Rodolfo Buhrer/La Imagem/Fotoarena/Folhapress"As 'derrotas' não são da Lava Jato, mas da sociedade brasileira"

A vingança do establishment

O procurador Deltan Dallagnol, ex-coordenador da Lava Jato em Curitiba, fala sobre o esforço dos poderosos para destruir a operação e diz que hoje gasta grande parte de seu tempo respondendo a processos disciplinares
07.05.21

Um dos principais símbolos da Lava Jato, ex-coordenador da força-tarefa de Curitiba, o procurador da República Deltan Dallagnol é hoje um mero espectador do processo de implosão da maior operação de combate à corrupção da história do país. Desde 2019, ele vê o fortalecimento de um movimento cada vez mais escancarado de políticos e de magistrados, inclusive do Supremo Tribunal Federal, que tem ajudado não só a reconstruir o ecossistema corrupto que as investigações colocaram em xeque, como também a perseguir os investigadores que estiveram à frente dos casos – ele próprio é um dos principais alvos da vingança. “A maior parte dos políticos envolvidos nos escândalos reocupou suas posições de poder”, diz.

Nesta entrevista a Crusoé, o procurador conta no que se transformou sua vida após os sete anos em que ficou à frente da Lava Jato – ele deixou a força-tarefa em setembro de 2020. Dallagnol diz que, hoje, gasta grande parte de seu tempo cuidando dos processos disciplinares aos quais responde em razão da operação. Ele compara a situação à do procurador Antonio Di Pietro, que conduziu a Operação Mãos Limpas, na Itália, onde o establishment político também se reorganizou e reagiu ferozmente às investigações.

Sobre o discurso de investigados, réus e condenados que, como o ex-presidente Lula, agora se aproveitam do processo de esfacelamento da Lava Jato para posar como perseguidos e injustiçados, o procurador lembra que “alegar perseguição está na página um do manual do político que é investigado por corrupção”. “A anulação dos casos não apaga a história, os fatos e as provas”, afirma. Eis a entrevista.

A Lava Jato acabou?
Se a Lava Jato for definida como o conjunto de suas investigações e processos, seguirá ainda por muitos anos. Embora a maior parte das linhas iniciais das investigações tenha surgido entre 2014 e 2019, na fase de expansão dos trabalhos, a investigação da consistência dessas linhas, numa fase de aprofundamento, pode demorar muito tempo. Além disso, processos relevantes tramitarão por mais de uma década. É um trabalho que vem sendo feito por servidores públicos corajosos de diferentes instâncias e órgãos, num ambiente hostil no qual, como disse o ministro Barroso recentemente, o sistema tem sede de impunidade e vingança. Contudo, há um outro modo de olhar a Lava Jato. Ela pode também ser compreendida como uma atitude, um grande esforço institucional conjunto, da polícia, do Ministério Público e do Judiciário, em todas as instâncias, para implementar a justiça penal de modo efetivo contra criminosos que usaram a política para saquear o país. Foi esse esforço que proporcionou a contínua expansão das investigações da macrocorrupção brasileira por alguns anos. Se assim a entendermos, é inegável que, a partir de março de 2019, houve uma virada com julgamentos do STF que geraram insegurança jurídica e resultaram na anulação de casos como Pasadena e Bendine (refere-se ao caso que envolvia a compra da refinaria de Pasadena, no Texas, e ao processo de que era alvo Aldemir Bendine, ex-presidente da Petrobras e do Banco do Brasil). O movimento, que alguns chamam de garantista ou revisionista, culminou com a decisão, em novembro daquele ano, que proibiu a prisão após a condenação em segunda instância.

Esse novo entendimento dificultou muito a possibilidade de responsabilização dos crimes do colarinho branco, pelo tempo de duração dos processos e chances de anulação e prescrição. Sem receio de punição, investigados e réus deixaram de cooperar com a Justiça. Foi aí que o coração pulsante que promovia a expansão da Lava Jato parou de bater. Por esse outro ângulo, a Lava Jato como a conhecemos inicialmente deixou de ter condições para seguir se expandindo a partir de novembro de 2019. A anulação de outros casos como os de Lula e (Michel) Temer, mais recentemente, reforçou o sentimento de que a justiça penal não está mais tendo a mesma efetividade que tinha no início da operação. A isso se somaram iniciativas como alterações legislativas e o fim das forças-tarefas. Contudo, mesmo por esse ângulo que situa a Lava Jato entre 2014 e 2019, há muito por que lutar. Há um legado positivo de resultados, há investigações e processos desencadeados em andamento e há o futuro do combate à corrupção. Precisamos perseverar no esforço por mais avanços e menos retrocessos.

A declaração de suspeição do ex-juiz Sergio Moro abre espaço para outras derrotas da operação?
Primeiro, é conveniente esclarecer que as “derrotas” não são da Lava Jato, mas da sociedade brasileira. Nós, os agentes públicos, apenas desenvolvemos o trabalho, tentamos fazer da melhor forma possível e continuaremos tentando. De qualquer forma, em relação aos resultados alcançados, há, sim, espaço para a sua reversão, mas não em razão da suspeição. Independentemente da minha discordância em relação ao julgamento, é difícil que a suspeição se estenda para outros casos porque foi embasada em decisões do ex-juiz que têm especial relação com o caso do ex-presidente Lula, como a publicização de áudios de conversas entre autoridades, a interpretação equivocada de que teria havido a interceptação indevida de advogados, o levantamento do sigilo de trecho da colaboração de (Antonio) Palocci e sua ida para o governo Bolsonaro. Por outro lado, a declaração da incompetência de Curitiba pode ser replicada para outros casos envolvendo políticos. Seu fundamento foi o fato de que a participação do ex-presidente no esquema envolveria outros órgãos públicos para além da Petrobras. Um argumento idêntico foi usado recentemente para o STF retirar o caso Temer do Rio de Janeiro, anulando-o. Há o receio de que esse mesmo argumento seja estendido para casos envolvendo outros políticos, porque em geral eles participavam de esquemas de corrupção mais amplos. Isso geraria uma anulação seletiva dos casos, no sentido de que os políticos seriam os maiores beneficiados. Além disso, em 2019, o STF criou novas regras referentes à competência da Justiça Eleitoral e ao direito do réu delatado de falar por último. O problema foi que permitiu a aplicação dessas novas regras para anular investigações pretéritas, apesar de terem tramitado quando as regras não existiam e de terem seguido todas as regras vigentes na sua época. Isso gera um ambiente de insegurança jurídica propício para novas anulações.

No auge da força-tarefa, o sr. considerava a possibilidade de o establishment político se reorganizar tão rapidamente e reagir de maneira tão intensa contra as investigações?
Sim, porque foi o que aconteceu na Itália com a Operação Mãos Limpas. Lá, depois de dois anos, narrativas enfraqueceram o apoio da opinião pública, começou a aprovação de leis para soltar criminosos e promover sua impunidade, o procurador que liderou a operação passou a responder a dezenas de apurações e investigações e a pauta anticorrupção foi substituída no Parlamento pela discussão de supostos abusos praticados pelos investigadores. Seguimos o mesmo roteiro, mas demorou mais tempo para isso acontecer aqui, provavelmente em razão de fatores como a maior transparência dos trabalhos por meio de processos públicos e eletrônicos, uma imprensa mais plural, a existência das mídias sociais e a expansão progressiva das investigações sobre os diferentes partidos. O que as duas operações mostraram, infelizmente, é que a Justiça não se sobrepõe à política.

Ainda vamos ver o dinheiro recuperado sendo devolvido aos condenados por corrupção?
Espero que não. O trabalho feito é sólido, calcado em fatos, provas e na lei. Foram bilhões devolvidos por criminosos confessos. Dezenas de contas secretas recheadas de propinas foram descobertas. Contudo, eu não contava com a anulação dos casos Bendine e Pasadena e, mais recentemente, dos casos Temer, Lula e Guido Mantega. Não esperava também a suspensão dos casos envolvendo o presidente da Câmara, Arthur Lira, e o trancamento da acusação contra o ministro do TCU Vital do Rêgo. É difícil saber até onde vai o que alguns têm chamado de movimento revisionista da Lava Jato. Os tribunais têm independência para decidirem como bem entenderem, e isso deve ser respeitado, mas ao mesmo tempo é legítimo discutir o mérito de cada uma dessas decisões que, com o devido respeito, considero equivocadas.

No STF, um dos protagonistas das decisões recentes tem sido o ministro Gilmar Mendes, que há tempos critica a operação e foi até condenado por uma ofensa ao sr. Com tamanha animosidade, ele poderia julgar os casos relacionados à Lava Jato?
Dentre as situações de suspeição previstas na lei, estão aquelas em que o juiz é inimigo das partes e quando uma parte for sua credora. Como ele proferiu ofensas que geram responsabilidade civil, seria esperado que se declarasse suspeito. Sua condição é muito parecida com a do devedor, embora a condenação tenha sido da União Federal, porque as ações de ressarcimento por danos causados por funcionário público no exercício de sua função devem ser dirigidas contra a União, que pode depois acionar o funcionário. Além disso, diversas de suas manifestações públicas podem ser lidas como violações da Lei da Magistratura e sinais de inimizade, a qual também é causa de suspeição. Apesar disso, ele tem julgado não só casos da Lava Jato, mas também casos pessoais meus. Ele foi, por exemplo, voto de desempate para ratificar minha punição pelo Conselho do Ministério Público em razão de manifestações que fiz, no meu entender e dos ministros (Edson) Fachin e Cármen Lúcia, no pleno exercício de minha liberdade de expressão e crítica.

Felipe Rau/Estadão ConteúdoFelipe Rau/Estadão Conteúdo“Precisamos perseverar no esforço por mais avanços e menos retrocessos”
O ex-presidente Lula tem dito que a “inocência” dele foi reconhecida e petistas têm reforçado o coro de que a Lava Jato foi uma farsa. Como o sr. recebe essas declarações?
Esse tipo de narrativa é muito comum nos casos de corrupção política no mundo todo. Alegar perseguição está na página um do manual do político que é investigado por corrupção. A anulação dos casos não apaga a história, os fatos e as provas, embora impeça que eles tenham consequências jurídicas como a punição. Não apaga, por exemplo, o fato histórico de que quase duas dezenas de procuradores independentes, dois juízes, quatro desembargadores e quatro ministros reconheceram a responsabilidade do ex-presidente por crimes graves de corrupção e lavagem de dinheiro. Ninguém discordou e a teoria da perseguição fica ainda mais difícil quando se nota que havia ali ministros que foram indicados pelo próprio ex-presidente e sua sucessora. Quanto ao estado de inocência, ele é presumido para todo cidadão que não sofreu condenação transitada em julgado.

O sr. se arrepende de algo que tenha feito na condução da Lava Jato, expondo as investigações ao risco de nulidade?
As regras do sistema são tão frágeis que tudo pode ser discutido e anular os casos, quer você adote um caminho ou outro. O caso do ex-presidente Lula é um bom exemplo. O STF anulou porque no seu entender deveria ter tramitado em Brasília e não em Curitiba. Contudo, se a investigação tivesse corrido em Brasília, o STJ a teria anulado porque no seu entender a competência era de Curitiba. Não daria nem para recorrer ao STF porque não cabe recurso contra concessão de habeas corpus. É um jogo de perde-perde para a sociedade. É uma sensação de “se correr o bicho pega, se ficar o bicho come”. Esse é o tipo de anulação em que a Suprema Corte deveria colocar um ponto final, por conta do decurso do tempo e porque a justiça do julgamento depende de seu embasamento nos fatos, nas provas e na lei, e não do lugar em que o processo corre.

O presidente do STJ, Humberto Martins, abriu um inquérito contra procuradores da Lava Jato e chegou a abastecê-lo com as mensagens roubadas pelos hackers. Acredita que há mais investidas por vir?
Há um ambiente de franca reação à Lava Jato. A maior parte dos políticos envolvidos nos escândalos não foi afastada ou punida e reocupou suas posições de poder. Eles influenciam as indicações do procurador-geral da República, de integrantes das cortes de Justiça, do Tribunal de Contas e do Conselho Nacional do Ministério Público. Todas essas instituições que mencionei desempenham relevantes papéis, são essenciais para a democracia e merecem todo respeito, mas a escolha política dos seus integrantes na atual conjuntura, de ampla reação do sistema político, cria evidentemente um risco para a independência do trabalho dos procuradores contra a corrupção.

Acredita que há relação entre a iniciativa do ministro Martins e o fato de ele ter um filho na mira da Lava Jato?
Embora a questão levante questionamentos legítimos sobre a imparcialidade do ministro para conduzir a investigação, não me cabe fazer essa avaliação. Sobre esse inquérito, que foi suspenso por decisão monocrática da ministra Rosa Weber, do STF, posso afirmar que ele foi instaurado para apurar um comportamento que, absolutamente, não ocorreu. Partiu-se de suposições baseadas em mensagens fora de contexto, que são provas ilícitas e manipuláveis (refere-se às mensagens roubadas do seuTelegram), para concluir algo completamente contrário à realidade. Sempre que nos deparamos com supostos ilícitos praticados por pessoa com foro, e foram várias, e aí se incluem também deputados, senadores, prefeitos, reunimos as provas que estavam em nosso poder e as encaminhamos para a autoridade competente para investigá-los. Não houve exceção a esse comportamento. Bastaria questionar a Receita Federal para verificar que não procede a suspeita de que houve investigação fiscal dos ministros. Contudo, ainda que se supusesse que os procuradores tivessem realizado uma investigação criminal indevida de pessoas com foro privilegiado, é interessante observar que ela nem sequer seria crime pela nossa lei. De fato, seria no máximo falta funcional, não sendo possível instaurar inquérito para isso. Além disso tudo, a lei determina que só o procurador-geral poderia conduzir essa investigação e que ela deveria tramitar no tribunal de Porto Alegre (o Tribunal Regional Federal da 4ª Região), não no STJ. Ao mesmo tempo que respeito o STJ, que tem um papel central na proteção dos direitos em nosso sistema, vejo muitas irregularidades nesse inquérito.

A CCJ da Câmara aprovou nesta semana um projeto que altera a composição do Conselho Nacional do Ministério Público. Qual é a sua opinião sobre essa iniciativa?
Essa proposta aumenta a ingerência dos políticos na escolha dos integrantes do CNMP, que pode punir justamente os promotores e procuradores que investigam a corrupção política. O corregedor, responsável pelas apurações disciplinares, poderá ser, por exemplo, alguém escolhido pela Câmara ou pelo Senado por ter uma visão alinhada com a punição de membros do Ministério Público que trabalharam em certos processos. Além disso, essa iniciativa foi proposta por um campeão de representações no conselho contra membros da Lava Jato (o deputado petista Paulo Teixeira), tramitou em tempo relâmpago e se insere num contexto maior de pressão política para que o conselho puna os procuradores que trabalharam na operação. O Senado, por exemplo, deixou de renovar o mandato de dois conselheiros que tinham votado favoravelmente a integrantes da Lava Jato e há mais de ano mantém três cadeiras do conselho vazias, as quais seriam ocupadas por dois membros oriundos do Ministério Público e por um juiz que atuou em casos da operação. Por tudo isso, a proposta tem sido chamada pela sociedade civil de “PEC da Vingança”. Agora, para além da vingança, a PEC pode inibir o trabalho de outros procuradores contra a grande corrupção política em um futuro próximo. Ela não vai afetar catorze procuradores, mas o trabalho de 13 mil membros do Ministério Público.

Alice Vergueiro/FolhapressAlice Vergueiro/Folhapress“Esse tipo de narrativa (como a de Lula) é muito comum nos casos de corrupção política no mundo todo”
O projeto é de um deputado do PT, mas quem deu andamento a ele foi a bolsonarista Bia Kicis. O que explica o fato de o petismo e o bolsonarismo estarem hoje unidos contra as investigações?
O governo construiu alianças políticas, inclusive com o Centrão, que tem vários investigados da operação, com a justificativa de que são necessárias para garantir a governabilidade, ou seja, o apoio do Congresso para avançar seu projeto de país. Não vou avaliar aqui outros aspectos desse projeto, da atuação do governo ou dessa aliança, mas esta não deveria impactar a centralidade que o discurso anticorrupção teve na candidatura de Bolsonaro. Como sabemos, ele e alguns outros candidatos encamparam a bandeira da luta contra a corrupção no discurso político eleitoral. Assim, ainda que agora ele faça alianças, seria contraditório que essas alianças dessem munição para a vingança política contra a Lava Jato ou minassem os esforços futuros contra a corrupção. Isso está acontecendo no caso desse projeto e em outras situações. O fato de Moro ter saído do governo não é desculpa para afastar o compromisso com as promessas eleitorais relativas a uma causa muito maior. Aquilo que o governo prometeu, com palavras, deve cumprir por meio de suas ações.

O presidente Jair Bolsonaro tem repetido que não é necessária uma Lava Jato porque no seu governo não existe corrupção. O que o sr. diz sobre isso?
A corrupção é um problema histórico e sistêmico, isto é, vem de longa data e impregna diversas instituições da sociedade. É um problema que abrange, mas ultrapassa muito, os indícios de corrupção em casos específicos como o esquema das rachadinhas, que devem ser investigados. Não é à toa que esquemas de compras de leis, licenças e apoio parlamentar foram identificados em diversos governos nas áreas federal, estadual e municipal. Você não muda tudo isso com um presidente e um governo, mas com uma agenda de reformas que incluam a criminal e a política. Enquanto essas reformas não acontecerem, a corrupção continuará a se renovar no Brasil, como a grama que você corta e cresce de novo, independentemente de quem senta na cadeira de presidente. A ideia de que um presidente pode acabar com a corrupção sem mudar as regras já foi usada na história como uma jogada de propaganda populista que, no caso de Fernando Collor, acabou muito mal, com o surgimento de sinais de que ele mesmo praticou corrupção, primeiro no caso PC Farias e, depois, na Lava Jato. Ou seja, não basta falar. É preciso fazer, lutar por mudanças mais amplas, por reformas contra a corrupção como, por exemplo, a redução dos custos de campanhas, o fim do foro privilegiado e a prisão em segunda instância.

As instituições estão em risco hoje no Brasil, depois de mostrarem tanta independência ao longo da Lava Jato?
Para combater a corrupção, é preciso termos instituições fortes com instrumentos adequados. Não adiantam instituições fortes sem instrumentos, nem instrumentos nas mãos de instituições de joelhos. Têm havido retrocessos nesses dois aspectos. Instrumentos como conduções coercitivas, colaborações premiadas e o trabalho por meio de forças-tarefas foram minados. Além disso, chefes das instituições de repressão criminal têm sido escolhidos por critérios de afinidade pessoal e política, o que aumenta as chances de interferência. Foi aprovada, ainda, a lei de abuso de autoridade e agora se pretende aumentar a ingerência política no CNMP, responsável pelo controle de procuradores e promotores. Tudo isso mina a independência do trabalho das instituições e sua capacidade de enfrentar a corrupção política. Logo será escolhido o novo procurador-geral da República. Seria importantíssimo o respeito à lista tríplice.

Como a ofensiva à Lava Jato tem impactado sua vida, pessoalmente? O que mudou do auge da operação para cá?
Ao longo dos últimos sete anos, trabalhei inúmeras vezes até as madrugadas, abri mão em muitos momentos do lazer e de tempo com a família e os amigos, fui alvo de diversas notícias falsas e ofensas, vivi debaixo de riscos de segurança pessoal e familiar, fui condenado pelo CNMP por críticas que fiz ao Supremo Tribunal Federal e a Renan Calheiros e respondo a ações de indenização por ter feito o meu trabalho com coragem contra pessoas poderosas. Até hoje, mesmo depois de sair da Lava Jato há oito meses, passo grande parte do meu tempo respondendo a reclamações disciplinares, como aconteceu com Di Pietro na Itália (refere-se a Antonio Di Pietro, um dos principais procuradores da Mãos Limpas). O coordenador da Mãos Limpas costumava dizer que foram necessários dois anos para fazer a operação, mas quatro para se defender depois. Muitas vezes bate um desânimo, mas ele é superado pelo forte senso de serviço e de propósito no trabalho, de melhorar a vida das pessoas. O que chamamos de luta contra a corrupção é um grande esforço movido por amor às pessoas, em busca da redução do sofrimento humano que ela causa. É uma luta por mais saúde, educação, segurança e um país melhor. É uma luta por justiça, integridade, estado de direito, democracia e redução da desigualdade. Muitos policiais, procuradores e juízes fizeram sacrifícios pessoais movidos por esses ideais.

Acredita que é possível reverter este movimento destinado a esvaziar e comprometer as investigações?
Sim. Hoje, há um grande alinhamento de forças políticas contra a Lava Jato e o que ela representa. É fato que muita gente quer anular condenações e impedir que novas operações como essa aconteçam no futuro. Contudo, à medida que alcance sucesso, esse movimento se torna um escândalo em si. Ao mesmo tempo, há uma grande demanda reprimida por integridade e um número crescente de políticos defende essa causa. As pesquisas mostram que a maioria da sociedade continua a apoiar a operação. Ou seja, apesar dos sucessivos ataques, a população está entendendo o que está acontecendo. A imprensa e as mídias sociais podem ser meios relevantes para informar a sociedade e debater avanços e retrocessos. Acredito no fortalecimento da cidadania e que ela pode fazer toda a diferença.

O sr. tem participado de lives e dado declarações públicas sobre política. Pensa em ser candidato a algum cargo nas eleições de 2022 ou mais adiante?
Não tenho hoje planos concretos de candidatura e nunca conversei sobre isso com políticos ou partidos. Ao mesmo tempo, reconheço que a única solução para o problema da corrupção que impregna a nossa política é por meio da democracia e da intensificação da participação da sociedade na vida pública. Essa participação pode ser apartidária, a título de cidadania, como quando falo nas redes sociais sobre o combate à corrupção, assunto diretamente relacionado ao meu trabalho. Precisamos fortalecer a cidadania. Se queremos menos corrupção, precisamos plantar boas leis. Se queremos boas leis, precisamos plantar bons políticos. Se queremos bons políticos, precisamos plantar bons cidadãos, informados e participativos.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Dr. Dallagnol obrigado por vc existir !!! Como me envaidece ter pessoas como vc nesse país. Ainda existe!! Vc tem q continuar numa cadeira no senado f

  2. Dr. Dallagnol obrigado por vc existir. Vc é íntegro, competente e corajoso . Concorra a uma cadeira do Senado, vc é uma das poucas esperanças q o nosso país tem, no meio desse lamaçal dos 3 poderes . Causa náuseas constatar tamanho retrocesso, tanta bandidagem quando estávamos tão próximos de um Brasil melhor. Parabéns pelo seu belo trabalho!!!! E continue a batalhar ...agora através do legislativo.

  3. Excelente entrevista, DR. DELTAN MARTINAZZO DALLAGNOL!!! Esclarecedora, consistente, coerente, ,um verdadeiro documentário sobre essa era que vivenciamos!!! Vossa Excelência será o Presidente do BRASIL depois do Dr. SÉRGIO FERNANDO MORO, também durante 2 mandatos!!! Obrigada por tudo o que tem feito pelo nosso país, DR. DELTAN MARTINAZZO DALLAGNOL!!! !!!

  4. A minha esperança é que esse cidadão saia candidato ao senado , meu voto e da maioria dos que conheço seria dele , junto com Moro presidente .uma nação de 211 milhões de pessoas não pode ficar refém de algumas centenas de marginais , infiltrados na política , no judiciário e no meio empresarial , somos mais fortes e podemos ainda retomar o país para os brasileiros.

  5. A verdade, em qualquer caso e em qualquer função pública, seja no Executivo, no Legislativo ou no Judiciário e, principalmente, no Ministério Público quando o agente tenha suplantar ou interpretar a lei a seu jeito e modo, qualquer decisão ou procedimento em processo judicial ou administrativo vai abaixo. Isso é claro na Constituição Federal quando trata do DEVIDO PROCESSO LEGAL nos Direitos e Garantias Fundamentais e, no artigo 93, inciso IX, quando se reporta às decisões judiciais.

    1. Toni, se o procedimento “vai abaixo” por culpa de decisões pra’ la’ de suspeitas do STF, não há como regressar a responsabilidade à primeira instância. Um ministro que senta num HC por 2 anos, ministra que muda voto, uso de provas ilícitas, isso sim deveria “ir abaixo”

  6. Dr. Deltan, candidate-se que, certamente, terás uma votação arrasadora como teve o Major Olímpio. Precisamos de pessoas como o senhor, Moro e seus companheiros das forças-tarefas, para suprir a falta do Major Olímpio, e para higienizar esse Congresso tão depauperado. Temos urgência em por para fora esses Flávio Rachadinha ( o da mansão), Eduardo Bananinha, Renan Calheiros, Ciro Nogueira, Fernando Bezerra e dezenas de outros iguais antes que acabem com as instituições.

  7. Caro Deltan, segundo Heráclito: “O caminho para cima e o caminho para baixo são um único caminho”. Chegou a hora de V.Exa., assim como fez a ex-Procuradora e hoje vice-presidente dos EE.UU, de seguir o caminho para cima numa candidatura ao Senado, que clama por renovação efetiva.

  8. Meus parabéns, Sr. Deltan Dallagnol! Os brasileiros honestos e que desejam um País combativo aos políticos corruptos sempre serão gratos ao senhor e aos demais membros da operação Lava-jato. A sua coragem é um exemplo para todos nós.

  9. O tempo fará o trabalho de mostrar que força tarefa de Curitiba é íntegra. Tenho muito nojo qdo vejo os corruptos posando de gente do bem que foi vítima de injustiça.

  10. O ônus da queda da LavaJato ficará nos ombros desses membros de tribunais superiores impatriotas, dessa cúpula do ministério publico federal indigna, desses movimentos sociais hipócritas, dessa mídia militante farsante, dessas oligarquias políticas centenárias que aprisionam o país desde o Império, desses partidos políticos e seus estatutos mentirosos e de qualquer cidadão que foi capaz de entender o que se passou nesses poucos anos de combate à corrupção e se manteve omisso. Grato dr. Deltan !

  11. jamais abandonaremos a força tarefa de Curitiba. até porque esses quadrilheiros estão envelhecendo, e os jovens irão nos vingar de tantas injustiças.

  12. Com essa laia de políticos, que dominam as instituições brasileiras, nada de positivo será construído contra a corrupção. A implosão da Operação Lava Jato, que o elegeu presidente, foi a maior obra, que sempre será lembrada, de Bolsonaro. Temos que voltar às ruas e encurralarmos esses canalhas.

  13. Só há um meio de virar o jogo, que começa pela renovação do Congresso com gentes tais que Van Hattens, kataguiris, Janaínas. Esse pessoal da Lava Jato devia se candidatar. Com a configuração atual o Presidente pouco resolve.

  14. Parabéns pela ampla analise, pelos aspectos técnicos e pessoais. É necessários criaturas como você para fazer e enriquecer a inteligência global no que diz respeito ao País. São várias nuances e aspectos ao longo do tempo que devem ser revistos e implementados. É difícil!!!, contudo "boa sorte"(oportunidade + competência) pra todos nós do bem).

  15. O Brasil está dominado pela criminalidade e principalmente pelos políticos corruptos. O STF é uma vergonha nacional e destruiu o país livrando Lula, Temer e Cia Ltda. Existe esperança para um país como este que temos agora, NÃO. Quem puder, vá embora, porque estamos reféns de bandidos dos três poderes: Legislativo, Executivo e Judiciário, que era nossa última linha de defesa e o Gilmar e sua trupe conseguiu desmoralizar.

    1. Com estes personagens estamos todos ferrados. O Brasil está lascado.

  16. O stf -minúsculo- está destruindo a lava-jato ......q exemplo p o mundo !!! Por outro lado ,o fantástico de hj mostra assim:" a morte de 28 pessoas na ação policial mais trágica ......." Mas não colhe nem mostra detalhes como " quem foram os mortos" ! Imprensa da globo,sórdida! claro q se houve inocentes, se houve erros tem q apurar e punir, mas ela está igual a cpi da covid= sentença pronta antes de investigar!

  17. É uma pena, mas o judiciário faliu. A esperança de quem não gosta de violências e golpe é que surja também nesta história um hacker do bem e comece a divulgar fatos inimagináveis para determinadas figuras.

  18. Viva a lava jato, a maior e mais eficiente operação de combate à corrupção do mundo! Infelizmente, a caterva está conseguindo se safar, com o patrocínio de todos os podres poderes

  19. se esse procurador é tão honesto, porque fraudou o edital do concurso em que ingressou no MP e precisou recorrer aos juízes corporativista para manter a irregularidade? Ele fala de ladrões e concordo, mas ele não é exemplo.

  20. Deltan, sai pra Senador em São Paulo ou no Paraná. Até pra se proteger será melhor. No Senado você poderá voltar a ser alguém realmente combativo!

    1. No RS tem meu voto! Viro cabo eleitoral de graça! Concorra ao Senado!

    2. E se for pelo Rio, trabalho de graça como seu cabo eleitoral

    3. Concordo, precisamos de melhores políticos. Temos aqui um cidadão que me representa, mesmo ainda não candidato.

  21. A corrupção brasileira é histórica e combatê-la não é tarefa fácil. Por fim, surgiu um grupo determinado de valorosos procuradores da República que se dispôs a enfrentá-la e um juiz federal destemido que entendeu a importância do momento e foi em frente, destemido também, mas, é claro, a "abelhada" reagiu com fúria, na defesa de sua "colméia". Portanto, nada surpreende. A célebre operação italiana no passado já havia mostrado como os "abelhudos" reagem, quando em desespero.

  22. Tive que interromper a leitura no meio, antes que vomitasse de tanta sacanagem. Definitivamente, deixei de acreditar no Brasil. Parabéns Deltan. A História haverá de dar- lhe o reconhecimento merecido.

  23. Num país em que a maioria dos políticos são bandidos, eles não deveriam ter agido como manda a lei e, sim receber seus salários e deixar a roubalheira passar, procurem se defender mesmo, pois pelo andar das coisas o senhor e o juiz Moro, terminarão presos, por ter feito um excelente trabalho

  24. Só nos resta combater esse canalhas e corruptos através do voto, vamos através das redes sociais deixar bem claro quem são os corruptos para que eles não se reelejam, vamos orientar o povo para não cair num embuste feito o Bolsonaro.

  25. Manifesto mais uma vez meu respeito, minha admiração e minha gratidão ao Dallagnol e a todo o pessoal que operou e opera a Lava Jato que não acabou e não acabará pois desenvolveu o sentimento de justiça nos decentes desse país.

  26. Um país quebrado em seus valores e enterrado , onde o ladrão tornou-se honesto e os honestos tornaram-se ladroes. Um país em que a corte suprema protege o corrupto é e será sempre refém de um poder supremo com profundo desvios de valores e caráter. Triste viver em um país sem absolutamente nenhum futuro no horizonte.

  27. Parabéns pelo excelente trabalho Dr. Dallagnol. O povo honesto do Brasil aplaude o senhor e toda a equipe da Lava Jato!!! Corruptos continuam corruptos apesar dos supremos “Supremos”!!!

  28. O Brasil só tem a agradecer o trabalho desse cidadão que, nada mais quer, do que um país limpo livre da corrupção. É preciso que se formem grupos de estudo em cada Estado da federação para que homens de bem sejam eleitos para promover mudanças na política e possamos fortalecer cada vez mais as instituições ameaçadas por políticos corruptos.

    1. Se candidate sim!!! será eleito e vai contribuir mais para o Brasil. Aqui neste país os bandidos se disfarçam de políticos , de advogados e são protegidos por juízes protelativos que são do mesmo time. Parabéns pela coragem !!!

    2. Faço minhas suas palavras Tania.... Força Dallagnol, é de homens como vc que o país precisa!!!!

  29. Parabéns Deltan Dallagnol (e demais membros do MP, PF e Juízes do Bem) pela dedicação ao combate à corrupção, apesar de continuar(em) sob tamanha perseguição.

  30. Lamentável, ter um povo tão corrupto, e nada ser feito a favor de quem trabalha para limpar a sujeira. Infelizmente aqui só na bala. E haja bala pra limpar essa merda.

  31. Obrigado por tudo, Deltan. Pense em se candidatar, vc será eleito com um pé nas costas e poderá contra-atacar com as mesmas armas desses crápulas.

  32. Caro procurador, livre-se de tanta perseguição candidatando-se a um cargo no legislativo. É o jeito. parabéns pelo trabalho dedicado.

  33. Obrigado pelo seu esforço, pela sua coragem e pela sua determinação. Não desanime. Vocês simplesmente levantaram o tapete e mostraram a sujeira que estava lá, e os ratos começaram a correr para todos os lados e isso foi muito bom, pois não tínhamos noção do tamanho da sujeira. Muito obrigado Deltan Dallagnol, por ter feito seu trabalho com tanto zelo.

    1. Faço minhas as palavras do Marco. Estamos com você Deltan. Pense em Deus e bola pra frente.

  34. Excelente entrevista com este grande brasileiro, um profissional de valores éticos inabaláveis, a quem muito devemos agradecer e que certamente a história reconhecerá, apesar de Lula, Gilmar, Bolsonaro, Renan et caterva

  35. caro Deltan, vocês fizeram escola. vocês escreveram um dos mais inspiradores capítulos da nossa história, o que é valiosíssimo em termos de modelo às próximas gerações. os brasileiros de bem agradecem imensamente os caminhos de futuro que o grupo da lava-jato mostrou.

  36. Ótimo. Obrigado Deltan e força-tarefa da Lava Jato. O papel que vcs desempenharam CONTRA a corrupção e para amadurecimento da sociedade NÃO TEM PREÇO. Sinto-me péssimo, como cidadão, de observar a perseguição e a vingança que vcs estão sofrendo por parte de políticos corruptos e magistrados que atuam alinhados com estes políticos. Peço para que tenham forças para suportar isto. A mensagem de esperança da LJ permanecerá, enquanto muitos "magistrados" vão passar sem deixar nenhuma saudade.

  37. Exposição cristalina dos fatos. Sempre terá o meu respeito por tudo que realizou e espero que em breve consiga continuar a realizar. Gostaria de te ver ocupando uma cadeira do STF para equilibrar a balança da justiça, mas estamos no Brasil e isso é um sonho impossível.

  38. Excelente a entrevista, espero que o procurador continue encontrando forças para resistir aos ataques do establishment político corrupto que por hora domina o estado brasileiro. Não desanime Delagnol, por mais difícil que pode estar sendo atravessar este período você está fazendo a coisa certa. Os valores de um homem se medem pelo peso que ele carrega na consciência.

  39. Independente de quem seja. A lei vale para todos. Quem cometeu crime ou abuso precisa ser julgado. Isso vale para procuradores , juízes e políticos.

    1. Exatamente. Quem cometeu crime como o Lula ladrão que roubou do povo brasileiro e supremos “supremos” que cometeram abusos têm que ser punidos o que infelizmente não aconteceu!!! Choro pelo Brasil!!!😪😪😪🇧🇷🇧🇷🇧🇷

    2. julgado por TRIBUNAL ISENTO, diga-se de passagem, e com prévia cominação legal. ninguém ali transgrediu lei posta.

  40. Caro Sr. Deltan, fizestes um trabalho monumental e corajoso, que orgulhou a sociedade esclarecida. No entanto, a maioria na política é corrupta, e as instituições são preenchidas por eles, e se reposicionou contra ser investigada, criou leis pra se proteger, acabou com as que os expunha e agora se vinga dos que não lhes foram vassalos. É o país dos ladrões, como dizem mundo afora, que prevalece e não haverá o que o mude. Conformemo-nos. Eu saí, fui embora, assisto triste a tragédia,mas distante.

  41. Da mesma forma q não se apagam os fatos e provas da corrupção de Lulla e de outros, tb não se apaga da memória do BR honesto, a coragem, a integridade, a dignidade e amor à verdadeira "justiça" do procurador Deltan. Lamento q políticos e partidos tidos como "limpos" se omitiram na necessária defesa do Deltan, desses tb não me esquecerei. Lamento tb pelo "papelão" do STF e em particular de alguns ministros, q parecem ter perdido a noção de dignidade, integridade, ética, e da própria "Justiça".

    1. NDA, concordo com vc em gênero e número, mas para isso precisamos de eleitores esclarecidos que saibam votar, e não que votem por um pão com mortadela.Assim, é básico uma educação correta e sem idealogias, o que é difícil com a atual safra de professores politicamente doutrinados em sua maioria. É isso.👀

  42. É incrível ver alguns órgãos de imprensa querer jogar culpa nos erros da lava jato. Eles foram gigantes na coragem e competência. Porém o os bandidos venceram com ajuda da imprensa canalha e de ministros do STF. Brasil o paraíso da bandidagem. País sem futuro. Só há uma forma de mudar está realidade. Voto 2022 contra todos os politicos que já tiveram cargo. E é só o começo.

  43. Na minha opinião o povo brasileiro se acovardou. Moro e Deltan mostraram coragem competência garra honra mas o povo era seu escudo. Os bandidos estão ganhando o jogo e o povo é o grande perdedor. Mais anos de atraso nos aguarda. A grande imprensa está aparelhada. Só um milagre nos salva do caos.

    1. concordo com que estejamos sendo covardes, no entanto é sempre tempo de deixarmos de se-lo. vamos organizar um crowfunding para essas "indenizações" além de outras medidas estratégicas de defesa dessas conquistas?

    2. Você Márcio conseguiu expressar perfeitamente a minha opinião. Agora esse acorvadamento do povo representa uma traição a Moro e Dal....

    1. Quase 500 deputados se elegeram sem votos suficientes. Sistema proporcional é “fraude”. VOTO DISTRITAL PURO!

  44. O melhor da brasileirada, rejeitada em todos os países é exatamente o que se vê e se lê aqui: palavras, só palavras. Apscosta/df

  45. Chega a ser uma atitude ingênua do procurador admitir que a sociedade brasileira reconheça os méritos da LavaJato. Nem a sociedade, nem suas elites, nem seus políticos, nem seus juízes, ministros de tribunais, têm o menor interesse de reconhecer os valores positivos dessa operação. O Brasil é um país de 5ª categoria e aqui só vale um princípios: ou restaremos a moralidade ou "locupletemo-nos todos". E todos continuam locupletando-se. De cabo a rabo. Esse país é uma vergonha planetária. apscosta

  46. O desânimo que abate o emérito promotor, de vez em quando, como ele mesmo afirmou, é o mesmo que abate o povo brasileiro! Mas Dallagnol pode ter certeza que o cidadão de bem deste país reconhece o grande trabalho desenvolvido por ele e seus pares à frente das investigações da Lava-Jato e não deixará morrer o imenso sentimento de justiça e ética - sentimento este que pautou a força tarefa - e que apoiará qualquer ato para extirpar a corrupção do país! O STF não tem o respeito da população.

    1. Minha cara, brasileiro é um povo malandro, oportunista, e só valoriza os "mais espertos". Brasileiro é um trânsfuga desmoralizado em todo o planeta. Nada nesta porcaria de país vai pra frente, a não ser os bandidos, os criminosos, os trapaceiros, e os usurpadores da moralidade. Somos campeões mundiais da ignorância e da hipocrisia. É isso. apscosta/df

  47. Gratidao ao herói que tentam desconstruir e não conseguem. Íntegro e corajoso, Dalagnol encara os malfeitores e faz História. Honra a cidadania. Que os anjos o guardem, hoje e sempre.

  48. Já cansou, Deltan. Reúna-se com os outros procuradores e incendeiem o país revelando todas as falcatruas que encontraram sobre os tribunais superiores, principalmente um tal de Beiçola.

    1. O que eu proponho é que eles deixem os cargos, se preciso deixem o Brasil, mas saiam atirando e revelando tudo que sabem.

    2. Acho que os procuradores entraram fortes, agiram com destemor, deram luz aos fatos e deu no que deu. Muitos sofreram retrocesso profissional, os mais ousados respondem à incontáveis processos e perseguições. Caberia agora à sociedade se manifestar. Nas poucas vezes em que isso aconteceu, tivemos êxito. Infelizmente, não há sinais disso.

  49. Congratulo-me com sua Excelência o Dr. Deltan Dallagnol! Ao invés do silêncio estarrecedor de Sérgio Moro sobre a indecorosa decisão do STF que o descredenciou, ante os injustos ataques que vem sofrendo dos órgão de controle do Ministério Público, persiste lutando bravamente por um Brasil mais justo e sem corrupção, contra inclusive as arbitrariedades jurídicas praticadas pelos STF. Meus parabéns e minha gratidão a esse patriótico brasileiro. Namastê!

  50. Dr Deltan estou contigo, esse país corrupto não tem mais jeito e está entregue a bandidagem de todas as espécies, muda para os EUA, Zé povinho daqui não te merece

  51. É muito triste ver que a politicagem prevalece. O bem sempre vence? Não aqui no Brasil. Honestidade é simplesmente burrice.

  52. Além da desastrosa atuação na pandemia, Bolsonaro patrocinou a destruição da operação LAVA JATO, na tentativa de evitar que a caça aos corruptos chegasse à sua família, e fez o jogo que permitiu a volta de todos os ladrões do $$ público. Ressuscitar Luladrão é a cereja do bolo, ou o tiro pela culatra...

  53. Deltan, Moro e toda a equipe da Lava-Jato fizeram um trabalho irretocável que os brasileiros de bem prezam e admiram.Hoje a pandemia impede que esses cidadãos estejam nas ruas para apoiá-los, mas a pandemia não durará para sempre e a paciência do povo também não! Parabéns aos dois ícones do combate à corrupção, o Brasil deve muito aos dois, Deus nos ajude a poder um dia retribuir!

  54. Dr. Deltan, Dr. Moro e os heróis da lava jato, partem para a política para fazer justiça e o Brasil terá uma verdadeira democracia, vamos colocar pessoas como vocês na política, pois só mudando os políticos veremos mudanças. voto em vocês

    1. Vamos sustentar a campanha em favor de Moto e Deltan eles sim, nós representa.

  55. Toda a minha solidariedade e apoio ao seu impecável trabalho como procurador e cidadão brasileiro. Sua fala ilumina, didaticamente, o descalabro da política e da justiça brasileiras.

    1. Força! Coragem não lhe falta. Um dia a história lhe fará justiça!

  56. País desgraçado este em que os heróis salvadores são espezinhados e desterrados e os traidores e criminosos assumem o controle absoluto sobre um populacho apático e ignorante.

  57. Clareza ímpar, Dr. Deltan, mas vejo que ainda nutre de por um Brasil melhor. Esqueça, mude-se para o Japão.O Brasil pertence ao crime!

  58. Esses são os verdadeiros inimigos do Brasil e da sociedade brasileira. Bolsonaro não chega nem aos pés desse sistema que domina o Brasil. Esse deveria ser o foco da Cruzoé e do Antagonista em todas as edições. Perseguir o Bolsonaro como se fosse AlCapone e deixar os verdadeiros mafiosos tranquilos é justamente o que eles querem. Posso não ser jornalista, mas já vivi o suficiente para identificar o que deve ser prioridade em termos de informação para ajudar a melhorar a vida das pessoas/sociedade

  59. Entrevista memorável do heróico procurador Deltan Dalagnol. Pela bandeira do combate à corrupção, com a qual estou engajado junto com a Crusoé, solicito que, excepcionalmente, essa entrevista do Deltan seja amplamente divulgada à toda Sociedade, e portanto peço que tenha seu conteúdo aberto ao publico

  60. Para mim a única coisa boa que ocorreu nesse pais nos últimos anos foi a operação lava jato, que abriu a caixa de pandora da corrupção que reinava nesse país. Infelizmente ela está disseminada em todos os partidos políticos e a reação dos mesmos juntamente com uma parte do judiciário corrompido que além de acabar com ela incentiva a impunidade dos poderosos. Parabéns a toda a equipe de procuradores que não se renderam e agora pagam um preço alto por suas condutas republicanas.

    1. Pois então. E serviu praquê? Vai dar lula e sua quadrilha ano que vem. Este é um país inservível. Só é motivo de vergonha e humilhação entre as nações. apscosta/df

  61. A história será implacável com aqueles que prejudicaram a operação e foram coniventes com a impunidade e reservará as glórias aos heróis contra a corrupção.

  62. Esqueça a política Deltan, não faça igual ao Moro, este país não tem mais jeito, ainda restam dois anos para eles passarem a boiada e sufocar pessoas honestas para permanecerem no poder por muito tempo.

  63. Não importam todas essas manobras, porque a maioria do povo sabe exatamente o que está acontecendo. E mais: a cada novo ataque feito à Lava Jato, os envolvidos deixam transparecer ao público sua verdadeira falta de caráter. A empáfia deles trará consequências que eles ainda não perceberam. Mas as urnas vão mostrar. Agradecimentos a vocês todos!

    1. Gostaria de acreditar nisto. Não é possível que todo o esforço dessa equipe de notáveis tenha sido totalmente perdido.

  64. A Lava- Jato despertou no povo o interesse pela politica . Infelizmente tem muita o que fazer ,pois os que estão na alta cúpula ,Congressistas ( investigados por corrupção) STF ,Judiciário ,Governo empenhados em acabar com esse trabalho de grande importância para a população brasileira ,que vê seus recursos obtidos de impostos servir para políticos inescrupulosos, que culmina por pés somos serviços na Saúde, Segurança Assistência Social , Previdência ,Educação ,Infra-estrutura etc...

  65. 'O QUE AS DUAS OPERAÇÕES MOSTRARAM, INFELIZMENTE, É QUE A JUSTIÇA NÃO SE SOBREPÕE À POLÍTICA' E VOCÊ JÁ RESPONDEU AS FUTURAS INDAGAÇÕES, PORTANTO DR. DALLAGNOL ESTAMOS CONVENCIDOS QUE OS SENHORES JUNTOS PODERÃO DAR UM NOVO RUMO AO FUTURO DO PAÍS. QUANDO FAZEMOS UM PEDIDO AO NOBRE EX PROCURADOR CARLOS FERNANDO LIMA PARA QUE JUNTO COM VOCÊ LIDEREM UMA FRENTE DE RENOVAÇÃO NO PARLAMENTO, ESTAMOS DANDO UM SINAL VERDE PARA O COMBATE À CORRUPÇÃO E MUDANÇA POLÍTICA. ESPERAMOS POR VOCÊS JUNTO COM MORO22.

  66. Deltan Dalagnol, sinta-se apoiado pelo Brasil das pessoas de bem! Você é um herói brasileiro totalmente injustiçado pelos pulhas do STF. VIVA MORO, DALAGNOL E TODA A EQUIPE DO MPF.

  67. No Brasil o criminoso de colarinho branco rouba milhões, quiçá bilhões, depois paga milhões para parasitas como o Kakay (que vai tomar no c*), que desconfio, tenha linha direta com juízes "negociadores" de causas... Como disse Deltan, sempre vão achar brechas na lei para proteger o MECANISMO. Carminha, a fodinh*, mudou o seu voto sem embasamento lógico. Fachin fez o que fez...E só vamos mudar isso com um golpe. Um golpe nos pilantras do congresso bem dado na cara, com o nosso voto.

  68. Em 2022 SÉRGIO MORO “PRESIDENTE LAVA JATO PURO SANGUE!” O Brasil finalmente terá Um Governo Fundado no “IMPÉRIO DA LEI!” Não seremos LUDIBRIADOS com o “Velho Plano de MELHORAS na ECONOMIA!” Triunfaremos! Sir Claiton

  69. Moro e Dallagnol são "filhos" da Constituição de 88, q nasceu de um longo processo político p superar a ditadura e implementar a "democracia". O fim da Lava Jato encerra esse ciclo de democratização e abre novo capítulo: vemos atitudes autoritárias de ministros do STF, protegendo um modelo baseado em "pobreza, populismo e corrupção". Por trás, porém, estão interesses econômicos poderosos, nacionais e internacionais. Emílio Odebrecht disse abertamente em seu depoimento: "eu fiz Lula". O "amigo".

    1. Mas é bom lembrar q quem jogou a pá de cal na Lava Jato foi o Bolsonaro.

  70. Nosso país precisa parar de procurar salvadores da pátria e focar as eleições do Legislativo. Precisamos melhorar a qualidade dos nosso representantes no Senado, na Câmara dos Deputados, nas Assembleia Estaduais e Câmaras Municipais. Elegemos cada vez pior, no plano federal mantemos os mesmos caciques. Se nossa vida não está boa, eles tem uma parte de culpa. Proponho que não votemos em ninguém que ocupe mandato legislativo hoje. 100% de renovação.

    1. Edvaldo, do alto dos meus 71 anos e sempre participando da política, como a busca do bem comum, votei e arrependi da maioria dos votos que dei.Votei no sacripanta do Lula e votei no Bolsonaro pelo discurso anticorrupção e todos traíram meu voto.Não sei votar, não sabemos votar!

  71. Infelizmente,nossos políticos não são confiáveis e a cada dia,vemos a volta dos corruptos aos cargos de poder.A sede de vingança contra os procuradores e juízes cresce dia a dia.Nossa Suprema Corte,mostra-se acovardada,submissa e partidária!Só tem favorecido os bandidos!Temos que continuar firmes no nosso propósito de combater a impunidade e a corrupção!Lava Jato Sempre!!!

  72. Ainda vou viver tempo suficiente para ver Deltan Dallagnol chefe da procuradoria geral da república, num governo comandado por políticos íntegros e corajosos para colocar todos os ladrões do erário de volta ao lugar de onde nunca deveriam ter saído, a cadeia.

  73. Enquanto juízes e desembargadores de TODAS instâncias do judiciário continuarem soltando criminosos que ROUBAM nosso erário, como a quadrilha do Lula, bolsonaros ou Eduardo Cunha, não adianta ficarmos reclamando passivamente. Precisamos eleger pessoas prôbas, fazer campanha por elas, convencer incautos e ignorantes a votarem melhor. Devemos se mais ativos politicamente e não seguirmos como gado. Não podemos APENAS ficar postando nossas insatisfações. Dr.Deltan, por favor, CANDIDATE-SE

  74. Parabéns Dallagnol! Você é um homem íntegro! Deus o abençoe poderosamente. Estamos juntos na luta contra a corrupção!

  75. A Lava-jato é um marco do combate à corrupção sistêmica que vivenciamos . Parabéns e muito obrigado por todo seu trabalho junto a Lava-jato,Daltan.

  76. O eleitor, o mesmo que adora uma TV pirata, procura o candidato que pode lhe render algum benefício direto (corrupto, na maioria das vezes), principalmente para o legislativo. Esses mesmos deputados e senadores são os que, na prática, definem o rumo da política e dos cargos do Judiciário e nos órgãos de controle. Enfim, enquanto o brasileiro procura um salvador da pátria, o legislativo corrupto dita os rumos do Brasil, criando Lulas e Bolsonaros, que nada mais são do que o longa manus do legisla

  77. Leio essa entrevista com lágrimas e com o coração doendo. Deltan, muito obrigada por tanta honradez. Você é um gigante corajoso, um HERÓI. Deus te abençoe e proteja sempre. Gratidão eterna 🙏❤️

  78. Não podemos nos esquecer que o grande feito de desconstrução dessa operação se deve ao nosso apático PGR . Aplausos para os Senadores traidores que o aprovaram e para o Presidente Jair Bolsonaro . Aliás não vamos esquecer,que ele se elegeu com a Bandeira Anticorrupção atrelado a figura que hj tenta destruir : Sérgio Moro.A sociedade é a grande perdedora dessa manipulação destrutiva. Lamentável e , força , procurador Deltan .

  79. A troca de valores dos bons princípios é abissal nas terras tupiniquim, infelizmente, são poucos brasileiros que tem acesso a essa entrevista do nosso herói Dalagnol, quem sabe um dia possamos participar como cidadãos na tomada de poder em benefício da maioria do povo brasileiro.

  80. Concordo plenamente com o procurador no que se refere ao exercício permanente da cidadania (não apenas por meio do sufrágio) Independentemente disso, seria muito bem vindo o mandato no Congresso por parte do procurador e outros responsáveis diretos pelos resultados da LJ.

    1. Com parlamento bem escolhido (voto distrital, reforma política) melhor ainda seria o PARLAMENTARISMO, vacina contra ditadores, sociopatas, irresponsabilidade do parlamento, destruição das instituições democráticas. Pena que ninguém fala disso !

    2. Com um parlamento mais bem eleito (voto distrital e reforma política ampla) melhor ainda seria o PARLAMENTARISMO, vacina contra psicopatas e ditadores enrustidos e ainda responsabilidade formal, direta e clara do parlamento com o resultado do governo. Além de melhoria geral na qualidade das instituições. Pena que ninguém fala disso !!!

    3. Concordo com esta proposta gente honesta no congresso senado , justiça e presidência, lava jato geral

  81. O desgoverno do quadrilhão petista e puxadinhos evoluiu para o atual cruel desgoverno da FAMILICIA BOLSONERO e seus asseclas ambiciosos, civis e militares, O COVIDÃO 2021. Infelizmente...

    1. Tanto é que o lula esta no topo das pesquisas. É desanimador.

    2. Exatamente, acho também acho isso, brasileiro gosta de político corrupto e populista, acha engraçado. Mas isso acontece, porque o brasileiro não tem senso crítico com seus representantes políticos e não busca estudar. É desanimador!

  82. Quando me aposentei, em 2010, o fiz por não vislumbrar futuro promissor com o Poder Judiciário que tínhamos. Ao acompanhar os trabalhos da Operação Lava Jato, sempre pensei no filme Z de Costa Gravas. O poder judiciário, por sua cúpula, ainda iria reagir contra. Já desconfiava do STF, pois o mal tem força descomunal. A forma de escolha de ministros tem que ser alterada, com urgência. Mas Gilmar ainda tem 10 anos por lá.

  83. É um orgulho para o país ter Dallagnol e Moro, cuidadões honestos e bem intencionados! Eles são exemplos para a nova geração e nosso papel é mostrar aos nossos filhos que ainda existe gente decente e corajosa neste país a fim de enfrentar essa cultura podre que vivemos há tanto tempo.

  84. Ontem li que o quadrilhão do PT e do PMDB foram absolvidos!O Brasil é o país da impunidade para os crimes dos políticos e grandes empresários,definitivamente! Tanta esperança de um país melhor que se vai...

  85. O sistema educacional brasileiro vai formar bons cidadãos informados daqui 200 anos, vamos continuar navegando na lama de quadrilhas de esquerda, de direita, de centro, e vai morrendo gente de tiro, de fome, de vírus, de falta de emprego. O mal do Brasil é ser rico demais!

  86. Meu herói, fico indignada com uma quadrilha que está tentando acabar com o ótimo trabalho da lava jato, com certeza nas próximas eleições muitos cretinos vão usar está bandeira só para ganhar votos, como o traíra do Bolsonaro

  87. É lamentável que o único recado dado aos corruptos tenha sucumbido pelo conluio dos togados com os investigados a esperança do brasileiro na punição dos maus se esvai pelas mãos daqueles que deveriam dar o exemplo

  88. Deltan Dallagnol é um brasileiro do qual me orgulho de ser conterrâneo. Esteve à frente da maior operação de combate à corrupção jamais acontecida no Brasil. E o dinheiro recuperado, as confissões e outras provas estão aí e permanecerão. Lava Jato tornou-se patrimônio imaterial deste pobre país onde, por enquanto, a bandidagem impera. Mas no fim, graças a esses bravos brasileiros - DALLAGNOL, MORO e CARLOS FERNANDO - que merecem ter seus nomes gravados em maiúscula, a verdade prevalecerá.

    1. Assino embaixo de cada palavra que você escreveu. Parabéns à Operação Lava Jato e a todos os que dela participaram para sua brilhante consecução! o meu eterno agradecimento, especialmente a Deltan, Moro e Carlos Fernando. #LavaJatoSempre

  89. Assistir, impotente, ao fim da Lava-Jato, com perseguições ao Juiz Moro e aos Procuradores da República provoca náuseas! A Lava-Jato foi a esperança de um Brasil mais justo, sério e honesto! Ver a tentativa de “condenar” os que ousaram desafiar o Poder (ou os poderosos) é asqueroso! Ladrão é ladrão, Corrupto é corrupto, simples assim! Mas quando envolve recursos e bens públicos, adquire outra proporção, pois está roubando de todos!

    1. Parabéns Grande Dr Dallagnol. O Brasil lhe deve muito Parabéns pela bravura, coragem de enfrentar essa gentalha . Disse muito bem aos imbecis dos brasileiros .Quem sofreu revés, não foi a Lava Jato . Foi o Brasil.Vcs sabem muito do maior corrupto do planeta( beiçola) . Tem que falar o que sabem. Vamos inibir esse verme que corroe o Brasil . Dr Moro precisa se manifestar. Chamar a sociedade para ele , como vc está fazendo .👏👏👏👏🙏🙏🙏🙏

    2. Eles combateram corruptos poderosos e o crime organizado. Claro, desagradam a muita gentinha.

    3. Decepção é um indivíduo escrever o que tu escrevestes agora! Ridículo, obsceno, estúpido, vergonhoso

    4. Muito procurador Deltan Dallangnol! Bravo!

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO