Bolsonaro com Vladimir Putin: ele quer uma vacina para chamar de sua

Combinando com os russos

O governo e o Congresso se movem para atropelar a Anvisa e abrir caminho para a utilização da vacina Sputnik V no país antes mesmo de a agência avaliar a segurança e a eficácia da fórmula
09.04.21

A Câmara aprovou nesta terça-feira, 6, um projeto de lei que flexibiliza a compra de vacinas pela iniciativa privada. Se o texto for aprovado também pelo Senado, sem mudanças, as empresas não precisarão mais esperar o fim da imunização dos grupos prioritários pelo SUS para comprar e aplicar vacinas de imediato em seus funcionários.

Por trás do projeto, que passou com a bênção do presidente da Câmara, Arthur Lira, há o interesse do Congresso em sagrar-se vitorioso numa queda de braço que se arrasta desde o final do ano passado com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a Anvisa. O objetivo principal dos parlamentares sempre foi o de relaxar as exigências necessárias à aprovação do uso emergencial das vacinas, e, com isso, abrir caminho para a Sputnik V no Brasil. Só que o texto aprovado pela Câmara, que vale exclusivamente para empresas privadas, é ainda mais permissivo: assegura a compra e a utilização dos imunizantes mesmo sem a aprovação da Anvisa, responsável por avaliar a segurança e eficácia das fórmulas. Bastará, de acordo com o projeto, que a vacina tenha recebido o aval de “autoridades sanitárias estrangeiras reconhecidas e certificadas pela Organização Mundial da Saúde, a OMS”.

É justamente nesse trecho do texto que a Sputnik V se enquadra, já que foi chancelada na Rússia e na Argentina. É evidente que, em um contexto de vacinação lenta em todo o país e de falta de insumos suficientes para produção de imunizantes contra o coronavírus em larga escala e sem interrupção, quanto mais doses estiverem disponíveis para a população, melhor. Mas não deixam de chamar atenção as articulações políticas em favor da vacina russa.

Luis Macedo/Câmara dos DeputadosLuis Macedo/Câmara dos DeputadosArthur Lira: movimento para permitir que empresas vacinem empregados sem entrar na fila do SUS
Representantes da Sputnik V exercem um forte lobby sobre o Congresso desde meados de 2020. Nos últimos dias, o time que defende o imunizante ganhou um reforço de peso. Na terça, o presidente Jair Bolsonaro conversou por telefone com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, e tratou da compra e da produção da Sputnik V no Brasil. Bolsonaro, até há pouco crítico das vacinas, tem se mostrado obcecado pela ideia de ter uma vacina para chamar de sua, de preferência que seja mais eficaz que “a vacina chinesa de João Doria”.

Testes preliminares feitos com a vacina russa apontam números animadores acerca de sua eficácia. Há, porém, muitos questionamentos sobre a qualidade e a correção dessas pesquisas. A agência europeia de medicamentos, por exemplo, deve abrir nos próximos dias uma apuração para averiguar se houve desvios éticos na condução do trabalho. A Sputnik não tem aval, até o momento, de nenhum órgão regulador de primeira linha no Ocidente. E tudo indica que não terá tão cedo. Nos Estados Unidos, por razões geopolíticas, a vacina sofre grande resistência, juntamente com as vacinas chinesas – as autoridades americanas não se mostram interessadas em fazer concessões a fórmulas desenvolvidas por países que tentam fazer frente ao poderio americano na cena global. Também não precisam, uma vez que estão inundados pelas vacinas da Pfizer e da Moderna, que financiaram com bilhões de dólares, além das milhões de doses do imunizante da AstraZeneca.

Um lote experimental da Sputnik V produzido integralmente em solo brasileiro foi apresentado pela União Química no último dia 30. Ocorre que a vacina também não tem autorização para uso no Brasil porque o pedido apresentado, segundo a Anvisa, tem uma série de inconsistências – 18% dos documentos necessários não foram entregues e 24% dos relatórios apresentados carecem de informações importantes para o andamento do processo de aprovação.

Divulgação/AnvisaDivulgação/AnvisaA Anvisa vai inspecionar as linhas de produção da Sputnik na Rússia
Na disputa com o Congresso, mas pressionada agora por Bolsonaro, a agência brasileira enviará uma missão à Rússia nas próximas semanas a fim de realizar inspeções nas linhas de produção da vacina. Se o projeto de Arthur Lira for aprovado também pelo Senado, a agência deixa de ser protagonista para virar mera espectadora do processo. Era o que parlamentares queriam desde que a disputa passou a ser travada nos bastidores. “É mais uma tentativa de aprovar vacinas como a da Rússia e a da Índia a qualquer custo. Estão passando por cima da Anvisa novamente”, queixa-se um especialista da Anvisa, ouvido sob reserva.

Um grupo significativo de governadores também está alinhado em favor da vacina russa. Ao todo, doze estados já tentam desde o ano passado viabilizar a importação de 37 milhões de doses da Sputnik vindas diretamente da Rússia, mas ainda não conseguiram apresentar à autoridade sanitária brasileira documentos que atestem a segurança e a eficácia do imunizante. Há, entre os governadores, o temor de que o projeto de Lira, ao deixar a Anvisa de fora do processo, abra caminho para que as doses russas negociadas por eles acabem sendo adquiridas pela iniciativa privada – estaria justamente aí, portanto, o pulo do gato da proposta do presidente da Câmara.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. A Anvisa tem de ser ouvida, óbvio, e respeitada. Não pode haver acordos ou desvios em matéria de saúde. Se a Anvisa errar (errou) que seja exemplarmente punida, mas não podemos simplesmente atropelá-la.

  2. Como vocês são picaretas. Jão Doria, o Bosta pode fazer política à vontade mas vocês calam a porra da boca porque recebem grana dele.

  3. EUA tem vacinas da melhor qualidade SOBRANDO. Pfizer, moderna e astragênica. Investiu bilhões para o desenvolvimento. Até o fim de junho, os 320 milhões de americanos estarão imunizados. O país voltará ao novo normal. E O NOSSO PAÍS ¿ discutindo aprovação da Sputnik e Covaxim, SEM A APROVAÇÃO DA ANVISA Incompetência completa. Acorda Brasil. E tem gente que morre por este governo

  4. Interessante 🤔. Se não compra sem o aval da Anvisa, é genocida. Se tenta viabilizar compra ainda não aprovada pela Anvisa, é safado. Que jornalismo é esse?! E a lei que o Pacheco aprovou autorizando comprar qualquer coisa que tenha no nome Vacina. Tá osso.

  5. Se a vacina é eficaz porque não apresentar a documentação exigida pela Anvisa? Bolssonaro a favor dessa vacina e da indiana, que nem os indianos querem, depõe contra ela. Vamos ver a lambança que vão arranjar

  6. Peço desculpas, mas nem me dou ao trabalho de ler. Pois só de ver a foto de duas pessoas que me causam asco, já seu que coisa boa não é. Um ditador que se perpetua no poder na Rússia e um outro com as mesmas aspirações. É de embrulhar o estômago.

  7. Reclamam de não comprar, quando querem comprar reclamam. A Anvisa só liberou em janeiro, se tivesse comprado e não liberado era culpado também. Lacradores hipócritas.

    1. William, duvido que você teria coragem de deixar vacinar seu filho com um "imunizante" que não conseguiu aprovação de nenhuma agência de peso...

    2. O assunto aqui não é comprar vacinas, mas colocar culpa no presidente para favorecer outros políticos. O povo que se dane.

  8. Antes não comprava vacinas porque tinham que ser aprovadas pela Anvisa .... agora estão ele é Lyra cu e calça com o Putin .... interessados na Sputinik .... porque Será ??????

    1. Porque receberão compensação financeira em algum paraíso fiscal.

  9. Continuação- prestará um grande serviço ao país. Salve, salve os marcianos! Dispam-se da mediocridade, da indigência intelectual, . NÃO JOGUEM PEDRAS NAS VACINAS NEM NA NAVE.

  10. Continuação- indianos e estarão, em breve, livres da pandemia. A Anvisa sepultadas como instituição confiável. O Brasil não tem vacina própria e a Anvisa vilipendia quem tem. Os brasileiros estamos à mercê de gente que não pensa, rumina. b) Há um número determinado de brasileiros esperando vacinas (digamos 200 milhões). Se uma nave marciana vacinar 100 milhões ( independente de idade, sexo, cor, renda etc) sem comprometer o programa nacional de vacinação, continua

  11. Alguns fatos precisam ser registrado e comentados. a) As populações de países como China(1,44 bilhão), India(1,39 bilhão), Rússia (146 milhões) estão sendo vacinadas com imunizantes produzidos nos próprios países. Não se tem notícias de altos índices de mortalidade por lá. A Anvisa desconfia das vacinas russas e indianas. Tem má vontade com a chinesa. Se a Anvisa tem razão, haverá uma mortandade imensa naqueles países. Se a suspeita é fruto da estupidez, má-fé ou insensatez, chineses, -cont.

    1. Pode não haver mortandade mas também pode não haver eficácia. Confio na Agência, pois conheço o trabalho dela.

    1. Desculpe Maria, mas servil é o bozo, está completamente a serviço do congresso, para proteger a si próprio e à família. De servil o congresso tem nada. está no comando.

    2. Sim e aí é só ir atrás de um sem escrúpulos e resolver o problema. Com o total apoio desse congresso servil e interesseiro.

  12. Coitado, ele ainda não entendeu que quem está no comando desde 2020 é o vírus, que segue dia após dia derrotando os imbecis juramentados! Será só mais um item suspeito do "Kit Covid". Segue o vírus...

  13. Certamente a preocupação primeira dessas pessoas é financeira e não a saúde do povo que os elegeu.

  14. É estranha a má vontade da Anvisa em relação a vacina Sputnik V, cujos representantes têm apresentado documentos desde janeiro e já foi aplicada em mais de 40 países. A vacina da Pfizer, por exemplo, foi rapidamente aprovado o registro definitivo mesmo sendo investigados efeitos adversos sérios na Noruega e Japão.

  15. Essa é a situação catastrófica de um governo bozista que se diz de "direita"..rs... O problema é que quem paga o pato de todo esse mau caratismo e genocídio é o povo brasileiro que votou nesse pulha achando que ele iria combater a máfia do congresso. Olha ele aí até ajudando a fazer acordo espúrio com os russos para ferrar mais ainda com o povo brasileiro.

  16. BOLSONARO BOICOTA as VACINAS para EVITAR MANIFESTAÇÕES de RUA CONTRA o GOVERNO! Em 2022 SÉRGIO MORO “PRESIDENTE LAVA JATO PURO SANGUE!” Triunfaremos! Sir Claiton

    1. Sir Claiton o sonhador, continue sonhando seu sonho de verão porque Moro não está nem aí... Ele tá curtindo sua nova vida profissional nos EUA. Moro como político é um excelente Juiz. Procure outro esse não vai dar não.. ..

  17. Lobby claro da máfia do congresso com o beneplácito do genocida, pra compra sem garantia científica de uma vacina q não foi aprovada em lugar nenhum! E o almirante B Torres, aquele q grava atos antidemocráticos, vai aceitar isso? Vergonhoso..

  18. O que falta no Brasil, é educação descente para o povo, sistemáticamente minada pelos corruptos no poder, a fim de manipular a grande massa dos votantes e assegurar a reeleição dos já empossados, ainda que o voto no Brasil é obrigatório, o que facilita a manipulação. Moro como PR! Os que se candidataram até até agora são todos incompetentes e/ou corruptos.

  19. Se aprovada para uso do PMI, a Sputnik pode ser vetada por um Estado caso não seja previamente aprovada pela Anvisa ? Um estado pode tomar esta atitude unilateralmente ? Um estado poderia obrigar que suas doses fossem apenas de vacinas aprovadas ?

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO