Lula Marques/Folhapress"Não creio que Bolsonaro desconfie realmente da segurança do processo eleitoral"

O Supremo também tem culpa

Para o ex-ministro do STF Francisco Rezek, que também foi juiz da Corte Internacional de Haia, a Suprema Corte tem uma parcela de responsabilidade pela crise institucional em curso no país
17.09.21

Na manhã do primeiro domingo de agosto, Francisco Rezek recebeu um chamado de Luís Roberto Barroso enquanto descansava em sua casa de campo no sul de Minas Gerais. Barroso queria que o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal e ex-presidente do Tribunal Superior Eleitoral assinasse uma carta rebatendo as acusações de fraude nas urnas eletrônicas feitas por Jair Bolsonaro. A ideia era que todos aqueles que dirigiram o TSE, desde a Constituição de 1988 – Rezek presidiu o tribunal de 1989 a 1990 –, subscrevessem o documento para demonstrar o quão descabidos eram os questionamentos do presidente da República. O ex-ministro, que também foi juiz da Corte Internacional de Haia, não hesitou em aderir.

Aos 77 anos, Rezek é um crítico ácido dos arroubos antidemocráticos de Bolsonaro. Mas, ao mesmo tempo, não deixa de enxergar nem de falar das decisões polêmicas e dos excessos cometidos pelo Supremo Tribunal Federal nos últimos tempos. Como exemplos, ele cita a abertura do inquérito do fim do mundo e a guinada da corte em relação à Operação Lava Jato, que ajudou a enterrar investigações importantes. “O Supremo não se tornou vulnerável por culpa exclusivamente alheia”, diz nesta entrevista a Crusoé.

Para o ex-ministro, nomeado duas vezes para o STF (primeiro em 1983, por João Figueiredo, e depois em 1992, por Fernando Collor, depois de ter deixado a corte para assumir o cargo de chanceler), a “patologia mais sórdida” que o Brasil enfrenta hoje é a reação do establishment político às ações anticorrupção levadas a cabo pela Lava Jato – um processo que tem contado com importantes contribuições da Suprema Corte. “A corrupção não quer apenas a impunidade, ela quer se vingar daqueles que tentaram puni-la”, afirma. Eis a entrevista.

O STF e o TSE têm respondido à altura aos ataques feitos pelo presidente Jair Bolsonaro?
As reações me pareceram imaculadas. O discurso do presidente do Supremo, Luiz Fux, na abertura daquela sessão imediatamente posterior aos desaforos proferidos do presidente da República, foi perfeito. Tão perfeito quanto e mais completo na sua didática foi o que disse o presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, que também repudiou a fala do presidente da República. O problema é que é muito difícil convencer quem se obstina em não ser convencido pelo bom motivo de que realmente não acredita naquilo que está dizendo. Eu não creio que Jair Bolsonaro desconfie realmente da segurança do processo eleitoral. Esse é um discurso marcado pela má-fé, pela malícia. E esse parece ser um instituto de sobrevivência dele. Provavelmente, as premonições do presidente do que vai acontecer com ele nas urnas nas eleições de 2022 não são muito otimistas e, por conta disso, ele quer armar um palanque de desafio ao sistema eleitoral brasileiro, que é um dos mais seguros e aplaudidos do planeta. Ninguém que saiba das coisas ignora esse fato. Por isso que se desenha em mim essa interrogação: essas pessoas que bradavam pelo voto impresso e auditável nas ruas no Sete de Setembro e desconjuravam a urna eletrônica são realmente estúpidas ou elas compartilham a má-fé do presidente da República? É a única dúvida que eu tenho.

Muitas pessoas que foram aos atos em apoio ao presidente Bolsonaro falavam em defesa da “liberdade” e contra a “ditadura do Supremo”. De alguma forma, as decisões do Supremo alimentaram esse discurso e insuflaram essas manifestações bolsonaristas? 
O Supremo não se tornou vulnerável por culpa exclusivamente alheia. Isso seguramente tem a ver com a falta de unanimidade na tomada de decisões. Quando me perguntaram há dois anos sobre a abertura daquele inquérito relativo às fake news, chamado por alguns de inquérito do fim do mundo, eu disse que foi uma ideia infeliz e que estava seguro de que seus autores, o presidente do Supremo à época (Dias Toffoli) e o ministro relator (Alexandre de Moraes), estavam convencidos disso. Mas é muito difícil voltar atrás em certos cenários e níveis de autoridade. E é difícil para o colegiado desautorizar seus dois integrantes, embora não tenha sido uma decisão unânime. O decano Marco Aurélio Mello se opôs firmemente à abertura desse inquérito nos termos que ele foi instaurado. E esse é o discurso de uma ala até moderada, sensata, dos partidários do presidente da República. O general Mourão se referiu a isso. Ele acha que esse inquérito, sem a iniciativa do Ministério Público, não poderia ter sido aberto. À luz do que se vê no regimento interno do Supremo, ele (o inquérito) é defensável, mas não é a melhor das ideias. Resumindo, não foi uma decisão feliz e ela tem sido a causa das maiores provocações, dos maiores desafios que se fazem hoje ao Supremo, dentro da racionalidade. Já a questão da urna eletrônica é totalmente irracional.

A seu ver, quais instrumentos podem ser utilizados para conter os arroubos autoritários do presidente Bolsonaro?
Acredito que nem a procuradora-geral da República da época (Raquel Dodge) nem o atual (Augusto Aras) jamais teriam se recusado a abrir o inquérito, jamais teriam sido insensíveis se o Supremo comunicasse o que estava acontecendo, se dissesse o sentimento da corte em relação à gravidade da propagação de fake news, para, assim, seguir do modo mais ortodoxo possível o figurino, e não ficasse como uma iniciativa de juízes que, como diz hoje o observador crítico, investigam, acusam e julgam. É uma confusão entre os três papéis, que naturalmente são da polícia, do Ministério Público e da judicatura. O mecanismo é um só, é curial, é aquele que a ordem jurídica prescreve, independentemente do que diz um dispositivo avulso do regimento interno do Supremo, de modo a autorizar isso como algo defensável. Aquilo que é defensável não é necessariamente o melhor. Há caminhos melhores do que aquele que é simplesmente defensável.

Depois dos ataques ao STF no Sete de Setembro, o presidente recuou com a divulgação de uma carta à nação. O sr. acredita em um cenário de pacificação?
Eu sou menos pessimista do que vários analistas que têm falado sobre a carta. Sempre me impressionou o fato de que o presidente da República, além de pessoas absolutamente desqualificadas que o cercam no cotidiano, tem também pessoas qualificadas para aconselhá-lo. Acredito que essas pessoas têm tentado aconselhá-lo desde que ele tomou posse, mas infelizmente ele não as ouve, prefere ouvir aquilo que há de mais desqualificado. A iniciativa dele de procurar o conselho do ex-presidente Michel Temer, que é um jurista respeitado, um político habilidoso, já me pareceu a mais louvável possível. A carta é bem concebida e quero acreditar que alguma coisa muda. Não é mudança radical. Não se transforma, da noite para o dia, Jair Bolsonaro em Franklin Roosevelt, que também teve um histórico de oposição à Suprema Corte americana, mas administrou isso com sabedoria exemplar. Até mesmo a réplica de Bolsonaro aos seus apoiadores mais fanáticos, que deram um grito de protesto à carta, me pareceu mais equilibrada do que as manifestações anteriores dele. Acredito que o instinto de sobrevivência fala alto. Imagino que, depois do Sete de Setembro, alguns dos conselheiros dele devem ter lhe falado com muita franqueza: “Não se articula um golpe de estado no Brasil de hoje. Se essa é a ideia, não vai dar certo. Se não é a ideia, trate de se compor porque, do contrário, o impeachment é inevitável”. Acho que a sombra do impeachment falou alto.

O sr. acredita que o recuo diminui a possibilidade de impeachment?
Acho que se ele provocar, pode ter que sair pelo impeachment. Mas se ele minimamente se compuser, vai até o final de seu mandato e acredito que tentará governar, que é o que não tem feito. Ele não foi eleito para animar multidões na Avenida Paulista ou na Praça dos Três Poderes. Tem faltado governo, administração da crise sanitária, da educação e da crise econômica que acompanha tudo isso.

Há um receio de que uma eventual derrota do presidente em 2022 provoque tumulto semelhante ou pior do que o que ocorreu com a invasão do Capitólio, nos Estados Unidos, após a derrota do ex-presidente Donald Trump.
Não vejo isso como uma possibilidade. Será uma eleição muito equilibrada. Se crescer a terceira via e, eventualmente, Jair Bolsonaro for derrotado já no primeiro turno, ou mesmo no segundo, creio que nada possa ser feito fora das linhas mestras da Constituição para a manutenção do poder. A ideia de golpe, que já hoje eu descarto por inteiro, seria mais esdrúxula e impraticável depois dos resultados das urnas.

Lula Marques/FolhapressLula Marques/Folhapress“Quando me perguntaram há dois anos sobre a abertura daquele inquérito relativo às fake news, eu disse que foi uma ideia infeliz”
No Congresso, fala-se em crime de responsabilidade e até em denunciar Jair Bolsonaro ao tribunal internacional do qual o sr. já foi juiz, por crime contra a Humanidade em razão dos erros na condução do combate à pandemia. Dos crimes imputados ao presidente, quais podem realmente levá-lo a algum tipo de punição?
É impressionante a fluidez do texto constitucional quando fala dos crimes de responsabilidade do presidente da República. Isso leva a uma conclusão que parece meio cínica, mas é profundamente verdadeira e que é ilustrada na História do Brasil pelo impeachment do ex-presidente Fernando Collor e da ex-presidente Dilma Rousseff: crime de responsabilidade é aquilo que o Congresso Nacional decide ser crime de responsabilidade. Essa é a definição mais honesta, de modo que as pessoas falam que o impeachment se impõe porque ele já incorreu nesse ou naquele crime de responsabilidade. Isso é um discurso político de discutível consistência jurídica, porque a linguagem da Constituição que define os crimes de responsabilidade do presidente da República é de uma plasticidade tal que nos autoriza essa conclusão, tão estranha, mas tão verdadeira. Fora disso, toda busca de soluções técnicas à luz da linha literal do direito é uma busca inglória. Não é por aí que vamos encontrar a solução do problema.

E quais são as chances reais de ir adiante uma acusação contra Bolsonaro na Corte de Haia?
Nenhuma. A competência do Tribunal Penal Internacional é complementar. Pressupõe que a Justiça do país de origem do acusado não pode ou não quer exercer sua competência primária. Assim, a aceitação da denúncia, seja qual for sua origem, com a instauração do processo pelo tribunal internacional significaria, mais que qualquer outra coisa, uma declaração de falência da Justiça e, mais genericamente, das instituições do Brasil.

Como o sr. enxerga a crise institucional que o país passou a viver a partir dos sucessivos ataques do presidente Jair Bolsonaro contra integrantes do Supremo?
Já faz alguns anos que nós acompanhamos a fratura que atingiu o país, essa divisão radical entre os extremos, que são muito atuantes, muito loquazes. Tradicionalmente, a esquerda brasileira é particularmente ativa, enquanto a direita poucas vezes se fez ouvir de modo tão transparente, tão assumido, nas últimas décadas. As nossas lembranças da direita remontam há mais de meio século, no surgimento do integralismo, à sombra das ditaduras fascistas da Europa na época. Hoje, a extrema-direita se assumiu como tal, ocupou seu espaço e revelou-se tão loquaz, tão agressiva e capaz de usar e abusar de métodos mais virulentos até do que aqueles que a extrema-esquerda vinha utilizando. Essa fratura do país é marcada pelo confronto entre as duas extremidades, cada uma com, no máximo, 20% de apoio da sociedade brasileira. O que se pergunta é: onde estão os 60% que parecem não estar dispostos a conviver com isso? Por que essa expressiva maioria do eleitorado brasileiro não foi às ruas no último dia 12 de setembro?

Por quê?
Porque os sentimentos nessa expressiva maioria são menos exacerbados do que nos extremos. Além disso, os representantes políticos desse grupo, possíveis presidenciáveis, estão em uma fase de concorrência, de forma respeitosa, como Ciro Gomes e o governador João Doria. É difícil vislumbrar por agora o desfecho da definição de um rosto representativo da terceira via. É curioso que os institutos de pesquisa não perguntam quem se situa em uma posição de rejeição simultânea a Lula e a Bolsonaro. Acredito que, se essa pergunta fosse feita, aqueles que rejeitam seriam maioria entre os entrevistados. O 12 de setembro era um dia sem bandeira e um dia sem bandeira dificilmente reúne multidões em qualquer praça ou avenida.

A bandeira levantada, segundo os organizadores, foi a da defesa da democracia.
Esse é o ponto. Todos se definem como defensores da democracia. Mesmo a esquerda radical hoje não pode ser identificada como adversária da democracia. Só a extrema-direita assumiu essa bandeira. A ojeriza pelos valores democráticos só foi revelada até agora pela extrema-direita. De qualquer maneira, a esquerda não quis aderir. O lulopetismo tradicional, que para mim é mais fisiológico do que ideológico, e também a esquerda radical, não se sentiram à vontade para ir às ruas no último domingo,  visto que, entre outros alvos da manifestação, estava o repúdio ao binômio Bolsonaro-Lula. E a ausência daqueles que realmente repudiam o binômio se explica pelo fato de que não é todo mundo que se anima a ir à rua em defesa dessa abstração que é a democracia.

Quem pode ser esse candidato?
É difícil imaginar o que seria essa terceira via. Eu penso, por exemplo, em Sergio Moro, uma das figuras mais notáveis do Brasil contemporâneo. O governo Bolsonaro, o Supremo Tribunal Federal e a própria força do destino impuseram o exílio político a que ele está hoje submetido. Se fosse ele a terceira via, como é da preferência de tantos brasileiros, a esquerda não aceitaria jamais, por causa do que foi a Lava Jato. A corrupção não quer apenas a impunidade, ela quer se vingar daqueles que tentaram puni-la. É esse o quadro, a patologia mais sórdida que enfrentamos neste momento. Dessa parte do eleitorado brasileiro que crucificou a Operação Lava Jato, que humilhou seus juízes e procuradores, nós nunca teríamos simpatia e muito menos apoio à candidatura de alguém como Sergio Moro. Dos outros representantes da terceira via, Ciro Gomes, por exemplo, embora não seja um súdito de Lula, é muito identificado com uma esquerda mais radical até do que o próprio lulopetismo. São inúmeras as forças de direita ou até mesmo de centro que não aceitariam Ciro Gomes como terceira via. Ouço, às vezes, pessoas dizendo que o governador de São Paulo, João Doria, outro possível candidato da terceira via, nunca pareceu ser um mau administrador e não tem outros defeitos que o inscrevam em nenhum capítulo do Código Penal, mas que não simpatizam com o estilo dele. O problema não está nas antinomias graves, mas na falta de sintonia. Tem quem não simpatize com o governador do Rio Grande do Sul (Eduardo Leite) por sua opção pessoal (ele se declarou gay), que não deveria interferir numa República como a nossa. Além das rejeições fundadas em algo inabalável, como a rejeição da esquerda a Sergio Moro, ou da direita a Ciro Gomes, existem rejeições supérfluas, cosméticas.

O sr. acredita em uma unidade no centro, uma candidatura única da terceira via na eleição presidencial de 2022?
Acredito numa unidade suficiente para levar esse rosto da terceira via ao segundo turno. Se ela for para o segundo turno, seja contra Bolsonaro, seja contra Lula, ela vencerá, sem nenhuma dificuldade.

Arquivo pessoal/FlickrArquivo pessoal/Flickr“A corrupção não quer apenas a impunidade, ela quer se vingar daqueles que tentaram puni-la”
O sr. disse que os corruptos no Brasil não querem apenas a impunidade, mas a vingança daqueles que tentaram puni-los. Boa parte das decisões que beneficiaram denunciados e condenados por corrupção veio do Supremo. Qual o papel da corte nessa vingança?
Eu acho que aquela decisão da Segunda Turma que fez implodir a Operação Lava Jato foi uma das mais infelizes da história do tribunal.

O sr. se refere à decisão sobre a parcialidade do ex-juiz Sergio Moro nos processos do ex-presidente Lula?
Exato. O tribunal parece não ter avaliado as consequências daquilo que estava fazendo. Há quase dois anos, eu ponderei que, se em qualquer uma das grandes democracias do mundo, nós invadirmos criminosamente a correspondência privada entre juízes e procuradores, entre juízes e advogados, entre psicólogos e clientes, entre cônjuges, enfim, em qualquer status da sociedade, e levarmos isso ao público, não há limites para o tamanho do estrago que isso poderia causar. É exatamente por isso que em todas as grandes democracias o papel do hacker, do criminoso que invade a correspondência privada alheia, é reprovável e é punido por lei. Parece que só aqui, entre nós, resolveu-se fazer do criminoso que é hacker um herói nacional, porque em determinado momento ele atendia às conveniências de certa parte da sociedade política brasileira, porque em determinado momento o produto do hacker servia para tentar destruir um processo penal que foi levado a termo com a mais absoluta correição e com a bênção dos tribunais regionais e tribunais superiores, entre eles o Supremo Tribunal Federal. Essa decisão da Segunda Turma acabou por desautorizar decisões de turmas e do plenário dentro do próprio contexto da Lava Jato.

Antes dessa, houve outras decisões contra a Lava Jato e os órgãos de investigação.
Sim. Esse não foi o único dos erros acontecidos dentro do Supremo nos últimos anos, mas foi o mais deplorável, porque ali Sergio Moro foi julgado e condenado sem defesa, por maioria apertadíssima. Aliás, todos os erros que o Supremo cometeu ao longo da sua história foram em decisões tomadas por 6 a 5 ou, dentro das turmas, por 3 a 2. Felizmente, o Supremo quando corrige mais tarde seus próprios erros o faz quase sempre por unanimidade. E depois dessa calamidade que foi a decisão da Segunda Turma, parece que a própria turma estava empenhada em que o plenário não pudesse rever aquilo. Como é que se pode tomar uma decisão tão grave como aquela, em que se condenou um magistrado à execração pública, não só à nulidade do que ele fez, sem direito de defesa, com a voz de apenas três pessoas na turma?

Quando e por que o Supremo deu essa guinada contra a Lava Jato?
Antes dessa decisão da Segunda Turma (refere-se à decisão que declarou Moro parcial), nada me pareceu caracterizar um ponto de inflexão. Aquele, sim, foi o ponto de inflexão. Antes não era nada pessoal. Passou a ser naquele momento. Foi com essa decisão dos habeas corpus de Lula da Silva que as águas se dividiram, que começou a destruição da Operação Lava Jato. Me pareceu de uma transparência solar naquela sessão um ressentimento profundo contra o juiz Moro, contra o procurador (Deltan) Dallagnol. Esses dois personagens foram execrados sem direito de defesa em sessão onde a Segunda Turma julgava um habeas corpus em favor de Lula. Ou seja, não estava em julgamento o juiz ou o procurador da República, mas quem foi julgado ali foram o juiz Sergio Moro e o procurador Dallagnol. Por isso que eu digo: antes não era nada pessoal, depois desse dia a coisa foi desenganadamente personalizada. E eles não esconderam isso.

Embora até hoje o Supremo não tenha decidido sobre a validade das mensagens hackeadas como prova, os ministros Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski as utilizaram no julgamento da parcialidade de Moro como “reforço argumentativo”. Qual sua opinião sobre isso?
Independentemente daquilo que a lei abona e daquilo que ela proíbe na dinâmica das provas, acho que não é eticamente indefensável você admitir a prova hackeada em favor de um réu em processo penal. A prova é ilícita, mas demonstra que fulano de tal, acusado de determinado crime, é inocente. Não foi nada disso que aconteceu nesse caso. A prova hackeada não dizia nada sobre culpa ou inocência de Lula. A prova hackeada dizia que houve apenas uma comunicação entre juiz e procurador que, para a maioria dos membros da Segunda Turma, pareceu uma maneira incorreta de proceder. Ou seja, a prova hackeada não foi utilizada para defender nenhum réu, foi usada para fazer do juiz e do procurador réus, que ali se julgavam e condenavam sem defesa. Isso me parece impalatável dentro do Estado de Direito. Insisto: nada que o hacker jogou na mesa do Supremo demonstrava a inocência de nenhum réu, Lula ou qualquer outro, apenas demonstrava que houve comunicações entre juiz e procurador que a turma decidiu considerar obscenas. E por conta disso salvam a cara do réu e transformam em réus o juiz e o procurador, que são imediatamente condenados.

Essa concentração de decisões importantes nas turmas ou até mesmo em um único ministro, por meio de liminar, tem sido bastante criticada por juristas e até por quem integrava a corte até havia pouco, como o ex-ministro Marco Aurélio Mello. Esse fenômeno se agravou nos últimos anos?
O Supremo sempre foi um arquipélago, isso já dizíamos quando entrei no tribunal. As pessoas são diferentes na sua própria formação, na visão de mundo, na metodologia de trabalho. Alguns dizem em 600 páginas o que outros dizem em seis páginas. Mas o que hoje me impressiona é que seja um arquipélago de onze monocracias por causa das decisões monocráticas que são tomadas e que nós outrora chamávamos de decisões singulares, que os ministros tomavam em coisas de menor importância. Hoje, decisões da maior gravidade são tomadas monocraticamente. E não é fácil o colegiado desautorizar a decisão monocrática de um dos seus membros. Esse é um problema sério. O Supremo seria muito menos vulnerável às críticas que hoje sofre se ele atuasse mais como um colegiado minimamente uniforme. Na corte internacional de Haia, que eu integrei por nove anos, nós éramos 15 criaturas de origens tão diferentes, de cultura jurídica tão diferentes, e todos os casos mais dramáticos, como o do muro da Palestina, o da  pena de morte nos Estados Unidos, os conflitos de fronteira, foram decididos por unanimidade ou quase unanimidade. Isso dava às decisões da corte de Haia uma fortaleza. Era difícil ao estado soberano que ficava vencido repudiar essa decisão.

Por que o sr. não acredita na possibilidade de cassação da chapa Bolsonaro-Mourão no TSE?
Isso também foi cogitado no caso da ex-presidente Dilma Rousseff. A Justiça Eleitoral empanaria sua própria segurança jurídica dando guarida a um processo como esse, porque ela estaria dizendo que, se essa eleição deve ser anulada com a destituição da chapa eleita, é porque ela própria, Justiça Eleitoral, não funcionou. Isso não existe. Esse caminho não será tomado agora de maneira nenhuma.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. —> Reconhece q a esquerda usa da violência há décadas, mas está preocupado se a direita não vai fazer pior! Doutrinado mil vezes: Um robô q jamais conseguiu sequer cogitar ou suspeitar q não pensa por si só nem com isenção! Jamais conseguiu perceber seu próprio duplo padrão de julgamento pois sofreu lavagem cerebral p/ acreditar q não é duplo padrão... seria verdade! No mais, reconhece q é atestado de fracasso entregar nossa soberania a um Tribunal Internacional, mas apoia Moro q sonha c/ isso..

  2. —-> Como bom doutrinado, ACHA que “direita” é fascismo! Não entende ABSOLUTAMENTE nada de conservadorismo ou liberalismo clássico (e não passa pela cabeça q virou mingau, que tais correntes políticas são absolutamente anti fascistas!). De fato, NUNCA, NUNCA, NUNCA, conseguiu sequer suspeitar do parentesco do fascismo com o socialismo e a social democracia. Um doutrinado “completo” e bem “acabado”, preso desde sempre às FAKE NEWS sobre economia que grassam nas madrassas de Direito! —->

  3. Desonesto intelectualmente e ignorante. Não à toa, estamos onde estamos: foram tais nulidades que “construíram” este Brasil. Frente aos “arroubos” autoritários de Bolso, o juizeco é implacável; já frente aos absurdos do “supreminho”, RECONHECE a tirania praticada (juiz abrindo inquérito, acusando e julgando), mas aí não vê risco nenhum de ruptura institucional mesmo diante do extenso rol de absurdos elencados pelo entrevistador (“passa pano”, releva; enfim, um peso, duas medidas) —->

  4. O pretenso, e manifestadamente desejado, golpe de Jair Bolsonaro , foi guilhotinado, pulverizado, fuzilado, no dia do Soldado. O recado dado pelo Sr. General, Comandante do Exército, foi claro, direto e transparente, a um calado Bolsonaro: " Não haverá divisão em nosso país".

  5. Crusoé já vinha me cansando sobre matérias e colunas sobre o louco do presidente. edições massantes e cansativas. já não as lia mais a não ser Sérgio Moro, e Carlos Fernando a cada 15 dias. A entrevista do presidente STF dessa semana foi a melhor entrevista desde o início dessa revista. perfeita, ele nos disse tudo o que queríamos ouvir. verdadeiro, consistente, abrangente, inteligente e didático. parabéns Dr Francisco Rezek. ensinando a fazer JORNALISMO. OBRIGADA. salvou minha assinatu

  6. Parabéns, Dr. Resek , finalmente consigo ler alguém que descreva tão bem as atrocidades e injustiças a q foram submetidos Dr. Moro e Dr. Dallagnol por lutarem por um país melhor. Eu mesma passei dias indignada e angustiada com essas decisões nefastas desses crápulas , pois as consequências desastrosas pela destruição de nossas esperanças para um país q estava mudando para melhor. É estarrecedor !!!!

  7. É de 11 Ministros - sim com M maiúsculo- como esse que precisamos no Supremo, não dessas figuras que têm sido indicadas e confirmadas pelos senadores, enrolados em traficâncias da corte.

  8. EXCELENTE MATÉRIA. Dr. Rezek é um homem honrado e acima de qualquer suspeita. Só falou a verdade. Não resta dúvida que a maioria dos ministros da segunda turma foram parciais. Na verdade agiram como verdadeiros advogados de alguns Réus. A atual composição do STF é uma vergonha. O principal responsável pela atual insegurança jurídica em nosso país é culpa exclusiva dessa "corte".

  9. Aos 77 anos, Rezek mostrou-se muito lúcido e extremamente indignado com a conduta do atual supremo, deixando a todos nós a noção de que seus atuais membros não passam de medíocres advogados, parasitas do erário, dedicados a servir a interesses próprios e de seus familiares e amigos.

  10. 👏👏👏👏🤞🤞👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🤝🤝🤝🤝🙏🙏🙏🙏🤝🤝🤝🤝🤝🤝🤝✌️✌️✌️✌️✌️✌️✌️✌️👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏🤞👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏🤞👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏🤝🤝🤝🤝🤝🤝🤝🤝🤝🤝🤝🤝🤝🤝🤝🤝🤝🤝🤝🤝🤝🤝🤝🤝🤝🤝🤝🤝🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏🙏... 🤝

  11. Excelente entrevista. De uma clareza sem igual. É plenamente visível a injustiça que foi cometida contra Sergio Moro e Deltan Dallagnol que não tiveram o direito de se defender.

  12. Jurista e diplomata, Francisco Rezek faz justiça a Moro e Dallagnoll ao condenar os absurdos cometidos pela segunda turma do stf. Essa sentença deveria ser estampada em todo lugar para que o povo veja o que esses altos magistrados fizeram com o país. GM, Lewan, Carmem, Rosa, Toffolli, Moraes e Fachin jamais estarão à altura de tão nobre magistrado.

  13. Parabéns à Cruzoé pela entrevista com o ex Ministro do STF Dr. Francisco Rezek. Uma verdadeira aula onde ele expõe de forma límpida a responsabilidade do STF nos problemas institucionais do momento. Os Ministros atuais se excederam, segundo Dr. Rezek, de suas funções técnicas e jurídicas, o ego de cada um falou mais alto que a Constituição.

  14. Impressindivel que os atuais sinistros do STF nao somente lessem esta entrevista a qual e uma aula de notavel saber juridico e sobretudo de bom senso para esta atual composicao dessa nossa digna instituicao a qual foi atacada com o virus da incompetencia, pois lhes falta saber, ou seria mas intencoes mesmo, contudo penso de bom alvitre que estes senhores facam uma inflexao e vejam a merda que fizeram, pois a mesma vai cheirar mal por muito tempo. Parabens MINISTRO REZEK. Este sim, e competente.

  15. QUALQUER BRASILEIRO MINIMAMENTE INTELIGENTE VAI GOSTAR MUITO DESSA ENTREVISTA E CONFIRMAR TUDO O QUE FOI DITO. O RESTANTE SÃO TAPADOS INTENCIONAIS OU NÃO.

  16. Que voz eloquente é clara! Disse tudo sobre o supremo é porque não confiamos mais nele! Só discordo sobre a confiabilidade das eleições não auditáveis ! O sistema tem de ser transparente e confiável para a população ! E não gerar dúvidas ! Assim estabeleceu a Alemanha

  17. Sábias palavras do Ministro Francisco Rezek. O STF tbém tem culpa pelo clima criado no país. Além da decisão direta citada pelo Ministro, tem ainda a questão da prisão na 2ª Instância, que foi citada de uma forma mais genérica: os famosos placar de 6x5 ora para um lado, ora para outro, no mesmo caso. Isso é péssimo para a Democracia. O STF não pode ser instável em qualquer circunstâncias. Quem tem a última palavra não tem o direito de ser parcial. O STF foi parcial com Sérgio Moro. Lamentável.

  18. Entrevista sensacional! Ele conseguiu resumir em poucas linhas o estrago feito pela maldita 2a turma contra Moro, procuradores e todo o espetacular trabalho e avanço da lavajato. Este trecho deveria ser publicado EM TODOS os jornais do país, para cegos, fanáticos e inescrupulosos. Parabéns. Uma das melhores da CRUSOÉ!

  19. Perspectiva reta e direta sobre as manifestações pouco honrosas do STF… PARABÉNS 👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼

    1. Imagina , todos nossos legisladores com estas qualidades.

  20. O maior golpe contra a nação brasileira e contra Dr Sergio Moro foi perpetrado pelo STF . Esta reportagem verbaliza nossa revolta, indignação e infelizmente impotência contra estes deliquentes poderosos.

  21. BRILHANTE COMO SEMPRE! Seria muito bom se os integrantes do STF lessem a íntegra dessa entrevista, quem sabe poderiam aprender um pouco do direito correto é sério!

  22. O Ministro aposentado Francisco Rezek, polido como sempre e também cioso do peso de suas declarações , deixa apenas transparecer para o leitor sua opinião sobre a responsabilidade do STF pelo agravamento exponencial da radicalização política e insegurança jurídica.

  23. Essa entrevista salvou meu domingo. Não acho que Sérgio Moro seja um bom candidato à Presidência, porém o Brasil precisa de homens como ele. Parabéns Crusoé!

    1. Concordo plenamente! Salvou o meu domingo também!

  24. Excelente! O STF é culpado por ter jogado na lama a Lava Jato, beneficiado os corruptos e buscado punir quem os denunciou. Essa é a origem de tanto ódio da população de bem pelo STF.

  25. Excelente e brilhante matéria. Só lamento que nem todos tenham acesso, devido ser só para assinantes. Estou em meio àqueles que votaram em Bolsonaro para excluir a esquerda do poder. Hoje, insatisfeita, torço por um bom nome para a terceira via, caso contrário, não votarei. Chega pra mim!

  26. Brilhante entrevista!! Muito confortante pois sofro pelo Moro desde que ele foi injustiçado, depredado, depois de um trabalho exaustivo e honesto. Precisamos que mais gente honrada apareça para dignificar esse ambiente tão vexaminoso. Parabéns Crusoé, parabéns dr Fernando Resek👏👏👏👏

  27. Esta matéria da Crusoé ficará para a História do País.Quanta falta faz ao meu Brasil uma JUSTIÇA, um STF composto por verdadeiros Juristas, éticos , corajosos , de caráter, isentos e não rabulas, donos ou amancebados com Escritório de advocacia. Parabéns ao Jornalista e ao ex- ministro Francisco Rezek pela brilhante Entrevista. Lavou a minha alma.

  28. “Mas que ódio, que ódio, que odio…” devem estar pensado os deuses STFanos. Tem sim Juristas inteligentes, éticos, igualitários. Do bem! É só ampliar o microscópio. Antagonistas é por ai…

  29. Brilhante, ético, juridicamente fundamentado de forma clara em suas posições , corajoso ao indicar e descrever, sem o juridiquês habitual, as vergonhosas manobras de nossa mais alta Corte.

  30. O Quinteto dos Dejetos Radioativos (GM, Lewandowski, Toffoli, Kássio Kopia Kola, Alexandre de Moraes) afunda o STF. Saiu o "parece que é sério mas não é" Celso de Mello, entrou o dejeto Kássio, Saiu o dejeto Marco Aurélio, vai vir muito provavelmente um que vai compor o Sexteto dos Dejetos Radioativos.

  31. Essa entrevista do Fábio Leite, não comporta só aos assinantes da Crusoé. Deveria ser compartilhada com todos os brasileiros que precisam saber a verdade sobre o julgamento e execração pelo STF de dois brasileiros de bem que devotados a causa arrajaram inimigos vingativos( classe politica) eivada de corruptos. É de entristecer viver num País , quem pratica o seu trabalho corretamente seja punido.

    1. Corretissimo, Maria! Entrevistas como esta merecem milhoes de robos disparadores. Quem com ferro fere, deve ser castigado com Justica e Verdade. Ou não é?

  32. Não precisa ser um gênio para concluir que, desde sempre, o STF é o maior, senão o único, culpado pelas maiores mazelas deste país.

  33. Que aula, hein!!! Rezek é brilhante nessa fala. Certamente, ajuda-me na interpretação da realidade sombria em que o brasileiro vive.

  34. É uma lástima que uma entrevista como esta será repercutida por poucos, em meio a tão tresloucados arroubos de insensatez que proliferam na imprensa e, mais ainda, nas mídias sociais. Isso não tira o brilho e a dimensão histórica da crítica que o ex-ministro do STF revela à Crusoé: PARABÉNS à revista e ao entrevistado!

  35. Como seria bom termos a opção de votar em Moro para presidente, em 2022! Mas o PT, o Centrão e Bolsonaro estão morrendo de medo que isso aconteça.

  36. Posição consistente, esclarecedora e ética! Como decaiu o STF. Quem teve um Rezek e agora tem um Gilmar Mendes, um Dias Toffoli, um Lewandowski e um Cássio Nunes!? Afff....

  37. Que lucidez! Excelente entrevista. Dá algum ânimo para os, como eu, órfãos do Moro. Imagino quantos estão calados pela maioria que ganha voz na mídia atacando a lava-jato e decidindo que ela sim é a criminosa.

  38. Estou perplexa! Onde estava esse ex-Ministro do STF? Tanta lucidez ,visão abrangente ,senso de Justiça, respeito à Constituição, e ,acima de tudo ,coragem para dizer o que precisa ser dito? Disse TUDO de TODOS. Foi Brilhante! Obrigada, ex-Ministro! Obrigada, Fábio Leite, sempre acertando nas escolhas de seus temas e entrevistados. Parabéns,Crusoé!

  39. Fantástica entrevista!!!! Em poucas palavras o Ministro demonstrou como tudo lamentavelmente aconteceu!!!!

  40. Tudo muito bom mas e aí? Vamos ficar assistindo sentados mais quantas décadas de barbaridades do STF sem nada fazer??? Esqueci não é democrático ir contra o STF...

  41. Mais um que chegou a ocupar o STF sem jamais haver sido submetido a um concurso para a magistratura. As composições do STF , salvo raras exceções, sempre foram preenchidas por apadrinhados , eternos devedores de seus “indicadores e nomeadores”. As respostas desse ex juiz da hoje inexpressiva Corte de Haia, estão impregnadas de um inexplicável ódio. E retrata o périplo “barrosiano”, sempre sorrateiro, no afã de mendigar adeptos a suas fragilíssimas “teses”.

  42. Pena que o STF não tenha hoje membros com a magnitude e isenção do sr. Resek. Tanto o que o combustível maior dos presentes no 7 de setembro, ao meu ver ,foi a raiva à conduta revanchista , vingativa e atropelamento da justiça em prol aos condenados da Lava Jato. Moro 22 é uma luz viável para sair desse breu que o STF nos meteu.

  43. Que consciência brilhante, tudo tão claro, didático. Porque o STF tornou-se inimigo do Brasil? Belíssima entrevista , parabéns ao Juiz e à Crusoé

  44. Parabéns ao ex-ministro e à Crusoé! Excelente entrevista. Fico feliz de ver alguém do porte de Resek fazer justiça à Moro é Delangnhol

  45. Excelente entrevista. Basta fazer as mesmas perguntas alguns indicados que hj ocupam o STF que ficará evidente o quanto o nível baixou.

  46. Que inteligência, que clareza! O ministro está aposentado? Volta ministro, volta! O Brasil, os brasileiros, precisamos de você!

  47. Parabéns Ministro Rezek por este choque de Realidade. Vale a pena ler e reler mil vezes esta matéria. Impressionante a descrição abrangente e fiel dos fatos.

  48. Parabéns ministro Rezek pela lucidez da análise e pela elegância para com a Alta Corte do país, que tem errado feio sob a batuta da 2a. Turma. Admitir um HC em favor de réu com condenações transitadas em julgado, ao pálio de parcialidade do Juiz escorado em prova ilícita hackeada, é teratológico. As consequências poderão ser as piores possíveis, a saber, jogar no colo de Lula a presidência da República, quando o certo era deixar que outro candidato qualquer concorresse com Bolsonaro em 2022.

  49. Finalmente um jurista consagrado no Brasil e no Tribunal de Haia coloca a verdade sobre o fim da Lava Jato e a perseguição ao ministro Miro e ao procurador Dallagnol e outros. Puniram homens íntegros e aliviaram para o um corrupto julgado culpado em 3 instâncias. Foi uma vergonha nacional e um acinte contra a justiça brasileira. A segunda turma do Supremo deu o pior exemplo à nação.

  50. Parabéns a Crusoe por esta entrevista feita com um Jurista verdadeiro.Creio que falou por todos nós do bem. Lavagem da alma!

    1. O eminente ex-Ministro Francisco Rezek deveria acrescentar à sua dúvida quanto a estupidez de muitos brasileiros acerca da urna eletrônica, a de saber se aqueles que lançaram Lula às eleições com a fantasia de mártir, sob qual padece a nação humilhada pela corrupção, o fizeram por acreditar na inocência ou na estupidez do nosso povo? Namastê!

  51. Em meu pensar, o STF tem culpa de tudo, porque se é a quem cabe dar a última palavra, também há de ser o primeiro a dar exemplo de democracia, que lhe incumbe preservar. Fez o contrário ao anular 07 anos de combate à corrupção ao lançar às eleições Lula com a fantasia de mártir sob a qual padece a nação despossuída e humilhada pela corrupção. Namastê!

  52. Antes nomeava-se Resek, hoje nomea-se kássio nunes, andré mendonça, dias tofolli, e equivalentes. É preciso urgentememte mudar esse sistema de nomeações

  53. Que entrevista excelente! Sempre admirei a postura e inteligência desse homem. Vou ler, reler e compartilhar! Será que alguém já pensou como eu durante a leitura da entrevista: "será que aceitaria ser candidato a Presidência"? É sonhar demais ter um Presidente deste nível?

  54. A entrevista do Ministro Resek deixa claro que idoneidade não é a palavra certa para caracterizar a decisão de alguns magistrados.

  55. Meu Deus! Sinto-me de alma lavada com a fala do dr. Rezek. Esse trauma da destruição da Lava Jato pela propria corte "reptiliana" vai demorar pra curar. Só no dia que nós brasileiros conseguirmos dar o troco. E nossa voz só é ouvida nas urnas. Nenhum dos dois que estão na frente das pesquisas!

  56. Excelente entrevista! Os Ministros do STF deveriam ser eleitos pelo voto direto, com mandato de 8 anos e direito a uma reeleição ...

  57. Dr Rezek! Muito obrigado pelo qualidade e transparência de sua visão e explicação clara da bizarrice (?)que a dupla GiLew "tocaram"tornando o stf minúsculo.

  58. O que falta ao STF é qualidade de seus integrantes, parabéns ao ex-ministro Francisco Resek pela entrevista esclarecedora, pena que não temos nenhum no STF com suas qualidades.

  59. O Rezek foi taxativo e preciso, parabéns ao entrevistador e ao entrevistado. É um sinal de nem tudo está perdido nesse país tão sofrido

  60. Essa entrevista foi FANTASTICA.Nossos Juristas mais antigos, experientes e corretos, tem a obrigaçao de se manifestar mais e mais.Nos as pessoas de bom senso, sentem falta deste apoio.E outra coisa: tem que mudar a maneira de escolher o STF. Nao é certo esses presidentes porcaria, colocar la dentro um Juiz de escolha pessoal de cada um.Por isto temos essa que dá até Arrepio...Outra coisa Os Juristas antigos que deviam escolher os Juizes e sabatina-los.

  61. Parabéns à revista e ao entrevistado! A luz do sol e da racionalidade são sempre pedagógicas para quem quem tem pelo menos dois neurônios.

  62. A diferença entre o ex-ministro Rezek e os atuais do supremo, Gilmar Mendes, Tófoli, Lewandowski e Nunes Marques, é da água para o vinho. Rezek é o vinho multipremiado qu para a esc

    1. que a escória citada bebe às nossas custas, e os quatro do STF são a água fétida do Tietê.

  63. um exemplo de lucidez , que infelizmente não tem mais na nossa suprema corte , e infelizmente a única solução seria mesmo o impeachment legal de alguns ministros , mesmo todos defendendo os erros de um , mas infelizmente nosso senado composto em maioria por devedores da Justiça , jamais fariam o melhor para o Brasil , só o que é melhor pra eles mesmos. esperança é renovar o senado, com políticos melhores.

    1. Ao mesmo tempo em que congratulo-me com o notável Min Resek, lembro que o STF ainda tem Ministro do porte de um Barroso.

  64. Nossa, qta.lucidez ,e os caras do STF nem ficarão vermelhos,não se importam com nada, pena que no executivo temos um demente ,sem moral nenhuma pra confrontar aquela corte.

  65. Quando lemos uma entrevista como esta, temos a sensação de que a lucidez e a justiça ainda existem neste país. O Supremo é sim muito responsável com suas decisões equivocadas pela situação atual.

  66. Finalmente alguém de alto nível fala da culpa do STF, a vergonhosa corte que baniu o combate da corrupção no Brasil. Não é verdade Gilmar? O custo está aí, NOSSO FUTURO nas mãos de criminosos

  67. 99,99% de acordo, só divergi na visão da terceira via em um único rosto. Gostaria que fosse Sergio Moro mas ele realmente foi execrado da vida pública primeiro por Bolsonaro e depois pelo Supremo. E por fim o Congresso quer torná-lo um exilado político. Perfeita a análise.

  68. Ótima entrevista.O que se pensar sobre ela? O governo Bolsonaro passa, mas os Digníssimos membros do supremo( lemtra minúscula, sim), Não. Os ditos arroubos antidemocráticas do presidente comparados com o comportamento de certos ministros da corte é fixinha. Apesar disso o Francisco Resek foi muito condescendente com os digníssimo togados.

    1. Cretino são vocês, q não vêem a realidade! Qualquer imbecil q crítica o melhor presidente do Brasil, i oxala do mundo !::: E maravilhoso ! Sabe tudo , e o legal!

    2. São esses tumores malignos, como esse “paiaço” aí acima, que infestam o país e via de regra escondem-se por detrás de alcunhas e apelidos. A publicação deveria proibir o uso de pseudônimo ou apelidos obrigando a todos o uso de seu próprio nome.

    3. Agressão covarde e sem fundamento contra um luminar da ciência jurídica brasileira. Recolha-se seguidor do Genocida.

  69. Excelente!💥💥💥💥💥 👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼💯💯💯💯💯👌🏼👌🏼👌🏼👌🏼👌🏼

  70. É muito triste ver uma pessoa como SÉRGIO MORO ser condenado sem direito à defesa ,infelizmente tem alguns elementos no STF que precisariam serem investigados , mas são inatingíveis quando chegam lá !!!! Esse é o Brasil que temos !

  71. Brilhante o ministro Rezek! Especialmente quando diz que "A corrupção não quer apenas a impunidade, ela quer se vingar daqueles que tentaram puní-la'. E quem foram seus prepostos nessa iniciativa? "A vergonha alheia é um sentimento de constrangimento ao presenciar alguma situação embaraçosa feita por outro indivíduo que, normalmente, não percebe o quanto ridículo, estúpido, ignorante ou vergonhoso foi o seu ato". É o que sinto em relação à atual formação do STF. Magnífico desagravo ao dr Moro.

  72. Caros Sergio Moro, Mario Sabino, Diogo Mainardi e demais editores, essa entrevista deveria ser emoldurada e pendurada no salão nobre do nosso STF, para a vergonha e humildade dos ministros que, lamentavelmente, desonram a tradição e a honorabilidade de nossa Côrte. Os que nela enxovalham as togas que vestem, ilegitimamente. Vida longa ao meritíssimo Ministro Francisco Resek.

    1. Avalizo seu comentário. A ideia de pendurar este diploma de cidadania no STF é excelente.

  73. Só mesmo um Jurista com a honradez, competência e dignidade do Dr Francisco Rezek, seria, como foi, capaz de recolocar nossa Suprema Côrte, em sua tradição quase bicentenária de serviços prestados à Justiça brasileira, a registrar numa entrevista, a dignidade de Sergio Moro, enxovalhada por este mesmo Tribunal. Esta matéria faz, enfim, justiça aos que foram assaltados em sua honra por estes “espantalhos togados” de hoje. Um surra de dignidade nessas horrendas figuras.

  74. Não se poderia esperar do Ministro Rezek (este sim um orgulho para a jurisprudência nacional) iutra atitude senão da mais absokuta correção em suas severas críticas ao comportamento dramaticamente errado de alguns dos stuais ministrinhos da nossa Côrte. Uma saraivada de bom senso jurídico. Um Homem de e do Bem. Os Fraquíssimos atuais ministros deveriam se envergonhar por terem de ler às declarações escorreitas desse que foi Ministro do STF, por duas vezes. Fato inédito na história do tribunal.

  75. Excelente entrevista. Apesar dos pesares, resta esperança para o país. Saudades dos tempos em que o Supremo tinha pessoas da qualidade de Rezek, não de Toffoli, Gilmar, Kassio conká e Rosa.

  76. Que bom seria se tivéssemos mais ministros no STF da estirpe do Ministro Resek! Que falta ele faz para colocar na Corte a lucidez e honradez de que tanto precisamos para haver justiça neste país!

  77. Um presente receber conclusões tão cheias de sabedoria da vida e de tão especial conhecimento jurídico! O entendimento de que a segunda turma agasalhou como legítimos os fuxicos de um haquer para julgar um juiz íntegro e procurador idem, desmontando um processo validado em instâncias superiores, restaura nossa esperança sobre a vitória final do bem sobre o mal… Obrigada, ministro Francisco Rezek!

  78. Essa entrevista é uma pancada na 2a Turma do STF presidida pelo Sr Gilmar Mendes, que vilipendiou, injustamente, o Juiz Dr Sérgio Moro é o procurador Deltan Dalagnol. Uma Trombada no Fachin, tb, pela anulação de todo o processo do ex presidente Lula.

  79. É meio constrangedor e pode parecer algo menor e chato de minha parte, mas, embora o ministro Resek tenha dado uma excelente entrevista, temperada com inteligência e lucidez, é triste vê-lo dizer que o governador do Rio Grande do Sul optou por ser o que é. Pode se dizer que ele optou por revelar ser homoafetivo, mas não que optou por essa orientação afetiva.

  80. Não se trata de machismo nem de implicância, mas, embora Carmem Lúcia tenha tomado, algumas vezes, decisões sensatas, em geral, ela é uma juíza insegura e fraca. Ela que, praticamente, forçou o exílio de Sérgio Moro ao mudar seu voto, já que de Lewandovski e Gilmar Mendes, quase sempre, se espera o pior mesmo.

  81. ir à corte de Haia seria triste para o brasil. Porem o mundo civilizado sabe o que temos passado com o nosso STF "garantista". resumo,,. o nosso supremo não se da o respeito.

  82. Parabéns Doutor Francisco Rezek , clara , simples e límpida explicação da situação atual da justiça e da sociedade.

  83. Fantástica, excepcional, maravilhosa entrevista com o Dr Rezek. Sua fala corrobora minha visão, de longa data: as questões da segunda turma contra o Moro e Dalagnol foram PESSOAIS. Isso era visível na face de GMendes quando expressava seu voto sobre suspeição do SMoro. Não bastava anular tudo; era necessário SE VINGAR! As sábias palavras do Dr Rezek confirmam a participação do STF na “palavra de ordem” do Sen Romero Jucá: “TEMOS QUE ESTANCAR A SANGRIA, C A PARTICIPAÇÃO DO STF!”. E o STF: “amém!”

    1. De pleno acordo, reforço que a inveja é uma doença incurável e provoca dores lancinantes sem fim que o paciente exibe na própria cara e no seu tom de voz!

  84. Acredito que muitas pessoas que bradam pelo voto impresso e auditável não sofrem deficiência cognitiva ou má-fé: boa parte delas sofrem de uma histeria deirante, se submetendo a uma relação perversa com um “pai” poderoso e sádico.

  85. Quanta sabedoria e sensatez. Que falta faz um Rezek no Supremo mequetrefe que temos hoje. Aquilo parece um covil de bandidos, salvo dois ou três no máximo. E qdo vier o 2o do Bozo? Aí será de chorar, melhor fechar.

  86. O Dr. Francisco Rezek honrou a toga. A perda de noção histórica do atual STF é desanimadora. Até isso o PT conseguiu. Que saudade de Moreira Alves lado a lado de juízes conscientes de seu papel histórico, como o ministro Rezek. Hoje, a estatura de alguns não chega aos pés daquelas sumidades com padrão ético elevado que tinham, mesmo nas disputas políticas.

  87. Que maravilha de entrevista. Um jurista no qual o STF atual deveria se espelhar. O Sr. GILMAR precisa ler para sentir vergonha do que fez no comando da 2ª Turma.

  88. Parabéns a Crusoé por entrevistar este verdadeiro jurista, corajoso e firme, põe no chinelo estes pseudos juízes que hoje habitam a nossa suprema corte. Sugiro a Crusoé que entreviste outros ex integrantes para ver se concordam com este desmonte moral feito contra Moro e Dellagnol.

  89. A VERDADE É QUE O SUPREMO NA SUA MAIORIA TRABALHA PARA A ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA QUE HÁ DÉCADAS ESTÁ NO PODER. A RAIZ DE TODAS AS MAZELAS QUE AFETAM A CREDIBILIDADE DO PAÍS NO EXTERIOR TEM ORIGEM NA IMPUNIDADE DESTAS CASTAS MAFIOSAS INSTALADAS NOS PODERES. A GROSSO MODO NÃO SE PODE ESPERAR OUTRA ATITUDE DESSES CANALHAS QUE NÃO SEJA A CONTINUIDADE DA CORRUPÇÃO INDEPENDENTE DAS CORES PARTIDÁRIAS DO MOMENTO. PARABÉNS PELA BELÍSSIMA ENTREVISTA COM O DR. FRANCISCO REZEK👏👏👏 MORO PRESIDENTE EM 22!🚔⚔☠

  90. O Brasil é revoltante.enquanto figuras horrorosas como Gilmar Mendes, Toffoli, Lewandoswki, no STF, 90 por cento da Câmara dos Deputados, chefiados por Lira, a maioria dos senadores , todos os partidos políticos, o PGR etc sacrificam os brasileiros, junto com o psicopata Bolsonaro, Moro e Dallagnol são perseguidos porque ousaram combater o stablishment corrupto

  91. Excelente entrevista, jurista esse deveria ser exemplo de único de quem deveria vestir a toga da Suprema Corte, pena que alguns ocupantes dos cargos não pessoas dignas por por exercer esse poder, como o País perdeu uma grande chance de se igualar aos mais importante do mundo.

  92. Um monumento à verdade, à coerência, à justiça, à realidade política brasileira e à dignidade humana, esse é o significado da emblemática entrevista do Dr. Francisco Resek, um caso raro de um brasileiro no podium da hierarquia humana. Com simplicidade, didática e conhecimento de causa, explicitou os achaques de nossos sistemas político e judiciário e denunciou a mais nojenta injustiça praticada contra alguns brasileiros exemplares.

  93. Quando leio uma entrevista como essa minha vontade é de chorar novamente pelo enterro da Lavajato. Considero Gilmar Mendes a figura mais perniciosa e mais execrável que o Brasil já teve. Coitada da mãe dele, se ainda é viva, de saber que pariu este monstro

  94. Essa entrevista precisa ser divulgada publicamente pela revista. Impressionante como ele sintetiza de maneira brilhante a realidade política e jurídica atual.

  95. Excelente entrevista. O ex ministro Francisco Rezek colocou as coisas de uma forma clara, simples, precisa. Foi sem a menor dúvida, a melhor entrevista que eu já tive o prazer de ler. Importantíssima.

  96. Um alívio verificar a opinião de um ex Ministro do Supremo, desmantelando a farsa injusta montada para destruir a Lava Jato. Só faltou tocar no ponto principal: os hackers estavam a serviço de Lula, que requisitou explicitamente uma "delação premiada contra Moro e Dallagnol" menos de um mês antes da divulgação do material NÃO PERICIADO. O réu - que se diz inocente - acionou o submundo do crime a seu favor. E Ministros do Supremo se associaram à essa bandidagem toda.

  97. Obrigada, Dr. Rezek e Crusoé por essa entrevista. Ela alivia a tristeza que muitos brasileiros sentimos pelo desfecho da Lava Jato. Obrigada, também, Dr. Sérgio Moro e todos os que trabalharam por um Brasil melhor e foram impedidos de continuar o seu árduo trabalho. Que a vida traga a recompensa que a Justiça não trouxe a todos.

  98. A MELHOR ENTREVISTA DOS ÚLTIMOS 10 ANOS ! Concordo com 100% ! UMA AULA DE IMPARCIALIDADE E COERÊNCIA !! LUCIDEZ ACIMA DE TUDO !!👏👏👏👏👏👏

  99. Muito, mas muito obrigada por essa reportagem magnífica com o ilustre Dr. Rezek. MORO 2022 é a melhor terceira via para nosso país.

  100. o arquiteto da segunda turma é a lástima do Gilmar Mendes, Ricardo levandovisc uma marionete nas mãos dele, Gilmar é ardiloso, parabéns pela lucidez Dr resek

    1. Todos conhecemos o maquiavélico e podre Gilmar Mendes não há supremo tribunal que mantenha sua idoneidade com um membro desse

  101. Essa maravilhosa entrevista ficará registrada nos anais da histórica do Brasil como testemunho de uma decisão escabrosa tomada por três ministros do STF, que movidos por impulsos mesquinhos e odiosos destruiram a operação Lava-Jato, símbolo maior da esperança de construção de um país mais desenvolvido, justo e humano, para as futuras gerações de brasileiros. Parabéns à Crusoé e ao Dr. Rezek pela competência, lucidez e coragem de "desnudar o Rei".

  102. Impecável a visão de Francisco Rezek. Merece ser amplamente divulgada para que o máximo de pessoas possam se beneficiar dos conceitos e entendimento cristalinos do entrevistado sobre os fatos atuais e recentes da nossa história. Parabéns à Crusoé por uma de suas melhores entrevistas.

  103. Até q enfim alguém.com estofo p apontar o q alguns no STF fizeram com a democracia. Esses "alguns" são claramente identificáveis. Destruíram um país p salvar seus padrinhos e punir os q ousaram enfrentar crimes contra o povo. Bolso ajudou a enterrar qq possibilidade de enfrentar os criminosos. Terminamos numa "mafiocracia", com todas as instituições dominadas por interesses escusos.

  104. A segunda turma do STF, mais Dias Tófoli, da 1a. turma, está, para o judiciário, o que o centrão significa na política. Se, na decisão do supremo houvesse o mínimo de decência, Lula continuaria preso e o árduo trabalho da Lava Jato teria pleno reconhecimento da população, como o tem até hj. O STF necessita de ministros preparados quanto o ex-ministro Resek, e que sejam tão imparciais e eticos

  105. Excelente entrevista.Por favor ao Brasil, autorizem a qualquer órgão de imprensa divulgar o conteúdo desta entrevista do iluminado Francisco Reset.

  106. Excelente entrevista. Bolsonaro ñ é a causa da situação q enfrentamos hj, ele é um sintoma, cujo STF tem uma boa parcela de responsabilidade. A corte com às decisões equivocadas q tomou, deixou o Brasil e a nossa democracia mais frágil. A maioria dos ministros são cultos, mas completos imbecís, pois ñ conseguem fazer uma longa cadeia de pensamento dedutivo. Alguns até conseguem, mas ñ estão nem aí p/ às consequências q cairão sobre o povo, pois se sentem "protegidos" nas suas Torres de Marfim.

    1. Para termos um STF mais decente, precisamos antes ter um Presidente decente. Moro 🇧🇷 Presidente. Com Moro Podemos Mais 🇧🇷

  107. Parabéns pela reportagem com essa figura brilhante do mundo jurídico internacional. Infelizmente o nosso STF hoje possui tão poucos nomes com o ex Min. Resek

  108. Pela importância dessa entrevista com Dr. Francisco Resek, sugiro que seja divulgada, amplamente, pelo Cláudio, no Momento Antagonista, às 18:00 YouTube.

  109. Claro que o STF tem culpa. Houve um acordo pragmático entre os 3 poderes para trazer o Lula, polarizar, do jeito que ambos, Bolsonaro e Lula, queriam. E nós aqui do centro estamos que nem recheio de sanduiche.

  110. Talvez, ainda haja alguma esperança! Se não no Brasil…. Mas que a Crusoe volte aos trilhos…. Finalmente, uma reportagem/ entrevista, com alguém sério, parecendo honesto e dizendo a verdade sobre a nossa justiça, que aliás, conhece como poucos! Se procurar, a Crusoe pode achar seu caminho!

  111. Só em ler essa entrevista fiquei de alma lavada. Seria bom se ela fosse veiculada em tds os órgãos.... é uma aula de realidade, de consciência, de cidadania... Sr. RESEK faz falta.

  112. Excelente entrevista. Lúcida, clara e coerente. Uma postura independente, liberta de interesses políticos, pessoais e financeiros que deve servir como referência e bandeira para todos os brasileiros. Parabéns!

  113. Excelente entrevista. Clara, objetiva, sem jurisdiquez, corajosa. Pena que boa parte do supremo não tenha a honradez deste homem.

  114. Em 2022 SÉRGIO MORO “PRESIDENTE LAVA JATO PURO SANGUE!” O Brasil finalmente terá Um Governo Fundado no “IMPÉRIO DA LEI!” Não seremos LUDIBRIADOS com o “Velho Truque de MELHORAS na ECONOMIA!” Triunfaremos! Sir Claiton

  115. A melhor entrevista dos últimos tempos. O jurista é de uma lucidez e de uma honestidade intelectual invejáveis. Há gente boa e competente no Brasil, ainda. Parabéns!

  116. Parabéns ex-ministro, quando as pessoas perguntam porque essa descrença no STF , vou mandar ler essa sua entrevista.

  117. maravilhosa entrevista, parabens a revista e ao entrevistado. ao final de uma leitura destas ,sem dúvida vemos mais nitidas as coisas.

  118. O povo brasileiro está cansado de tanta incoerência e estupidez de alguns agentes públicos. A argumentação do ex-ministro, Rezek, traz à tona o que todos nós brasileiros de bom senso pensamos sobre as decisões do STF e da política nacional. Estou cansado e desanimado pela condução desse país. Se pudesse sairia do país.

  119. Esta entrevista com uma das figuras exemplares do direito, que atuou tanto no STF quanto na corte de Haia, expõe com elegância e sublime clareza a verdadeira face do atual Supremo e as consequências danosas que abatem os ânimos dos brasileiros, sempre esperando a justiça funcionar minimamente no país. Parabéns à Crusoé, que abre espaço para as ponderações mais lúcidas e pertinentes do ex-ministro Rezek, uma voz sempre pontuada pela competência nas suas teses e argumentos. Alívio pra minha alma.

    1. Por favor, @crusoe, abra a entrevista para os não assinantes. Há brasileiros sedentos por análises e argumentos apresentados pelo Dr. Rezek. Inúmeros brasileiros se sentiriam representados.

  120. O Brasil é um país comandado por umas 20 pessoas, sendo 11 do supremo, que decidem monocraticamente o destino de milhões, o fato mais marcante e revoltante foi orquestrado por Gilmar Mendes e Ricardo Lewandoski, que numa reviravolta por ciumes e interesse, fizeram de um réu condenado por 2 colegiados um inocente e fizeram de um julgador coerente um condenado, um bandido, assim aconteceu.

    1. Alguns Componentes do STF Militam a Favor da Impunidade. Muitos Corruptos Contumaz Estão Livre ,Leve e Solto. Praticando Permanente Crime de Corrupção...

  121. Excelente. Concordo em 100% com os posicionamentos do ex-ministro Rezek. Por isto que eu NÃO perdôo Carminha pelo voto CANALHA, COVARDE e anti-democrático que deu naquele caso. De Gilmar e Lewan sempre esperei o pior, de Carmen foi uma punhalada nas costas inesperada. Como foi o voto de Celso de Mello na prisão após condenação em 2a instância. Julgo Carmen e Celso democratas, mas os votos fulminaram qq admiração que tinha por eles.

  122. Extremamente lúcido e coerente o posicionamento, só lamentar a falta de Juízes deste naipe em nossa Suprema Corte na atualidade

  123. Texto esclarecedor sobre o julgamento de Sérgio Moro e Deltan Dallagnol -- sem direito a defesa e em processo em que não são partes -- em decisão apertada da 2a Turma do STF, feita com base em gravação ilegal de racker.

  124. Excepcional os esclarecimentos dados por um íntegro cidadão que integrou essa corte. Com que clareza colocou os fatos ocorridos com grandes feitos da equipe da Lava Jato. Penso que brasileiros ,muito em breve, vão sentir toda a injustiça praticada contra esses dois corojosos cidadãos: Sérgio Moro e Dalagnol. Minha indignificao com a esses atos praticados pela Corte e políticos corruptos e enorme. Perdi a esperança por voltar a me orgulhar do MeuPaís.Agradecimentos por essa entrevista

  125. Um bálsamo ler essa entrevista. Assuntos sérios e delicados tratados com competência e sinceridade. Poder ler que o Supremo foi um dos responsáveis pelo desmonte do que tínhamos de mais precioso no Brasil, a luta contra a corrupção que nos assola.

  126. A Suprema Corte nos deixou com “suprema vergonha” na guinada contra a operação Lava-Jato! A impunidade e a corrupção venceram a probidade, a correção e a honestidade!

  127. O STF não só tem culpa como é um dos principais responsáveis pela atual desordem institucional. Basta que nos recordemos de estapafúrdias decisões vindas principalmente dos indignos magistrados Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes, integrantes de um time canhestro que ganhou agora o reforço de Nunes Marques, outra figura indigna, colocada lá por bandidos do Centrão.

    1. Se existe alguém digno no STF ainda não se mostrou. São responsáveis pelo fim da Lavajato, pela soltura do maior ladrão da atualidade no nosso país, por prisões inconstitucionais, por perseguições a órgãos de imprensa, por cercear os direitos de qualquer um que se lhe oponham, enfim são os que de fato, rasgam a constituição

  128. O grande problema do supremo resumido em um nome, diante dessa entrevista, chama se Gilmar Mendes. Se repararmos as decisões conturbadas que levaram a esse caos, ele ,Gilmar Mendes, foi o mentor de todas . Logicamente que cidadãos como Dias Tofoli, Lewandowski, são de piores qualidades tbm . Enfim, com um senado forte, que não é fácil, mas é a única via pra desativar o "todo poderoso" Gilmar Mendes.

  129. O Supremo é o maior responsável pelo fim do combate à corrupção. Atacando de forma vingativa, juízes e procuradores, que deram esperança de um Brasil combativo à esta prática destrutiva, onde os mais atingidos, infelizmente, são os mais pobres.

    1. Meu comentário refere-se às decisões da segunda turma. Felizmente, no plenário, ainda podemos contar com juízes dignos do cargo.

    1. Vá para o inferno José , já temos tranqueiras demais no pais.

    2. Esse aí em cima foi o comentário mais estúpido que já li nessa revista. Minha nossa senhora das tacanhas palavras. Cáspite!

    3. "ensacar fumaça” Mentalidade estúpida que mostra o imbecil que é.

    4. excelente entrevista fico indignado com toda esta verdade aos olhos ate de leigos , e esperando q sergio moro se candidate para q possamos ter o país num rumo e com esperança para o futuro derrubando todos estes q estão destruindo o brasil, presidente, supremo tribunal federal, congresso e senado . a esperança e a última que morre

    5. Rezeik Terceira Via.Simples assim. Falta combinar com ele.

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO