Adriano Machado/Crusoé

Pedra no caminho de Doria

O governador de São Paulo tenta construir um projeto presidencial para 2022, mas enfrenta dura oposição dentro de seu próprio partido
23.08.19

A reunião estava prevista para começar ao meio-dia e meia da terça-feira, 20, na sala da liderança do PSDB na Câmara do Deputados. As estrelas do encontro eram o governador de São Paulo, João Doria, e o deputado federal Alexandre Frota, ex-PSL, que seria apresentado oficialmente à bancada. Mas não havia quase ninguém na hora marcada para recebê-los. O líder do partido, o paulista Carlos Sampaio, começou então a telefonar e passar mensagem aos ausentes para que corressem até lá. Com o público reduzido, os presentes passaram para uma sala menor, de forma a não deixar transparecer que havia pouca gente. Doria e Frota chegaram e ainda esperaram meia hora para que o quórum aumentasse. Só então o evento começou: Frota foi oficialmente apresentado por seu padrinho, Doria, aos parlamentares tucanos. Apesar do esforço para chamar, às pressas, os que ainda não tinham aparecido, não foi exatamente um sucesso de público. Dos 30 deputados do PSDB, onze faltaram. Era uma evidência de que o governador de São Paulo, hoje a principal liderança do partido no país, não anda tão prestigiado entre os seus correligionários. O esvaziamento da reunião era um prenúncio do que ocorreria no dia seguinte, quando a Executiva tucana rejeitaria, por maioria, dois pedidos nos quais os diretórios paulista e paulistano do partido, liderados por Doria, pediam a expulsão do deputado federal Aécio Neves.

Os dois episódios ilustram bem que o projeto presidencial de João Doria passa por dificuldades. Enquanto, por um lado, o governador traça um roteiro de ações administrativas e políticas para conseguir chegar em 2022 com força eleitoral, por outro sobram sinais de que ele não controla o seu próprio quintal. A realidade, enfim, não tem sido compatível com suas pretensões. Quase três meses depois de conseguir colocar um indicado seu, o pernambucano Bruno Araújo, no comando nacional da legenda, Doria enfrenta uma rebelião interna que tem feito a tradicional disputa de poder entre tucanos paulistas e tucanos mineiros extrapolar os limites dos dois estados. O problema, dizem peessedebistas de diferentes partes do país, é o estilo do governador, que gosta de impor suas decisões sem antes dialogar internamente.

O convite feito por ele a Frota é um exemplo. Doria nem sequer consultou o líder da bancada, Carlos Sampaio, sobre a filiação. Avaliou com seu núcleo duro que a chegada do parlamentar, crítico de Bolsonaro e com presença ativa nas redes sociais, seria relevante para mostrar distanciamento do Palácio do Planalto e, ao mesmo tempo, ter perto de si um mobilizador na internet, área em que o presidente da República e provável adversário em 2022 tem um exército de defensores. A forma desagradou, e não demorou para que declarações pretéritas de Frota sobre o PSDB passassem a circular nos grupos de WhatsApp de integrantes da legenda (o deputado já disse, por exemplo, que o partido é uma “cambada de vagabundo e safado”). Deputados temem que a missão do ex-ator pornô seja a de vigiar a bancada a pedido de Doria, para além de adotar posições públicas a pedido do governador a despeito das opiniões dos demais parlamentares. “Ele veio para nos humilhar”, disse a Crusoé um parlamentar da sigla.

DivulgaçãoDivulgaçãoEvento com Frota: em Brasília, quórum abaixo do esperado
A forma como Frota chegou acabou dando força para Aécio Neves na reunião de quarta-feira. Doria há tempos vem defendendo a saída de Aécio, investigado em diferentes frentes pela Lava Jato, como forma de fortalecer a imagem do partido para as próximas eleições. O mineiro, ex-presidenciável, definhou politicamente após ser colhido pelas investigações. Em um dos casos, foi flagrado pedindo 2 milhões de reais a Joesley Batista, dono da JBS. Uma ala do partido teme carregar esse estigma nas próximas eleições e pressiona a cúpula por uma decisão. Até o início do ano, Aécio cogitava uma solução política, como um afastamento em 2020. Doria, porém, nunca o procurou. Preferiu tensionar e incentivou que os diretórios paulistas sobre os quais tem influência pedissem a expulsão do deputado. Não deu certo. O sentimento corporativista falou mais forte, já que muitos tucanos também estão enrolados na Justiça –alguns em situação até pior que a de Aécio. Mais do que isso, também devem favores ao deputado, em especial pela intermediação de doações para suas campanhas em eleições passadas.

Até os paulistas se rebelaram contra Doria. “Vocês vão fazer todo mundo odiar São Paulo”, disse aos gritos a vice-presidente do PSDB, deputada Bruna Furlan, ao conterrâneo Orlando Morando, prefeito de São Bernardo do Campo e porta-voz de Doria na reunião a portas fechadas que arquivou o pedido de expulsão de Aécio. Morando era minoria. Dos 34 presentes, apenas ele e mais três apoiavam a punição. Revezavam-se no entra e sai da sala para passar as informações para o governador. A certa altura, ficou combinado que o debate fosse adiado para que Doria não perdesse. Mas, surpreendentemente, foram deputados paulistas que lideraram a rejeição da proposta e optaram por levar a decisão adiante naquele mesmo dia. O líder do partido, Carlos Sampaio, quase foi deposto pela maioria por defender Doria.

As queixas vão além. O governador quer punir a deputada federal Tereza Nelma, de Alagoas, por ter votado contra a reforma da Previdência. Parlamentares tucanos dizem ser uma contradição. O próprio Frota, seu novo emissário na bancada, se absteve na mesma votação. Reclamam ainda do slogan “Novo PSDB” formulado pelo empresário Paulo Marinho, outro ex-bolsonarista recém-filiado ao partido, que também reformulou a logomarca da legenda. Doria adorou o desenho. Mas não pediu a opinião dos correligionários. O resultado disso tudo é um caldo político interno altamente desfavorável ao governador, que se coloca cada vez mais abertamente como candidato ao Planalto nas próximas eleições presidenciais. A questão que os próprios tucanos levantam é a seguinte: se ele não consegue sequer controlar o próprio partido, como conseguirá comandar o país? Até Bruno Araújo, seu aliado, dá sinais de cansaço. “Ele põe uma coisa na cabeça e é difícil tirar”, disse a um interlocutor. Araújo, vale lembrar, teve o ápice de sua carreira no governo Michel Temer, como ministro das Cidades. Indicado por quem? Por Aécio Neves.

Pedro Ladeira/FolhapressPedro Ladeira/FolhapressAécio: Doria prometeu tirá-lo do caminho, foi derrotado no primeiro round, mas não desistiu
Doria leva adiante seu projeto sem considerar as dificuldades internas. A ofensiva contra Aécio parte da ideia de que, sem uma faxina interna pós-Lava Jato, o partido não chegará a lugar nenhum. Além disso, o governador pretende usar São Paulo como vitrine para suas pretensões nacionais. Em um momento em que a questão ambiental coloca o país no centro das atenções do planeta, ele assumiu a promessa de despoluir completamente o rio Pinheiros até o final de seu mandato. A expectativa é entregar já em 2021 uma parte do rio despoluído e conceder as margens para a exploração privada, seja com transporte de cargas e passageiros, seja mediante a instalação de áreas de lazer e esporte para a população. No plano internacional, quer inaugurar escritórios comerciais do governo de São Paulo. Em viagem à China em agosto, abriu uma representação do estado em Xangai. Em março do próximo ano, promete inaugurar outro, desta vez em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos. Doria aproveita essas viagens para se aproximar ainda mais do empresariado. Para a China, levou uma comitiva de mais de 30 — e não só de São Paulo. Na volta, fez questão de espalhar aos quatro cantos que a viagem rendeu 24,8 bilhões de dólares em investimentos para o estado nos próximos 10 anos, dos quais 20 bilhões de reais só para a área de infraestrutura. Nos próximos meses, o governador irá ao Japão e à Alemanha. Ele também procura dedicar sua gestão à segurança pública, área que Jair Bolsonaro também tem como bandeira. E não esconde que gostaria de ter Sergio Moro como companheiro de chapa.

Como disputa o mesmo campo político que o presidente, Doria tenta diferenciar-se dele, procurando fazer um contraponto no estilo. Vende-se como um político de centro, mas no fundo se considera de uma direita mais moderada, liberal na economia e nos costumes. Como tática, a tendência é que mantenha com o Planalto uma relação ora de proximidade, ora de distanciamento. Ele avalia que um rompimento político definitivo pode prejudicar o financiamento, pelo governo federal, de alguns projetos no estado, em especial os de infraestrutura. O plano, porém, pode ruir se ele não conseguir baixar a poeira dentro de seu próprio partido. Seu jeito mandão já fez algumas vítimas, chamadas internamente de “os cadáveres de Doria”. Basicamente, gente que já o ajudou no passado, mas que agora não serve mais. Geraldo Alckmin é o caso mais vistoso: foi quem bancou sua candidatura a prefeito de São Paulo, em 2016. Dois anos depois, quando Alckmin concorria ao Planalto, ele abraçou o voto “Bolsodoria” e abandonou o padrinho em plena campanha. Já tentando dissipar os efeitos negativos que o rótulo de traidor pode lhe causar, especialmente entre potenciais aliados de outros partidos que enxergam com reservas sua forma de fazer política, Doria convidou Alckmin para um almoço no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista. Olhando para o futuro, ele tenta acertar as contas com o passado, mas também precisa ajustá-las no presente. Especialmente dentro de sua própria casa.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

Edição nova toda Sexta-Feira. Leia com Exclusividade!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

Deixar para mais tarde

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. O Doria e o resultado do Aldo Rebelo na chefia da casa civil do franca e do barco Bolsonaro, nao se iludam. nao tera vida facil.

  2. A cada ação Doria decepciona mais e mais. Sua ganância pelo poder , passa um alerta para todos, cuidado!!! Perigo!!! Engajou-se na campanha do Bolsonaro , nao precisou de nada para virar a bandeira , estamos cansados de políticos dessa estirpe. Não nos deixemos enganar novamente .

  3. Esses conchavos políticos nos dão náuseas! Nos, povo já entendemos bem como funciona e não queremos mais essas raposas velhas no comando político desse país! CHEGA!!!

  4. Graças ao corrupto do Aécio, hoje temos Bolsonaro na presidência. O PSDB insiste em se autodestruir. Se Doria realmente pensa em ser presidente, que saia do PSDB e forme um outro partido. Neste aí não vai conseguir não.

  5. O que estraga no Doria é este seu partido. Como gestor público-privado o cara é ligado no 220v. O Brasil precisa de algo deste tipo para voltar a crescer para ontem.

  6. Se Dória quer se eleger presidente, então que saia do PSDB. No partido, seu discurso perde o sentido. Que se abrigue em um partido “limpo” para que soe coerente aos ouvidos do eleitor.

  7. Doriana, será um politico que será preso e algemado, e não dermora muito, ele tem estilo de Eike Batista, trabalha calado, mas as cagasa vem com certeza . . . .

  8. Esse "papo" de Doria fundar um partido para se candidatar à Presidência ė irritante.QUATRO partidos no máximo,resolverão os problemas do país.

  9. Bolsonaro como Presidente e chefe de moro, tem mais influência para proteger o filho. Caso o Presidente frite Moro e em 2022 nosso Ministro da Justiça seja Presidente, o número 1 terá um novo endereço, cadeia!!!

  10. Um governador, do PDSB, eleito por falta de opção, que cercou-se de corruptos da pior natureza, pretendendo ser presidente da república? Poupe-nos governador. Vá passear no seu jatinho comprado com dinheiro do BNDS.

  11. O quase extinto PSDB que tem agora o Frota... e ainda não conseguiram expulsar o Aecio está com o time completo. Devem virar pó acompanhando o PT !!!

  12. Mas um louco centrado em si mesmo, que passa por cima de todos, desde que seus objetivos pessoais estejam na frente. É desenhada mais uma catástrofe política do "partido do eu sozinho". Pode até chegar, mas não se sustenta.

  13. À toda evidencia que o desempenho pífio de Alckmin nas eleições presidenciais deveu-se a presença de Aécio Neves no partido,e Dória só irá viabilizar-se para 2022 com este fora.Ou ele próprio em outro partido,seu(a ser fundado) ou de outro.Que Deus nos ilumine a todos e um abraço fraterno em agnósticos e ateus!

  14. Doria, de alpinista social, à alpinista político. Não tem qualquer escrúpulo em usar aliados de momento, como escada em sua ascensão ao planalto. Não terá sucesso. De “bolsodória” para “morodória” traiu o primeiro e trairá o segundo, em sua sanha pelo planalto. Brincou de prefeito. Agora brinca de governador, para tentar levar o seu playground para Brasília. Nem o próprio tucanato confia nele. Se o idiota do Bolsonaro fritar o Moro, como parece que fritará, Moro será imbatível em 2022.

    1. Exato, Anselmo. E como Bolsonaro, parece não ter respeito ou capacidade de diálogo com a própria equipe. É mais um que precisa de uma camisa de força. Alardeia milhões de projetos que não saem do papel, enquanto que ele deixa o posto para o qual foi eleito atrás de um voo mais alto. E seu pecado capital: é um almofadinha além da conta

  15. São Paulo está ferrado com tantos traíras. O povo de São Paula é massa de manobra, aceita tudo bestializado. Acorda paulistas e paulistanos, vocês estão sendo enganados.

  16. No atual quadro politico nacional , a por ficha é o Doria. Carreirista profissional, mentiroso e perdulario. Vive também através de propaganda e nada mais...

  17. Esse playboy é guloso. Chegou lá lambendo mãos e agora quer mordê las para crescer. Tenta enterrar a assombração que lhe iluminou caminhos. E ainda tem gente que acredita que ingratidão espanta votos.

  18. Dória é o maior oportunista que o Brasil já viu, e ainda pertence a um partido que é o PT de gravata, tem sede de poder, e só.

  19. A partir da redemocratização elegemos um presidente que foi afastado por corrupção. O próximo eleito, amigo de Lula, comprou o congresso para sua reeleição. O seguinte, e seu poste, destruíram o Brasil. Por fim, o último. Eleito, principalmente, pelos que não queriam o retorno da ORCRIM, mostrou-se um anencéfalo. Espero que Dória, caso não consiga purgar o PSDB, crie um novo partido com pessoas como ele que, por enquanto, só pode ser acusado de tomar decisões, ser rico e descer do muro.

  20. A mídia caiu em descrédito , o Ibope está mostrando que Bolsonaro está crescendo, até o estadão que mete o pau no Presidente está dizendo isso, estão vendo Bolsonaro cavalgando o povo gritando "Mito", bem recebido em todas as regiões do nordeste, as falcatruas que eles inventam não dando certo , até o babaca do Macron fazendo exposição de imagens falsas da amazônia, só"burro" não vê isso, com todo respeito que eu tenho pelos animais.

  21. Não tiveram coragem de tirar o Aécio, porque a cúpula do PSDB estão de rabo preso na lava jato, especialmente os deputados de São Paulo. Esse partido acabou se envolvendo em corrupção como o PT e não tem coragem de fazer limpeza interna. Vão esperar a limpeza do voto, os eleitores não vão perdoar.

  22. O Dória está certo. Precisa mostrar eficiência como gestor e distância dos corruptos. Todos já sabem, muito bem, que o PSDB é uma ORCRIM igualzinha ao PT. Se diferenciar no meio de tantos enlameados não será fácil.

  23. É impressionante a insistência do PSDB em manter no partido um sujeito bandido, corrupto e viciado, pego com a boca na botija. Já pagou por esse vacilo mas ainda pagará muito mais.

  24. O importante é que ninguém fugiu, estão todos juntos reunidos na matriz, em suas bases e origem." A volta dos que não foram"

  25. Eu considero João Dória um excelente candidato a Presidente em 2022 e digo mais: se os patetas tucanos tivessem coragem, teriam dado a vaga do Alkmin para o Dória, que era na ocasião o maior nocauteador de petistas que o Brasil então viu; com Dória o Jair Bolsonaro não teria a menor chance de se eleger, pois o eleitorado iria dar todos os votos anti-petistas para ele. Se o Bolsonaro não der conta, podem contar com o Dória em 2022.

    1. Lambida no sapo foi ótima!!! Mas acho que foi depois de um abraço com o Paulo Preto mesmo.

    2. Esse texto saiu depois de chá de cogumelo ou lambeu sapo?

  26. Esse negócio de governador de sp ser automaticamente líder de partido e candidato presidencial forte é coisa de paulistanos que só olha o próprio umbigo e pensa que o Brasil gira em torno de sp. Depois de Getúlio o único que se elegeu foi o Jãnio.

  27. Doria, mais uma vez, demonstra que não tem compromisso com cada mandato que conquista. Sinceramente, não o vejo como futuro presidente do Brasil.

    1. Espero que a população não vote nesse crapula como paulistana não gosto desse tipo tem mais a Joice Não, Não🙏

    2. É um jogo mais complexo do que se apresenta. Se em 2020 o Bozo e sua família de conexões paramilitares tiver afundado juntamente com os generais que não mostraram a que vieram, se o Amoêdo continuar só um logo sem experiência e sem estrutura partidária, se a petralhada voltar a ameaçar a tomada do poder, em quem será que nós nos sentiremos coagidos a votar? Creio que é mais ou menos nisso que o Dória aposta. Só que para dar certo terá que expurgar a maioria dos caciques do seu moribundo partido

  28. O cara mal entra como governador eleito pelo povo e de um estado com a importância de São Paulo e já está praticamente fazendo campanha para presidente. Isso é uma grande ofensa e falta de respeito com os que o elegeram. E ainda carrega a tiracolo o A. Frota q se aproveitou do Bolsonaro para aparecer e agora vai tentar fazer o mesmo com o Doria. Decepcionante este sub mundo!

    1. Verdade. Inclusive o Bolsonaro, que não se firmou nas pernas e já anda falando em reeleição. Tem que provar primeiro que não é igual ao resto de lixo político do Brasil. Mas tá cada vez mais difícil.

    2. É realmente vergonhoso. Saber de forma tão descarada que tão logo são eleitos já pensem nas próximas eleições e tudo que fazem e para garantir a próxima eleição.

  29. A sede com que vai ao pote, faz Doria começar a incomodar seus pares...Dominar São Paulo foi fácil, o Estado foi conquistado com o "Bolsodória", mas o Brasil... Bem, isso é outra história.

  30. OPORTUNISTA! Não tem outra definição. Não adianta parecer centrado, se não fizer coisas reais. Vai precisar de muita humildade para chegar ao eleitorado do Bolsonaro. Não acredito nele, muito falso como o Flota!

  31. O BRASIL tem problemas e busca uma SOLUÇÃO; precisamos com URGÊNCIA achar o nosso SALOMÃO. AÉCIO tem problemas como a MAIORIA dos POLÍTICOS e EMPRESÁRIOS incluindo o LIGEIRINHO.A diferença é que apesar de ter dançado conforme a música no grande BAILE da ILHA FISCAL e PENAL, ao AÉCIO não falta SABEDORIA POLÍTICA e LEALDADE nessa PÁTRIA de CANALHAS. Essas qualidades são BENS que LIGEIRINHO & Cia.não possuem, e ainda por cima, agora,está caíndo de boca na XEPA da FEIRA do FRUTA. Uma loucuuuga...

    1. De pleno acordo com você Igor. Manter o mineirinho corrupto em suas fileiras é e será um grande erro para as eleições de 2020 e 2022. O PSDB, fisiológico e indeciso como é, não chegará a lugar nenhum pq o eleitorado brasileiro se cansou da mesmice dos tucanos.

    1. Aécio promoveu a eleição de Pimentel para governador de MG ao indicar um poste do PSDB para concorrer na eleição de 2014. Há muitas desconfianças sobre a estreita relação entre ele e Pimentel. Para mim, Aécio só inspira desconfianças.

    2. Ui... Quem fala até de matar para evitar delação merece credibilidade? Uma pessoa assim é o supra sumo do mau caráter. Aécio é o político mais dissimulado do país, mais que Lula. Votei nele para presidente e depois achei melhor Dilma ter vencido. Com ele, a Lava-jato teria acabado no berço. Tenho pra mim que ele possa ser até um grande narcotraficante, além de viciado. Suas estreitas ligações com Pimentel aqui em MG são óbvias.

  32. Dória é mais um embuste da realidade política brasileira. Empresário visa lucro, desenvolvimento pode até acontecer, mas tem seu preço. Vejam Maluf, rouba mas faz. Demorou muito para ser condenado, e pior foi condenado primeiro na França, para depois ser condenado no Brasil.

  33. Este Dória é nojento , arrogante , traiu seu padrinho politico Alckimim descaradamente. Tirar Aécio Neves do PSDB e colocar Alexandre frota?????? meu Deus ....Aecio tem uma historia de 32 anos de vida publica , fez muiiiito por Minas Gerais e pelo Brasil. ridiculo e vergonhoso esta atitude de doria. tira um verdadeiro politico que é Aecio , para ficar ele que é um apresentador de TV junto com uma ator porno.....

  34. Esse cara se elegeu prefeito e não prefeitou, se elegeu Governador e só pensa em 2022. O que acontecerá se ele se eleger Presidente? Vai tentar se indicar para o supremo? Ou seria o "IMPERADOR". Esse posto já tem diversos postulantes como Toffoli, Alcolumbre e BOTAFOGO.

  35. É do mesmo naipe de Bolsonaro. Mas, se despoluir o Rio Pinheiros terá o voto da quase totalidade dos Paulistas e Paulistanos.

  36. está é a desgraça do país, nossos políticos nem esquentam a bunda na cadeira e já pensam na próxima eleição, aí as energias são canalizadas para o desmonte do inimigo.

  37. Enquanto o Brasil não se livrar de alguns carnavalescos como Bolsonaro, Doria, Lula, Maia, Witzel, Aécio... , jamais se desenvolverá.

  38. Dória se diz de direita moderada , liberal em economia e nos costumes . Liberal nos costumes significa o que ? Defensor do aborto e da liberação das drogas ? Não caiam nessa , ele é socialista , social-democrata . 🇧🇷

    1. Concordo! Tenta mas não consegue esconder o que ele realmente é!!!

  39. ele não tem toda a importãncia que Crusoé dá pra ele .... em 25 Estados da nação ninguém está nem aí para o que ele faz ..... fez uma praça em Araçatuba, um trevo em Botucatu kkkkkkkkkkkkkkkkkk

  40. João Doria, que também pode ser chamado de Amaury Jr. que ele atende - ambos tiveram sucesso no mesmo ramo empresarial - é mais uma personagem embusteira da política tupiniquim.

  41. O PSDB já nos enganou o suficiente. Dória até agora cresceu na fraqueza dos adversários. Não mostrou nada onde esperávamos, na administração. Parece que busca o poder pelo poder e não tem escrúpulos em trair aliados e apoiadores. É bem pior que Aécio.

    1. Adorei a idéia, Maria. Eu me iludi logo que esse almofadinha se lançou na política. Achei que ele era bem mais interessante do que revelava naquele programete abestalhado, mas não é não. Trata-se apenas de um oportunista, babaca e traíra.

  42. Se o Dória quer ser dono; então deveria criar seu próprio partido. Chegou por último e quer sentar em todas janelas. São todos da mesma liga. Não se iludam....

    1. Eu também, só descobri tarde demais o que está por trás deste partido

  43. Só restará ao Dória sair do partido e ir para o DEM. Lá já terá a chapa pronta para a corrida presidencial, com o Maia de vice. Mas não conte com o Moro, esse é inimigo do Maia(o Botafogo) que cedo ou tarde vai cair nas mãos da Lava Jato

Mais notícias
Assine
TOPO