RuyGoiaba

Não é fake news se seu coração acredita

03.12.21

Ninguém gosta de notícia: eis uma das conclusões a que cheguei depois de mais de 30 anos nesta indústria vital, como diria aquele desenho do Pica-Pau (citação erudita é comigo mesmo). Os leitores não gostam, os jornalistas muito menos — toda vez que perguntam a um legítimo espécime da categoria se não leu a notícia X que saiu no seu próprio jornal, a resposta tende a ser “sou pago para escrever lá; se tiver que ler também, quero outro salário”. As pessoas gostam é de historinha, comovente ou divertida — e, em ambos os casos, que seja viralizável, bombe nas redes, faça sucesso nos grupos de WhatsApp etc. Às vezes até acontece de a notícia ser de verdade e ter potencial para historinha.

Só que, se você colocar um ser humano para optar entre uma notícia e uma historinha sobre o mesmo assunto, como um cachorro entre duas tigelas de comida, ele vai direto (e salivando) na tigela da historinha. Sim, a realidade é no mais das vezes chata e sem graça, “pior para os fatos”, “imprima-se a lenda”, todos aqueles clichês que a gente conhece: é por isso que tentar explicar aos distintos leitores que uma notícia é falsa, quando eles querem MUITO acreditar nela, é trabalho análogo a enxugar um Everest de gelo. Mas a coisa piora exponencialmente quando, num mundo de redes sociais, os jornalistas — profissionais pagos para serem os chatos do rolê, mythbusters, desmentidores de fake news — embarcam alegremente no bonde e ajudam a disseminar ficção.

Nas últimas semanas, o Bananão nos agraciou com vários exemplos. Primeiro, foi a “agência de checagem de informações” que aproveitou o Dia da Consciência Negra para fazer etimologia freestyle e listar expressões “racistas” cujo uso deveria ser evitado, como “feito nas coxas”, “doméstica” ou “criado-mudo” — segundo a agência, ligadas à escravidão. Quase toda a lista era de lendas da internet, desmentíveis se alguém no processo tivesse tido a incrível ideia de olhar um dicionário ou dar dois cliques no Google: “feito nas coxas” nada tem a ver com telhas produzidas nas coxas dos escravos (seria necessário um escravo de 4 metros de altura, imóvel por 15 dias, para fazer as telhas coloniais brasileiras), “doméstica” não se refere a “negras domesticadas” (o termo já existia com esse sentido, “da casa”, no latim da Roma antiga) e “criado-mudo” é só tradução do inglês “dumbwaiter”, o elevador usado para transportar refeições — não um “escravo emudecido”. O pedido de desculpas da agência não atenuou o vexame.

Depois disso, ainda houve a historinha “Olavo de Carvalho saindo do Brasil em avião da FAB” — disseminada por uma palpiteira metida a Xeroque Romes, em quem gente séria acreditou, e logo desmentida por reportagem do Painel da Folha mostrando que, depois de ser intimado pela Polícia Federal, o guru bolsonarista fugiu por terra, entrando no Paraguai e de lá pegando um voo para Miami. Mas a fanfic que mais conquistou corações e mentes (inclusive os meus, que não resisti a entrar na brincadeira nas redes) foi a da “noivinha do Aristides”.

É possível crer que uma passageira de um carro aleatório na via Dutra tenha sido detida pela PRF por xingar Jair Bolsonaro — que acenava aos motoristas na beira da estrada — de “noivinha do Aristides”, alegada referência a um suposto instrutor de judô do presidente no início da sua carreira militar, em vez de lançar mão do tradicional, consagrado e brasileiríssimo “filho da puta”? O santo desconfiaria, mas muita gente acreditou: a “noivinha” passou dias no alto dos trending topics do Twitter e no topo das mais lidas em sites noticiosos. Era bom demais, Nelson Rodrigues demais para ser verdade: é fácil imaginar o delegado Cunha de O Beijo no Asfalto ou o doutor Werneck de Bonitinha, mas Ordinária chamando alguém de “noivinha do Aristides” e gargalhando na sequência. Tanto que, ora vejam, não era verdade: logo advogados da mulher detida vieram a público esclarecer que o xingamento tinha sido aquele tradicional mesmo.

Moral da história, se é que há alguma: o “lado bom” da homofobia de Bolsonaro é liberar todo mundo para ser homofóbico contra ele sem peso na consciência, sobretudo esse pessoal da autonomeada “mídia progressista”. Também está totalmente ultrapassada a ideia de que existe uma distância, às vezes grande, entre o que é plausível e o que é fato: se algo pode acontecer, então aconteceu. Por fim, não é fake news se seu coração acredita nela, assim como não pode ser verdade se contraria as suas crenças. E assim vamos nós, felizes habitantes do Bananão, pendurados na janela do bonde da dissonância cognitiva sem freio.

***

A GOIABICE DA SEMANA

Não houve concorrência possível desta vez: a grande campeã da semana é a “moção de repúdio” da Câmara Municipal de Ribeirão Preto à propaganda dos Correios da Noruega que mostra um Papai Noel beijando um homem, obra de um brilhante vereador desse partido de bolsominions enrustidos que é o Novo (se isso passa no tal “processo seletivo” da sigla, imagine quem tropeça no sarrafo). Duvido que a turma saiba apontar onde fica a Noruega no mapa, mas é imprescindível fazer saber aos escandinavos que há ribeirão-pretanos muito incomodados com o Papai Noel gay. Sugiro que o Brasil todo se mude para Ribeirão, já que certamente todos os problemas que mereceriam a atenção dos vereadores da cidade acabaram e o IDH de lá deixa o norueguês no chinelo.

O Papai Noel norueguês, que sai do armário em vez de descer pela chaminé

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Fico com pena do Amoedo. Tanto trabalho pra criar um partido e ver um mandatário fazer uma m.... dessa. Lamento profundamente.

    1. Concordo. Foi dele o meu voto na eleição passada.

  2. O aristides é fake? Sei não. Sempre que pode Bolsonaro se declara namorado de homens , principalmente se políticos. E é promíscua porque é em bando, como o centrão e não desgruda do stf. Haja furico

  3. Parece que na goiabice da semana o autor é o personagem. O dito vereador já está na comissão de ética do Novo e poderá ser expulso, assim como um Deputado o foi aqui em meu Estado, por ter participado de uma motociata ...

    1. O pessoal do Novo é tudo quem muito finissima onde já c viu andar de moto; muito melhor ser miliciano de rio das pedra

  4. Quando ainda trabalhava em jornal, minha resposta à pergunta sobre se havia lido alguma coisa publicada nele era inspirada no Groucho Marx: "Não leio jornal que me aceite como redator"...

  5. Habitando um país que nunca soube o que foi a revolução industrial nem nunca participou do iluminismo, com baixo nível de educação e tingida por visões salvacionistas jesuíticas apoiadas pelos eternos exploradores dessa terra e, ao mesmo tempo já se posicionando para avidamente tirar vantagens da 3ª revolução, a da felicidade, temos aí essa indigesta mistura Macunaíma tão bem descrita pelo Ruy. O país é um desastre pela própria natureza mas os portaits do Ruy são sempre obras de arte. Ótimo!

    1. O Rui é comunista e verde por fora e tem bicho por dentro

  6. Imaginei que a goiabice da semana fosse ser Kajuru, defendendo na CPI da Chapecoense a necessidade de convocar o piloto do avião para ser ouvido na Comissão.

    1. Não é possível 🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣

  7. O Brasil é tragicômico. Xingar em público o sujeito que ocupa a cadeira de presidente de FDP é perfeitamente normal. kkkkk Sugiro que o Aristides seja convocado para esclarecer o caso no Senado.

    1. O amor entre O Messias e o Aristotes sempre foi plantonico; Eça conversa para mim foi demais, Queiroz

    2. Se ele já tiver falecido, basta pegar instruções com o Senador Kajuru sobre como proceder.

    1. Uma verdade verde, ecológica, ambientalista, com casa sala, cozinha e banheiro

    1. A coisa mais bonita do rio e poder adormecer ao som predisponente do sono do tiroteio Em rio das pedras e com o celular ligado ouvindo o tartamudear semi letrado do Bolsonaro

  8. Novo no bananal é algo dos anos 60, década que ainda não terminou por aqui, é a Noruega nem sabe onde fica essa gentalha

  9. Filha da puta passou ser muito leve no tal tratamento ciber. Noivinha é uma bela bolacao considerando-se prá quem o disque-me-disque enviou. É fake? Que pena que a falsa autora não assumiu! Para mim é fake do ano. Não é tempo dessa moagem de melhores? Aproveitar e gostar (com tesão) é a fórmula da felicidade.

    1. O Eduardo acha que usar palavra xula é prova de alguma coisa

  10. Tem coisa pior: recebi no Whatsapp notícia de uns dos telejornais da Globo, devidamente editado, com trecho da propaganda norueguesa e alguém dizendo que a Globo acabou até com o Papai Noel.

    1. E como diz dizia o avô do Diego - menino Vai tomar no ?u

  11. cheia de pleonasmos anacolutos e metáforas cínicas o que este idiota escreveu é puro lixo .. imprimam o texto e limpem o rabo com o papel é para o que serve.

    1. Eu conhecia um Francisco Gonçalves Feitosa na escola. A turma o chamava de FRANcisco GOnçalves FEITOsa. Será tu?

    1. O Fukô escreveu q em instituições totais os anjos não voam

  12. Quer dizer então, que os evoluídos noruegueses podem induzir as crianças a serem gays? E porquê não colocaram uma pessoa negra beijando o Papai Noel. É racismo? O tempora! O mores!

    1. O Brasil é bizarro 🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣 senhor, não se ofenda: é na Noruega

    2. Desde quando um beijo gay induz alguém a ser gay? Só se vc sentiu vontade, aí é outra história...

    1. O pessoal do novo acha q ser distraído é ser distraído

    2. Pessoal do NOVO não, o bobalhão sozinho, tem vários posts de relevantes do NOVO debochando e o Cons de ética foi acionado.

Mais notícias
Assine 50% off
TOPO