Marcelo Camargo/Agência BrasilRamona diz que os médicos, para além de atender nos consultórios, tinham uma "função política"

“Tinha de falar bem da Dilma”

Primeira cubana a deixar o Mais Médicos, Ramona Rodríguez agora move um processo milionário contra a Opas, o braço das Nações Unidas que intermediou o acerto entre o governo do PT e a ditadura de Havana. Ela diz que, enquanto estava no Brasil, tinha de elogiar o governo da petista
07.12.18
Mais notícias
TOPO