As correspondências poderiam trazer Bolsonaro à realidade, mas ele parece viver em um universo paralelo

Cartas do Brasil real

Enquanto Brasília gira em torno de crises detonadas por falsas questões, os brasileiros sentem os graves problemas da vida real. Correspondências enviadas a Jair Bolsonaro formam um retrato dos dramas vividos longe da bolha do poder
20.08.21

O desempregado Paulo Manoel dos Reis não se preocupa com a tecnologia das urnas eletrônicas nem acompanha o escarcéu dos políticos que questionam a segurança das eleições. “Tenho 64 anos, dois filhos e ganho 720 reais por mês. Pago 400 de aluguel, luz, água, e não sobra nada”, diz o paranaense, sempre alheio à rotina política de Brasília. O carpinteiro José Ricardo Nascimento vive em Crato, no sertão cearense, e enfrenta realidade semelhante: os seus rendimentos desaparecem nos primeiros dias do mês. Ele não quer saber de crise entre os poderes nem conhece os ministros do Supremo Tribunal Federal. Tem apenas um pedido a Jair Bolsonaro: que o presidente tenha “compaixão” com os aposentados do país. João Ferreira Lopes da Silva começa a arar a terra bem antes do alvorecer, mas nunca conseguiu comprar casa própria. “Eu sou lavrador e não tenho onde morar”, conta o maranhense, em meio à batalha pela sobrevivência na zona rural de Codó. Nas idas e vindas de pau de arara, João e seus colegas nunca conversaram sobre “ruptura institucional” – os temas políticos se resumem às reclamações sobre a inflação alta e a paralisia dos programas habitacionais do governo. Os infortúnios de Paulo, José e João fazem parte da rotina da maioria dos 210 milhões de brasileiros. Enquanto em Brasília o mundo político gasta tempo e energia em debates supérfluos, muitas vezes deflagrados por premissas falsas, como o voto impresso, pelo Brasil afora as pessoas enfrentam problemas tangíveis. Crusoé obteve cópia de uma centena de cartas enviadas ao presidente por cidadãos comuns que, juntas, formam um retrato do drama de quem vive fora da bolha do poder. Eis algumas das súplicas.

“Não consigo trabalhar”

Valdeci Boina mora em São Paulo e, assim como outros 15 milhões de brasileiros, está desempregado. Além de percorrer agências em busca de uma nova oportunidade, ele faz bicos como jardineiro e poda árvores. O serviço é estafante, mas os ganhos são ínfimos: Boina fatura entre 20 e 50 reais por um dia de trabalho. “E não é sempre que consigo”, escreve. Em um de seus dias de total desalento, ele decidiu dirigir-se diretamente a Jair Bolsonaro. “Eu moro sozinho e faço minha comida, mas estou com a luz cortada, com a água cortada. Eu não estou mentindo, juro por Deus. Não consigo trabalhar fixado numa firma, me ajuda.” Valdeci usou canetas de três cores para caprichar na carta e fazer seu desabafo. O jardineiro desempregado é parte de uma massa de brasileiros que perderam a carteira assinada ou entraram na informalidade durante a pandemia.

A taxa de desemprego no Brasil beira os 15%. Já a taxa de informalidade no mercado de trabalho subiu para 40%. Entre as 86,7 milhões de pessoas ocupadas, 34,7 milhões são trabalhadores sem carteira assinada. É o caso, também, de Nilda Rebouças de Oliveira, do Rio de Janeiro. Ela tem 64 anos e vende doces e salgados para pagar as contas. Nilda, cuja filha, Ana Rebeca, também está desempregada, afirma “orar muito” pela família do presidente e revela seus pedidos para que Deus dê a ele “sabedoria”. “São tempos muito difíceis, mas vamos vencer essa Covid e levantar o nosso país. E que as empresas possam se reerguer e manter seus empregos”, diz. Paulo Manoel dos Reis, de Maringá, no Paraná, escreveu a Bolsonaro em 22 de julho de 2020. “Senhor presidente, eu não sei escrever muito bem, por isso espero que o senhor entenda minha letra. Peço proteção, sou trabalhador desempregado em situação de risco. Tenho 64 anos, pago aluguel de 400 reais. Tenho dois filhos. Queria ajuda”. Paulo sonha com um empréstimo para montar o próprio negócio. “Quero ajudar a minha família, ter um teto para morar e ter alimento na mesa.”

“Quando chove, o canal alaga”

A casa própria é o sonho de 5,8 milhões de famílias brasileiras sem moradia. Essa ambição está patente em boa parte das cartas que chegam ao presidente. João Ferreira Lopes da Silva vive em Codó, no Maranhão. “Quem vos escreve é um eleitor seu. Quero fazer um pedido em relação ao projeto do governo federal ‘Minha Casa, Minha Vida’. Aqui tem muitas casas fechadas, pessoas que ganharam e não precisavam. Eu sou lavrador e não tenho onde morar. É preciso uma fiscalização rigorosa.” Crusoé ligou para o telefone registrado na carta enviada a Bolsonaro pelo agricultor. O filho de João, Vinícius da Silva, um estudante de 23 anos, atendeu a chamada. Ele narrou que, desde que escreveu a carta, seu pai já teve três AVCs e está impossibilitado de trabalhar. “Às vezes, ele precisa de remédios e a gente não tem condição de comprar. Meu pai está morando de favor em uma casa na zona rural. É uma dificuldade vir à cidade, ele tem que pegar um ‘pau de arara’ e, às vezes, não tem dinheiro”. Vinícius conta que, a pedido do pai, que é analfabeto, o próprio estudante escreveu a carta e a postou nos Correios. “Ele quis falar com o presidente porque está indignado com o fato de precisar de uma casa e não conseguir. Meu pai continua com esperança. Ele sempre me pergunta se o presidente respondeu”, diz Vinícius.

Não são só adultos que escrevem ao presidente. Olga Benário Souza da Silva tem apenas 11 anos e escreve de Blumenau, Santa Catarina. “Sei que o senhor é um homem muito ocupado e que meus problemas não passam de simples grãos de areia diante de tantos que vossa excelência tem que resolver. E não quero lhe ocupar, mas acho necessário, antes de escrever o propósito desta carta, contar um pouco da minha história”, inicia ela, caçula de quatro irmãs. Olga nasceu com uma patologia e, nos primeiros meses de vida, teve que passar por cirurgias que lesionaram suas vértebras. Uma de suas irmãs enfrentou o mesmo problema e ambas usam cadeira de rodas. “Já operamos os calcanhares, a bacia, a bexiga, o intestino, os rins. Moramos em Blumenau e tem sido muito difícil a vida aqui. O estado negou transporte para hospitais. Negou também uma prótese e, por fim, o auxílio que recebíamos”, diz. Em seguida, Olga fala do sonho da família: a casa própria. “No momento em que escrevo essa carta estamos com aviso de corte de água e energia, com aluguel atrasado, sem material escolar. O que eu preciso é de sua ajuda para que, assim como tantas outras crianças, tenhamos acesso a moradia, escola e saúde, que são meus problemas diante de tantos que o Brasil enfrenta”.

Ana Maria de Oliveira, professora aposentada de Limoeiro, Pernambuco, também colocou no papel o sonho de ter a casa própria. Ela escolheu folhas cor de rosa e ocupou doze páginas ao escrever a carta para o presidente. A pernambucana mora com o marido em um barraco, em cima de um canal. “Quando chove, tudo alaga, a água entra pelo quintal e pelos ralos do banheiro”. Paulo Manoel dos Reis, Maringá, no Paraná, não está interessado em política. Quer apenas resolver seus dramas reais. “Ganho 720 reais por mês. Pago aluguel, luz, água e não sobra nada. Queria pedir ao senhor uma casinha do Minha Casa, Minha Vida.”

“Estamos abandonados”

“Senhor presidente Jair Bolsonaro, em primeiro lugar, peço perdão pela ousadia em escrever para vossa excelência. Vou ser breve. Tenho 72 anos e sou funcionária pública federal aposentada juntamente com meu esposo. Infelizmente estamos abandonados, não tivemos aumento de salário”. O apelo é de Célia Ramos Soares Ferreira, de Jacarepaguá, no Rio de Janeiro. Ela ganha 2,9 mil reais de aposentadoria, mas paga 1,8 mil reais de plano de saúde. Servidores públicos com baixos salários, como Célia, estão entre os mais afetados pela escalada de preços dos últimos meses. A inflação elevou os preços dos itens da cesta básica e corroeu o poder de compra dos brasileiros. O óleo de soja, por exemplo, subiu 90% nos últimos doze meses. A carne bovina registrou inflação de 40% e o arroz teve alta de 61%.

Em 1º de julho do ano passado, Edna Menezes de Oliveira escreveu a Bolsonaro para relatar as dificuldades financeiras que enfrenta desde que obteve um empréstimo consignado. Ela se sente “roubada” pelos juros altos cobrados na transação. “Já escrevi muitas cartas, amassei e joguei na lata do lixo. Junto com elas, minha dignidade de cidadã honesta brasileira. Só que esta vou enviar para que o senhor tome conhecimento do meu drama.” E continua: “O que eu quero? Bloqueio nos empréstimos.” Edna recorreu, sem sucesso, a estratagemas contábeis. “Sempre que o salário mínimo aumentava, eu refinanciava (a dívida), pois eu conseguia um dinheiro extra. Só que, para minha surpresa, eu já não conseguia mais essa renda extra porque os bancos desonestos já haviam me antecipado”, diz.  A carta, escrita em letras azuis em uma folha de caderno, foi acompanhada de comprovantes dos empréstimos feitos. Edna solicitou um crédito de 10,4 mil reais, a serem pagos em 72 parcelas de 287 reais – juros de 28,2% ao ano. O valor final, de 20,6 mil, não foi pago e ela precisou fazer outros financiamentos para tentar finalmente a quitação. Entrou em uma bola de neve. Edna conclui com o desenho de três corações e um pedido de desculpas por tomar o tempo do presidente. “Sei que o senhor tem problemas sérios para resolver e eu, na minha pequenez, fico te incomodando. Costumo me expressar melhor, é que eu estou idosa e bem doente.”

“Não sobra para comer”

Entre as cartas mais dolorosas estão as de brasileiros que sofrem com a fome. Muitos dos remetentes são aposentados que, em crise financeira, recorrem a empréstimos consignados e ficam sem dinheiro para comprar remédios ou até para comer. É o caso da técnica de enfermagem aposentada Vera Lúcia Listado, que escreve de São Paulo. “Após pagar luz, gás e água, não sobra para comer. Faz muito tempo que não temos aumento (na aposentadoria), relata. Edilson Santos Pereira, caminhoneiro de 50 anos de Jardim Monte Belo, também em São Paulo, conta que sofreu um acidente em 2017 e fraturou a coluna. Desde então, está em tratamento no Hospital das Clínicas, sem poder voltar ao trabalho, e não tem acesso ao auxílio-doença. “Tenho uma esposa e dois filhos, estou sem condições de pagar água e luz. Sei que o senhor é uma pessoa justa e vai compreender quem sempre carregou as riquezas desse país nas costas. Não temos o que comer.” De Crato, no Ceará, o carpinteiro José Ricardo Nascimento escreve para relatar um drama parecido. Ele fez empréstimos que comprometem mais de 60% de sua renda. Sobram apenas 400 reais para comprar comida e pagar contas. Em uma página, ele aproveita para pedir ao presidente “compaixão” com os aposentados.

“Serei obrigada a parar com minhas atividades”

Uma parcela da população afetada pela pandemia, e que alega estar abandonada pelo atual governo, é a de micro e pequenos empresários. Escrevem cartas extensas, em que relatam dificuldades para tocar os negócios ou mesmo histórias de falência. “Senhor presidente, é muito grave a situação. O acesso a recursos financeiros para melhoria e expansão dos negócios são raros e caros”, escrevem Geovani José Vieira e Diego Christian Damásio, que empregam 48 funcionários.

A dificuldade de acesso ao crédito também aparece nas cartas. “Peço pela sua fineza em atender minha reivindicação aqui exposta, no sentido de poder continuar com minhas atividades na área da construção civil, gerando empregos e contribuindo com o engrandecimento do nosso Brasil. Atualmente, conto com 20 funcionários diretos e, caso não consiga vossa ajuda, serei obrigada a parar com minhas atividades. Sou empresária no ramo da construção civil, estou concluindo o curso de arquitetura, tenho 22 anos. Já edifiquei um empreendimento totalmente com recursos próprios, mas, devido à conjuntura financeira que atravessamos, sou obrigada a pedir vossa ajuda”, diz Giovana Pereira, que escreve de São José, Santa Catarina. Ela pede que o presidente interceda junto aos órgãos competentes para viabilizar crédito para os pequenos empresários.

Carmen Lúcia Gobatti, de Guarulhos, São Paulo, tem 65 anos e mandou uma carta escrita à mão com letras arredondadas. “Somos uma empresa respeitada, muito séria, 100% brasileira. Estamos à beira de fecharmos as portas, lamentável. Faz 40 anos que trabalhamos muito e queremos continuar, mas nosso próprio país nos impede de trabalharmos. Somos uma família e vivemos de nossa metalurgia. Precisamos de ajuda, os impostos abusivos nos impedem de continuar”. Ana Cristina Noce Fraga, de 42 anos, mora em Belo Horizonte e é empresária. “Não é preciso dizer o quanto fiz campanha para a sua eleição. Empreender no Brasil é algo muito difícil. Muitas leis, muitos impostos, muita burocracia e o pequeno sempre fica com a pior parte.”

“Meu marido foi assassinado”

Entre as cartas que chegam ao Planalto estão ainda relatos dramáticos de quem sofreu na pele a criminalidade. Os remetentes reclamam do avanço do tráfico, da insegurança das favelas e pedem paz. Diana Guimarães escreveu de João Pessoa para contar que seu marido foi assassinado. Ela não entra em detalhes sobre a morte, mas diz que o companheiro sustentava a casa. “Minha situação é esta: sou mãe de quatro filhos. São casados, não moram comigo. Tenho a guarda de um dos netos e moro em uma casa cedida pelo meu tio. Trabalho vendendo frutas no Mercado Central e recebo Bolsa Família no valor mensal de 89 reais”, desabafa.

“Somos um povo criativo”

A vocação do brasileiro para empreender está registrada em boa parte das cartas que chegam ao gabinete de Jair Bolsonaro. Rockefeller Silva, de 48 anos, escreve de Perdizes, São Paulo, em tom firme. Diz que a iniciativa privada e o governo devem trabalhar juntos para o progresso do país, criando condições favoráveis à inovação. “Como o senhor mesmo disse, o empreendedor ‘não deve ter medo’ da burocracia, que muitas vezes atrapalha o desenvolvimento, a criação de empregos e riquezas.” Professor e inventor, Rockefeller aguarda pelo registro de uma patente no INPI, o Instituto Nacional da Propriedade Industrial. “Há 10 anos espero, pagando anuidades e taxas requeridas. Investi todas as minhas economias nesse projeto e ainda precisei pedir dinheiro emprestado. Somos um povo criativo e nosso potencial não deveria ser refém da burocracia que emperra o progresso. Registrar uma patente, em nosso país, ainda é um esforço hercúleo para o cidadão comum, como eu”, diz.

Com letras garrafais caprichadas, Alexandre Barroso Brilhante escreve de Fortaleza para falar do sonho de virar empresário e das dificuldades para empreender. “Excelentíssimo presidente Jair Messias Bolsonaro, é com muito respeito e alegria que venho através desta carta. Eu creio que Deus colocou vossa excelência à frente do nosso país com o propósito de melhoria para os brasileiros que vêm sofrendo por algum tempo, e creio que Deus vai lhe dar força e vitória nesta missão”, diz o cearense. “Eu trabalho de motoqueiro em uma construtora, mas tenho muita vontade de ter meu próprio negócio. O que eu ganho é para o sustento da minha casa, não sobra nada para investimento e lazer.” Alexandre revela que seu sonho é ter uma Kombi para trabalhar por conta própria com vendas e faz um pedido: “Eu sei que é difícil esse pedido, mas quem sabe Deus toque no coração? Sei também que estamos vivendo tempos difíceis, nosso país está com problemas, mas eu creio que Deus está no controle”.

Na vida real, o país grita, como sempre gritou, mas Brasília não consegue – ou não quer – ouvir.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Como não se condoer e se solidarizar com cada um e rodos esses brasileiros que, pelo teor de suas cartas, mostram ainda não perder as esperanças! Fui às lágrimas ao me colocar na situação de cada um deles. Infelizmente, esse Brasil real vive seu drama à parte da Ilha da Fantasia que é a capital federal.

  2. Patrik, você faz essa reportagem destacando as agruras dos cidadãos e tem a coragem de dizer que a discussão sobre o voto impresso - você quis dizer voto auditável - é supérflua?!!! Como é que está terrivel realidade vai mudar se a gente vota em quem presta e elege quem não presta?! Com suas eloquentes palavras? Você está fazendo parte desse jogo sujo de transparecer compaixao enquanto disfarça a realidade que - já que é inteligente - sabe que sem mudança não muda. Escute sua consciência

  3. Triste ver a ingenuidade do povo, acreditando que o Capetão sem coração vai se condoer! O Capetão só sabe proteger a sua Familicia! O resto do povo, que morra!! Que Deus ajude o povo brasileiro a sair das trevas em que o desgovernado meteu o país! Vai pra cadeia, Capetão! Volta pra cadeia, Luladrão! 3a. via minimamente honesta urgente!

  4. Ok, o que não falta no país são exemplos de pobreza e de desespero! Mas afinal, qual brasileiro não quer a certeza de seu voto? Soltam um bandido numa manobra patética, fazem fakenews para dizer é auditável e segura só para manter um sistema arcaico de 25 anos, confabulam com líderes de partidos e esperam mesmo que a gente acredite nas urnas e nesses ministros???

  5. Os atores são diferentes, mas o Teatro Brasil permanece o mesmo. Os políticos continuam fingindo que atuam pelo povo e nós continuamos a lhes dar votos. Estamos no sexto presidente após a redemocratização e o país continua a ser o mesmo. Quem deve mudar são os políticos ou nós?

    1. Elvio anular o voto é covardia é demonstração de fraqueza não faça isso amigo.

    2. Vc quis dizer que mudam-se as moscas mas a merda continua igual. Por isso, nas próximas eleições vote certo você no Dr Zero Zero Confirma

  6. São essas pessoas quem pagam os maiores impostos no Brasil. Essas pessoas são as mais extorquidas pela corrupção, pela incompetência e pelo desprezo que os três poderes da República têm por todos nós. Ainda pedem desculpas por “tomar o tempo da Excelência”! Coitados! Vão ficar sem resposta, sem casa e sem emprego. Nem Bolsonaro, nem Lula!

  7. Enquanto essas pessoas sofrem, recebendo uma miséria de salários, o Congresso aprova o aumento do Fundão eleitoral pra 5,7 bilhões e o presidente diz que deve ficar em "meros" 3 bilhões de reais, pra jogar no lixo em campanhas eleitorais durante apenas 45 dias!!!! Alguém tem alguma dúvida de que o passaporte dessa gente já está carimbado pro inferno? Eu não tenho...

    1. Isso é a maior sem-vergonhice da história. Pagamos para eleger bandidos

  8. Quanta miséria! Que dó! Excelente iniciativa de dar um retrato mais pessoal aos problemas que discutimos diariamente como desemprego, inflação, violência ou carência habitacional. No entanto, nunca culpando quem está em tal estado de miséria, é fácil ver como funciona a política no país: o povo está tão derrotado que clama por caridade; quem vai aparecer pra ajudar? o bom e velho coronel de sempre, que dá uma ajudinha e mantém o cabresto da miséria bem apertado.

    1. Cambada de fdp. O povo, na ótica dos governantes é mero detalhe

  9. Esses PATIFES que roubam ,descaradamente a GRANA PÚBLICA. DEVERIAM SE COMPAFECER DESSES POBRES BRASILEIROS conforme triste AMOSTRA.

  10. Por acaso esse drama é culpa do Bolsonaro? A fome é um grande negócio para a classe política, distribuindo esmolas, criando leis que dificultam o progresso, gastando milhões em mimos auto-legados, vivendo nababescamente em gabinetes se autoproclamando como em defesa de conquistas sociais? Quais? Da população carente com certeza não.

    1. Certo Bolsonaro não tem culpa. Mas cadê as ações para minimizar esse sofrimento? Ao contrário aumentou o próprio salário e de um infinidade de puxa sacos.

  11. Acredito q a intenção da revista não foi culpar ou não Bolsonaro, mas sim nos dar um retrato do Brasil q não se preocupa com questões menores como voto ou impeatchment. Se mostrasse as respostas, aí sim, poderíamos avaliar se o PR está preocupado ou não com esses anônimos. Continuem fazendo o excelente trabalho q tem feito, q nós de cá agradecemos

  12. Falta de estudo ou qualidade nele(viva Paulo Freire), muitos filhos (quando não se podia ter nem um, sequer), violência (graças a justiça e ao STF). JB está no Planalto a 3A. O que vivemos hoje é fruto de 30A de esq. Com seu ápice no governo de Lula. Quem cria ou altera lei, é a Câmara. JB veta arbitragens o Parlamento derruba. O STF impõe suas regras. liberta André do Rap e impede a polícia de combater o crime com discurso pífio. Resultado de RJ extremamente violento. E a culpa é de JB?! Çei!!!

    1. Concordo completamente com sua opinião. Este folhetim cripto canhoto, pensa que engana alguém com seu viés esquerdofrênico, o mesmo viés Fabiano que nos conduziu até aqui, uma nação fracassada que vai continuar assim, sem aprender com os próprios erros. Às vésperas de cometer o maior erro do século e novamente entregar o poder ao talibã tupiniquim. Tristes trópicos.

  13. Exatamente, Brasília não ouve. É uma bolha, a rainha mãe alimentada por todos os brasileiros, até mesmo por esses que escreveram as cartas desesperadoras, com os impostos que pagam pelos parcos alimentos.

  14. Brasília não quer ouvir ! Qdo chegam ao poder se deslumbram , a grande maioria só pensa em si mesmo , em reeleição e em usar dinheiro público para enriquecimento pessoal e familiar!

    1. Ele nao tem tempo, ou esta falando de voto impresso ou em motociata. um louco.

  15. Políticos estão se lixando para o drama desses brasileiros. Já no primeiro segundo depois de suas rererereeleição, eles já estão de olho nas próximas urnas.

  16. Brasilia nunca quis ouvir, não é de hoje. Hoje, aliás, hoje nem adianta tentar, quem se instalou no palácio jamais vai dar ouvidos a estes pleitos, ele só quer o poder para si e os seus se refestelarem.

  17. Comovente o sofrimento dessas pessoas e de milhões de brasileiros neste rico pais desgovernado e saqueado por todo tipo de larápio. Infelizmente a Pandemia só complicou a gestão de um PR que não estava preparado para conduzir o Brasil e passou o tempo todo criando crises e inimigos na esperança de manter o poder em 2022. O fiasco está nas mortes, desemprego e fome. Sequer deveria pleitear reeleição e assim contribuir para alguém de Centro derrotar Lula no 2º Turno. Salvaria um pouco da biografia

    1. Sou pequeno empresário do ramo metal mecânico, emprego 19 pessoas , se fosse pedir algo seria, para o governo deixar a gente trabalhar e não colocar tantos empecilhos e impostos . Sem incentivos e também sem burocracias .

  18. Essas cartas são de cortar o coração. Mas ao invés de trabalhar para solucionar os problemas reais do país, muito bem descritos nas cartas, o presidente prefere criar inimigos imaginários para esconder a incompetência e se manter no poder.

  19. Certamente que tudo isto sera perda de tempo pois, independente de quem esteja no governo, estao se lixando pra estes brasileiros carentes de tudo, eles vivem nababescamente em Brasilia, e la e outro mundo, nao e nem Brasil, o povo que se exploda, a grande maioria dos de Brasilia sao funcionarios publicos com salarios nababescos, funcionarios de judiciario e politicos corruptos, escritorios de lobi, ladroes fdp.

  20. É triste ver pessoas honestas e interessadas em trabalhar totalmente iludidas por um lad.rão vag.abubd.o, que se jogam uma carteira de trabalho em sua direção, sai em desabalada carreira. Têm como esperança as ações de alguém que enriqueceu ilicitamente e não tem qualquer capacidade de prestar serviço honesto a qualquer empresa ou sociedade privada, e quando esteve no Exército, foi expulso porque não se contentava os vencimentos de jovem oficial.

  21. O ventriligo do Tramp quando abre a boca, lembra os antigos faraós, desaba sobre o povo as 7 pragas. Taca-lhe um banho de sal grosso, umas baforadas zi fio, para tirar essa inhaca e encostos colados pelo Malafaia.

  22. Provavelmente o pangaré sociopata dirá que isso é culpa dos governadores e prefeitos; o congresso espúrio trabalha muito para surrupiar as verbas orçamentárias e o judiciário precisa proteger os amigos dos amigos. O povo que pague a conta.

  23. Impressionante essa reportagem! Se o sujeito chega a enviar uma carta ao Presidente é porque sente uma proximidade com ele. Provavelmente só com Lula isso ocorreu.

  24. Kkk Porque Flávio Dino do PCdoB não foi citado? Porque o Zé Francisco do PSD não foi citado? Você diz que 210 milhões de brasileiros tem uma rotina triste ? E que a culpa é do Presidente da República ? Só pode ser brincadeira ! E voto impresso é supérfluo ? Não é possível que assinei essa revista para ler uma coisa dessas !!!! Está de brincadeira com a minha cara !

    1. Só uma pessoa muito im.be.cil começa um comentário, depois de um relato tão triste das cartas, com ‘kkk’. Tem que seguir mesmo no curral. MS

  25. Enquanto isso Lula e Dilma, mandaram bilhões para Cuba, Venezuela, Argentina, Bolivia, que pessoas boas. E estão rindo da nossa cara também. Cada povo tem o governo que merece. Para a sub-raça e o que resta.

  26. Que triste. A realidade do povo mais humilde e ingênuo é comovente. Eu imagino o PR lendo essas cartas rindo junto com os filhos. Enquanto isso distribui nosso dinheiro aos zilhões para permanecer no cargo.

  27. Que nó na garganta ao ler essas cartas! Quanta tristeza! Quanta necessidade! Como esses políticos conseguem dormir tranquilos e fingir que não sabem de nada disso???

  28. Dá vontade de chorar. É muita desgraça. E ninguém da cúpula está nem aí pra essa gente. Nem direita, nem esquerda, nem centrão, nem PT, nem Bolsonaro.

  29. O cara vai usar essas cartas no banheiro, a única preocupação dele é com gente igual a ele como o elemento da capa dessa edição!

  30. Aos que tem seu próprio negócio e perderam seu tempo p/escrever ao maior traidor da pátria da história há um consolo: fazer o curso de empreendedorismo com os filho desse crápula!

  31. Esse traidor fantasiado de verde amarelo age como os ditadores africanos e outros: enquanto a família tem dezenas de imóveis, mansões, gastam $ público a rodo o povo desvalido agoniza, que triste 😰

  32. Bolsonaro não sabe o q é trabalhar todos os dias, enfrentar condução, se alimentar mal e faltar dinheiro p/ pagar as contas. Maldito Bolsonaro, você não sabe o q é estar desempregado, sem esperança, sob ameaça de contaminação por esse maldito vírus. Por que vc não luta para diminuir o desemprego, gerar trabalhos para os desempregados? Você não tem noção das inúmeras possibilidades d trabalho q podem ser criadas pelo turismo por exemplo. Em vez de queimar florestas, atrair turistas traz dinheiro!

  33. Essas cartas são a razão maior para o Brasil fazer a grande reforma política que o povo brasileiro está esperando! Menos cadeiras no Congresso, menos Ministérios, menos benesses, menos assessores, zero carro, zero paletó e gravata, zero viagens de avião, mais pe no chão para sobrar muito mais verbas e construirmos um Brasil para os brasileiros e não um Brasil para meia dúzia de privilegiados!! Vergonhoso e lamentável!

    1. Isso mesmo! O único partido que defende o enxugamento do Estado, corte de privilégios nos três Poderes e o fim do financiamento público para partidos e campanhas é o Partido Novo, que vem lutando herculeamente pra diminuir os gastos supérfluos e desburocratizar o país. Mas, 8 deputados federais "não fazem verão". É preciso que os brasileiros se lembrem disso em 2022 e escolham os candidatos do Novo nas urnas.

    1. Vou sugerir ao Rodrigo Rangel que faça ou mande fazer algo especial para você, sob encomenda, "sem começar a ser imparcial". ... Talquei? Ah, sem "sensacionalismo puro". ... Onde você leu algo de sensacionalismo, cara pálida?

    2. Não se trata de sensacionalismo, trata-se de solidariedade! É vergonhoso vc morar em um país que “existe” para meia dúzia de privilegiados e “não existe” para a quase totalidade da população!

  34. Sr. Patrick Camporez, sua reportagem é uma verdadeira aula da metodologia sociológica. Tal como Alexis Tocqueville quem descreveu a Revolução Francesa através das cartas dos cidadãos para o Comitê Revolucionário da época o senhor descreve o Brasil de hoje. Meus parabéns.

    1. Brasil desde 1.500, né..........só agora veste

  35. Brasília não ouve tantos apelos porque nem lembra que o "público pagante" e sofrido é aquele eleitor que um dia desiste do Brasil.

  36. Brasília e seus políticos vivem na ilha da fantasia. É outro mundo e outra dimensão totalmente adversa da verdadeira realidade da maioria dos brasileiros.

  37. Os problemas só aumentam no país, mas o presidente continua brincando de presidir a nação. Nem os relatos das correspondências o sensibilizam.

    1. Não só o Presidente mas todos os senadores e deputados que nada fazem pelo povo, só para eles mesmos e suas famílias!!

  38. Ofensivo é um fundo eleitoral de 1 BI DE DÓLARES !!!! Vossas Excelências: interesses distorcidos. Quem vota nos Srs é a população desabrigada, com fome e largada a própria sorte. Um tapa forte na cara

  39. Ler esta reportagem após ler aquela sobre o corrupto Ricardo Barros e seus bilhões desviados em proveito próprio é de embrulhar até os estômagos mais fortes. Nojo dessa cambada

  40. Em Brasília estão todos se fu… com a situação do povo, lá um ascensorista do congresso chega a ganhar 20k. Logo, não tem noção de como se vive no mundo Real Já o Presidente…! Esse só pensa naquilo

  41. Esse governo não gosta de pobre. Deixou de governar e passou o cargo para o Ciro Nogueira. O sujeito passa horas na internet falando e postando desinformação.A fome está dentro de milhares de lares do brasileiros que sempre trabalharam. Nossos parlamentares que recebem o cargo através do nosso voto, só se preocupam em se dar bem. Pobre dessas pessoas que mandaram as cartas justamente para a pessoa errada. Triste😰 nossa realidade.

  42. O destinatário destas cartas não leu nenhuma e não quer saber de nada. Esse povinho só serve pra votar no dia certo, depois que se lixe. Sempre pensou assim ou não diria as coisas que diz sem fazer p...a nenhuma.

  43. Bolsonaro vai aonde o povo está? Motociatas e aglomerações que atacam a nossa democracia, não representam o povo. Aula de economia para o imbecil chamado Paulo Guedes: UMA ECONOMIA PUJANTE, É RESULTADO DE UMA DEMOCRACIA SÓLIDA. Eu tenho amigos de todas a classes sociais, sem que seja numa relação de poder. O que esta ótima matéria expõe, eu vejo no meu dia a dia. O Brasil com Bolsonaro no poder, sempre parte de falsas premissas, transformando moinhos de vento em monstros. COM MORO PODEMOS MAIS.

    1. Exatamente PAULO. Exatamente deste jeito. Claro e conciso, expõe todas nossas desvalias.

  44. Vamos lá. Esse costume é antigo no BR. E mais; 100% das cartinhas são manuscritas, postadas nos Correios, e sem custo. O detalhe: o destinatário, o PR, não lê nenhuma, não responde nenhuma, e vão todas prum só baú e lá ficam esquecidas por décadas.

    1. Alvaro Pereira Sampaio Costa. Exatamente isso. Colocação perfeita. Pensei exatamente deste jeito ao ler a reportagem. Pensamentos similares.

    2. Sou difícil de me emocionar, mas quase chorei diante de tanto sofrimento. O pior é saber que contam com a assistência deste ordinário que está aí como presidente. E nas próximas eleições só candidatos de baixíssima envergadura moral ocupam a liderança nas pesquisas. Lamentável mesmo. É de chorar...

  45. A ARMADILHA QUE O BRASIL CAIU ,COM A SUBIDA DO GENO CIDA NO PODER :DESMATAMENTO ,DESTRUIÇÃO DA EDUCAÇÃO ,ENTRADA DA ESCO RIA DO CENTRÃO NO COMANDO DO PAÍS ,SAQUE DE 5BI E 700 PARA O FUNDÃO ,E DIRETO PARA AS CUECAS DOS 🐀🐀ALIADOS ,AUMENTO DO CUSTO DE VIDA ,INFLAÇÃO ,FORTUNAS TORRADAS NOS CARTÕES CORPORATIVOS ,GAZ ,GASOLINA ,DOLAR ,LUZ DISPARANDO ANENCÉFALOS NOS COMANDOS DOS MINISTÉRIOS E COR RUPTOS NA COMPRA DE VACINAS .Bozo messias 1:171

  46. ✔️Desmatamento em alta (+10 mil km2/ano) ✔️Dólar dispara (R$ 5,42) ✔️Inflação sobe (projeção de 7,05%) ✔️Gasolina escalando (27,5% este ano) ✔️Fome aumentando (41% da população) ✔️Desemprego altíssimo (14,6%) As prioridades de governo estão postas. Falta governar. mais só tem tempo para comprar brigas, desafiar os demais poderes e andar de motos.

    1. Perfeito o seu checkist Jose. Esses sim, são parte dos nossos problemas reais. Colocaria no topo o Bolsonaro. Risca o Bolsonaro e teremos um impacto positivo nos demais desafios. QUAL É O CUSTO BRASIL? QUAL É O CUSTO BRASIL SOMADO AO CUSTO BOLSONARO?

  47. Parabéns pela reportagem Patrick! Relatos tristes de uma realidade dura de nosso país. Infelizmente, o destinatário das mesmas está mais preocupado em "motociatas" e se reeleger em 2022.

  48. E não é de agora esse abandono do povo, mas está pior. É triste ver um país tão rico em recursos e não conseguimos bons gestores, todos têm tendência bandida piorando sempre e cada vez mais a situação de quem, se ajudado, estaria bem.As pessoas só precisam de oportunidades.

    1. concordo, me deu aperto no coração a criança , o agricultor e o que teve a água e luz cortadas

  49. Gente, para de lamentar. O presidente está ocupado com a sua reeleição, desde o primeiro dia da posse. Mas vai pedir para os Pastores rezarem para vcs conseguirem viver. O presidente é muito cristão. Está muito preocupado com suas motociatas e em surfar. Mas continuem tendo fé , se puderem

  50. BOLSONARO: os EXEMPLOS EXECRÁVEIS que uma SOCIEDADE tão CORRUPTA é capaz de produzir! São DEGENERADOS MORAIS que IMPEDEM o BRASIL de AVANÇAR! Em 2022 SÉRGIO MORO “PRESIDENTE LAVA JATO PURO SANGUE!” Triunfaremos! Sir Claiton

  51. E pergunto, para que serve os Governadores de cada estado que recebem o ICMS (1,5 no mínimo incluso - que na pratica é 21%) mais o imposto de combate a pobreza de 2% (mais uma vez incluso). O que fazem com esse dinheiro? E os municípios que recebem o ISQN e repasse do ICMS e de ajudas Federais! Não são eles que estão mais próximos da população conforme a douta Supremo afirmou! Pobreza tem em todo o lado, ate nos países mais ricos. O problema é ser um pais rico com eleitores pobres.

    1. Queria dizer 17,5%. Já agora 1) a reforma tributária. Se preparam para aumentar os impostos através da cobrança do mesmo na distribuição dos dividendos. 2) quantos de vós pedem nota ou cupon fiscal de tudo, até de um café? Depois não se queixem eleitores pobres

  52. Ele não lê! Ele não ouve! Ele não enxerga nada além do próprio umbigo. Eu sinto por todos os brasileiros, até mesmo por aqueles que acreditaram e ainda acreditam que o PR vai fazer alguma coisa em benefício da população.

  53. Impressionante os relatos apresentados e mais impressionante ainda é o descaso da classe política em implementar políticas públicas em favor da população. Quando comparamos os salários da classe política fica clara a inversão de valores, eles não atual em favor para e em favor do povo mas sim em proveito próprio. Sinto-me envergonhada com tanta sordidez exposta diariamente nos noticiários.

  54. Interessante matéria. Mas vamos a Cristo teve acesso correspondências enviadas à Presidência da República?

    1. Há a Lei de Acesso à Informação que dá direito aos cidadãos tabajaras de terem acesso a tudo o que é público. ..

    2. Ricardo Rocha Lemos, sabe que o jornalismo não tem obrigação de revelar suas fontes. Vá tocar berrante com Sérgio Reis

    3. Saiu mal. Eu dizia:como a Crusoé teve acesso...

  55. A única coisa que me espanta é que gente que escreve ao presidente para resolver seus problemas escreva tão bem. Num país de tantos analfabetos formais e funcionais......

  56. Excelente matéria. Só deixa cada vez mais claro que Brasília é uma ilha de privilégios e regalias pagas com o dinheiro inclusive desses que escreveram as cartas.

  57. Excelente chamada da Crosué à vida real. Lamentável ver jornalistas imbuídos em críticas partidárias vazias enquanto a população agoniza em meio a problemas reais.

  58. se o Bolsonaro quer se reeleger ele tem uma ótima ferramenta para entender as necessidades do povo. Oremos para que ele mude seu pensamento.

  59. Temos uma reportagem candidata a reportagem do ano. As vezes nem sempre um furo de reportagem é tão contundente quanto a realidade.

  60. Nenhuma novidade ! Sempre foi assim ! Nunca ninguém viu ! Os políticos ladrões desse país sempre desdenhou os seus eleitores ! Vem dizer agora que esse abismo entre um e outro é culpa do Bolsonaro também? Nenhuma notícia do 9 dedos ? Dirceu...

    1. Bovina, olha a inflação, olha o desemprego e me diga quem é o presidente da república? 🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🐄🤡

  61. Inacreditável que existam pessoas que acreditam que escrever ao presidente vai resolver alguma coisa. Infelizmente esse é o nível de consciência de parte do nosso povo. Os instrumentos de participação política para mudar as coisas são outros, muito mais complexos e trabalhosos.

  62. Camporez, sua reportagem, na realidade é um estudo sociológico digno de elogios!!! Abre um leque enorme de aspectos sociais vividos pelo Brasil nos últimos anos. Com clareza, sem firulas, mas com sensibilidade e até uma pitada de esperança em ter esperança... Parabéns

  63. É muito triste ver a penúria de nossos irmãos brasileiros, e mais triste ainda terem que recorrer, suplicar a esta parcela abjeta que é a classe política. Continuarão a fazer parte dos esquecidos, não se iludam!

  64. Enquanto isso na redação da Cruzué transborda dinheiro, Diogo Mainardi tem vida de comendador em Veneza, Caludio Dantas enche a cara de uísque escocês de quinze anos, só falta a peruca do Mario Sabino

    1. José, não confunda empresa privada, que existe por vontade, esforço e sacrifício pessoal (a despeito da burocracia, dos impostos, taxas, tributos, instabilidade econômica, etc.) e o Estado, que recebe o dinheiro dos contribuintes e tem a obrigação de administrá-lo com eficiência, economia e senso de prioridade. Ao invés disso, vemos que o governo administra pessimamente, gasta mal, faz vista grossa pros desvios bilionários e ainda se presenteia seus membros com toda a sorte de privilégios...

    2. Mais esse José é4 um cretino , nojento e desqualificado.

    3. E o que tem a haver a comida e bebida de quem quer que seja com o sofrimento dos mais desfavorecidos e o descaso de quem deveria resolver esses problemas, ou seja, o poder público ?

    4. Esse é o típico comentário vindo de cabeça descrita no mundo matemático como "conjunto vazio", falta o mínimo de senso crítico quanto as obrigações do homem público, atrelando a questões privadas de outros.

    5. como você pode ser tão baixo. voce é o exemplo do tipo de gente que ainda apoia o sociopata.

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO