MarioSabino

Lula ou Bolsonaro: quem é um perigo para a democracia?

10.08.18

Minha primeira régua como eleitor é bastante simples: não voto em quem fala errado e não lê livros. Os livros que julgo certos, bem entendido. Por exemplo, se noto que um sujeito nunca leu Retrato do Brasil, de Paulo Prado, eu o risco do meu caderninho. Como outras da sociologia nacional, a obra requer uma leitura sem anacronismos: serve para mostrar como certa elite enxergava o país e ilustra a visão que nos foi legada. A leitura dos livros certos é um critério que sempre evitou que eu votasse em Lula e evitará que vote em Jair Bolsonaro ou qualquer outro candidato que está no páreo. Na verdade, é um critério que me levou a votar em muito pouca gente desde a década de 80, quando comecei a minha via-crúcis de eleitor.

O meu colega Ruy Goiaba já escreveu que ler e ser culto não faz ninguém necessariamente melhor. Concordo. Em Vidas dos Césares, Suetônio conta que o imperador Nero teve o filósofo Sêneca como preceptor e conselheiro, compunha versos, achava-se grande cantor, a ponto de evitar falar a fim de conservar as cordas vocais, nutria “um amor não pequeno” pela pintura e escultura, chegou a dizer que “a arte o manteria vivo” – e, entre outras atrocidades, forçou Sêneca a suicidar-se e mandou matar a mãe (de quem examinou o cadáver, elogiando algumas partes e criticando outras), o meio-irmão, a mulher e o tio. Também incendiou Roma por senso estético. Ele não gostava da feiura dos velhos edifícios, das ruas demasiado estreitas e queria apropriar-se de áreas vizinhas ao seu magnífico palácio, a Domus Aurea, para embelezá-las (Domus Aurea que tinha afrescos com cenas da Ilíada, de Homero, uma das obras preferidas de Nero). Escreve Suetônio: “Alegrado — são as suas palavras — pela ‘pela beleza das chamas’, cantou A destruição de Troia”.

Vidas dos Césares é um dos livros que julgo certos. Seria recomendável que os governantes o lessem, porque relata como o poder extremo leva a loucuras extremas que sobrepujam eventuais realizações positivas. No capítulo dedicado a Nero, aliás, Suetônio começa relatando o que o monstro fez de razoável – como tirar a licença dos condutores de quadrigas para promover tumultos e roubar. O autor também inclui entre as decisões acertadas de Nero ter supliciado cristãos, “gênero de indivíduos dedicados a uma nova e maléfica superstição”. Como bons cristãos, perdoemos o romano Suetônio.

Nero é exemplo de que leitura não implica sabedoria. Contudo, na minha opinião talvez intransferível, não ler torna alguém pior. No mínimo, porque demonstra falta de capacidade de concentração. Boa parte dos brasileiros pensa o oposto, não importa o espectro ideológico a que pertençam. Uma das razões de Lula ter sido elevado ao panteão da esquerda foi a sua falta de cultura, que expressaria a concreta sabedoria proletária, contra a alienação encobridora do capitalismo. Bolsonaro subiu ao altar da direita brasileira também por causa do seu anti-intelectualismo de militar adestrado nas regras imutáveis da balística – um tiro de canhão nos relativismos morais típicos do pensamento esquerdista. Lula e Bolsonaro são, assim, igualmente louvados pela sua ignorância.

É preciso admitir, no entanto, que há uma diferença fundamental entre os dois. Lula representa uma ameaça real à democracia; Bolsonaro, não, ao contrário do que propagam na imprensa. Pelo menos até o momento.

No poder, Lula e seus seguidores tentaram criar um Conselho Federal de Jornalismo, para amordaçar a imprensa. Quiseram expulsar o americano Larry Rohter do Brasil, porque o correspondente do jornal The New York Times fez uma reportagem sobre o alto consumo etílico do petista. Tiraram da editora Abril publicidade de estatais, por causa da cobertura da Veja dos escândalos petistas. Instituíram o mensalão, esquema para comprar votos da base aliada com dinheiro público. Forjaram um dossiê contra José Serra, pago com dinheiro da Odebrecht (o nosso dinheiro, quer dizer). Financiaram, com recursos públicos, blogs sujos para manchar a reputação de jornalistas críticos ao governo. Aparelharam a máquina federal de alto a baixo. Criaram um Conselho Nacional de Justiça para tentar controlar magistrados independentes. Cumpliciados com as maiores empreiteiras do país, dilapidaram a Petrobras, para enriquecer pessoalmente e promover campanhas políticas com montanhas de dinheiro roubado, um claro atentado ao âmago da democracia representativa. Aliaram-se ao venezuelano Hugo Chávez e ao cubano Fidel Castro, além de outros tiranetes latino-americanos, para minar liberdades fundamentais e tentar perpetuar-se no poder. Ao final, Dilma Rousseff — criatura de Lula — destruiu a economia, botou milhões de brasileiros na fila do desemprego e promoveu uma enorme fraude fiscal para maquiar as contas do governo, contrariando a lei e cometendo o crime de responsabilidade que a levou ao impeachment.

Bolsonaro não fez nada disso. É, até o momento, friso, apenas mais um político ignorante. A diferença é que o fato de ser de direita é um agravante na universidade e nos meios de comunicação colonizados pela esquerda. A sua defesa às vezes pitoresca do regime militar não significa automaticamente que queira virar ditador ou vá legalizar a tortura, como já deram a entender (e decerto a escolha do general Hamilton Mourão ajuda bastante os seus detratores). Quando diz que policial tem de matar bandidos e as pessoas têm o direito de autodefesa, ele expressa, Ipanema goste ou não, a opinião da maioria dos cidadãos, não de um gueto. Bolsonaro ataca a imprensa, mas nunca falou em “controle social da mídia”. A sua misoginia (Janaína Paschoal não o acha misógino), grosseria e comentários politicamente incorretos sobre negros são os mesmos das conversas de boteco de petistas, assim como as suas piadas sobre gays – Bolsonaro só mostra a imprudência de dizer bobagens abertamente. Ou talvez a esperteza. Encontrei-o uma vez e perguntei se não iria suavizar o seu discurso. Respondeu que não, porque era esse discurso que o havia trazido até os patamares de popularidade que ocupa. Como se viu na entrevista na GloboNews, e se verá em todos os debates, o candidato desnorteia os jornalistas porque não atenua os seus pontos de vista nem tenta esconder o seu despreparo. Usa o reconhecimento desse despreparo como ativo. Como outra prova da sua diferença positiva em relação aos concorrentes, subvertendo a lógica eleitoral. Os seus eleitores aplaudem porque ele parece mais genuíno do que os concorrentes. Não menos importante, é enfático ao afirmar ser contra o PT e defender integralmente a Lava Jato. Bolsonaro traduz em ondas tropicais o cansaço de uma parcela expressiva de eleitores decepcionada com o cinismo da esquerda e a desonestidade acima da média histórica dos políticos em geral.

Eu jamais votaria em Lula ou no seu poste e nunca votaria em Bolsonaro, como já disse. Mas o primeiro provou ser infinitamente mais perigoso para a democracia do que o segundo – inclusive porque ainda conta com um partido forte e aliados de ocasião poderosos. Bolsonaro não tem quase ninguém do establishment do seu lado. Com o PT de volta à Presidência, o país entrará em curto-circuito institucional. Lula será beneficiado com indulto e, criminoso condenado, nomeará o ministro da Justiça, o diretor da PF, o PGR, ministros do STF e do STJ e desembargadores federais – além do presidente da Petrobras, empresa que está do lado dos acusadores em processos contra o chefão petista. Com Bolsonaro na Presidência, ele terá de fazer alianças de forma idêntica aos outros – e o risco de não conseguir tecê-las será baixo, tendo a crer, porque político nacional gosta de aderir a quem tem a caneta na mão. Obviamente terá de mostrar flexibilidade, como qualquer Onyx Lorenzoni é capaz de lhe dizer. A gritaria da esquerda será trilha sonora constante durante todo o seu mandato, a estridência de Bolsonaro idem, mas estamos acostumados ao barulho desde sempre.

Sob Bolsonaro, o Brasil continuará a ser um país de segunda categoria, com um ministro da Fazenda competente que conseguirá fazer um décimo do que promete. Se Paulo Guedes aguentar o tranco e o Planalto e o Congresso não atrapalharem além da conta, gastos públicos serão contidos e algumas estatais, fechadas ou vendidas. Quem sabe haverá uma simplificação fiscal. Nada muito diferente do que ocorrerá no caso de Geraldo Alckmin conquistar a cadeira presidencial. Poderemos entrar, assim, num modesto círculo virtuoso, porque o mercado se contenta com pouco, visto que não nutre maiores esperanças em relação ao Brasil, que já foi devidamente precificado, desde que mantido em condições mínimas de temperatura e pressão. Sob Lula e o seu poste (ou Ciro Gomes), mergulharemos no caos, com a economia entregue desta vez a um maluco desenvolvimentista que revogaria as poucas reformas feitas sob Temer.

Dito isso, volto a Suetônio. Depois de Nero, o capítulo é sobre Galba. Ao contrário de Nero, um gastão, Galba era conhecido por sua avareza. Precisaríamos de um presidente avaro que durasse mais do que Galba. Ele foi assassinado e teve a cabeça cortada depois de sete meses no poder.

 

 

 

 

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Profético, Mário. Mas eu votei em Bolsonaro, votaria mais mil vezes, só para evitar a hecatombe que seria a volta do PT ao governo - como vc mesmo escreveu.

  2. Concordo com sua posições, Mario. E vale a pena lembrar que Hitler também era um homem dado a muitas leituras. Mas o que ele lia? Acho que as ideias bebidas em leitura são determinantes na formação da cultura e do caráter. Abs.

  3. Conteúdo polemico, mas questionável um dos pontos: não votas em nenhum, então porque não se candidate a Presidente e vote em ti mesmo, afinal este é o processo, embora não acredite nesse sistema, ou seja, votação direta, afinal, com a maioria dos eleitores analfabeto politicamente, o resultado é termos pessoas eleita do nível Lula; Dilma e, por ai vai, então temos que nos apegar em alguém comprovadamente honesto, já que é uma grande esperança, e é nesse sentido que Bossonaro é a esperança.

  4. Texto muito bom e sóbrio. Um dia, elegeremos um Amôedo (ou qualquer outro de sua estirpe). Até lá, convém manter a democracia para podermos sonhar com tal dia.

  5. Concordo que Bolsonaro não é o ideal, mas não temos ninguém melhor para romper com esse ciclo que o Brasil vive, sendo assim temos que votar no melhor que temos para hoje e não ficar esperando o iluminado. Votar em quem não possui condições deste rompimento é ajudar a manutenção da roubalheira.

  6. Mário Sabino... abra, com urgência, esse texto (na íntegra) para as redes sociais... facebook etc.... Eu mesmo edito um jornal (impresso, acredite) quinzenal numa pequena cidade do interior paulista (Pardinho) e gostaria muito de publicar esse texto na próxima edição.

    1. Concordo integralmente, fez uma análise muito acurada e boa para tentar ressuscitar alguns mortos vivos do PT e aliados.

  7. Mário Sabino te gosto um monte,so se esqueceu de citar no seu texto a "HONESTIDADE" de Bolsonaro,aliás,que o faz ganhar meu voto.Ah! adoro ler.

  8. Olá Sabino Texto longo, repleto de inutilidades. Até eu sou capaz de ir ao teclado e escrever sem parar o que vem à cabeça. Gosto do que vc. escreve, mas neste você se superou na loucura. sds

    1. Dói tanto assim uma crítica 'honesta' - como seu candidato urge tanto -ao Bolsonaro

    1. Por favor,fostes na conversa da despreparada Maria do Rosário?

    2. Para quem casou e tem filhos ,parece ser difícil nao gostar de mulher. Mas hoje a moda é mulher com mulher e homem com homem, quem sabe a natureza já esteja controlando o numero de humanoides

    3. Por essa lógica, nenhum ser humano deveria votar em Lula, pois corrupção é, por definição, uma ofensa capital a toda honestidade e humanidade.

  9. Por mais que não goste dele, se você não votar em Bolsonaro estará votando na esquerda que destruiu o Brasil. Simples assim.

  10. Nós brasileiros só queremos um governo que não atrapalhe. Se não houvesse Estado, nossas vidas seriam melhores. Com os petralhas no comando, não teremos paz; com Bolsonaro, o país será melhor.

  11. Mário,apesar dos parágrafos, ao ler seus textos, quase perco o fôlego na tentativa de absorver rapidamente as ideias. Sempre brilhante.

  12. O caráter de um homem é formado por outros fatores também! Lula é um a analfabeto funcional, e não tem como ser comparado com Bolsonaro. Quanto às ditas "bobagens" ditas pelo militar, falta de paciência com jornalistas que fazem perguntas idiotas, ou o incriminam com as notícias falsas, não significa que possa piorar Pais. Pior é colocar, um presidente Culto, Leitor de Grandes Obras, mas, que tenha e seja acompanhado por pessoas de caráter duvidoso, e aliados à corruptos.

    1. Muito bom, Lelio. Apesar do alto nível de conhecimento dos mais esclarecidos, talvez pela complexidade da sofisticação de seus estudos, o que parece é que estão deixando de lado a questão de que a indignação agora é com a corrupção, o crime organizado e extremamente violento, ensino totalmente deturpado e saúde em caos. Não estão dando a atenção do fenômeno da revolta silenciosa que consome o "trouxa honesto", que sente sua dignidade ser desdenhada por outros seres de mau-caráter.

  13. há que se levar em conta: não quero que o Brasil se torne uma Venezuela com a esquerda, não quero que políticos corruptos sejam blindados pelo candidato do centrão, portanto, BOLSONARO!!!!!!!!!!!

  14. À exceção do PT - se voltar pode dar um golpe e se manter por anos, numa ditadura bolivariana - qualquer outro que se eleger tem grandes chances de não se reeleger. Qualquer um fará um governo arrastado, pífio. Com chances da atual crise se prolongar e se agravar. O máximo que podemos fazer agora será escolher bem os candidatos ao Senado e às Câmaras de Deputados. Nem governos estaduais se salvam. Melhor é tampar o nariz e pular para 2022. Quem sabe o Parlamentarismo vingue desta vez!

  15. Vai, aqui, uma frase para Bolsonaro dizer nos debates, se não me engano de John Kenedy: "Não pergunte ao seu país o que ele pode fazer por você, e sim o que você pode fazer por seu país" o que eu posso fazer por meu país, no momento, é votar em Bolsonaro!

  16. Muito bem escrito. Ponderado e inteligente. Só tenho a discordar quando diz que Bolsonaro não será muito diferente do que o Alckmin fará. O Alckmin faz parte disso que está aí. Não acredito mais no PSDB. Tudo farinha do mesmo saco. Temo os descaminhos do Bolsonaro, mas acho que serão "menos piores" do que a turma do Alckmin. E, se conseguimos nos livrar do lula e seus asseclas, já estaremos em vantagem. Seja lá o que isso signifique...

  17. O senhor pode e deve ler os livros que quiser, e separar as pessoas por isso. Lembro que ITA, CTA, EMBRAER, IME, Colégios Militares (vencedores de olimpíadas de conhecimento mundo afora) são obra dos, na visão de alguns, despreparados militares. Cultura não é fim. É meio para se construir um país melhor para o povo. Bolsonaro é um personagem de si próprio.Representa o lado necessário e bruto das FFAAs. Faça o concurso para AMAN (deve haver provas na web) e verá que oficiais não são incultos.

    1. Concordo Orlando para chamar Bolsonaro de ignorante tem que fazer a prova de seleção da AMAN e passar. Também acho estranho um sujeito culto como o Mario falar que não vota em ninguém, qualquer um com um mínimo de sabedoria sabe que isso é o mesmo que votar no pior candidato.

  18. É uma pena Mario Sabino, sua descrição sobre Bolsonaro. Infelizmente o fisiologismo político, não dá ao eleitor opções de sair deste marasmo. As armas de que dispomos hoje, é a possibilidade de irmos, aos poucos, ruindo esta arapuca armada pelos políticos, e que, quase nos impossibilita de quebra-la. Bolsonaro é uma luz no fim do túnel, apesar de sua linguística não muito apropriada. Por favor sinalise, entre os demais candidatos um, capaz de quebrar o sistema. Cruzoé possui muita competência.

    1. Assino embaixo desse post. Do que vale jornalistas confiáveis falarem em quem nao votariam? Fácil ver que Bolsonaro não é nenhum modelo perfeito de president3 que gostaríamos... isso todos os brasileiros conseguem ver.. o que precisamos é descobrir se existe algum melhor que ele dentre os candidatos... porque votar em branco não vai resolver os problemas do pais!

  19. Os pensamentos intelectuais como este, especificamente sobre Bolsonaro é que nós afundou drasticamente. Vc acerta, ao dizer que Lula é um risco a democracia, mas erra gravemente ao dizer que não votaria jamais em Bolsonaro, ignorando o contexto da eleição e as possibilidades factíveis com reais chances de derrotar a esquerda que vc mesmo afirma nos levará ao caos. Goiaba, está correto. Às vezes nem a leitura faz do indivíduo um ser sábio, e mesmo os leitores vorazes podem ser estúpidos.

    1. Bem colocado! Erudição não é sabedoria! E o momento do país pede a segunda. Bolsonaro 2018 !!!

    2. Tirando a parte talvez um pouco grosseira...também concordo com o amigo...

  20. Votar em Alckmin é pior do que votar em Bolsonaro. A Lava-jato corre atrás do rabo de Alckmin, se Deus quiser conseguirá puxá-lo da toca. Não é só de economia que vive uma Nação. Temos bons valores como sociedade. Fora PT, PSDB e tudo que representa a esquerda. Voto em Bolsonaro. Ele não será o salvador da pátria, mas nos dará condições de darmos os primeiros pontapés nesses esquerdalhas.

  21. Que grande bobalhão! "Se noto que fulano não leu tal livro, risco do meu caderninho" E daí, bobão, o que acontece com quem foi riscado? Pretensão e água benta cada um pega o quanto quer...

  22. Um cara que passou nas agulhas negras , é ignorante? eu tenho cada vez mais convicções que jornalistazinhos arrogantes igual a você que são ignorante, vide Globo e cultura.

  23. concordo com vc , Mario ! escapando de lula e seu bando, nada será tão caótico e o Brasil voltará àquela vidinha de periferia do mundo.... só seremos salvos quando lula for visitar chavez e fidel. aí estaremos livres !!

  24. Leio até bastante. Menos do que gostaria (pois parte da leitura é técnica). Mas não li Retratos do Brasil. Irei ler. Fato é que estaria mal cotado contigo. Pensava como vc, mas na política o preço de não escolher o menos pior é altíssimo. Vc sabiamente omitiu-se nessa parte. O que faria num segundo turno apertado entre o Bolsonaro e o poste do PT. Se omitiria ou escolheria o menos pior?

    1. Pois eu não li, e agora é que não leio mesmo. Vai que encontro este Mário e ele gosta de mim... Deus me livre.

  25. Sr.Mário, a política está cheia de intelectuais de esquerda e deu no que deu. Até o momento, tenho apenas dúvidas e intranquilidades.

  26. Texto enviesado. Já foi melhor! FHC é letrado e já leu tudo isso aí e mais um pouco, no entanto deu início à debacle que nos assola até hoje. Brasil tem que experimentar novos caminhos.

  27. De fato, Bolsonaro se mostra muitas vezes desarticualdo e politicamente incorreto. Porém, ainda não encontrei argumentos sólidos para não votar nele. Noves fora a retórica do preconceito e exercícios futurísticos, o candidato tem mostrado qualidades (sinceridade, franquesa, simplicidade, etc.) , apresenta uma rara proposta liberal (a outra é a do Novo) e, simplesmente, não há alternativa. Alckmin seria a continuidade do governo Temer. Tem telhado de vidro e passaria 4 anos acuado no Palácio.

    1. Bom dia, Jorge, além de gostar do seu nome, gostei do seu comentário. Concordo plenamente com suas observações. Um abraço.

  28. Ótimo texto. Quem não percebe a qualidade crítica, a independência e a ironia intelectual está perdendo uma ótima oportunidade.

  29. Não consigo ver o Governo de Alckmin parecido com o de Bolsonaro. O Alckmin é o representante do establishment, vide aí o alinhamento com o Centrão... como o próprio texto diz, Bolsonaro está isento de governar para os corruptos e será livre para montar equipe com base na competência! E uma equipe competente e livre de interesses é a saída para buscarmos dias melhores.

  30. Se jamais votaria em Lula e nem em Bolsonaro e os demais, com exceção de Alckmin, não foram nem mencionados. Quem poderia ser menos perigoso para democracia e o Brasil? Muitos são os que continuam no muro ou no puleiro.

    1. Oi, Celso, lendo rápido o seu comentário li PUTEIRO. KKKKK, mas, convenhamos, não há muita diferença, há?

  31. Se o jornalista Sabino votou tão poucas vezes, não deve discutir politica.O melhor seria discorrer sobre culinária. Vamos lá votar em Bolssonaro.

  32. Bom li tudo... O autor não atingiu que Lula é um projeto dele mesmo... O Bolsonaro é um projeto de outros que estão construindo uma belíssima obra de engenharia social, a moda da Coréia do sul nos anos 70... Vai lá e confirma.. Bolsonaro é atividade meio...

  33. Bom. . Não li tudo o que o jornalista publicou ... Apenas o primeiro parágrafo... Vou ler o resto em seguida... Mas se começa eliminando qualquer coisa de qualquer um que não tenha lido o que ele leu, já tá errado...

  34. Como que você faz p/não votar,tem que ir na seção de votação e aí não votar me desculpe + não é uma decisão inteligente,já estou decipcionado c/os comentários de vocês.

  35. Sabino, após ler sua brilhante coluna, concordando sobre a importância da leitura e outras considerações, afirmo que agora tenho certeza que meu voto consciente é #Bolsonaro.

  36. Mario, nos meus 70 anos não vi até hoje nenhum candidato defender família, patriotismo e respeito como Bolsonaro tem feito. A ignorância nos levou sim ao que somos hoje. A ignorância da imprensa, dos próprios eleitores, dos empresários. Foi tal a cegueira geral, que perdemos nossos valores, nossos ideais, a ponto de hoje se ofertar a liberação do ânus, o sexo livre e a pedofilia como propostas de governo. Ignorância é isto. A maioria também pensa assim. Preste mais atenção no que move o eleitor.

    1. Tenho 45 anos, não votarei em Bolsonaro, e muito menos nos mais aparentes na mídia. Concordo com você Helio e lastimo essa onda liberalista, esse total desrespeito a família, a moral aos bons costumes. Me dói essa desdita de politicamente correto, onde tudo não pode, mas pode faltar com respeito a tudo. E votarei no 30 no primeiro turno, no segundo não votarei no pt.

    2. Bom dia, Hélio, é com muita tristeza e um pouco de desesperança que concordo com você.

  37. É importante salientar, que o indivíduo por mais literário que seja, não é mais, nem menos honesto que os não leitores.

  38. Interessante como se pode ficar em cima do muro com um texto e conviccoes. Sabemos que nao temos o candidato ideal como tambem sabemos como nossa politica tem manchado e infestado de outros interesses as nossas instituicoes. Aprendemos a votar nao por conviccao, mas sim, pela falta de opcao. Apostamos anos atras nos travestidos de salvadores da patria, deu no que deu. Seria mais elegante descer do "muro" e reconhecer quem teria a chance de pelo menos mudar o rumo nefasto que nosso Brasil tomou.

    1. Interessante também que não há nenhum registro de opinião idêntica sobre Lula ou sobre Dilma à época de suas campanhas eleitorais. O Mario faria melhor se atacasse a hombridade, a honradez dos candidatos. Decididamente, não se pode dizer que um capitão formado na belíssima Academia Militar de Agulhas Negras é um ignorante. Dizer isso é, aí sim, um sinal de ignorância. Mario, pense um pouco mais o que você escreve pois nós, assinantes da Crusoé, não somos ignorantes.

  39. Discordo do Sabino quando nivela por baixo a cultura do Bolsonaro. Eu também não li Paulo Prado, mas li centenas de outros autores que me dão embasamento para entender o Brasil e o mundo. Cultura, como ele bem disse, não significa gostar dela, como bem lembrou Suetônio. Bolsonaro se formou na Acadademia das Agulhas Negras, uma das mais concorridas instituições do Brasil, onde somente aqueles que tem alguns neurônios a mais, conseguem passar. Então Sabino, vamos pensar de forma diferente.

    1. Concordo com seu comentário. Após ler o texto do Sabino, do qual discordo, iria comentar justamente o fato de o Bolsonaro ter curso superior em uma das academias militares mais concorridas do Brasil. Isso é ser ignorante???

  40. Que contra-censo comparar duas criaturas diametralmente opostas. Esfregar sua cultura intelectual em nossa cara nao passa de arrogancia, meu caro. Passar bem!

  41. Mário, seria ilegal fazer uma votação e apuração paralela nas eleições? Escolher aleatoriamente algumas seções em todo o país para esse fim? Acho que temos, de alguma forma, ter um mínimo de controle, mesmo não oficial sobre o pleito. O que você acha da idéia?

  42. Mário, olha eu de novo . Reli seu artigo. Não descarto sua inteligência, seria muita burrice da minha parte. O Brasil está pegando fogo e vocês devem ser os primeiros a conduzir o povo a escolher aquele que vai nos livrar do comunismo, do politicamente correto, da roubalheira. Pare de detonar a intelectualidade de Bolsonaro. FHC era e daí? Ninguém do povo gosta dele. O povo quer somente:Uma casinha digna para morar, o pão de cada dia, saúde e educação pública de qualidade . Entende por favor.

  43. Bravo! Mario Sabino, você em poucas palavras radiografou o Brasil - futuro, sob a perspectiva da volta do PT à Presidência (DEUS nos livre).

  44. Meu caro Sabino, o Bolsonaro sem dúvida não é o melhor candidato do mundo, mas é o único capaz de quebrar esse sistema político corrupto que assola o Brasil a trinta e três anos. Nunca votei no pt votei no psdb até descobrir que são socialistas fabiano, acabou em 2015 quando descobri, Alvaro dias é um esquerdopata desnorteado, ciro além de esquerdopata é doido, portanto só temos Bolsonaro.

    1. Concordo com José Elias, o único que merece uma chance é Bolsonaro!

  45. Bolsonaro é o voto contra a esquerda, especialmente contra o Luladrão. Ele é o voto da revolta, do saco cheio com a imprensa cupanhera, com os politicamente corretos, com os cupanheros do STF, com a turma LGBT que é vitimista e partidária do PT/PSOL/PCdoBosta, com o descontrole da violência, com a proteção daqueles que cometem crimes e a punição das verdadeiras vítimas etc etc. Se ele for a única opção para impedir o retorno da esquerda venezuelana ao Poder, eu votarei nele... infelizmente.

  46. Júlio César, apesar de um fantástico estrategista-conquistador, não foi capaz de assegurar a sobrevivência da República. E diante do caos que se instalou, prevaleceu o renascimento do Império. Nossa situação não é muito diferente. Quando há bagunça, quando há desrespeito, a democracia não funciona. Passa a haver clamor pelo autoritarismo. Por isso é que conhecer Retrato do Brasil, ou Macunaíma, não faz tanta diferença. Nesta Banânia precisamos primeiro, é começar com entendimento do que é moral.

  47. É preciso deixar bem claro o que a nossa mídia chama de "democracia" por estas bandas do planeta, pois trata-se exatamente do oposto do que de fato trata a palavra. Por aqui leia-se o direito de literalmente poder: roubar, matar, transgredir, avacalhar, estuprar, mentir, prometer, prostituir, corromper, esculhambar, furtar, fingir, agredir, tripudiar, contrabandear, traficar, falsificar, dissimular, enxovalhar, esconder, trair, enlamear, sequestrar, etc,etc,etc. Ah! pode-se votar também!

    1. Em tempo: Só nesta semana a "democracia" carioca brindou uma paciente de 90 anos no leito de um hospital com um tiro no ôlho, e um feliz nativo com um tiro dentro de um trem. E tome-lhes democracia...

  48. Nada muito diferente de Alckmin? Totalmente diferente de Alckmin! Ou alguém acredita que o chuchu vai punir criminosos do colarinho branco? Que vai se posicionar contra a turma de Gilmar, Dias, MAM e Lewandoski? Este comentário sobre o candidato do establishment corrupto Alckmin foi muito infeliz.

  49. Tentei ler o artigo do Mário mas não deu quando ficou claro que sua régua para politicos é não leva em conta a realidade do que está aí. O cu doce intelectual nivela tudo por cima e impede a ação politica possível. Esta fase, que a esquerda superou, vide Lula, é o maior desafio da direita. Mas o Mário não é exatamente um cara liberal ou de direita. É jornalista, essa raça confusa e difusa.

  50. Prezado Mário: Só a ideia de comparação já é inapropriada e injusta (no popular: “canalha”). O Lula pode ser comparado a Fernandinho Beira Mar ou Hugo Chaves. A matéria seguiu um paralelo infeliz. Mas vou continuar dando minha audiência para Crusoé enquanto perceba que faz jornalismo com imparcialidade.

    1. Sorry! Corrigindo: Se 'não' agirem com imparcialidade, tô fora.

    2. Acho que esta esta "imparcialidade" editorial da Crusoé não resiste ao primeiro ano, já avisei ao Mainardi. Jornalistas vermelhos, 99,8% por estas bandas, são como tumores malignos e aparecem quando e onde menos se espera!

  51. Senhor Mário Sabino, li e reli este seu artigo - antes: sou leitor assíduo do Antagonista e assinante da Crusoe- e concluo que o Senhor parece estar a serviço de interesses estranhos e que não é de um Brasil melhor. Seu artigo induz a achar que não temos jeito. Use sua caneta e seus conhecimento para melhorar o candidato Bolsonaro, mas não para descontruilo, porque, a meu ver, dessa forma, só atrapalha. Sou Bolsonaro e tenho expectativas de melhora na política, na imprensa e na educação.

  52. Chamar de ignorante um capitão do exército, egresso do IMAN, curso de nível superior concorrido e de difícil acesso, formado também em 1o. lugar no curso de mergulho e de larga vivência no exército e no parlamento é de um desrespeito e impropriedade absurdos. Desapontada!

    1. E que sobreviveu 30 anos nesse parlamento podre sem se sujar.

  53. Eu vejo um agravante grande no Alckmin, ele tem muitos inquéritos e o centrão vai cobrar seu preço para manter este corrupto na presidência !! E que pagará este preço ? Será nós !!!

  54. Gente, dizem que há uma porcentagem de voto envergonhado. Quer dizer tem gente que vai votar em Bolsonaro, mas não o diz, ainda mais se a pessoa é ou foi de esquerda. Sejamos pacientes. Voto em Bolsonaro e me considerava comunista na juventude. O socialismo não deu certo e deixou um rastro de sangue muito grande.

  55. Por que excluiu meu comentário, onde fica a liberdade de expressão que deve haver nos círculos dos grandes intelectuais. Deixe a revista se tornar um grande areópago, onde falamos o que queremos e escutamos o que não queremos. Simples assim. Assinei a revista porque via estas qualidades em vocês. Enganei?

  56. A pergunta que não quer calar: - Em quem votam Os Antagonistas? Esperamos que não em Alckmin e em nada abaixo dele (abaixo estão Marina, Haddad, Boulos, etc. Sobram Álvaro Dias, Amoedo e Bolsonaro. Mario não vota em Bolsonaro. E acredito que nem Diogo.

  57. Bolsonaro, aluno da Escola de Agulhas Negras, sem poder de concentração não dá para entender. Dentre os candidatos qual o mais qualificado para ser Presidente de um pais dilapidado por esta esquerda corrupta? Comparar Bolsonaro com luladrão cuja governância trouxe o caos ao Brasil demonstra desiquilíbrio e arrogância motivo pelo qual Os Antagonistas estão perdendo o crédito de seus leitores. Ser “do contra” é salutar desde que seja uma atitude feita com honestidade, sabedoria e patriotismo.

    1. Maria, a reportagem apenas tenta explicitar o Brasil sob direção dos extremos. Dela conclui-se que entre eles, é infinitamente melhor para o quadro que se apresenta , a extrema direita.

  58. A academia, imprensa e artistas são leitores. Defendem até hoje o condenado preso. Como alguém que conhece bem o meio acadêmico, tanto da educação básica quanto superior, posso garantir que leitura não forja ideias relativas à política, nem à religião. Ambos os temas estão cerebralmente linkados aos mesmos neurônios. Assim como a religião, política é fé para maioria dos seres humanos. Como sempre, pertenço a minoria e sempre com muito orgulho

  59. Realmente, Galba foi morta depois de sete meses. Por isso Bolsonaro tem como vice um General. Por favor, não menostreze a inteligência de Bolsonaro, nem do eleitor. Não tente induzir o leitor a achar que tanto faz Bolsonaro ou Alckimin. Não se compara o CENTRÃO ladrão com a possibilidade de algo novo representada por Bolsonaro.

  60. Por favor não me faz arrepender de ter assinado esta revista! Cara é isso mesmo? Você quer Geraldo Alckmin como presidente, é sério isso!

    1. Eu já me arrependi de assinar esta revista por um ano. Está se mostrando tão parcial e manipuladora quanto a maioria da midia oficial e tendenciosa. Nossa luta imediata agora é contra toda a ORCRIM que se estabeleceu no poder desde o fim do Regime MIlitar. Será que estes intelectualóides ainda não entenderam?

  61. Votei, há mais de vinte anos, sempre no PSDB. Este é igual ao PT e PMDB. Todos corruptos e demagogos. Portanto o meu voto será para o BOLSONARO. Este é sincero e, até o momento, não foi pego roubando o dinheiro público. Além do mais , quero um Estado mais liberal: PRIVATIZAÇÃO. Em tempo: admiro muito : MARIO, CLAUDIO E DIOGO. Vocês representam um jornalismo independente. OBRIGADO .

  62. Livros são ótimos porém espelham homens e épocas distintas da atual a resposta não está no passado ou no exterior está aqui Basta de achismo e respostas antigas Não temos ninguém para escolher ou temos um passado já conhecido é um futuro de onterrogaçao Que os candidatos mostrem sua equipe e seu plano real de governo o resto é boa bjs de imprensa e estudantes imaturos

  63. Paguei por uma extensão d´O Antagonista. Até um editor tem direito a promover seu candidato mas essa sanha bolsonarista em que não reconhecem não só suas limitações mas a radicalização que promoverá sem a necessária reformulação de cultura e educação incomodam. Teremos a exemplo do resto do mundo os esquerdistas do lado de fora em manifestações cobrando o cumprimento de suas pautas derrotadas e uma incapacidade de responder em atos ou palavras. Confronto estéril. Vem aí tempos barulhentos àtoa.

  64. O Brasil se tornou uma ditadura poderosa e difícil de sair, os empregados do estado(STF etc.) protegidos pela esquerda viraram opressores do povo, geralmente não falam errado são em grande numero de professores universitários que leram muito e nada aprenderam ou aprenderam até demais...vejo assim o quadro geral existente no país e o Bolsonaro parece o mais adequado para o momento.

  65. Mário dando sinais de que já está se acostumando, apesar dos últimos espasmos tentando expelir a ideia de aceitar a entrada de Bolsonaro. Relaxe...

  66. Vou votar no Bolsonaro, embora gostaria que ele fosse mais intelectualizado. Vamos ver o Paulo Guedes que é liberal, se ajuda o Brasil crescer.

  67. Nem conheço Bolsonaro. Acho exagerado chamá-lo de ignorante. Certamente o simples fato de ser Oficial do Exercito já comprova sua capacidade intelectual e conhecimento em muitas áreas. Ainda acho que tal qual Lula ele tem um avatar. Ambos candidatos são inteligentes. Mas um deles foi condenado por crime e de forma mais povão chamamos de ladrão. Ainda que eu tenha até ouvido uns verbos " mal concordados", ainda considero o Bolsonaro um sujeito inteligente. Quanto a votar, vou analisar e analisar.

  68. Desde que soube que Bolsonaro seria candidato, decidi que meu voto seria dele. Tenho votado nele para deputado federal. Aprecio seu amor ao Brasil, sua integridade moral, sua defesa dos valores cristãos. Bolsonaro pode não ser o candidato dos sonhos, mas, certamente, os demais são um pesadelo.

  69. Texto impecável. Parabéns! A credibilidade de um jornalista se revela na utilização do bom senso e na, quando é capaz de perceber todos os meandros de uma realidade e expressar seu posicionamento sem deixar a objetividade de lado. Sobre votar em Bolsonaro, acredito que nós, seus eleitores, compartilhamos do mesmo pensamento, contudo, o desejo de contribuir para o início do " círculo virtuoso" é maior que nossas convicções sobre o preparo intelectual mínimo necessário para representar uma nação

  70. Excelente artigo! Penso quase da mesma forma. Votarei no Bolsonaro. Não por achá-lo o melhor, mas pelos motivos que vc descreveu!

  71. Chamar de ignorante e menosprezar por não ter lido dois livros de sua preferência, alguém que teve capacidade de passar em um dos vestibulares mais difíceis do pais é ignorância sua vinda do alto de sua soberba.

  72. - Isso de ele ser um poeta frustrado cantando durante o incêndio é coisa do Quo Vadis, o livro de Sienkiewicz. - A mãe dele era uma assassina pior que ele. - Ele agia bem enquanto estava sob a tutela de Sêneca. Dizem que o chumbo dos encanamentos pode ter potencializado sua loucura, juntamente com o poder desmedido.

  73. Saberia, se tivesse lido, que: - Não há consenso de que Nero colocou fogo em Roma. Estava fora, voltou às pressas, ajudou a apagar, parte de seu palácio recém construído foi destruído. - O calor era insuportável e as insulae, feitas de madeira, espalharam rapidamente as chamas. - Logo após o incêndio, as regras de construção ficaram mais rígidas, e todas paredes externas das construções passaram a ser obrigatoriamente de alvenaria.

  74. Mário Sabino, nada sabido - desculpem o trocadilho. Exigir que o próximo presidente tenha lido o livro do Paulo Prado (bom, mas o autor abomina a miscigenação, por exemplo – típica influência do purismo reinante; os germânicos que o digam) é de uma parvoíce sem tamanho. O Mário passaria o resto da vida votando numa Marilena Chauí ou num FHC, rsrs. Será que o Mário leu todos os livros imprescindíveis? Leu Suetônio (diz), mas leu Tácito e outros historiadores?

  75. Em relação à capacidade de concentração associada à leitura, você não pode se esquecer que Bolsonaro estudou na escola de Agulhas Negras, ou seja, ele sabe muita matemática e se a matemática não favorece a concentração, é difícil dizer o que favorece. Não o substime. Um cara que colocou contra a parede os entrevistadores do Roda Viva e da TV Globo, não pode ser subestimado. Mais do que ler, o importante é aquilo que você absorve da leitura ou de qualquer outra experiência.

  76. O erro básico do Soy-Boy Mario é nao entender que um líder político é apenas um aglutinador de forças e não um deus autocrático. Se ele leu ou não um livro é irrelevante. Analise as forças e valores por trás dele e a oportunidade que ele tem de mudar o curso político do país.

  77. Admiro _o pelo que pensa e a maneira como diz. Apesar de saber que Bolsonaro não lê, vou dar_lhe o meu voto. Concordo com tudo que você escreveu, mas esse voto é contra o PT e tudo que ele representa. BEIJOS

  78. Muito bom texto, mas como disse Schopenhauer, nos extremos um é sempre melhor do que o outro. É melhor morrer um avarento do que um perdulário. Entre a extrema esquerda do proletariado ignorante e extrema direita que deseja preservar valores civilizatórios, eu vou de Bolsonaro, prefiro a minha direita do que uma esquerda assassina, perdulária, autoritária, adoradora de personalidades fortes, diferente de conservadores que desejam viver em paz, trabalhar, produzir, disciplina de uma lei dura.

  79. Mario, após o debate foi duro observar que espremendo não saiu um candidato que merecesse atenção dos eleitores. A luz no final do túnel esta cada vez mais distante. abçs

  80. Engraçado o timing... no mesmo dia em que a The Economist publicou um artigo atacando Bolsonaro, colocando-o com um risco à democracia, a Crusoé publica este artigo demonstrando que o verdadeiro inimigo da democracia é justamente o queridinho -- "o cara" -- da esquerda mongoloide mundial. Tá bom de traduzir este artigo do Mário para o inglês e mandar para The Economist publicar: [email protected]

    1. Sim, mas vai que o filtro falha ou vai que decidem publicar só para dar a impressão de que são isentos? Já estaríamos no lucro. O problema é se resolveram comprar a Crusoé e amordaçar ou afastar seus jornalistas. rsrsrs

  81. A luta do Brasil é contra a esquerda corrupta e bandida, comandada pelo PT. Contra o PT e seus asseclas. Despetizar o país, ei a questão. Ainda bem que existe um Bolsonaro. Sem ele já estaríamos na lona e nos chamaríamos de Venezuela.

  82. Ó Mârio. Te aconselho a reler este seu texto. Você coloca a eleição do Bolsonaro como um fim em si mesma, como se um imperador vitalício estivesse pronto a ser sagrado. Este é um processo democrático e pra consertar o estrago serão necessários anos. A ascensão do Bolsonaro talvez facilite o nascimento dum debate que deve continuar, caso ele seja eleito, após o mandato dele. Ou você concorda com o lixo que a esfera cultural brasileira se tornou? Eu vejo essa chance com ele. Pense bem.

  83. Nossa! Como a gente comenta um texto desses? De tudo o que haveria a dizer, escolho o fato se que há tempos um texto lúcido, franco, de fôlego com a lista dos crimes do PT. Aqui foi breve, mas foi excelente!

    1. Qto a votar ou não votar penso que o risco do petismo e seus asseclas, ou do centrão vendidao justifica o ato de votar num candidato que não seja o sonho de estadista. FHC era um intelectual. E daí? E por acaso o nosso Brasil suuuuper culto tem muitas opções a ostentar, inclusive nos meios acadêmicos, imprensa, intelectuais? A opção de não se ver satisfatoriamente representado então não vota alivia em que exatamente? #NãoVaiTerCandidatoGourmet

  84. Concordo em gênero número e grau. Esses debates poupa-me Stillnox e me cobre de vergonha alheia.De 1982 para cá o pouco que mudamos e zero perto do que perdemos,nos restam a cidadania e as memórias.TRISTES INCULTOS E DESEDUCADOS.

  85. Concordo! Não voto no Bolsonaro porque o acho ignorante e oportunista, diz o que os convertidos querem ouvir e conseguiria realizar muito pouco, só o pessoal de esquerda consegue ser pior.

  86. Discordo sobre o livro a ser lido para ser bom governante, mas gosto não se dicute. Estamos de acordo sobre a leitura da conjutura política após eleições, mas discordo que Alckimin seria igual Bolsonaro, porque ele é PSDB irmão postiço do PT, então o desastre com ele estaria garantido, afinal ele é de esquerda, não adianta botar panos quentes nessa verdade. Se o Bolsonaro ganhar poderemos dizer, "Entre mortos e feridos salvaram-se todos" e talvez ele nos surpreenda positivamente... quem sabe!

  87. Qualquer opção à esquerda será pular de vez no abismo, é o óbvio. Mas permanecendo sob domínio da corrupção, inclusive cultural, reincidiremos rapidamente. País é como gente, tem que crescer. É urgente nos livrarmos ao máximo das ORCRIMs. Para isto, o Mourão me parece mais indicado que o Alckmin. Uma coisa é ser capaz de lutar, outra é gostar. Este é o risco. A situação hoje exige gente com força e capacidade de luta, como em uma guerra. Para ter paz, o brasileiro tem que crescer, virar gente.

  88. Fica claro que o Mário Sabino não conhece antropologia, economia, história do Brasil, filosofia e outros que tais. Ainda acredita na política e nos políticos brasileiros, ou seja, os que ainda estão por vir, caso seja isso possível. Ele é tão esperto e intelectual que não percebeu ainda que o Brasil Não Tem Jeito!

    1. Alguém já disse: o Brasil não tem a menor chance de dar certo!

  89. Também eu, gostaria de ter alguém liberal e conservador com chances reais de vitória. Acontece que, quando um povo está viciado em populismo, somente outro populista pode tirá -lo do poder. E, se valerem as palavras do Paulo Guedes, a descentralização diminuirá o poder de Brasília, fortalecendo os municípios. Assim o populismo comecaria a ruir.

  90. Sua matéria soou tão boa quanto sua arrogância. Na proxima eleição voce poderia tentar se eleger e nos debates diga que já leu o livro Retratos do Brasil de Paulo Prado e ....pronto: tá eleito. Chame pra seu vice o

  91. Desculpe mas, esse Mario Sabino é tendencioso e, mostra que vota na situação, no Alkmin e sua quadrilha de apoiadores ladrões. Lula é um ladrão sem escrúpulos que detonou o país e suas entidades mais importantes, presidiário, bandido. Bolsonaro pode surpreender pelo bem, pelo moral, pela verdade, pela decência, pela honestidade e pelo patriotismo. Não sou tendencioso, apenas estou com muita vergonha de ser brasileiro, e você deveria estar também.

  92. Boa reflexão. A democracia, mais do que qualquer outro regime, exige o exercício da autoridade, disse Saint-Jonh Perse. E é desta autoridade que todos nós estamos desejosos. O povo não aguenta mais tanto blá-blá-blá. O que se quer, de verdade, que as leis sejam para todos. O Bolsonaro, com todas as limitações de instrução que deva ter, assim como todos nós, é o homem-comum, e que fala como o homem-comum. Cansamos da retórica e da fanfarronice.

  93. Uma coisa é não ter o hábito de ler a outra é gritar aos 4 ventos que não lê como se isso fosse saudável para o intelecto. O próximo presidente não será eleito pelo que lê ou deixou de ler mas bem pelo credo da maioria dos eleitores de que ele vai implementar as ações necessárias para recolocar o Brasil nos trilhos da Economia, Segurança, Educação e Saúde. Bolsonaro não se vangloria que não lê mas dá sinais que pode endireitar, liberar os brasileiros aprisionados na prisão mental esquerdista.

  94. Ótimo comentário, Mario! Análise coerente. Me pergunto sobre em quem você votaria se der no segundo turno, Bolsonaro e Ciro ou Marina...anularia o voto?

  95. Impressionante a diferença entre o alto nivel dos comentaristas nesta revista ,e aqueles do site Antagonista.Aqui temos o bom debate.O pagamento de uma assinatura filtra os indesejáveis.

    1. O bom debate aqui presente é o que vale essa assinatura.

    2. Perfeita sua colocação. Já há algum tempo deixei de ler os comentários do site por conta das grosserias e dos palavrões.

  96. Se Alckimin for eleito, preparem-se para a continuação do governo Temer. O picolé de XUxu só serve para "nós fazermos os acertos"....Ferrou com o estado de SP e seus conchavos...QQuer funcionário público, que se votar (duvido) nele...merece levar uma surra...

  97. Muito bom o texto,mas acho que nao votar em ninguém é tolice,como a Venezuela ja provou.Nao precisamos de um devorador de livros,FHC era,mas com livros errados.Precisamos de um lider,que escolha as pessoas corretas.

  98. Aprecio muito seus comentários, mas a sua" primeira régua"não é tão simples assim.Deveria ser mais flexível. Pelo que se apresenta para esta eleição , nós eleitores ou elegemos o menos pior( entre Alckmin que já inicia com o "compadrio" já estabelecido, sistema enraizado e conhecido por todos, e Bolsonaro que é uma incógnita) ou anulamos ou votamos em branco ou pagamos a multa .Não pretendo deixar ninguém escolher quem vai me governar. Prefiro arriscar e penso que muitos pensam assim.

  99. Excelente artigo, Mário. Lê o seu entendimento político é muito gratificante e enriquecedor. Bolsonaro, dos males o menor! É melhor JAIR se acostumando!

  100. Querido Mario, se minha régua fosse quem fala errado ou não lê livros, jamais votaria em qualquer candidato como professora pós-doutora em literatura e totalmente anti-esquerda. Sendo assim, minha régua corta firmemente candidatos envolvidos em corrupção. Precisamos de um país em que o código penal realmente funcione para todos, senão vamos cair no caos e na barbárie.

  101. Bolsonaro tem o que nenhum outro presidente ou candidato de agora tem: simplicidade, sinceridade. Nenhum medo de SER e autoridade para exigir. Um dos maiores problemas do país é a falta de autoridade. Todo mundo manda. Ao ponto do STF se sentir à vontade para deturpar a Constituição que deveria proteger. Chega. Queremos Ordem para termos Progresso. Que seja Bolsonaro-Mourão.

  102. Em nome da governabilidade eles lotearam e venderam o Brasil,com Alckmin não será diferente . Bolsonaro pode não ser culto,mas tem o essencial vontade de mudar o país e fazer a diferença,os intelectuais desse país foram os responsáveis por estarmos nessa roubada, junto com a Globo e seus artistas levaram a grande massa a crer que o Lula e a esquerda era a solução , chegando lá vimos no que deu. Pra onde esse pessoal for e provavelmente será Marina,chega de petistas e sua prole Bolsonaro 2018

  103. O realismo tropical sempre foi pessimista. E como todo pessimista tem como alter-ego, um otimista mal-informado, compartilho minhas preocupações com o Sabino.

  104. Apesar de entediado, o artigo está coberto de razão. Uma única ressalva: se é pra exigir leitura, prefiro a trilogia freyreana no lugar de Retrato do Brasil.

  105. Lúcida sua régua. A minha é a ideação delirante: Lula se acha um Deus e Bolsonaro acha que é um enviado de Deus. Esse é o Brasil atual: completamente esquizofrênico. Está muito difícil uma opção saudável.

  106. Ah! E tem mais o Bolsonaro é um gozador, tipo, perde o amigo mas não perde a piada. Conheço muitas pessoas assim é que são responsáveis. Ele como político que escolher suas piadas. Tem suas limitações? Quem não as tem? o

  107. Pois é Mário não tenho sua cultura mas tenho bom senso e no cenário atual sou Bolsonaro 17. Pode me riscar amigo, mas continuarei a lê-lo e discordando quando julgar necessário. Vocês apoiaram a Clinton e quem venceu foi o Trump e nem por isso eu os risquei. Obrigada por ler esse comentário! Aprendo muito com vocês!

    1. Gostei do texto e o mesmo só reforça o que já decidi. Bolsonaro 2018. Concordo plenamente com vc Maria.

  108. Finalmemte alguém que leu Paulo Prado. Ele também tem outro livro muito bom chamado "Paulística". Me lembro o momento que o autor criticava os males de nossa "mandranice e carolice".

  109. MS, concordo, em parte, com as suas reflexões. A condição ruinosa a que o Estado Brasileiro chegou exige urgência e extremo cuidado. A restauração não pode mais ser adiada. Alguns paradigmas essenciais do modelo republicano precisarão ser reimplantados pela “força da caneta” do novo Presidente. Será o início de um processo que, a meu ver, é muito lento, transgeracional, mas que precisa ser demarcado na direção correta. Alckmin jamais conseguirá fazer isso. Bolsonaro pode faser.

  110. Nossa gastou caneta heim.... realmente a leitura/conhecimento se faz necessário. Ainda mais nos dias de hoje que o intelectual é aquele que vomita trechos de livros ou faz menção a uma personagem com certa intimidade. Mas de todo modo gostei muito da matéria, realmente a seita esquerdista é muito mais perniciosa.

  111. Concordo que Sabedoria não relaciona diretamente com leitura. Isso é inquestionavel. FHC é uma prova viva disso. Agora, existe SIM uma forma de governar sem ficar refem do Congresso. E isso é Fundamental para o Brasil. Não vejo nenhum ilustrado comentaristas propor uma nova relação entre Executivo e Legislativo. So comentam sobre a prisão atual entre os dois poderes. Gostaria de ver na CRUSOÉ esse tipo de ideia, de conhecimento e de Sabedoria. Talves assim ajude um eleitor " ingênuo" a melhorar

  112. Se Bolsonaro não agrada por na ter um discurso intelectualizado, não se diferenciando claramente de Lula neste aspecto, não apresentando, por exemplo, a elegância e eloquência de um Roberto Campos, ele me representa por escancarar a psicopatia esquerdista do discurso do politicamente correto que assola a mídia e os círculos autodenominados intelectuais. Precisamos hoje do conservadorismo de Bolsonaro, e de seu claro posicionamento pela defesa da pessoa e do liberalismo econômico.

  113. Podemos não gostar de política e repudiá-la a ponto de não votar em ninguém, ou mesmo anular um instrumento tão poderoso. Mas não nos esqueçamos que seremos governados por quem gosta dela.

    1. E o FHC, que já leu "trocentos" livros e. teve 2 mandatos? Por que ninguém o reconhece como, pelo menos um bom presidente? Que premissa bobinha a desse texto!

  114. Que porrada Mario. Soube que a procura por Retrato do Brasil está grande depois da Crusoé15. Vida dos Cesares tenho portanto estou a meia medida na régua. Mas há tempo de reparar a leitura. Teu final é pessimista com o futuro. O Raduan Nassar disse que achava o homem uma obra acabada e que não apostava no aprimoramento da espécie. Freud também expressou seu pessimismo escrevendo sobre o homem terminável e interminável. Identifico um suave matiz melancólico na plumagem dessas almas nobres.

  115. Quando comecei a ler o texto, parecia ser mais um anti-Bolsonaro. Ao finalizar conclui que é, disfarçadamente, um texto pró-Bolsonaro (aliás como seu amigo veneziano). Estou neutro ainda. Escolherei o menos ruim. Certamente não votaria em voce, intelectual, que repudia uma classe média revoltada, que você põe no mesmo saco da plebe PTralha ignara, mamadora de benesses populistas.

  116. A cisadões conscientes cabe escolher e votar no menos ruim; reconheço que a escolha este ano esta especialmente difícil, mas se abster não é solução para nada! Igualmente não votarei no poste de Lula ou em Bolsanaro, não sei quem escolherei, mas com Seutonio ou sem ele

  117. Lula e Bolsonaro "igualmente louvados por sua ignorância"... não concordo com essa análise. Mas, belo texto. Não sou eleitor de Bolsonaro, mas desde o finado Enéas, nunca vi um candidato se comportar de forma tão espontânea. Admiro isso

  118. Talvez o livro mais fundamental para entender o Brasil seja "Raízes do Brasil", de Sérgio Buarque de Holanda, que explica os danos causados pelo "homem cordial" brasileiro e o quanto não naturalizamos o liberalismo. Sobre o quadro eleitoral, a saída é votar em Amoedo, 30. Aí teríamos o Brasil liberal que queremos.

    1. Acho engraçado os que dizem que não votam no Amoedo porque não tem chance. Se todos estes votassem nele já estava eleito. Precisamos parar de predefinir quem tem chance ou não. Primeiro turno é feito para se votar no que acredita (eu acredito no NOVO). No segundo ai sim se escolhe o menos ruim.

    2. sim, vota no papa francisco então .... meu amigo, o unico que tem em teoria alguma chance é o bolsonaro, não vamos jogar voto fora não, votar em amoedo, dias vai ser que nem o cristovam buarque, n adianta votar pra quem n tem chance, se ficar no idealismo os bandidos vão continuar botando os honestos no bolso

  119. Pelo que entendi o melhor é o Bolsonaro. O articulista não votará em ninguém. Uma pena, um cara tão lido e deixará que iletrados escolham por ele.

  120. tudo certo , concordo. Mas o fato e’ que estamos em guerra , como a reportagem sobre o Gilmar mostra , e precisa de um choque , então VIVA O BOLSONARO !!!! ta td mundo disposto a correr o risco

  121. Artigo e análises sensacionais. Os argumentos são racionais e sem paixão. Sabino sempre ponderado e receoso faz uma projeção na qual acredito. Espero que com o próximo presidente tenhamos "dias menos piores".

  122. Bolsonaro promete enfrentar o Foro de São Paulo. Isso basta para fazer a grande diferença, mas o autor não quer sujar as maõzinhas.

  123. Parabéns Mário, você também é um grande , além do sócio e amigo Veneziano !!! Há muito não via uma síntese tão precisa sobre o processo que o pobre Brasil está. Simplesmente adorei o critério de corte em quem eleger !!! Sobrou quase ninguém ... Esse país está condenado a eterna mediocridade... A diferença do país onde o sócio e amigo veneziano vive é que colhe ainda os dividendos do império romano até hoje, do resto é a mesmíssima draga... Grande abraço e parabéns pela lúcida análise!!!

  124. Concordo com tudo o que escreveu. A minha preocupação maior é mais com os eleitores do Bolsonaro do que com ele próprio , porque eles pouco se diferenciam dos eleitores de Lula, não há senso crítico com relação ao seu "guru"e os erros que Bolsonaro vier a cometer, serão (como aliás já ocorre) ignorados e justificados, da mesma forma que acontece com Lula.

    1. Evidência? Acho estamos exagerando quando se afirma que há uma aprovação incondicional ao que o Bolsonaro faz e fala, por parte de todos os seus eleitores. Há sim uma grande expectativa e esperança por parte daqueles que querem uma verdadeira mudança e acreditam no candidato. Agora, misturar as coisas, se não for ingenuidade, é desonestidade intelectual.

    2. Não é o que demonstram nas redes sociais, pois dizem amém a tudo o que Bolsonaro fala, e convenhamos, ele não acerta e nem vai acertar sempre, como qualquer outro. Em exemplo é o debate de ontem, onde nenhum candidato se apresentou bem, mas para a turma do Bolsonaro ele foi o único que arrasou! Se isso não é falta de senso crítico, é o que, então? Os únicos eleitores que se comportam dessa forma, são os eleitores do PT! Desonestidade intelectual é ignorar um fato tão evidente!

    3. Os eleitores de Bolsonaro são pessoas que querem romper o stabelesment. Se apoiam este candidato, é porque veem nele a única possibilidade disso acontecer de forma enérgica e com a rapidez necessária. Por não possuirem bandidos de estimação, tenho certeza que se Bolsonaro pisar na bola, não terá outra oportunidade. Colocar os eleitores de Bolsonaro e do Lula no mesmo saco é uma grande desonestidade intelectual.

  125. Parabéns, Mário! Você e o Diogo deveriam escrever mais. Ótimas sugestões de leitura para os políticos e também para o público em geral.

  126. Sugiro que o autor procure conhecer mais sobre os militares, sua intelectualidade e capacidade de realização. Estive na ativa das FFAA por 30 anos e hoje sou professor em uma universidade pública. Ainda não encontrei nesse meu novo ambiente de trabalho pessoas tão capacitadas e competentes para realizar, não só uma coisa, mas várias, quanto às que conheci na caserna. Nenhum jovem despreparado intelectualmente entra para as nossas academias militares muito menos consegue se manter lá.

    1. Nesse ponto concordo com você, trabalhei por muitos anos numa grande universidade em São Paulo, tive a oportunidade de ter um coordenador militar, a objetividade e a capacidade de planejamento me chamou muito a atenção. Foi um prazer ter trabalhado com um coronel das Agulhas Negras.

Mais notícias
Assine
TOPO