MarioSabino

Me odeie pelos motivos certos

28.02.20

“Para fazer uma excelente sátira, bastar dizer como são as coisas.”

A frase é do austríaco Karl Kraus, um dos grandes satiristas, senão o maior, do século XX. Ele era um jornalista que odiava jornalismo pelos motivos certos. Porque, é bom frisar, você pode gostar ou odiar — tudo, não só jornalismo — por razões certas ou erradas.

O ódio de Karl Kraus ao jornalismo está condensado no seguinte trecho de Nesta Grande Época, publicado em 1918, ano em que terminou a Primeira Guerra Mundial:

“A submissão da humanidade à economia só lhe deixou a liberdade de ter inimigos, e, se o progresso lhe acerou as armas, criou-lhe também a mais assassina de todas, uma arma que lhe tirou, para além da sua necessidade sagrada, até mesmo a última preocupação com a salvação espiritual terrena: a imprensa. Torna-se-me claro que a vida não passa de uma cópia da imprensa. Se, nesta era de progresso, aprendi a subestimar a vida, fui forçado por outro lado a sobrestimar a imprensa. O que é ela? Um simples mensageiro? Alguém que nos incomoda com as suas opiniões? Que arrasta atrás de si um séquito de personalidades informadas, a par dos acontecimentos, iniciadas e notáveis, que têm por função dar-lhe o aval, dar-lhe razão, parasitas importantes do supérfluo? Um dia as pessoas poderiam dar-se conta de como uma guerra mundial como esta foi uma coisa insignificante comparada com a automutilação espiritual da humanidade através da sua imprensa. Hoje em dia, as relações entre as catástrofes e as redações são muito mais profundas e portanto muito menos claras.”

Quando ouço jornalista chamando jornalista de “brilhante” ou “mestre”, tenho arrepios. Não existe jornalista brilhante. Existe médico brilhante, físico brilhante, químico brilhante. E mestre cervejeiro até pode existir, mas jornalista mestre é uma contradição em si. Mestre em quê? Cito outra vez Karl Kraus:

“O barbeiro conta novidades quando deveria apenas cortar o cabelo. O jornalista é espirituoso quando deveria apenas contar novidades. Dois sujeitos que querem subir na vida.”

Na verdade, Karl Kraus não era jornalista. Ele esteve jornalista. Eu me condenei a estar jornalista. Vim parar no jornalismo por absoluta falta de talento para qualquer coisa. Como o meu avô materno era repórter, talvez tenha me tornado jornalista por causa de um Complexo de Édipo mal resolvido, sei lá. O que sei é que odeio jornalismo, assim como Karl Kraus odiava. Não fiz amigos em nenhuma redação por que passei, não frequento rodas de jornalistas e acho um clube de carteado mais respeitável do que as associações de classe jornalísticas. O tipo de jornalista mais repulsivo? Aquele que usa a verdade para contar mentiras. O mais doloroso na profissão, contudo, não é ter de conviver com esse tipo de gente. É ficar colado à realidade mais chã durante todo o tempo. Automutilação espiritual.

Nunca tantos odiaram o jornalismo como agora. Uma pesquisa do Pew Research Center, divulgada nesta semana, mostra que diminuiu o número de brasileiros insatisfeitos com a democracia. Há dois anos, 83% não estavam contentes com o pior de todos os regimes, excetuados todos os outros já tentados. Hoje, são 56%. Em tendência inversa, o apoio à liberdade de imprensa   caiu de 71% para 60% no mesmo período. É curioso que os brasileiros não associem democracia a liberdade de imprensa, mas dá para entender. A imprensa andou fazendo muita coisa feia. A principal delas foi tentar deslegitimar a candidatura de Jair Bolsonaro. Ele é o que é, mas democracia é isto aí: resignar-se a ser governado por quem você não gosta na pessoa física ou de quem você discorda radicalmente na jurídica, se assim decidir a maioria. O problema é o ódio ao jornalismo pelos motivos errados. Mesmo Karl Kraus informava-se pela imprensa, e até fundou e dirigiu um jornal. Porque não tem jeito: jornalistas sempre acabam forçados a relatar fatos, embora não raro os interpretem mal.

Fernando Collor de Mello caiu por obra da imprensa. A compra da emenda da reeleição, no governo de Fernando Henrique Cardoso, foi revelada por jornalistas. O mensalão de Lula, idem. As pedaladas que levaram ao impeachment de Dilma Rousseff? Imprensa. Não fossem jornalistas, a Lava Jato teria sido abortada logo no início — e, provavelmente, Bolsonaro não teria chegado ao Palácio do Planalto. Você até pode achar que a imprensa continua a carregar nas tintas em relação ao presidente, mas é inegável que o filho mais velho dele, o hoje senador Flávio, mantinha gente suspeita lotada no seu gabinete de deputado estadual, no Rio de Janeiro. E ora veja só: não haveria tanto frisson com a manifestação no próximo dia 15, se jornalistas não tivessem divulgado a fala do General Heleno sobre os chantagistas do Congresso. Chantagistas: lembre-se de que todo político é mentiroso, em maior ou menor grau, e é preciso ter gente atrás das portas, para vigiá-los e jogar o lixo fora. Alguém precisa fazer o trabalho sujo.

Odeie o jornalismo pelos motivos certos, não pelos errados. Grite quando erramos na informação, emitimos opiniões enviesadas ou, pior, usamos a verdade para contar mentiras. Mas fatos são como aquelas especialidades de restaurantes franceses — incontornáveis. Não adianta substituí-los por versões oficiais e sair gritando que tudo é fake news ou fofoca. É má sátira, inclusive. A sua maior vingança contra os jornalistas é sabê-los indissociáveis da realidade mais rasteira, mais abjeta. Para voltar a Karl Kraus, “a relação dos jornais com a vida é mais ou menos a mesma das cartomantes com a metafísica”. Você pode escapar da automutilação espiritual. Nós, não.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Apesar disto, os CÍNICOS DESCARADOS são um AVISO para a IMPRENSA quando esta EXTRAPOLA seu PAPEL de DISSEMINAR INFORMAÇÃO e passa a tentar MANIPULAR a OPINIÃO PÚBLICA. Quando é assim, temos uma IMPRENSA CÍNICA e DESCARADA que acha que os ESPECTADORES, LEITORES e OUVINTES são TODOS IDIOTAS. Não se pode NEGAR que há IDIOTAS, mas daí a ASSUMIR que TODOS são IDIOTAS é MAIS do que CINISMO, é DESCARAMENTO PURO.

  2. Mais DIFÍCIL do que a MENTIRA ESPÚRIA e a PÓS-VERDADE é assistir o CINISMO daqueles que não tem EIXO MORAL algum e são mais VOLÚVEIS que BIRUTA de AEROPORTO. Apesar de que estes nem são tão DIFÍCEIS de serem IDENTIFICADOS, pois eles ADORAM FATURAR. O INSUPORTÁVEL é aguentar aqueles que CAEM nas MANIPULAÇÕES BARATAS deles sem nem QUESTIONAR.

  3. Ou PSEUDO-IMPRENSA, um pessoal que vive de MANIPULAR para FATURAR sem qq PREOCUPAÇÃO com o CONTEÚDO que DISSEMINA. Enquanto APARATO DE DISSEMINAÇÃO DA INFORMAÇÃO, a IMPRENSA pode CONFEITAR esta e ADAPTAR o PRODUTO ao GOSTO DO CLIENTE sem necessariamente ENGANAR e MANIPULAR, pois, MAIS DO QUE NUNCA, em uma DEMOCRACIA a VERDADE é TANGENCIAL (um INDIVÍDUO CONSCIENTE e COMPROMETIDO com a VERDADE está ETERNAMENTE em BUSCA dela) e o CONFRONTO DE IDEIAS é LIVRE.

  4. O FOCO sai do EMISSOR para o RECEPTOR, a INFORMAÇÃO ou OPINIÃO é MOLDADA para PROVOCAR REAÇÕES neste e MANIPULÁ-LO. É uma LINHA TÊNUE, pq de alguma forma TODO EMISSOR é um MANIPULADOR, mas uma coisa é o SUJEITO que ACREDITA naquilo que diz e outra é o que está SE LIXANDO para o CONTEÚDO que DISTRIBUI. Neste QUESITO a IMPRENSA até que sai BEM NA FOTO, pq apesar dos pesares, seus MEMBROS parecem acreditar no que dizem, a QUESTÃO está na PARA-IMPRENSA.

  5. A PÓS-VERDADE tb não é algo COMPLEXO, desde que os "CONSUMIDORES" tenham um MÍNIMO de SENSO CRÍTICO e COMPROMISSO com a REALIDADE. Já o CINISMO DESCARADO é decorrente da FALTA DE PUDOR e da MANIPULAÇÃO PURA e ESPÚRIA. Qq um pode INTERPRETAR os DADOS e chegar a uma CONCLUSÃO PRÓPRIA e PESSOAL a partir deles, assim como pode BUSCAR INFORMAÇÕES que SUPORTEM sua VISÃO. Mas o CINISMO DESCARADO é resultante de um RELATIVISMO MORAL que desobriga o EMISSOR de qq COMPROMISSO com a REALIDADE.

  6. Vem TEMPERADA com as OPINIÕES e VISÕES PARTICULARES de quem a EMITE, mas sem perder VALOR em VIRTUDE destas, pois LIBERDADE DE IMPRENSA é ANTITÉTICA à IMPARCIALIDADE. No entanto, o CONTRADITÓRIO e DIREITO À PARCIALIDADE não exime a IMPRENSA de RESPONSABILIDADE, pois isto não a autoriza a RECORRER à MENTIRA ESPÚRIA, à PÓS-VERDADE e ao CINISMO DESCARADO. Na ERA DA INFORMAÇÃO, pegar a IMPRENSA MENTIROSA é o MENOR DOS PROBLEMAS, pois o que não falta é FONTES DE ACESSO A DADOS e FATOS.

  7. Se houvesse só uma VERDADE, para que seria NECESSÁRIO LIBERDADE DE IMPRENSA? Bastaria um VEÍCULO DE COMUNICAÇÃO que INFORMASSE a VERDADE. E é aí que está o VALOR DA LIBERDADE DE IMPRENSA e sua IMPORTÂNCIA para a DEMOCRACIA, pois é a PLURALIDADE e DIVERGÊNCIA que permitem a formação de uma MASSA CRÍTICA que não se guia BOVINAMENTE. CONTRADITÓRIO não é o CONFRONTE DE IDEIAS e VERDADES PESSOAIS? Portanto, uma BOA IMPRENSA seria aquela que DISSEMINA INFORMAÇÃO TEMPERADA.

  8. Se o FATURAMENTO da IMPRENSA não vem da INFORMAÇÃO, até mesmo pq nestes TEMPOS MODERNOS e CONECTADOS esta está muitas vezes DISPONÍVEL DE GRAÇA pela INTERNET, mas de CONFEITAR OPINIÃO com CAMADAS DE INFORMAÇÃO ao GOSTO DO FREGUÊS, os VEÍCULOS DE COMUNICAÇÃO não deveriam atender ao CLIENTE? Se não disserem o que os LEITORES, ESPECTADORES e OUVINTES desejam LER, VER e ESCUTAR, vão FATURAR como? Claro que há LIMITES, mas JORNALISMO não é IMPARCIAL nem jamais deveria ser.

  9. Até onde se sabe não, mas este tipo de MEIA-VERDADE invariavelmente vem acompanhado de MENTIRAS e DESCONTEXTUALIZAÇÃO que tem por OBJETIVO DESINFORMAR o CONSUMIDOR DE INFORMAÇÕES que nada tem a ver com INFORMAÇÕES, até mesmo pq com as quantidade de dados que existe hj, a IMPRENSA TRADICIONAL existe MAIS para INTERPRETAR OS FATOS e MENOS para INFORMAR. A INFORMAÇÃO é a COBERTURA de todo o QUITUTE DELICIOSO que a IMPRENSA vende para o CONSUMIDOR se DELEITAR.

  10. Sendo assim, uma IMPRENSA MENTIROSA em essência seria aquela que busca DESINFORMAR e nem sempre para fazer isto é NECESSÁRIO falar uma "MENTIRA", pois basta DISTORCER os FATOS e a REALIDADE. Não foi o que se viu durante a LAVAJATO com a TENTATIVA de SETORES DA IMPRENSA de desacreditarem o ex-juiz Sérgio Moro e os PROCURADORES? É MENTIRA que alguns deles fizeram PALESTRAS e receberam CACHÊ? É MENTIRA que Dallagnol pensou em MONTAR uma EMPRESA DE PALESTRAS?

  11. Antes cada VEÍCULO tinha o seu CURRAL onde INFORMAVA a "VERDADE" da forma que esta melhor lhe conviesse, pois não havia quem pudesse CONTRADIZÊ-LO ou que OUSASSE tal coisa. Enquanto APARATO DE DISSEMINAÇÃO DA INFORMAÇÃO, a IMPRENSA não precisaria ter COMPROMISSO algum com a VERDADE, mas somente com a sua OBRIGAÇÃO de INFORMAR. Mas mesmo que pareçam DISSOCIADAS, INFORMAÇÃO e VERDADE tem uma CORRELAÇÃO, pois só pode ser FATO aquilo que encontra AMPARO na REALIDADE.

  12. Se os INDIVÍDUOS mente uns para os outros e até para SI MESMOS, pq não fariam isto através da IMPRENSA, que no fim das contas é só um MECANISMO através da qual INDIVÍDUOS pagos para DISSEMINAR INFORMAÇÃO fazem isto. O ENGANO estaria em se pensar que a IMPRENSA é um APARATO de DISSEMINAÇÃO DA VERDADE quando ela é de fato um APARATO DE DISSEMINAÇÃO DA INFORMAÇÃO. Tanto que bastou a INTERNET surgir para que as RESERVAS DE MERCADO fossem DERRUBADAS e o ACESSO À INFORMAÇÃO DEMOCRATIZADO.

  13. A IMPRENSA não é um MAL NECESSÁRIO, pois se o SER HUMANO não fosse MENTIROSO e ENGANADOR, seria NECESSÁRIO IMPRENSA? Não bastaria que a VERDADE fosse dita SEM RODEIOS e dolorosamente? A MENTIRA não VICEJA somente onde há gente querendo ouvi-la? Portanto, uma IMPRENSA MENTIROSA não seria a EVIDÊNCIA de uma SOCIEDADE MENTIROSA que prefere enganar a SI MESMA a ENFRENTAR a VERDADE? Uma IMPRENSA MENTIROSA é um SINTOMA e não a RAIZ subjacente de um PROBLEMA.

  14. Sabino,não nega os exageros da imprensa,mas não perdeu a oportunidade de citar Flávio no seu desabafo. Mário do avô repórter deve salientar que este repete o que lhe impõe a redação,difícil ver um dando sua opinião. Quando diz dos "brilhantes" jornalistas,prefiro os mais sérios,como JR Guzzo,Alexandre Garcia é Mário Rabino.

  15. Uma vez que o objetivo é informar então que se informe a verdade nua e crua :-O filho de Bolsonaro cometeu a mesma fraude nojenta que todos deputados cometem a anos , no valor de X reais . O presidente quis defender seu filho cedendo a chantagens do congresso . É um horror , porem foi o filho dele e não ele . Até o momento não temos nenhuma notícia de corrupção do presidente e ,”aparentemente”, ele da a entender que não está buscando enriquecer através de corrupção como o antigo governo .

  16. Eu não sei qual é a obrigação “ moral “ de um jornalista porém creio que a de todo ser humano é ter bom senso . Eu creio que o jornalista é uma pessoa que 1- busca os fatos reais ( bons e ruins ) 2- “ processa “ tais informações em sua mente e 3-da a notícia . Acho que o problema está na fase 2 , o processamento de seus pensamentos x emoções . Acho que nesta fase o deve- se analisar a enorme influência que tal notícia exercerá . Continuo abaixo .

  17. Melhor texto do colunista, principalmente para nós, jornalistas. Se tivesse amigos nas redações, sugeriria a impressão do texto e a sua fixação na porta principal.

  18. Falou muito bem, Sabino. Mas é fato que muitos de seus colegas de profissão ultrapassaram a fronteira da legalidade ao forjar falsas notícias, as tais FAKE NEWS. E o fizeram de forma intencional!! Isso é crime!! Ter opinião é uma coisa, eu posso ou não concordar com você, posso ou não respeitar a sua opinião, posso até me manifestar sobre isso. Mas mentir, distorcer os fatos para criar uma narrativa... Esse é o motivo do descrédito geral que a imprensa hoje vive, nacional e internacional

  19. Perfeito, quem tem ouvido seletivo morre de fome se a grama mudar de tom do verde. A imprensa por vezes náo dá o tom necessário, por questóes politicas , financeiras ou sei lá o que mas náo inventa, as vezes erra e na grande maioria das vezes pede desculpa mas náo inventa,,,,hoje vejo fans do capitáo loucos com a FSP/ RGT ontem eram os petistas, o discurso é o mesmo dos fanaticos,,,espero que essa fase ruim termine logo, de saco cheio de fundamentalistas e extremistas, gente chata e mal educada

    1. Eu votei no Bolsonaro assim como todos do meu meio, sou um dos “robôs”como dizem. Não somos idiotas , fanáticos por um homem ,o presidente não é um santo. Queremos um breque nesta corrupção insuportável.Estamos INDIGNADOS com o tamanho da corrupção e ,no momento ,não há outro que ocupe o lugar de Bolsonaro que não seja corrupto .Somos fanáticos por uma LIMPEZA e não pelo “ capitão “ ! As notícias tortas beneficiam os candidatos corruptos e isto nos deixa extrema/ indignados . Simples assim !

  20. Ridícula supervalorização da força da imprenSSa. As redes sociais hoje dão de lavagem, estão em outro patamar. Influência nas ações e reações do público em geral: redes sociais = >80% e imprenSSa = < 20%. O resto é mimimi. Artigo que pela falta de sintonia com a realidade poderia ter sido assinado pelo gadelha.

  21. Muito bom artigo! Faz imaginar um grande palheiro de mentiras, onde, regra hoje no Brasil, nos arredores, e em partes mais do mundo, se tenta fazer a verdade (realidade, prefiro) parecer agulha. Pois é: hoje mais que nunca é preciso vasculhar no imenso oceano de mentiras para que um grão de verdade sobressaia. E, para tanto, a imprensa, mais que ofício, tem dever. Pena que também aqui, na imprensa, são bem poucas as agulhas frente ao agigantado palheiro.

  22. Não quero odiar a Crusoé nem O Antagonista por motivo nenhum, mas tenho tido problemas com comentários que faço no Antagonista + pois percebi que meu nome e sobrenome aparecem no Antagonista aberto. Meus dados estão expostos. Tem como resolver isso?

  23. Terminando de ler seu artigo, a primeira coisa que me veio à mente foi “brilhante”, preciso comentar. Ao entrar aqui instintivamente li alguns comentários, onde constatei que o uso do adjetivo “brilhante” é praticamente unânime. Que falta de originalidade, Sônia Martha! Pensei. Pode ser, mas o fato é que, para qualificar um artigo do Mário, a palavra “BRILHANTE” é pleonasmo. Só me resta dar-lhe os parabéns e desejar-lhe vida longa e saudável.

  24. Ainda não cancelei a minha assinatura na Crusoé em razão dos artigos de Sabino e Ana Paula Henkel. Desde muito não leio qualquer matéria da lavra do estagiário/fofoqueiro Igor, ainda que figure outro colega de redação na elaboração do texto. Mas, superlativa decepção foi mesmo com o Diogo. Seus atuais "escritos" parecem elaborados por outrem. (Ou os de outrora seriam elaborados por um "laranja"?) Não sei dizer! Só digo que o nível - ora rasteiro e/ou medíocre - beira o insuportável.

  25. Leio sempre ,com muito prazer, os textos do Mario Sabino !! Que coisa boa , e como flui bem a leitura . Sempre penso , em toda ocasião que o faço : " Que $$ bem gasto nesta assinatura !!! "rsrs Abraços , Ana Helena

  26. Parabéns pelo site e pelas boas e ponderadas “provocações”. Ninguém está imune a críticas, nem mesmo a imprensa, tudo bem, faz parte de regimes ditos democráticos. Seja o presidente e seus filhos ou por governos anteriores, tudo deve vir a público, e se necessário à justiça também. O que me intriga é que boa parte da imprensa muito pouco fez para divulgar o verdadeiro “arrastão” nos cofres públicos que aconteceu nos governos anteriores, talvez pela farta distribuição de sinecuras e benesses.

  27. Nos teus artigos os comentários são normalmente de alto nível, realmente inteligentes mesmo quando críticos. Nos artigos de outros jornalistas da Crusoé há uma mescla de apoio com comentários que destilam veneno em ataques baixos que causam certa repulsa quando lemos. Fico me perguntando se é um fenômeno sociológico pela forma como escreves ou se há uma seleção dos comentários por parte do autor ou mesmo uma seleção nos ataques por eventual milícia digital. De qualquer forma, prefiro tua colun

  28. Bravo, Sabino! Continue divulgando os fatos para nós, leitores da Crusoé, da forma ética, corajosa e divertida de sempre.

  29. Mais um belo artigo. Mas permita-me: no meu caso, não é ódio o que sinto e sim revolta e decepção. Toda essa manipulação dos fatos, as chamadas narrativas, me fez descrente da instituição, muito mais que nos fulanos passageiros. E acredito que essa percepção veio para ficar. Não darei segunda chance às mídias.

  30. Jornalistas simulam que estão fazendo alguma coisa de importante. No fundo sempre são instrumento de poderosos. A comparação de Karl com barbeiros foi imprecisa; a boa comparações é com cortesãs, sempre à sombra do poder. Poder-se-ia dizer a segunda profissão mais antiga ....

  31. Aleluia, MS ! Matutava com meus botões cancelar minha assinatura combo Antagonista+Crusoé pelas últimas publicações do site à moda FSP/GLOBO et caterva. Essa sua crônica me desarmou. Meno male...

  32. Mario Sabino sabendo, lúcida, competente, perfeita e honestamente ser justamente a resistência ética que redime a desonestidade na profissão. Para cada raro redentor assim, milhares são redimidos. Aplausos!! Efusivos!!!

  33. É por isso, mas também não. Schulz, autor do Snoopy, certa vez perguntado por que desenhava, respondeu "eu não poderia viver sem isso". Pra mim escrever é bem isso. E acho que pra você também. Vale a pena? Valeu a pena? Acho que sim. Há algum tempo uma vizinha perguntou para minha esposa "o Rubens que escreveu aquela matéria no Jornal de Brasília é o seu marido?" ela disse que sim, a vizinha retrucou "escreve muito bem!" Enfim quem escreve não poderia viver sem isso...

  34. Analisando um dos comentários (Aldo) acabei de chegar a mais um culpado para a manifestação chegar onde está chegando. Até a pouco eu dizia que quem nos estava convocando eram: Maia, Alcolumbre e Dias Tóffoli pela suas atitudes anti patrióticas ou melhor anti povo. Após a leitura do comentário mencionado, chego à conclusão que o jornalismo sem escrúpulos também e o responsável pela convocação à manifestação. A participação do povo nas manifestações é resposta aos desmandos dessas instituições.

    1. Na mosca. Texto muito corporativista. Jornalismo é publicar os fatos como eles são e acontecem. Jornalismo não é publicar os fatos distorcidos, ou com omissões, em consonância com a ideologia do jornalista ou de seu patrão.

  35. Obrigado Mario pelo ótimo texto. Um empurrão para nos levar a refletir sobre uma das coisas mais velhas do convívio humano: a mensagem e o mensageiro. Os jornalistas muitas vezes, levam pancadas desmerecidamente. Como você escreveu, eles não são experts em nada. Gostei do vínculo com seu avô materno.

  36. O populismo tanto de esquerda quanto de direita cega a todos, imprensa e público. A plebe rude devido à ignorância, pode dizer coisas absurdas, mentirosas e feias. A imprensa, por sua vez, não pode mentir. Tem que venerar a verdade, os fatos. Quando isto não acontece, como agora em muitos veículos, alimenta as asneiras do povo, desinformando -o. Daí o barulho infernal e cansativo das gentes.

  37. Mario, sátira é ter Diogo Mainardi e Claudio Dantas como jornalistas. Um sentimos falta diariamente, o outro não escreve nada que valha o espaço há meses....Mas o editor chefe é que tem que fazer o trabalho sujo....Salve a revista enquanto é tempo, os assinantes não tem tanta paciência.

  38. O poder pelo poder vende_se a mãe, a imprensa vende notícias tiradas da cachola do jornalista para sobreviver nos tempos da internet.

  39. O papel da imprensa não é apenas e tão somente informar, mas também provocar. É a provocação da imprensa que nos obriga a pensar com a própria cabeça, a analisar e aprender a distinguir a verdade da mentira. Não se preocupe apenas com a crítica fácil, o elogio fácil, quando transformado em bajulação é igualmente nocivo, a crítica pelo menos nos faz parar para refletir, a bajulação nos coloca no patamar enganoso de nos julgarmos sempre certos.

  40. O frisson contra as manifestações de 15.03 ñ foi por causa do vídeo do general - pode até ter influenciado- e sim por mensagem no whatsapp do presidente qdo compartilhou uma convocação á manifestação q não fazia qquer referência ao congresso ou ao supremo.Só a interpretação q deram ao compartilhamento.Uma mentira q ganhou destaque e pelo visto ensejará um pornográfico pedido de impeachment de trogloditas da política.Não queremos fechar congresso ou stf mas acabar com políticos e juizes ineptos!

  41. Vocês estão cada vez mais parecidos com a Folha, Estadão, etc... Criticar e censurar previamente os movimentos do dia 15/03 foi a “gota d’água” pra mim. Não renovarei minha assinatura.

  42. Vocês estão cada vez mais parecidos com Folha, Estadão, etc... Criticar o governo? Ótimo! Nenhum problema. Mas censurar iniciativas de mobilização cívica, como as do dia 15/03, chamando os cidadãos de “falanges bolsonaristas”, “milícias digitais”? Aí vocês passaram do limite. Melhor fechar e entregar o CV lá no RH da Folha... aprendam um pouco com o Mestre Alexandre Garcia.

  43. Adote mais o Ilustre PedroII, brasileiro que sobre a Imprensa dizia: "Imprensa se combate com Imprensa". Hoje vemos hegemonia na Imprensa tradicional que se une numa tal "Eu sou da Laia da Imprensa" . A Imprensa Hegemônica esperneia por verbas públicas para só comentar o lado negativo de um governo. Para mostrar o que há de bom só com verbas públicas. Já as mentiras de jornalistas adestrados pelo Gramscismo tem que ser combatida pela Imprensa.

  44. Caro Mário ! Vc tem notícia de um ministério igual esse montado pelo Bolsonaro ? 90% dos jornalistas são esquerdistas e agora na era Bolsonaro ajudam o presidente se reeleger por amadorismo no comentário onde o povo percebe pelos textos fracos e comprometidos e são diários como exemplo a globo news kkkk

    1. Alceu, vc fala u, falou e não disse absolutamente NADA!

  45. Continuo achando que a imprensa apesar de não gostar do JB pega muito leve assim como fazia com a Dilma. Com Temer foi mais atuante. Ele ou os filhos, Weintraub e agora tb o Gen Heleno se revesam nos absurdos p, insultos e provocações e os jornalistas na maioria das vezes só reporta sem condenar veemente. JB é vil, nojento, não está à altura do cargo e isso tem que ser dito a cada agressão. Mal posso esperar que a imprensa o derrube.

    1. o choro é livre "acadêmicos" dono da verdade. Tá doendo?

    2. O choro é livre! Lembrando que Luladrão está em liberdade provisória (agradeça a Toffoli), mas é um condenado.

  46. Sabino, concordo que a imprensa é um mal necessário, por enquanto. A continuar assim, em breve se tornará perfeitamente dispensável. E esse dia não está muito distante. Pergunta: Onde foi parar Ana Paula Henckel? Seus comentários eram uma verdadeira benção para os leitores.

  47. Continuando com meu comentário anterior faz- se ver que o jornalismo da Crusué ,assim como os demais ,não é isento , mas deixa claro a cor e o tamanho da sardinha que puxa para seu lado . Quem seria a pessoa mais digna que deveria estar na presidência ? Me mostrem um melhor que Bolsonaro e levem meus aplausos . Do contrário deveriam ajudar ( como tantas vezes já o fizeram ) Até lá ...by by !

  48. Excelente texto. Agora uma questão: uma boa parte dos jornalistas falam é escrevem o que acreditam ou estão seguindo a linha editorial ou os interesses do jornal ou emissora que trabalha?

  49. Entendi sua argumentação porém veja a reportagem de Felipe M Brasil : as decisões petistas de Bolsonaro . Ele deveria ter informado todas as infrações da família Bolsonaro, pelas quais o presidente cedeu as chantagens, e toda as infrações dos membros do congresso , inclusive de seu líder e deixar o público concluir . Mas ele é isento coisa nenhuma pois colocou todos na mesma panela , em situação de igualdade e deu sua opinião TENDENCIOSA : ”TODOS igualmente trabalham em benefício próprio “

  50. Concordo plenamente com o autor. Mas por que temos que nos sujeitar a prestigiar certo tipo de imprensa tendenciosa, inconformada, ressentida, mentirosa, que usa os fatos (quaisquer que sejam eles) para vomitar inverdades? Os chamados analistas políticos, especialistas em economia e até apresentadores (as) de telejornais que se acham no direito de agir assim?

  51. Jornalistam q não se prostituem são respeitados . Jornalistas que se vendem são execrados . Vcs se venderam barato. Vc , Diogo , Vera, Reinaldo , Villas, PMB , vcs são a escória. Está aberta a campanha "falangista" dos 57 milhões, contra a extrema imprensa. NÃO ASSINEM CRUSOÉ, NÃO ASSINEM O ANTAGONISTA. São Vigaristas vendidos.

  52. De tanto divulgar mentiras, manipular fatos e procurar condicionar os acontecimentos com objetivos escusos, a imprensa (ou seja, os meios de comunicação de qualquer tipo) está se autodestruindo. Mas como bem afirma o articulista e Karl Kraus, é um mal necessário. Se a verdade não está nas "linhas", procuremo-la nas "entrelinhas". Aliás, é uma boa ginástica para o intelecto... que quem o possui, é claro.

  53. Parabéns pela matéria. Você tem lucidez e autocrítica. Só uma correção: essa manifestação do dia 15 já estava marcada antes da fala do General Heleno.

  54. Excelente artigo, falta reflexão e autocrítica ao jornalismo, recheado de egos inflados. Queremos informações isentas e claras, não mescladas com paixões por ideologias. Que a opinião fique nas colunas e editoriais, mas a notícia, esta seja um reporte fidedigno dos fatos. Assim o jornalismo voltará a ter sua relevância e papel importante na sociedade.

  55. Não odeio a imprensa. Ela é essencial ao mundo globalizado, seja no papel ou virtual. Tambem admiro , e muito , os bons jornalistas, e tem muitos. O que odeio sao os maus jornalistas, os que, sem vergonha alguma na cara, são parciais, distorcem os fatos, mentem vergonhosamente para impor a ideologia nem sempre deles, mas de seus patrões. Esquecem que o Brasil não é feito só de ignorantes, analfabetos funcionais ou zumbis. Muitas pessoas são capazes de se posicionarem consciente e criticamente.

  56. Não odeio o jornalismo. Acho que nenhum assinante da Crusoé odeia. Todos nós acreditamos na importância da luz para a cura da vilania. Todos acreditamos na VERDADEIRA imprensa e pagamos para que vocês sejam independentes e, se não for pedir muito, inteligentes e destemidos. O que odiamos são aqueles que se travestem de Jornalistas para fazer exatamente o oposto de dar publicidade aos fatos. Há muitas agressões e Ilações na imprensa que insultam a inteligência do leitor, mas não mais, impunemente

  57. Odiar o jornalismo pelos motivos corretos? Ora, nas palavras do próprio Kraus, "os mais falsos argumentos podem mostrar um ódio correto".

  58. De Gertrude Stein para Hemingway: "Se você continuar trabalhando para jornais, nunca verá as coisas, verá apenas palavras, e isso não vai dar certo...."

    1. Não entendo 😧 cancelou a assinatura e está fazendo comentários 🙀, mentiroso

    1. É uma pena. dá uma raiva danada quando a notícia não é aquela que a gente acredita. O ideal é achar o nicho da imprensa que pense como a gente, mesmo que não seja 100% certo. Pelo menos não estimula o ódio.

  59. Sabino, a automutilação "também" é uma escolha. Não existe fatalismo. Existe uma diferença entre "não dê pérolas aos porcos" e "não faça de pérolas a ração habitual dos porcos".

  60. Sabino, acho-o um bom jornalista; escreve bem, é perspicaz. Mas, já que você informa que detesta ser jornalista, que tal tentar o humorismo? Creio que você continuaria a nos divertir e brindar com ótimos programas do gênero!

  61. "Grite quando erramos..." Mas vocês estão a errar sempre! Como confiar num jornalismo que não tem credibilidade? Ou seja, estamos a ver o jornalismo brasileiro morrer, está a estrebuchar. Tinha esperanças neste veiculo que escrevo. Hj não mais... Este também irá perecer se continuar com os vícios do jornalismo Brasileiro. Certo era Millor, "O jornalismo brasileiro é digno se pagando bem."

  62. Excelente texto! Precisamos de informação, da imprensa sim. Acho Crusoé insenta e de qualidade. Não podemos negar a incompetência política do Presidente Bolsonaro nem os fatos relacionados aos seus filhos.

  63. Gostei dos esclarecimentos sobre as mazelas do jornalismo, um mal necessário. Mostre sua coluna ao combalido Diogo Mainardi, que hoje só se preocupa com as patuscadas do presidente. Quem o elegeu sabia em quem estava botando. Ponto.

  64. Seria muito bom se os jornalistas apenas dessem as notícias (verdadeiras de preferência ) e não emitissem opinião, usassem menos metáforas, indiretas, não fizessem caras e bocas (na TV) , etc. E melhor ainda seria se a população fosse educada o suficiente para ler de tudo, conferir tudo e ser capaz de tirar suas conclusões sem idolatrar esse ou aquele jornalista, né!

  65. Jornalista é tudo isso que você falou, além de se considerarem as pessoas mais inteligentes e cultas sobre a face da Terra. Ficavam injuriados no governo Fernando Henrique quando ele os convidava para uma conversa informal e, com educação e um sorriso nos lábios, os colocava no bolso.

  66. Excelente texto. A realidade é essa. Para vivermos em democracia, precisamos da imprensa. Porém, ela precisa ser imparcial, comprometida com a realidade dos fatos. Coisa terrível é vermos a imprensa vendida, comparsa de corruptos. A imprensa livre, juntamente, com a alternância do poder, formam os maiores pilares da democracia.

  67. Exemplo de opinião enviesada: replicar manchetes falsas e alarmistas da folha. Espero seu comentário qdo Verá Magalhães enviesar notícias a favor de Doria.

  68. Perfeito Sabino, gosto de lê-lo. Onde você mesmo coloca "odeie o jornalismos pelos motivos certos". Sinal dos tempos é que antes a imprensa era a "toda poderosa", porém agora pode ser contestada, como qualquer outra profissão. E vocês jornalistas, terão que aprender a conviver com isso.

  69. Não se trata de ódio, eu penso. Seria qualquer coisa como desencanto, descrédito. Seis textos são maravilhosos mas não sei mais até que ponto essa "mea culpa" não é só retórica!

  70. Sempre bom ler Mário Sabino. Mas os grandes escândalos que vieram à tona não são fruto de investigação jornalística. Alguém com algum rancor, vai atrás de um repórter para se vingar. Não foi a imprensa que deixou Lava Jato grande: foi a Lava Jato que forneceu matérias consistentes para publicação. Bolsonaro acabou dando notoriedade a profissionais que nada teriam para serem notados. Fico com o nome de Vera Magalhães: a moça põe muitas palavras para dizer pouco.

  71. Muito bom. Falou bem e falou certo. Algumas vezes temos sentimentos, sensações, opiniões, q se misturam dentro de nós; querem sair, mas se embaralham. Hj vc descreveu o quadro nacional do papel da imprensa, com sujeito, predicado e complemento. Adoro um trabalho bem feito. Parabéns.

  72. Sempre no ponto. Obrigado. A tarefa de peneirar a verdade por entre juízos falsos, de opinião e outros que tais está se tornando cada vez mais árida. A imprensa poderia ao menos segregar fato de versão, ao invés de tentar tratar a todos como cretinos, incapazes de formar a sua própria opinião.

    1. Não se peneira a verdade pois, ela é única e imutável.

  73. Excelente mea culpa Mário. Entretanto o caminho tomado pela maior parte da grande mídia já está trilhado e a ladeira será ainda mais abaixo. Tentaram deslegitimar tanto o Bolsonaro desde sua candidatura e ainda mais depois de ter sido eleito que agora é tarde.. o Bolsonaro poderá até ser um ditador que a imprensa não terá força pra tentar dizer a verdade, pois mentiu demais e descaradamente! Espero que aconteça e que se pague com perda de emprego, prisões, processos e silêncio tudo que fizeram.

  74. O que me irrita no jornalismo atual é a falta de verificação, a preguiça, ou talvez a pressa em revelar a notícia (ou sua opinião em formato de matéria) antes dos colegas para obter láureos, mesmo abrindo mão da consistência. É muito irritante ser enganado. Nunca mais vou confiar em nenhuma matéria veiculada, em nenhum meio.

  75. Os que exageram nos elogios são os mesmos que igualmente exageram nos ataques quando o jornalista discorda daquilo que ele esperava total concordância, haja vista ao que aconteceu com a Joice, independente dos motivos,os que mais a apedrejaram foram aqueles que exageradamente exaltaram - a traição ,com a qual se justificam, está na verdade vinculada à projeção feita em cima da pessoa, por isso a raiva é maior, porque coloca à mostra o auto-engano , uma culpa que a maioria não admite.

  76. Ótima crônica!!! Podem odiar a imprensa mas é ela que nos traz os "fatos" para que possamos ficar espertos. Sobre as opiniões de jornalistas é da escolha do leitor aceitar ou não.

  77. parabéns Mário, vc dignifica o jornalismo. Não tenho lido nada de comparável qualidade na imprensa brasileira, mas ... comete o maior dos pecados qdo enaltece a intuição Imprensa para não ter que falar dos maus jornalistas. A imprensa brasileira critica, mas não gosta de ser criticada. Este é a.maior lição desses tempos, meu caro.

  78. Há alguma diferença entre político ladrão, pobre ladrão, empresário ladrão? Não há. É tudo ladrão. Há alguma diferença entre corrupto anti Bolsonaro, isentão anti Bolsonaro, imprensa-marrom anti Bolsonaro, Antagonista anti Bolsonaro, Crusoé anti Bolsonaro? Não há. É tudo anti Bolsoanro. Mas mesmo assim de alguma forma vocês querem fazer uma acrobacia intelectual para serem os únicos não odiados. Boa sorte com isso.

  79. Eu não odeio jornalistas... resolvi me informar apenas com os melhores. Apenas consumo O Antagonista e Crusoé. Respeito outros jornalistas como o Guzzo, Fiúza, Silvio Navarro e Augusto Nunes.... fora esses poucos é impossível consumir notícia.

    1. Faço o mesmo. Constatei tantas meia verdades, distorções e má fé nos noticiarios e análises, que não assino nem leio nada mais; nem assisto tv. Sou leitora apenas da Crusoé e do Antagonista. Alguns colaboradores são pérfidos, mas nada é perfeito neste mundo.

  80. Os governos Lula e Dilma foram usinas de crises um bilhão de vez mais que agora. Mas a imprensa não repercutiu nem 0,01%. Porque não quis. Porque tava mamando nas verbas. Agora pega o governo Bolsonaro honesto e inventa uma crise atrás da outra a partir de minudências, distorções, exageros, mentiras e ódios esquerdistas. Porque quer. Porque tá secando a verba. Como não odiá-la por isso? Sejam diferentes. Não odeiem o Presidente eleito por 57 milhões. Não ataquem seu eleitorado. É fácil.

  81. como todo jornalista o Mário sempre valoriza a participação da imprensa nos eventos. queda do Collor e mensalão foi a briga entre os quadrilheiros que expôs os fatos, coube a imprensa somente divulgar, nenhum jornalista investigou, Pedro Collor e Roberto Jefferson e que abriram o bico. o fato é que Sérgio Cabral fez o que fez no Rio e ninguém da imprensa viu nada de errado ou estranho na estupenda evolução patrimonial do ex governador até a justiça pega-lo

  82. Talvez você considere que eu não tenha a mente livre o suficiente pra te elogiar, mas tentarei mesmo assim, quero dizer em poucas palavras, simples mais sinceras: Você é um bom Jornalista, acredito que um dos melhores.

  83. A queda do monopólio da “informação” deixou algumas redações desnorteadas e o jornalismo manipulador é o vilão que tanto odiamos.

    1. A quebra do monopólio da informação ocorreu no governo do Lula com a mesma desculpa. Passaram a condenar a imprensa tradicional e querer afirmar que os blogs pagos de petistas eram a verdadeira informação. Agora esses bolsonaristas que nasceram pra política em 2016 acham que a gente já não viu esse filme. Dito isso, esse negócio do Mário ficar defendendo o jornalismo já deu, boa parte dos assinantes sabem o que é jornalismo, e a minoria só aceita elogios ao Bolsonaro não vai aprender nada aqui.

Mais notícias
Assine 50% off
TOPO