogo Mainardi você é um energúmeno, pois quem acredita em Deus é de direta, esquerdistas não acreditam. Ele diz que energúmenos de direita não fazem arte, literatura, etc, são a franja da franja. Ou será que o energúmeno é ele? É so comparar os dois textos, o seu e o dele.

    1. Bem lembrada a diferença de essência contida nos dois textos. Esqueçamos toda a infelicidade, raiva, agressividade e tantas coisas ruins de um espírito horrivel, espelhados pelo Mainard em seu texto. Fiquemos com este belo, profundo e verdadeiro texto do Mário. Para quem, como eu, nunca gostou do Natal, trouxe um sublime significado para esta, doravante, especial data. Obrigada Mário. Feliz Natal.

  22. Gostaria de repudiar seu artigo anterior sobrePaulo Freire, um desrespeito, um texto desqualificando um assunto que vc não conhece , desmerecendo com um humor abjeto.

  23. Grande Sabino. Ler seus escritos me lava a alma. Neste artigo, arte, ciência e espiritualidade se misturam. Resultado: Arte com A maiúsculo. Gostei das caricaturas que tentam enganar a morte. Basta assistir ao desfile de personagens grotescos, na televisão, que buscam iludir a nossa companheira silenciosa e implacável de todos os momentos. Seu texto me fez lembrar da letra de Fake Plastic Trees (Radioheaded): "He used to do surgery for girls in the eighties, but gravity always wins". Parabéns.

  24. Mario Sabino está deprimido. Vecchiaia mais a Síndrome do Natal e do Ano Novo. É importante que ele saiba que NÃO HÁ ALTERNATIVA AO OTIMISMO; assim, o Otimismo é uma condição necessária da VIDA; caso contrário... la nave và al fondo. Em complemento ao que foi fito, é importante incorporar que o Princípio da Impermanência rege todo o Universo, o que nos leva a ser Otimistas, caso contrário a vida e suas passagens serão o chamado "inferno na Terra".

  25. Continuando: e todos nós? Entendi, mas não entendi. Só depois da morte dele e que compreendi a necessidade de morrer. E as vezes ela é urgente. Minha avó faleceu quatro meses depois. Causa: saudade. Amor. Ausência. Falta. Eitaaaaaa, fui longe... Feliz Natal, Mario! Brindemos à vida por enquanto. Obrigada por tudo!

  26. Eita Mario! Textão cheio de mensagem e reflexões! Quando se fala na tentativa absurda e já falida de driblar a morte e o envelhecimento, lembro-me do livro: O retrato de Dorian Gary. Meus avós eram leitores vorazes e me fizeram ler diversos livros. Um dia, bem garota, disse ao meu avô: não quero que vc morra nunca! Ele era um SER HUMANO maravilhoso. Singular. Nesse dia, ele me fez ler esse livro. Quando terminei ele me perguntou: entende agira, o porquê de ser tão importante eu morrer e todos no

    1. Feliz Nativida Cada um com seu aprendizado, seguindo o caminho iluminado.

  27. "...e o Verbo se fez carne e habitou entre nós". Obrigada,Mario, por existirem seus textos para nossa comunhão. Feliz Natal!

  28. Uau, que texto lindo! Obrigada, Mario, por mais um ano junto a nós, compartilhando o seu saber! Que muuuuitoooos anos ainda venham para você, para que continue nos presenteando com seus belos textos e ótimas análises. Um Feliz Natal para você e sua família! Saúde e paz para 2020!

  29. Mario Voce está proibido de morrer. Nós , teus seguidores diários , desde sempre , e o Brasil , não o perdoaremos . Voce é um bem necessário. Feliz Natal

  30. Precisamos ir nos acostumando com a nossa finitude assistindo as nossas perdas e as nossas transformações com a mesma tranquilidade de quem aprecia uma paisagem passar através da janela de um trem. Ninguém quer perder nada. Ninguém quer envelhecer. Nem ficar careca. Nem de cabelo branco. Nem com rugas. Ora bolas. Daí é que vem a nostalgia! Bola pra frente que aí vai gente! E podemos ser nós. Vivamos felizes enquanto há vida!

  31. Feliz Natal, Mario! Muito obrigada por tudo que escreveu durante esse ano. Seus textos são os primeiros que busco na Crusoé. Você é, da mesma forma, encantador, ao vivo. Eu estive no Antagonistas e SP. Foi um grande prazer conhecê-lo. Deixe os mortos para lá! Espero que esteja bem vivo para nós brindar com a sua escrita! Parabéns !

  32. MUITO bom texto. Ri muito. Tenho mais de 70 e também fico mirando a galeria. Meu pai, seu Dió para a família, dizia que a vida é uma festa que quando chegamos já começou e nós vamos e ela continua.

  33. Feliz Natal, Mário. E obrigada por lembrar nossa fragilidade assim como a presença de nossos mortos em nossas vidas. Paradoxalmente, isso nos ajuda a viver.

  34. nesta época tb eu penso muito nos mortos e na minha vida passando e indo ao encontro deles. embora o período devesse ser a celebração da vida. a mesa posta nos monstra as cadeiras vazias. vida longa e boa para vc Mario sabino

  35. Feliz Natal, Antagonistas! Que 2020 seja repleto de muitas matérias exclusivas, independentes e inteligentes como até agora.

  36. Feliz natal Mário, Cláudio e Diego. Feliz natal a todos da Crusoé e seu importante e relevante trabalho. Belíssima crônica, como sempre

  37. Natal é a celebração da vida e, sobretudo, da vida sobrenatural trazida pelo Redentor da humanidade, o Menino Jesus, o aniversariante da data. Mas o texto, em suas considerações sobre a morte, traz contribuições para melhorar a vida dos "viventes". E é muito verdadeira a idéia de que pensar na morte PODE nos tornar pessoas melhores... ou menos piores. Feliz Natal a todos!

  38. Obrigado Mario por sua excelente crônica. Vou citar partes dela no próximo domingo em minha congregação na mensagem de Natal. “Não vivemos para não morrer; vivemos para que os outros vivam e a nós sobrevivam, em moto contínuo.” Jesus veio para nos dar vida e vida em abundância. Morreu para que vivêssemos. Eternamente.

  39. Sou italiano e em nossa tradiçao ha coisas que nao se podem expressar senao com um bom e sonoro palavrao...puta que pariu, que texto!! Obrigado.

  40. Embora melancólica, depois da leitura desta crônica deliciosa, só tenho a agradecer a você, Sabino, pelo presente de Natal. Traga-nos outros mais nos próximos anos. Você é imprescindível à nossa querida Crusoé. Feliz Natal !

  41. Que venham muitos natais ainda na vida de todos nós para podermos apreciar suas pérolas semanais, caro Mário. Um feliz natal a toda a família Crusoé.

  42. Caramba! Às vezes fico muito brava com publicações de Mário Sabino. Outras vezes aplaudo! Esta, em particular, me tocou profundamente. Poética, apesar do tema melancólico, embora realismo, da MORTE! Do alto dos meus setenta anos, estou bem assim, Mário, reflexiva, emaranhada nas recordações dos meus mortos e vislumbrando (gostei desta idéia) o MEU RETRATO NA PAREDE, lembrando que o tempo corre inexoravelmente! FELIZ NATAL, contemplando o VERDADEIRO SENTIDO DESTE EVENTO!

  43. Caro Mário, dois mortos que nunca foram vivos vieram me visitar enquanto lia a sua crônica: Alberto Caeiro e Ricardo Reis, filhos da inteligência fantástica de Fernando Pessoa... Estamos precisando cada vez mais do olhar dos poetas, Mário, e você está ficando cada vez mais imprescindível nas leituras que ora fazemos do mundo. Feliz Natal e tenha um 2020 abençoado! Contamos com você!

  44. É difícil falar da morte com tanta poesia, ainda mais quando se celebra o nascimento e a esperança. Mas parafraseando o grande poeta mineiro, Nascer e morrer são só dois lados da mesma viagem. Parabéns!

  45. Mário, este seu texto foi um presente. Um Natal o mais feliz possível para você, sua família, e toda a equipe desta fantástica Crusoé! Que venha 2020!

  46. Feliz Natal, caro Mario. E que presente de Natal tu nos deixas com a Crusoé de Natal. Vai e volta, Mario. Temos muitas missas solenes pela frente para aplacar nosso suplício. E tu não estás mais sentado assistindo. Tem uma platéia enorme te ouvindo. Grande abraço

    1. No eu caso máximo 10 os talvez 14 . Mais eu nao pensó na morte porque e a última comida da vida . Perder o meu tempo com isso não meus amigos .y também pensar que existe outra vida depois dessa ? Jajajaja é boato .isabel

  47. Genial, Mário ! Como se já não fosse assim toda sexta-feira: acordo e corro a abrir o aplicativo da Crusoé para ler a tua coluna e a do Diogo. Ele, o analista fino, corrosivo e sempre preciso de nossas mazelas nacionais. Você, Mário, mais do que exímio escritor (o que já não é pouca coisa), o artista que surpreende o distinto público, escolhendo seus temas sem concessões à vulgaridade ou modismos. Bom Natal a todos que fazem a Crusoé; apesar do mal e do atraso, seguimos vivos ! Que venha 2020 !

    1. Obrigado por me proporcionar ler isso! Inigualável! Feliz Natal para você, Mario!

    2. Toda planta está morta, seu cuidado a renascerá. Talvez nas estéticas da vida acima da terra nos recauchutamos só pra não parecer tão velho, pois a morte do corpo nos fará renascer.

    3. Texto inteligente, belo, sensível , profundo e emocionante. Obrigado por este presente de Natal .

Mais notícias
Assine
TOPO