ReproduçãoEm apenas três anos, o escritório do advogado alagoano recebeu nada menos que 70 milhões de reais

Um fenômeno no filhotismo

Quem é e como atua o jovem advogado Eduardo Martins, filho do atual presidente do Superior Tribunal de Justiça, cuja banca fatura milhões
20.11.20

À diferença da maioria dos advogados recém-formados, eles não precisam fazer trabalhos pro bono nem negociar honorários abaixo da tabela da OAB. Também não têm que se aboletar em escritórios de terceiros ganhando salários modestos para esquentar a barriga quase que diariamente nos balcões de tribunais. Muito pelo contrário. Com pouco tempo de profissão, estacionam seus carros importados em mansões onde funcionam suas próprias bancas e faturam alto, bem alto, muitas vezes em razão apenas do sobrenome que carregam. Com o vaivém de ministros nas cortes superiores de Brasília, de tempos em tempos os integrantes desse clube seleto mudam, mas o fenômeno do filhotismo é parte integrante da paisagem e suas estrelas são filhos das excelências de toga que, mesmo sem larga experiência, costumam ser contratados a peso de ouro para atuar em disputas bilionárias nas cortes onde seus pais despacham.

Um fenômeno dentro desse fenômeno em cartaz permanentemente na cena jurídica de Brasília atende pelo nome de Eduardo Filipe Alves Martins, filho do atual presidente do Superior Tribunal de Justiça, o ministro Humberto Martins. Aos 35 anos, Eduardo é o feliz proprietário de um escritório de advocacia que, apenas nos últimos três anos, faturou pelo menos 70 milhões de reais – uma cifra significativa até mesmo para os padrões das bancas mais famosas e requisitadas da capital. Ao menos uma parte desse valor levou Eduardo para dentro de uma investigação da Polícia Federal e do Ministério Público Federal, na qual ele é suspeito de receber vultosos pagamentos não por sua atuação regular em processos, mas em troca de garantir facilidades para seus clientes no STJ. Como parte desse modelo de atuação, Eduardo coleciona parcerias que, se de um lado suscitam suspeitas de conflito de interesses, por outro o ajudaram a obter decisões que mudaram radicalmente o rumo de alguns dos processos em que atuou nos últimos tempos.

Eduardo Martins era pouco conhecido do grande público até a deflagração, em setembro passado, da Operação E$quema S, um dos desdobramentos da Lava Jato no Rio de Janeiro. Depois de ter seus endereços vasculhados por policiais federais, ele foi denunciado pelo MPF por lavagem de dinheiro, exploração de prestígio e peculato, em razão de pagamentos milionários que recebeu da Fecomércio do Rio para, segundo os procuradores, usar o peso de seu nome e influenciar ministros do tribunal do qual seu pai é integrante. A dinheirama, todavia, não corresponde ao currículo do jovem advogado. Na plataforma Lattes, ele exibe apenas a graduação em direito, concluída em 2006 em uma faculdade particular de Alagoas, estado natal da família. Hoje, dizem amigos próximos, Eduardo faz mestrado em uma universidade de Portugal. Até se lançar de corpo e alma no direito, ele se dedicava ao esporte. Era mais aplaudido por seus atributos de triatleta do que propriamente pelos de advogado.

Gustavo Lima/STJGustavo Lima/STJHumberto Martins, o pai: ele disse que não tem nada a declarar sobre a atuação do filho
Eduardo mudou-se de Maceió para Brasília há pouco mais de dez anos. Ao chegar, instalou-se em um apartamento no mesmo prédio onde moram seu pai e outros três ministros do STJ, na Asa Sul. Foi lá que a PF o procurou, sem sucesso, no dia das buscas de dois meses atrás. O doutor havia se mudado um mês antes. Um dos policiais chegou a falar por telefone com Humberto Martins, que perguntou se o problema era com ele. “Não, excelência, não é com o senhor”, ouviu o ministro. Outros dois endereços ligados a Eduardo foram alvo das buscas. Ambos são casas amplas no Lago Sul, a região mais nobre de Brasília – em um funciona seu escritório e em outro ele mora com a família. O advogado passou anos reformando os dois imóveis para que ficassem ao gosto dele, da família, de seu sócio e de sua irmã, Laís, que também integra a banca. Amigos relatam, sob a condição do anonimato, que no início a ostentação desagradava ao pai – ele entendia que, ao exibir esses sinais, o jovem e pouco experimentando Eduardo acabaria atraindo holofotes para si. Os conselhos, aparentemente, não foram ouvidos.

Além dos casos da Fecomércio, que o levaram a ter problemas com a polícia e a Justiça, Eduardo Martins obteve outras importantes vitórias na corte hoje presidida por seu pai. Apenas uma delas já rendeu a sua banca nada menos que 10 milhões de reais em honorários, de acordo com a quebra de sigilo fiscal e bancário do escritório, à qual Crusoé teve acesso. O pagamento é proporcional ao tamanho da querela. Trata-se de uma liminar que impediu a anulação de um contrato de 7 bilhões de reais da Prefeitura de São Paulo. Até hoje, a decisão provisória, assinada pelo ministro João Otávio de Noronha em abril de 2019, segue em vigor – jamais foi julgada no mérito ou reanalisada pelos órgãos colegiados da corte. O contrato em questão, no qual um consórcio de empresas se habilitou para operar por vinte anos o sistema de iluminação pública da capital paulista, virou caso de polícia quando a ex-chefe da autarquia responsável pela concessão, Denise Abreu, foi gravada por uma assessora falando sobre uma suposta mesada para manter o contrato.

A parte externa do escritório de Eduardo: quase uma fortaleza
A investigação sobre a concessionária acabou no arquivo do Ministério Público paulista, mas o fim do inquérito não impediu que o consórcio derrotado na concorrência encampasse uma briga na Justiça. Por um tempo, a estratégia teve sucesso e culminou com a anulação da concorrência pelo Tribunal de Justiça de São Paulo. Foi depois disso que Eduardo entrou no caso, chamado pelos advogados da empresa vencedora para tentar reverter a decisão dos desembargadores paulistas no Superior Tribunal de Justiça. Em abril de 2019, ele conseguiu. Depois de o ministro Noronha suspender liminarmente a decisão do TJ, o caso chegou a entrar na pauta da Corte Especial do STJ, mas não foi julgado. Mais tarde, o processo foi redistribuído e ficou sob a relatoria de Jorge Mussi, o vice de Humberto Martins. Ainda não foi marcada uma nova data para o julgamento.

O filho do presidente do STJ também obteve seguidas vitórias em outra batalha milionária. O caso, desta feita, envolve a atuação de políticos e a decisão a favor do pleito de Eduardo é da lavra de um desembargador cujo filho atua com ele. Ao lado de Antonio Rueda, vice-presidente do PSL e parceiro de outro filho de ministro – no caso, o advogado Otavinho Noronha, filho do ministro João Otávio de Noronha –, Eduardo Martins defende, desde a primeira instância, na Justiça Federal em Alagoas, uma empresa importadora de alho da China. A companhia se queixa da taxação do produto – atualmente, só se livram da carga tributária pesada as empresas que conseguem liminares impedindo o governo de cobrar o imposto. Sem a taxação, não há como o alho nacional competir com o importado. Produtores brasileiros e parte da bancada ruralista no Congresso têm denunciado uma espécie de “máfia das liminares” concedidas às importadoras. Atualmente, três empresas importam alho sem precisar pagar o imposto. Duas dessas decisões foram concedidas pelo hoje ministro Kassio Marques, do STF, na época em que era desembargador do Tribunal Regional Federal da 1ª Região. A outra liminar beneficia justamente a importadora defendida por Eduardo Martins, em parceria com Rueda.

Reginaldo Pimenta/Raw Image/FolhapressReginaldo Pimenta/Raw Image/FolhapressDiniz, ex-chefão da Fecomércio: pagamentos por decisões favoráveis no STJ
O caso é repleto de detalhes interessantes. Os pedidos foram rejeitados em primeira instância e em um julgamento colegiado no Tribunal Regional Federal da 5ª Região. Antes de o caso subir para o STJ, era necessário que um desembargador do TRF-5 decidisse se o processo deveria ou não ser apreciado pelas cortes superiores. Nessa etapa, dificilmente um magistrado concede uma decisão que mude radicalmente os rumos da causa. No entanto, o desembargador Lázaro Guimarães atropelou os dois julgamentos de primeira e segunda instâncias e suspendeu a cobrança das taxas aplicadas à empresa defendida por Eduardo e Rueda. O desembargador ainda impôs uma multa pesada ao chefe da Receita Federal no Porto de Itaguaí caso ele descumprisse o seu despacho. Guimarães, decano e vice-presidente do TRF-5, tem laços estreitos com ministros do STJ e já tentou, por quatro vezes, chegar à corte. O filho dele, o advogado Moacir Guimarães Neto, atua em conjunto com Eduardo Martins em processos que envolvem o SESC do Rio e a Fecomércio de Minas Gerais. A parceria é, digamos, discreta. O nome de Eduardo pouco aparece nos autos. Em um dos processos, aparece apenas em uma procuração. Em outro, Eduardo assina uma petição. A quebra de sigilo do escritório de Eduardo Martins mostra que ele pagou 600 mil à banca do filho do desembargador entre 2019 e 2020.

No caso da outra Fecomércio, a do Rio, Eduardo Martins passou a ser investigado porque, ao longo da apuração, os policiais e procuradores não encontraram sinais de que ele havia prestado serviços para a entidade que pudessem justificar os polpudos pagamentos que recebeu. Diretamente, foram 40 milhões de reais. A denúncia do MPF sustenta que a Fecomércio fluminense destinou a Eduardo outros 40 milhões de reais, por fora, por intermédio de terceiros. A se considerar essa parte da acusação dos procuradores, em sete anos Eduardo teria recebido, no mínimo, 110 milhões.

Emerson Leal/STJEmerson Leal/STJO ministro Noronha concedeu uma liminar importante a pedido de Eduardo
O filho do atual presidente do STJ fez parte de um batalhão de advogados contratados pelo então presidente da entidade, o notório Orlando Diniz, que tentava a todo custo se manter no cargo no curso de uma guerra jurídica com opositores que tentavam afastá-lo. Em delação premiada, Diniz afirmou que foi orientado a contratar determinados escritórios para ajudar nos bastidores, facilitando o acesso a ministros. No caso de Eduardo Martins, especificamente, ele afirma que fez os pagamentos para garantir uma decisão do STJ que o manteve no cargo. Advogados que atuaram nos autos em favor da Fecomércio dizem que Eduardo não participava de reuniões para discutir os rumos do processo. Muito menos assinava peças ou fazia sustentações orais nos julgamentos. Alguns nem sequer sabiam que ele estava no caso. Na última terça-feira, 17, ao fotografar a fachada do escritório de Eduardo Martins, Crusoé flagrou a entrada, no local, de um carro do escritório do advogado Caio Rocha, filho de outro ex-presidente do STJ, Cesar Asfor Rocha. Assim como Eduardo, Caio e Cesar Asfor também são investigados no caso que envolve a Fecomércio do Rio.

O fenômeno do filhotismo nas cortes superiores é um dos maiores tabus brasilienses. São raros os casos em que o lobby de familiares de ministros vira objeto de investigações. Quando isso acontece, quase sempre não há consequências. A apuração sobre a Fecomércio é um exemplo vivo: desde o início de outubro, ela está suspensa por força de uma liminar concedida pelo ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal. Em setembro, uma reportagem de Crusoé mostrou que, só no STJ, há mais de 7,4 mil processos em que filhos, mulheres e sobrinhos de ministros aparecem defendendo ao menos uma das partes.

Na última quarta-feira, Crusoé tentou, sem sucesso, ouvir Eduardo Martins. “O doutor Eduardo não dá entrevista, está bem?”, disse a secretária dele. O desembargador Lázaro Guimarães, o pai do parceiro de Eduardo que concedeu a liminar em favor da importadora de alho chinês, afirmou, por meio de sua assessoria, que “tecnicamente” não estava impedido de atuar no caso. Moacir Guimarães Neto, o filho dele, afirmou que sua parceria com Eduardo Martins não teve resultados positivos e que os pagamentos que recebeu da banca do filho do presidente do STJ se referem à intermediação de um negócio no ramo imobiliário. “Os meus honorários decorreram de uma intermediação de negócio imobiliário entre um cliente meu em Pernambuco, dono de uma empresa que é proprietária de uma fazenda em Alagoas, e a empresa do doutor Eduardo Martins, que adquiriu essa fazenda. Há, inclusive, registro no contrato de compra e venda”, declarou. Antonio Rueda declarou que conhece Eduardo “há algum tempo” e que o procurou porque ele é “especializado na área civil” e tem um escritório “qualificado e reconhecido”. Humberto Martins, pai de Eduardo Martins e presidente do STJ, afirmou por meio do staff de comunicação do tribunal que “não tem nada a comentar” sobre a atuação do filho.

Colaborou Fabio Serapião
Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. A CPI Lava Toga tem que sair urgentemente. Espero que os próximos presidentes do Senado e da Câmara tenham aquilo roxo para cumprir com seu dever.

  2. O Brasil parece esses países africanos governados por despotas e onde a corrupção hera as desigualdades escancaradas e vergonhosas.

  3. ESTUPENDA REPORTAGEM! Parabéns!! Esse é o jornalismo q precisamos (não o dos colunistas desta revista...). No mais, isso só acaba qdo, e SE, um dia acabarmos com esse Estado centralizado e hiper ultra mega intervencionista.

  4. Deveríamos votar para esse cargos. Deveriam apresentar "serviços prestados" a nação. A escolha seria no voto juntamente com outros cargos eletivos.

  5. Esta casta de advogados, ao tecer a teia dominadora do Estado, responde pela disfuncionalidade das instituições, interrompendo o princípio da livre-concorrência, acabando com a segurança jurídica, e até a esperança de uma vida digna para as futuras gerações.

  6. A ex-corregedora geral de justiça de saudosa memória, Eliana Calmon, bem que tentou por a mão nessa cumbuca, denunciando esse “filhotismo”, mas não teve o apoio que precisava, principalmente da mídia.

  7. É vergonhosa e uma tragédia a forma como essas “chamadas cortes superiores” atuam, tanto em nível estadual e, principalmente, as federais. Precisamos voltar às ruas para exigir o fim dessas safadezas.

  8. O poder judiciario com seus altos salarios e regalias, meses de ferias viajam o mundo com nosso suor quando retornam se esforçam diuturnamente para manter-nos na ERA MEDIEVAL (e estão conseguindo)

  9. Haverá um dia em que estaremos livres dessas máfias, que estão instaladas em gabinetes luxuosos em tribunais superiores, com todas as despesas pagas por nós e que, apesar disso, estão sempre se locupletando?

  10. Em Alagoas a situação é mais curiosa. Até os que se dizem sobrinho nadam de braçada no lamaçal. Se julgam o próprio ALEXANDRE, o grande.

  11. Como já comentei algumas vezes em matérias desse tipo, o Brasil está dominado por famílias mafiosas nos três poderes e todas com tentáculos no STF. Quando algum caso chega no maior tribunal do país, ele para ou é arquivado. Provas nunca faltaram. O que falta é vergonha na cara e justiça cega.

  12. Eles só fazem isto porque tem a certeza absoluta da impunidade é porque as instâncias correcionais não são independentes e eficazes.

  13. O fenômeno do filhotismo é um câncer com metástase por todo o judiciário brasileiro e não apenas nos tribunais superiores. No meu estado, vi milhares de caso dessa natureza. Uma vergonha!

  14. Meu Deus do céu!!!! O que fazemos? Só temos gangues no Brasil? Das favelas ao Supremo? Será que deveríamos adotar o método de Fidel???... Paredón??? Que desespero ! Graças à Deus temos ainda jornalistas como vs!!! Continuem firmes! As novas gerações os agradecerão!!!

  15. Malha fiscalização no Poder Judiciário, fazem oque querem e quando querem, não são responsabilizados. É um poder moroso por excelência, caro e ineficiente. Agem para alguns grupos e fomentam outros. Até hoje, os planos econômicos não fora, julgado pelo STF, irão esperar prescrever, os bancos sairão vitoriosos e os poupadores (muitos faleceram, faliram, dentre outros acontecimentos) e nada acontecerá aos senhores ministros. O mesmo no STJ, a matéria mostra isso. Instituição falida.

  16. Leiam "Why Nations Failed". Muito interessante. Os autores chegam à conclusão que os países que deram certo têm somente de duas coisas: 1) o império da lei e 2) boas leis. O primeiro depende do judiciário. O segundo do Legislativo. Alguem aí acha que este país tem a menor chance de dar certo?

  17. A origem do roubo e o principal da quadrilha depois com dinheiro senti-se obrigado contratar um verdadeiro mestre em direito penal que pagará uma fortuna, mas uma coisa é certo estará livre-arbítrio.

  18. Só restam mesmo esses quixotescos mártires do jornalismo independente (Crusoé e Antagonista) e eu, no meu modesto e quase incógnito instagram. Alvaro Costa (@brasila_urgente)

  19. Todos: imprensa, midia geral, deputados, senadores, autoridades civis e militares, juizes, desembargadores, ministros, e até presidentes dos 3 poderes, sabem dessa poucavergonha e calam-se, admitem. Alvaro Costa/df

  20. Não são 3 Poderes. É um só! corrompido e abençoada pela dantes decente OAB, ABI & Cia LIMITADA da Sociedade Civil.

  21. E Brasília é o sepulcro da Justiça, e o cemitério da iniquidade, onde a nobreza chafurda na sua própria lama, e cag.. a e anda pros mortais comuns. Alvaro Costa (@brasília_urgente)

  22. E sabem qdo isso vai mudar?? NUNCA.. Brasília é o sepulcro da honestidade e cemitério da Justiça. Quase ninguém escapa. A nobreza deita e rola na chafurdice lamacenta de suas esquinas e prédios majestosos, e caga e anda pra sociedade estúpida e leniente. Alvaro Costa (@brasilia_urgente)

  23. Esta por..ra de país de 9º mundo jamais mudará.. as falcatruas e as arruaças jurídicas acontecem sob o nariz de todo mundo: juizes, ministros, presidentes da republica, jornalistas, deputados, senadores, filhos, sobrinhos, netos de juízes, ministros do stj, desembargadores dos TRFs, etcetcetc.. todo mundo sabe das sem-vergonhices, e fica todo mundo caladinho.. os únicos a chiarem e denunciarem ainda são esses heróicos mártires da midia (Crusoé e Antagonista) que são massacrados pelos apaniguados

    1. Alvaro, a sua frase "jamais mudará " está errada. O (STJE)-Supremo Trib.d Justiça Espiritual vai julga-los e serão condenados e lançado num presídio de correção existente em um planeta longínquo, onde o corpo humano, inicialmente, portara' uma rudimentar inteligência com capacidade de viver em cavernas por não saber nem como construir um rancho de paus com cobertura de capim e etc. etc. ...

  24. Gente, tem de se fazer uma ordem severa para destituir do cargo toda essa gente oportunista. Desde o advogado até os altos escalões que os apoiam e encobrem as falca truas.

  25. As tais palavras SUSPEIÇÃO ou IMPEDIMENTO, só existem nos livros de Direitos, mais na prática é isso que a Crusoé escancarou. A legitimidade passa estar em quem escreve e não no conteúdo do que se escreveu, traduzindo, no julgamento é somente olhado a assinatura do advogado, o que ele escreveu, puro formalismo.

  26. Um profissional que não deveria ser chamado de "doutor" e que faz da profissão um meio de ganhar dinheiro ilícito. Se existe o "filhotismo" é porque os Tribunais e os juízes desses Tribunais deixam. Vergonha!

  27. A constituição cidadã de 1988 garante a supremacia das castas de privilégios. Enquanto o restaurante da população essa mesma constituição garante impõe pesada carga tributária.

  28. Na 1a Instância ainda dá pra acreditar. Daí pra cima a justiça é relativa é duvidosa. Salvem o Brasil refém da corrupção

  29. O "brasil" Infelizmente só mudará com sangue. Foi assim na França, Rússia, etc. Os czares da corrupção brasileira (existentes nos 3 poderes) agem em conjunto para perpetuar os constantes saques aos cofres públicos.

  30. Isso é a maior "putaria". Esse País e seus "JUIZES " e instâncias são UMA VERGONHA! Queria saber se isso acontece em outros países onde os juizes vão contra as regras em favor de interesses pessoais e familiares. Rola muita $$$$ e nós aqui ... sustentando a corte e mantendo o "sistema". Teremos que fazer revolução e guilhotina?

    1. Mandou bem. E’ um resquício da nossa monarquia, termos uma casta de individuos privilegiados, acima das leis, que ditam, regulam a vida de todos e acumulam benesses das mais incriveis. Planos de saude, ferias de 60 dias, recessos disso e daquilo, jatinhos, auxílios de todos os tipos, cursos no exterior, tudo pago pelos desdentados, porque tais Excelências não podem ser incomodados com questões comezinhas, tipo servir o próprio cafezinho. Olhem para a China. Só Educação para mudar isso.

  31. Como é possível, a nós, simples mortais, acreditarmos nas altas cortes do país? Com esse protecionismo, e bem possível favorecimento, é fácil advogar e cobrar fortunas pelas causas defendidas.

  32. Todos os ministros negam sua participam nos ardis e malandragens q a Crusoé corajosamente tem denunciado. Todos, país, filhos e amigos devem prestar contas à justiça e à sociedade.

  33. Está é a triste realidade. Enquanto muitos recém formados lutam com muito esforço e dedicação para conseguirem um espaço no mercado de trabalho, outros, privilegiados filhos de pais de notável saber jurídico encurtam o caminho para o sucesso profissional. Assim caminha o Brasil. Meritocracia decorrente do filhotismo.

  34. Sou advogado ha 47 anos e nunca advoguei numa justiça tão desinteressada, morosa, arrogante e parcial, com honrosas exceções. Tristeza

    1. infelizmente este é o retrato do Brasil e suas excelências , da nojo! lena

  35. Parabéns pela coragem de expor as entranhas deste mal brasileiro chamado filhotismo, que, diga-se de passagem, ocorre em todos os tribunais. Triste é constatar que a OAB nada faz para defender os advogados honestos!

  36. Parabéns por mais uma reportagem espetacular que esmiúça a vergonha suprema que a nação brasileira deveria encampar por efetivas mudanças estruturais em todos os Poderes constituídos no Brasil. Basta checar os comentários que se sucedem à matéria para depreender a apoplexia geral que reúne todos os indignados leitores, além da descrença de que alguma mudança irá ocorrer. Parabéns pela coragem e competência da Crusoé para apurar e compilar e explicar temas tão complexos de forma acessível

    1. Se me permitires Mauro, faço minhas as tuas palavras !!!

  37. A justiça brasileira está falida, ou nunca existiu. Um jogo de interesses, uma palhaçada com a população. Vossas excelências, em sua maioria, demonstram nosso fracasso como nação

  38. Estudando em Portugal? Outro copia e cola? Vai ver, tá querendo virar ministro. Know how impressionante em corrupção e apoios afins.

  39. A falta de ética é óbvia nessa situação. O juiz deveria sempre se declarar impedido por conflito de interesse, mas isso não acontece. Mesmo essa declaração de impedimento não seria o suficiente, pois poderia ser apenas para salvar as aparências, e o juiz impedido continuaria atuando nos bastidores, influenciando seus pares.

  40. Parabéns a ótima reportagem, mostrando o que todos já sabem: A GRANDE CORRUPÇÃO DO JUDICIÁRIO é mais uma vez o nome de Gilmar orbitando as picaretagens. VERGONHA !

  41. Há trinta e cinco anos o PIB da China era pouco menor que o do Brasil. Hoje, passadas estas três décadas e meia, com atuação de suas lideranças e autoridades, assistimos a caminhada para a consolidação de duas potências, uma para das maiores economias mundiais, outra para uma das maiores cleptocracias do mundo.Hoje se sabe onde estão os pilares de sustentação de toda a forma de corrupção no país.

  42. Como combater este esquema de corrupção tão claro e óbvio se os envolvidos são ministros de supremos e seus filhos ou parentes? A única possibilidade é o Senado, mas a maioria se pela de medo, pois pode cair nas mãos deles por seus mal feitos. É o Brasil (com letra minúscula mesmo).

  43. Um país de muitos advogados enriquecendo de forma rápida só indica o quanto a constituição federal e suas leis são mal feitas. As leis são dúbias e favorecem o grande número de processos judiciários. O grande número de advogados no Brasil indica a proporção de injustiça...assim como a saúde no Brasil cheia de médicos no âmbito privado e nem por isso tem qualidade.

  44. Duas doenças acometem muitos dos magistrados brasileiros: A Juizite, que tem como sintomas o abuso de autoridade ou insinuações de tal abuso. A outra é FILHOTISMO, que não ataca somente nos STJ, mas noutros tribunais e em muitos tribunais estaduais. São tantos que este espaço não nos permite citá-los.Isso é fato notório e a OAB conhece muito bem o LOBBY de filhos de desembargadores e ministros de tribunais nas próprias cortes onde os papais imperam. Issose constitui num dogma de nossa JUSTIÇA!

  45. Só um IRA ou ETA a explodir esses vermes com todos seus familiares, pra um dia sermos respeitados como povo, nação, gente. Esse raça maldita está cagando e andando pra sub-raça que lhes sustentam.

  46. Esse artigo denúncia, mais 110 milhões de vezes, efeito algum terá sobre o funcionamento normal da máquina estatal... Parabéns pelo artigo, mas...

  47. Fosse eu ditador do Brasil, baixava decreto determinando que todo filho de desembargador passasse 3 anos trabalhando na lavoura, com salário mínimo, antes de receber a carteira da OAB.

  48. Esses escritórios não deveriam possuir ações tramitando no STJ. A OAB deveria vedar essas situações pq é óbvio o conflito de interesses.

  49. ao ler está reportagem, muito bem feita por sinal, dá uma vontade enorme do Covid19 fazer muuuiittas vítimas na justiça togada. Mas acho, que já compraram o Covid19! "ele não veio da china," daqui a pouco vamos escutar isso.

  50. Vivemos na pior das ditaduras, amordaçados por uma CANALHADA que manda e desmanda no Poder Judiciário, somente beneficiando seus padrinhos - políticos e empresários corruptos. Não temos mais saída, a corrupção acabou vc om o País.

  51. Quem comentou aqui sabe do que está falando. Deu uma lição de jornalismo, sem papas na língua, mas expressões de alto nível de entendimento. Essa vergonha diabólica vai durar até quando? Meu neto mais novo já sabe o

  52. Quanta sujeira e pilantragem dos filhinhos queridos de altos membros da justiça, isto é muito triste para a população honesta, ainda bem que temos a Crusoé para mostrar estes casos.

  53. As castas familiares beneficiadas pelo QI, de quem indica, o sistema de privilégios de enriquecimento criado nas terras tupiniquim pela CF 88, dita cidadã, a qual o brasileiro não tem forças de lutar contra, pois são dominados pela política de inescrupulosos patrimonialistas.

  54. Um dos piores males para a democracia é o conflito de interesses. Mas acho que em alguns casos já avançamos disso. Seja o capitalismo tupiniquim implantando pelo PT, onde público e privado se misturaram em detrimento da sociedade e nesses casos que sempre vem a tona no judiciário. Pelo que se vê, são organizações criminosas que visam o enriquecimento. E em caso de funcionários públicos, eles são pagos para em última análise roubarem os que lhe pagam, ou seja, o povo.

  55. A revolta, em todas as pessoas que se sacrificam a sua vida e a de seus filhos para serem honestos, porque a vida por aqui, diante da grandeza universal, é de uma efemeridade incomum. Digo sacrifica porque deixam de ter acesso a um conforto e segurança necessários, para se ter mais tranquilidade. Não pra luxo e ostentação, mas apenas para o necessário. Trabalham, trabalham e trabalham, pagam impostos todos os dias e saber

  56. Estamos ainda numa Corte Imperial,com uma diferença,porque nela há vários reis. Isto é fruto da modernidade corrupta,que enraizou-se e alastrou-se em todas as Instâncias deste país de expiação.A pobreza vai explodir um dia, aí não haverá fortaleza que detenha. Figurativamente: Constantinopla era cercada por uma fortaleza considerada intransponível.Foi derrotada e o Império Otomano surgiu. Nada é para sempre.Espiritualmente,esses senhores poderosos formarão,uma fila mil vezes maior ao calabouço!

  57. A desculpa sempre é parecida, intermediação de transação imobiliária, pagamento de empréstimo e por aí vai. Só os fracos são pegos.

  58. Quem paga mais leva, um verdadeiro balcão de negócios. Ainda chamam isto de Justiça. Só falta o óleo de peroba, verdadeiros caras de pau

  59. A "justiça" falha até para ser justiça pois já está viciada e os erros não são meros erros humanos nestas "falhas". O inferno porém nunca falha...

  60. Por algum motivos a mídia mainstream nunca mostra algo parecido com esta reportagem. Cadê a Globo? Cadê a Folha? Cadê o O Globo? Cadê o Estadão????

    1. Como citado no texto, esse escandaloso processo da Fecomércio está parado desde o início de Outubro em razão de uma liminar concedida por, advinhe quem, ele mesmo ... super Gilmar Mendes (o libertador).

  61. Nepotismo é a instituição máxima do País, onde filhotes de papai-papaizão se distinguem apenas pela falta de distinção. Nepotismo, assim como a geleia real da impunidade, típica de repúblicas bananeiras, se acham na raiz da corrupção política de natureza sistêmica, nutridos pelo Estado obeso e disfuncional, com sua pletora de políticos ociosos. Haverá meio de limpar a pocilga? Por agora, não. Talvez no próximo governo, caso haja garra para coibir o Voleibol Sinistro, entre outras bambochatas.

    1. Se o Nepotismo é a instituição suprema do País, o Fisiologismo é sua ideologia quase oficial. Nepotismo é a negação do mérito individual, asfixiado por interesses de famílias, frequentemente delituosas. O Fisiologismo é a doutrina preferida do Estado obeso e disfuncional, que aleita o empresário dependente de prebendas e favores governamentais para prosperar longe de qualquer ameaça de competição, sob a sombra amena do conchavo, conluio e cabala. Não seriam Tristes Pântanos, Prof. Lévi-Strauss?

    1. Infelizmente esta é a realidade do nosso judiciário. É praticamente impossível um advogado desconhecido conseguir uma liminar num tribunal superior, por melhor que seja o direito do seu cliente. Exatamente por isso, as grandes empresas contratam a parentalha dos ministros. Esse e$quema ocorre em, praticamente, todos os tribunais, com raríssimas e honrosas exceções. Este país não é pra amadores!!!

  62. Lula fez o mesmo com os filhos e isso se chama patrimonialismo da elite política e judiciaria. Só um Adélio 2 com melhor pontaria pra resolver isso.

  63. SOU CAPAZ DE APOSTAR QUE O FILHO DO MINISTRO FAZ MESTRADO NA UNIVERSIDADE ONDE O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, e fundador do IDP de Brasília é o presidente da Comissão de Acompanhamento do CIDP DE PORTUGAL.

  64. Nos idos de 69, servi, quando ainda se poderia chamar, ao Glorioso Exército Brasileiro. Imaginem vocês se acontecesse qualquer barbaridade dessas à época. Poderia ser quem fosse, de qualquer instância ou entrância, estes pulhas estariam afastados em meia hora, respondendo pelos crimes cometidos. Saudades do meu país com comando sério.

  65. Com essa reportagem fica claro o porquê da ciumeira do ex- ministro Sérgio Moro. Essa bandidagem de toga que envolve os próprios parentes, precisa se combatida diariamente para não deixar dúvidas à sociedade quem é quem no campo da corrupção e denunciar o famoso jeitinho brasileiro de acesso as cortes superiores. Por outro lado, esses processos que estão parados por interesses escusos precisam ser cobrados pela própria midia nacional. E os ministros citados vâo se pronunciar?

    1. Sérgio Moro como Presidente será a solução!

  66. Vergonha!!! E chamam isto de justiça. Verdadeiras organizações criminosas, bancadas com dinheiro obtido através de fraudes. E nada, ou pouco acontece, quem julga estes processos são estes pilantras. É de perder as esperanças no Brasil. Instituições corrompidas. Não vejo solução. Povo acomodado, vendo tudo sem qualquer reação. Resta apenas o trabalho solitário da polícia federal e importantes reportagens esclarecedoras como esta. Viva a POLÍCIA FEDERAL!!! Acorda Brasil!!! 🇧🇷🇧🇷🇧🇷

    1. Ah, e este pilantra ainda é chamado de “doutor”. É dose!!!

  67. O QUE TEM EM COMUM os Ministros: KASSIO NUNES MARQUES, Humberto Martins e João Otávio de Noronha, atuais ministros do STF e STJ ??? todos ingressaram como Desembargadores e Ministros pelo QUINTO CONSTITUCIONAL DA OAB --- nunca estudaram e nem fizeram o dificíl concurso de juízes !!! PASSOU DA HORA DE UMA REFORMA CONSTITUCIONAL ACABAR com essa mamata de advogados.

  68. E o pior de tudo é que ganham quantias milionárias advogando contra o próprio Estado que paga os polpudos salários e benesses de seus país e amigos!! Com facilidades de acesso a estas pessoas conseguem para seus clientes isenções fiscais e manutenção de contratos superfaturados, contratos estes que já renderam pagamentos de propinas a políticos corruptos! Desse jeito, coitada da viúva!! É muito carrapato para pouco sangue!!! Sobra pouco dinheiro para prestação de serviços à população.

  69. Se há Rachadinha no legislativo por que não haveria no judiciário? Todo o sistema e corruptos, toda corrupção emana do poder.

  70. Istituições com mecanismos falhos e ineficiêntes em combater essa vergonha, vem desde uma simples rachadinha até venda de sentenças. Como mudar isso no Brasil? Hoje é um dia iconico no Brasil onde todo dia 20 as empresas pagam suas DAS praticamente 25% do faturamento direto do mês vai para o estado amigo de alguns.

    1. Sera' que o Brasil e' o unico que exerce vida publica tao canalha como nos ? Pelo amor de deus!

  71. A corrupção está impregnada em todos os poderes e quem acaba pagando a conta deste custo são os Brasileiros que recolhem impostos. O Poder Judiciário é uma caixa preta onde ninguém consegue mexer, porque eles fazem a defesa entre si. Lamentável !!!!

  72. Quadrilhas altamente especializada com forte respaldo nesse judiciário contaminado, aparelhado e promíscuo. Os nomes que surgem sempre envolvidos em algo inescrupuloso e para surpresa de ninguém surge o beiçola praga lazarenta nefasta que assola o país. As famiglias nos poderes assaltam o país das mais variadas formas.

    1. Capeta não Aurélio, vão reencarnar aqui de novo, nascer no pior lugar do país e sem lenço e nem documento. Depois, pode ter coisa pior!

    2. A máfia no poder,tem braços nos 3 poderes.Vermes imundos,juntos e misturados pra devorar as entranhas do POVO sofrido.Um dia todos irão acertar as contas com o CAPETA .

  73. E esse procedimento odioso retratado na reportagem nem precisa ser combinado. É tácito! Ou seja: o magistrado vê o nome do "advogado", faz o que "deve ser feito" dentro de estúpidos padrões morais, e sabe que a recompensa do sistema certamente virá... Pobre Brasil...

    1. Acompanho o Relator.. Quem tem um amigo do amigo do meu pai, sempre leva vantagem

  74. o corporativismo sempre fala mais Alto em todos os setores do serviço público , só que no judiciário quem paga um alto preço é o povo brasileiro, não só monetário , mas o pior é que essa sujeira todo só ajuda a perpetuar o incentivo a criminalidade , a cultura de desonestidade que assola o Brasil inteiro , e tendo as instâncias superiores como mau exemplo , o que nos resta é um país sem futuro e um povo escravo de um estado inchado caro e ineficiente que distorce a luta para sermos honestos.

  75. Se houvesse uma investigação completa nos diversos tribunais que proliferam pelo país, sem dúvida muita podridão iria aparecer. Basta iniciar com os famigerados "salários" que esta turma recebe.

  76. Resta-no a indignação. Sequestram a justiça e com decorrer do tempo, o caso cai no esquecimento. Nada mudará. Um corporativismo criminoso. Somos uma árvore de frutos podres.Carecemos de valores morais. Se acontece nos tribunais superiores, o que dizer do resto.Esse é o nosso país.Se trata de mais uma forma de corrupção.

  77. Se tudo isto tivesse acontecido em um país sério, os papais que não se acham impedidos de julgar processos nos quais os filhos atuam, teriam perdido as suas licenças. Mas aqui no Bananão, aceitamos tudo.

  78. Na minha opinião tinha que começar exigir x tempo de experiência nas primeiras instâncias para depois se candidatar a vaga no tribunais superiores, isto resolveria muitos problemas.

  79. Parabéns pela matéria. Temos que expor mesmo, divulgar, noticiar. Só assim essa semente um dia poderá vingar e quem sabe resultar em alguma punição.

  80. Párias e seus filhotes. E pensar que votei num "zé ruela" com poder de indicar outros iguais. Estou me redimindo e por isso assino Crusoé. Desculpe-me Juiz Moro, não sabíamos que esse porqueira seria tão ruim. Em frente.

  81. Taaaaa.... matéria clara é muito informativa. Indago: e agora, mudará a situação do filhotismo nos Tribunais, ou continuará sendo um TABU e nós, continuaremos reféns dessa podridão?

  82. assim fica fácil, se o pai tem a caneta, o filho pode bater nos filhos dos outros com muita proteção. filhotes mimados na forma da lei.

    1. PAULO ESSA CPI NUNCA VAI SAIR DA GAVETA. SÃO TANTOS POLÍTICO, JUÍZES,PGRs ENVOLVIDOS COM FALCATRUAS QUE EM ALGUNS CASOS SAO INVESTIGAÇÕES SOBRE MORTE. É NOJENTO VÊ O NOSSO PAIS NA LAMA DO ESGOTO PODRE DE BRASÍLIA. ESQUECI DE INCLUIR A FAMILICIA BOZOBOSTA.

  83. Qual é o pior poder do Brasil? O Judiciário, com certeza, pois contra ele não há como recorrer. E o povo? É a galinha dos ovos de ouro.

  84. E o idiota do brasileiro preocupado se o presidente fala isso ou aquilo que desagrada essa ou aquela classe da nossa ‘sociedade brasileira’! Este país nunca foi e nunca será dos brasileiros de bem, que trabalham e se acabam todos os dias por uma vida minimamente digna. Este país é e será sempre das cobras e ratos que o governam sob a balança da indecência jurídica que nossos tribunais praticam todos os dias. Enquanto houver essas cobras espalhadas pelos tribunais, haverá sempre as ‘cobrinhas’!

    1. Também ouvi a fala da ex min8stra da Cnj. Gostaria d3 ouvir a opinião de Sérgio Moro, que é colunista da revista .

  85. A melhor atitude do Presidente do STJ, diante da devastadora reportagem é renunciar ao cargo que ocupa e pedir a aposentadoria. Essa atitude seria um ato de coragem que acho que ele não tem.

  86. o brasil está bem, temos magistrados TUBAINA (mestrado tele -supletivo). temos tambem os Doutores RABULAS. graças a CRUSOÉ estamos sabendo a cada semana QUEM PAGA PRÁ GENTE FICAR ASSIM(e quem recebe).

  87. As Administrações Nacionais do Sesc e do Senac sempre contrataram filhos de Ministros, inclusive do TCU. Idéia do Chefe do Departamento Jurídico da CNC, que administra ambas as entidades: o doutor Marcelo Barreto

    1. EXATAMENTE MANOEL. CACHAÇA E FUTEBOL. CADÊ OS BOZOBOSTAS FÃS QUE NAO COMENTAM NADA? MORRENDO DE VERGONHA NÉ?

    1. Não Marcio, eles nao tem vergonha e não cansam, porque sabem que nao vai acontecer nada. Estamos aqui P. da vida, mas sem esperança que algo mude, só lamentamos, nao fazemos nada efetivamente, nao sabemos o que fazer. Não temos lideres que possamos seguir. Vários que acreditamos no passado, foram fracos, acabaram se submetendo ao estado quo. Aliados a tudo isso, temos um povo acostumado a receber migalhas, enquanto elas estiverem pingando nada acontece.

  88. Se a justiça apodreceu a tal ponto, o que se espera do restante? O capitão foi eleito pra destruir o país, ele e os filhotes, têm se esforçado pra isso, que vergonha desse covarde!

  89. Isso é exposto de forma tão clara, mas que não vai dar em nada, é uma casta de corruptos blindados, quem irá tirar eles de lá? Senado? Congresso? Não tem moral para se quer abrir a boca.

  90. A injustiça começa nos bastidores, e é assim que devemos aceitar, se tiver achando ruim se mude. Já faz tempo que a justiça agi assim, num viu Moro falando em petição auricular, isso não consta na matéria do CPC.

    1. roney. ótima reportagem sugiro aos jornalistas da revista fazerem uma pesquisa sobre a árvore genealogica dos magistrados de apenas uma instância. Descobrirão parentes de juiz, procurador, etc, em todos os estados. É um nepotismo sem fim.

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO