Dênio Simões/Agência Brasília

Os fiscais sem fiscal

Os tribunais de contas, que deveriam zelar pela probidade, se tornaram verdadeiros escoadouros de verbas públicas. E o pior: não há quem os fiscalize a contento
07.08.20

O controle das contas, o monitoramento da execução orçamentária e a fiscalização das despesas realizadas com dinheiro dos cidadãos são atribuições indispensáveis aos órgãos encarregados de zelar pelo correto funcionamento da máquina pública. Mas boa parte dos responsáveis por esse ofício de inquestionável teor técnico não tem nenhum preparo para a função. Para além do já conhecido aparelhamento político, os tribunais de contas do país, que têm a missão constitucional de analisar com lupa o destino dos recursos públicos, viraram escoadouros de dinheiro do contribuinte. Com o pagamento sistemático de benesses de legalidade questionável a seus integrantes, o teto do funcionalismo, por exemplo, virou letra morta nessas cortes.

A partir de uma canetada, conselheiros e procuradores de contas chegam a dobrar os próprios salários e muitas dessas vantagens são cuidadosamente dissimuladas nos portais de transparência. Sem um órgão administrativo de controle para acompanhar as ações dos tribunais de contas e diante das descabidas concessões de vantagens, coube a entidades da sociedade civil o papel de fiscalizar os fiscais. Em um levantamento inédito realizado por três associações de controle social e compartilhado com Crusoé, é possível ter uma amostra dos absurdos e regalias que imperam nessas cortes.

O trabalho esmiuçou os contracheques de conselheiros e revelou uma infinidade de penduricalhos indecorosos nos vencimentos dessas autoridades, muitos dos quais questionados na Justiça por entidades da sociedade civil ou pelo Ministério Público. Auxílios polpudos para comprar livros, autorização para procedimentos estéticos, diária para quem não viaja e gratificação eterna para os ex-presidentes estão entre as vantagens identificadas. Com a lentidão da Justiça, as ações contra as regalias podem arrastar-se por anos até serem julgadas. Enquanto isso, a casta dos conselheiros, boa parte denunciada ou condenada por crimes, segue enchendo os bolsos com o dinheiro público que deveria fiscalizar.

O relatório foi desenvolvido pela Associação Contas Abertas, pelo Instituto de Fiscalização e Controle e pelo Instituto Observatório Político e Socioambiental. Na primeira etapa do levantamento, as entidades se debruçaram sobre a remuneração dos conselheiros dos tribunais de contas da região Centro-Oeste. Ainda serão fechados cinco novos relatórios das outras quatro regiões e um último do Tribunal de Contas da União.

Apesar de priorizar a questão remuneratória, o estudo também lança luz sobre os escândalos envolvendo os integrantes das cortes de contas. O mais recente certamente terá destaque no relatório da região Norte: na última segunda-feira, 3, o Superior Tribunal de Justiça condenou dois conselheiros do Tribunal de Contas do Amapá por desvios que alcançam a impressionante cifra de 100 milhões de reais. Amiraldo da Silva Favacho foi condenado a 6 anos e 11 meses de prisão em regime fechado. Júlio Miranda, ex-presidente da corte, recebeu pena de 14 anos e 9 meses. Eles são acusados de desviar dinheiro das contas do TCE por reembolsos indevidos de despesas médicas e passagens aéreas a pessoas de fora dos quadros do tribunal e pelo recebimento de verbas remuneratórias sem respaldo legal. Ambos foram deputados estaduais e ganharam o cargo na corte graças a negociações políticas.

Os tribunais de contas estaduais têm integrantes indicados pelas Assembleias Legislativas e pelos governadores. Em geral, se exige dos candidatos “idoneidade moral e reputação ilibada” e experiência em cargos que exijam conhecimentos jurídicos, contábeis ou de administração pública. Algumas cadeiras são reservadas para funcionários de carreira das cortes, outras para representantes do Ministério Público e outras ainda são de livre escolha. Os requisitos suficientemente amplos servem para abarcar qualquer apadrinhado das autoridades de plantão. Assim, parentes de políticos, sindicalistas e antigos secretários estaduais, vereadores e deputados estaduais são figuras comuns nos tribunais de contas.

Jeso CarneiroJeso CarneiroCastelo Branco, do Contas Abertas: estudo revela privilégios imorais
A falta de critério técnico na seleção dos conselheiros ajuda a explicar por que, empossados no cargo, muitos passam a focar na criação ou até mesmo aprimoramento de benefícios para eles próprios. Segundo o levantamento das três organizações, os tribunais de contas custam anualmente 10 bilhões de reais.

O retorno para a sociedade não é proporcional às despesas geradas, já que, em casos de desvios, o percentual recuperado é muito baixo. “Poucos são os exemplos de políticos alcançados pelo poder sancionador desses tribunais de contas e a recuperação do patrimônio público é baixa, já que as decisões condenatórias precisam, após proferidas, ser executadas. Como os tribunais de contas demoram muito para julgar, não conseguem recuperar o patrimônio público desviado, fazendo aumentar o descrédito da população e agigantando a certeza da impunidade”, diz um trecho do relatório.

Na análise das vantagens pagas a conselheiros e procuradores de contas da região Centro-Oeste, o estudo identifica um extenso e criativo rol de privilégios: auxílio-creche, auxílio-alimentação, auxílio-saúde, reembolso de planos de saúde, cotas de combustível, gastos com telefones, verbas para computadores, despesas com segurança pessoal, pagamentos de cursos, 60 dias de férias e venda de parte delas e brechas para ressarcimento de procedimentos estéticos, além de licenças-prêmio.

“Nas remunerações dos tribunais de contas, o teto salarial tornou-se um piso. É inacreditável como o texto da Constituição foi distorcido, com interpretações generosas e injustificáveis, que podem até ter algum amparo legal, mas são, em sua maioria, imorais”, afirma Gil Castello Branco, fundador e secretário-geral da Associação Contas Abertas. No Tribunal de Contas do Distrito Federal, os conselheiros chegam a incorporar ao salário uma gratificação pelo exercício da presidência. Se um integrante assume o comando da corte por apenas alguns dias, ele receberá para sempre um extra de 8,8 mil reais mensais.

No Tribunal de Contas de Mato Grosso existe um benefício chamado “auxílio de obras técnicas”. A corte paga semestralmente o equivalente a um salário aos conselheiros para a compra de livros especializados. Não é necessário comprovar a aquisição das publicações para receber o benefício, que anualmente soma mais de 70 mil reais. O tribunal diz que o auxílio tem a “finalidade de aperfeiçoar os serviços e produtos entregues pelos membros do Tribunal de Contas de Mato Grosso à sociedade”. Segundo o levantamento, apenas um dos sete integrantes da corte abriu mão do benefício.

Até maio, os conselheiros mato-grossenses dispunham ainda de uma outra regalia ainda mais escandalosa, que acabou suspensa pelo Supremo Tribunal Federal, graças à insistência de um grupo da sociedade civil. A briga começou em 2018, após uma reportagem publicada pela imprensa local revelar que os conselheiros recebiam um extra de 23 mil reais mensais. A bolada era paga a título de indenização por viagens dentro do estado. Detalhe: nenhum conselheiro se desloca por Mato Grosso. E, obviamente, a corte não exigia a comprovação das despesas.

Marcelo D. Sants/FramePhoto/FolhapressMarcelo D. Sants/FramePhoto/FolhapressO TCU, com seus vários ministros denunciados, também sofrerá um raio-x
Em novembro de 2019, uma liminar suspendeu o pagamento. Mas, em março deste ano, o tribunal articulou com a Assembleia Legislativa a criação de uma nova verba indenizatória no valor de 35 mil reais. O Executivo aproveitou e estendeu o benefício para secretários estaduais. A proposta, apelidada de PL dos Marajás, foi sancionada pelo governador Mauro Mendes, do DEM. Em maio deste ano, por nove votos a zero, o STF derrubou a farra.

Ainda no Mato Grosso, cinco dos sete conselheiros estão afastados de suas atividades desde 2017, por determinação do STF. Eles foram citados na delação de Silval Barbosa, ex-governador do estado, como beneficiários de um esquema de corrupção no governo.

Em fevereiro, o STJ prorrogou por mais seis meses o afastamento, que deve ser rediscutido em setembro. Um dos conselheiros afastados protagonizou um vídeo pastelão, que veio à tona em julho. Durante o cumprimento de um mandado de busca e apreensão em seu escritório, Waldir Teis desceu 16 andares de escada para tentar se livrar de cheques no valor de quase 500 mil reais. Ao tirar os talões do bolso e jogá-los em uma lixeira, ele acabou flagrado por um agente da Polícia Federal e foi preso preventivamente.

Hoje, na América Latina, apenas Honduras e Uruguai têm cortes de contas em estruturas similares à do Brasil, com um tribunal em cada estado e um órgão específico para fiscalizar os gastos da União. Na Argentina, por exemplo, há corte de contas apenas na cidade de Buenos Aires. O tribunal nacional foi extinto. Outros países seguiram o exemplo do Chile de extinguir seu tribunal e ficar apenas com uma Controladoria-Geral.

Propostas em tramitação no Congresso Nacional preveem mudanças menos radicais do que a pura extinção das cortes de controle, mas trazem mudanças no sistema de escolha de conselheiros e ministros, para tentar reduzir a politicagem e a corrupção nesses órgãos. A julgar pelo emaranhado de interesses políticos que envolve a questão, é possível imaginar quão complicado será mexer nesse vespeiro.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

O maior e mais influente site de política do Brasil. Venha para o Jornalismo independente!

Assine a Crusoé

CONFIRA O QUE VOCÊ GANHA

  • 1 ano de acesso à CRUSOÉ com a Edição da Semana: reportagens investigativas aprofundadas, publicadas às sextas-feiras, e Diário, com atualizações de segunda a domingo
  • 1 ano de acesso a O ANTAGONISTA+: a eletrizante cobertura política 24 horas por dia do site MAIS conteúdos exclusivos e SEM PUBLICIDADE
  • A Coluna Exclusiva de Sergio Moro
  • Podcasts e Artigos Exclusivos de Diogo Mainardi, Mario Sabino, Claudio Dantas, Ruy Goiaba, Carlos Fernando Lima e equipe
  • Newsletters Exclusivas

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
  1. Para que serve um Ministro da Economia? Não é dele o papel de guardião do dinheiro arrecado pelos impostos, dando aos recursos o destino necessário para manter a máquina pública funcionando? Como pode fazer vista grossa para a canalhice dos tribunais de contas e outras aberrações do funcionalismo se o dinheiro roubado por eles vai fazer falta em áreas essenciais? É mais fácil aumentar impostos do que fiscalizar o dinheiro que já existe, que no Brasil é igual c u de bêbado.

  2. E sabem de uma coisa pessoal? Meu "velho" que era português, já dizia há 50 anos: -"o único jeito de melhorar o BR é "devolveire" pra Portugal e ainda "pedire" desculpas pelos estragos". Alvaro Costa (@brasilia_urgente) no insta

  3. E agora a célebre pergunta: diante de tamanho descalabro, ninguém - a não ser essa heróica Crusoé- da grande mídia (jornalões,tvzonas, revistonas Veja, IstoÉ, Piauí, globonews, Bandnews, CNN etc etc) vai se mexer, denunciando essa servergonhice institucionalizada? E aí STF, Câmara Federal, Senado, CGU eyc etc? Alvaro Costa (@brasilia_urgente) no insta

  4. Alguém confia que o Congresso vai consertar isso? Faz parte do quadrilhão, que se diz dentro da legalidade ou calado sobre fica, do que nem sabe ou liga para imoralidade.

  5. 10 vi pra esses vagabundos+4 bi pra partidos distribuir pris vagabundos e suas famílias. vai somando... como pode ninguém acabar com isso. Pobre povo brasileiro

  6. No Mato Grosso do SUl já virou tradição. O Secretário de Fazenda depois no fim do mandato do Governador é indicado como Conselheiro do Tribunal de Contas do Estado...Aí fica fácil a aprovação das contas do Governador...E até hoje não se sabe qual a remuneração dos mesmos...que viraram celebridades, com hábitos singulares, por exemplo...serem prósperos criadores de cavalos de raça...

  7. De que adianta afastar conselheiros se continuam a receber, na íntegra, o dinheiro? Para mim parece mais um prêmio do que castigo.

  8. O Brasil é isso aí. Um antro. Um criatório de bandidos , gente safada, oportunista e corrupta paga por outro criatório de ignorantes , semianalfabetos ,conformados ,servis ,alienados , desiludidos , desesperançados e por aí vai.

  9. TENS TANTOS ÓRGÃOS PARA SEREM EXTINTOS E REDUZIDOS NO BRASIL: STF,TRIBUNAL DE CONTAS,MENOS CONGRESSO,MENOS ESTATAIS,MENOS ASSEMBLEIAS LEGISLATIVAS,MENOS CÂMARAS MUNICIPAIS,ETC...

  10. Não se põe raposa para tomar conta da galinha. Se um “ministro” encarregado de atuar como assessor de contas dos deputados, pois são os deputados que tem a obrigação de fiscalizar a aplicação das leis que criam, e não sendo re-eleitos, assumem a fiscalização, a festa está garantida para todos, menos para nós que lhes damos nosso dinheiro via impostos. Um “reset” ético, moral, estrutural e legal tem que ser operado urgentemente. Cadê o botão???

  11. Inacreditável... eu ainda acreditava nas credibilidade das auditorias do TCs, órgãos de controle que fazem a limpa e interrompem a farra com dinheiro público. Inocente...

  12. Esses Tribunais de Contas, bem como a Justiça Eleitoral, têm que ser extintos! de nada servem para à sociedade e, no caso dos primeiros, são fonte de corrupção! Por sinal, o caso do Mato Grosso com 5 dos 7 Conselheiros afastados desde 2017 fez-me lembrar de um víEo que circula na internet: "OlÁ SIMVAL? O QUE HOUVE SINVAL?" Vos lembra de alguém?

  13. Não consegui inserir meu comentário! Vocês estão com medo Antagonistas? Vão se acovardar? Não continha nada que já não é público!

    1. Ca ra lho.. qtos comentários queres inserir, sua Anta..? Nao sabe ler direito nao? Qdo fizeres teus comentarios nao deixa de ler aquela cortina que passa ali em cima, taoquei? Apscosta/df

  14. Esses Tribunais de Contas, assim como a Justiça Eleitoral, precisam ser extintos, de nada servem para à sociedade e, no caso do primeiro, são apenas fontes de corrupção! Por sinal, me chamou a atenção o caso de Mato Grosso, no qual 5 dos 7 Conselheiros estão afastados desde 2017! Fez-me lembrar de um certo vídeo que rola na internet:"Olá SINVAL! O QUE HOUVE SINVAL? vos lembra alguém?

  15. Esses Tribunais têm que serem extintos. Não servem para nada em relação à sociedade, são apenas fontes de corrupção!!!! É por falar nisso, me chamou atenção o caso do Mato Grosso, no qual 5 dos 7 Conselheiros estão afastados desde 2017!!! Delação de SINVAL BARBOSA....me fez recordar um certo vídeo que rola na internet: " Olá SINVAL. O QUE HOUVE SINVAL? Vos lembrar alguém???!

  16. O problema é que tem tanta falcatrua, tanto roubo do nosso dinheiro, em todos os poderes em tantas “instituições” criadas pelos políticos, que um escândalo faz agente esquecer dos outros. Sou a favor da pena de morte para corrupção e para todos que desviam dinheiro dos nossos impostos para proveito próprio. Depois vem o Paulo Guedes falar de mais impostos. VÁ Tomar Ozônio em Tajaí

  17. Entrar somente através de concurso,com exigência de conhecimentos técnicos , curso superior voltado a áreasadministrativa-finanfeira. Com independência administrativa, para não haver influência política.

  18. Os tribunais de contas nos três níveis deviam de ser extintos e auditorias privadas deviam de ser contratadas por licitação com o devido tempo limitado de atuação para ocorrer rodízios e evitar vícios. Essa verdadeira bandidagem legalizada praticada em todas as esferas públicas sangra o país.

  19. Infelizmente a nossa sociedade é muito passiva e conivente com essas mazelas dos TC. Isso só vai mudar quando o país quebrar de vez e todos naufragarem!! Pois desde Cabral todos que podem querem tirar uma lasca e que se dane o país e sua sociedade!!!

  20. Aí todo funcionalismo público acaba sendo colocado nesse balaio, como se todos vivessem como marajás ... e os bons funcionários, que carregam a máquina pública nas costas, estão sendo perseguidos como se ganhassem esses polpudos salários ... e o mais engraçado, por mais vergonhoso que seja, ninguém mexe nesse vespeiro ...

    1. Clap clap clap Ronie. Segura a onda aí, meu chapa. Uma hora dessas essa porra muda. Nào percamos a esperança. Será sempre "a última que morre". Alvaro Costa (@brasilia_urgente) no insta

    2. Pois é, a gente que prestou concurso, entrando no cargo por mérito próprio, cumpre metas e desempenha o trabalho com orgulho, tem os salários congelados - no meu caso há 8 anos - acaba sendo apontado como marajás, vagabundos e que não merecem o ar que respiram. Sinceramente, minha vocação de servir à população foi dilacerada. Estou buscando outra carreira, porque não suporto mais tamanha opressão e injustiça.

  21. É incrível ver a que ponto chega a ganância do ser humano. Enquanto pessoas morrem por falta de hospitais, crianças que não tem escolas decentes, e muitos morrem dormindo no frio das ruas, os marajás do judiciário brasileiro desfrutam de verbas ilegais, imorais e criminosas! E ainda abusam de uma autoridade, sendo que são nossos funcionários, pagos pelo nosso imposto! Quanta inversão de valores! Até quando? Até quando?

    1. O problema no Brasil é que o debate é sempre distorcido e a população acredita mesmo que os servidores públicos são o MAL desse país. Eu não culpo a população por isso, porque antes de conhecer a realidade do serviço público eu tinha a mesma convicção. Infelizmente, gente que não presta tem em todo lugar e para mitigar esse absurdo, como consta no relatório da ACA sobre osTCEs e TCU, tais Órgãos devem ser profissionalizados e fiscalizados de fato para que cumpram sua função sem desvios.

    2. Até cair uma bomba atômica em Brasília. Quem se acostumou a mamãe desse jeito nunca vai deixar de faze-lo, e o que é pior acha que tem direito a essas benesses. Está no DNA da maioria dos servidores públicos. A nação existe para remunera-los e protege-los antes de cuidar de sua própria sobrevivência.!!???

  22. O problema no Brasil é que os Tribunais de Contas são entregues aos antigos políticos de carreira que atendem aos interesses daqueles que continuam no Legislativo ou Executivo. É um Tribunal "técnico" no papel pois na verdade não traz qualquer benefício a sociedade brasileira. O melhor seria a extinção desses Tribunais inúteis.

    1. Pois é, José. Exemplo e ídolo no nosso BR é o tal de Gerson, que até lei "criou".. e fo da - se o resto, que eu não presto. apscosta/df

    2. O problema do Brasil é ser governado por brasileiros. O povo mais corrupto que existe!

  23. A medida tomada, seria a extinção dessas casas de apadrinhados. Se necessário, seus quadros deveriam ser preenchidos por rigoroso concurso e ficha corrida.

  24. E o Ministério da Economia insistindo em aumentar impostos, Sufocando os cidadãos brasileiros. Por que o GF não intensifica a ação sobre esses espertalhões, a maioria políticos, que surrupiam o dinheiro dos impostos? Não aguentamos mais.

    1. Claro que não haverá aumento de impostos. Claro que o bolsa família do Bolsonaro não tem nada a ver com isso. Claro que o Guedes é o gênio da raça e todos que trabalhamos mais para pagar impostos do que para nós mesmos seremos beneficiados com o imposto sobre operações eletrônicas e pagaremos menos impostos. Por fim, Papai Noel existe e me trará de presente neste Natal um país com políticos incorruptíveis.

    2. José, vc acredita mesmo que não será aumento de impostos? Vc não percebeu que PRIMEIRO criará imposto cpmf novo e MAIS TARDE outros serão substituídos? Sério wue vc acredita nisso?

    3. O ministério da Economia não está querendo aumentar impostos! Isso é fake news. O ministro está tentando fazer esse povo ignorante em matéria tributária entender que a substituição de impostos burros e injustos socialmente podem ser substituídos por outros melhor distribuídos.

  25. Inacreditável a extensão da corrupção neste País, como estes políticos maléficos encontram meios de usurpar o dinheiro dos cofre públicos. Só mesmo a justiça Divina para punir estes crápulas, um país com uma desigualdade social tão perversa ter que conviver com privilégios financeiros e políticos com este. O poço não tem fim . Ratos

    1. Do continuam assim porque deixamos. Passou da hora de agitarmos esse país pelos motivos certos. Diminuição drástica e imediata do Estado.

  26. A matéria da Crusoé deixou de mencionar o pior dos casos, que é dos cinco conselheiros afastados do TCE do Rio de Janeiro, presos pela operação Quinto do Ouro, um desdobramento da Lava Jato no Rio, não trabalham e recebem desde do dia 29 de março de 2017. Os cinco conselheiros afastados se tornaram réus pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Para que o TCE - RJ deixe de remunerar os conselheiros afastados é preciso uma decisão judicial, que até hoje não aconteceu!!!

    1. a reportagem focou nos tces da região centro oeste, como diz a reportagem.

    1. Povos decentes não precisam de fiscais! O brasileiro precisa de um fiscal para cada cidadão e nem assim não funciona!

  27. Deveríamos ter uma lei Áurea para nos liberar desta escravidão e dos abusos desta casta de abusadores impunes entre seus membros, que açoitam os erários públicos em vez de preservá-los. Realmente este Brasil é uma grande zenzala aonde o cidadão comum é escravo destes disparates , aonde em vez de servir, fiscalizar e punir os que se apropriam ou fazem mal uso do bem público, se servem de todos absurdos impunimente.

    1. A escravidão não acabou no Pais.. O brasileiro fica de joelhos para sustentar uma casta de funcionários públicos com estabilidade de empregos, aposentadoria integral, férias de 60 dias, licenças remuneradas, altos salários e produtividade medíocre. Se cortassem 20% dos funcionários públicos ninguém sentiria falta, com exceção de profissionais da saúde, policiais e parte dos professores do ensino fundamental e médio.

  28. É uma roubalheira desenfreada, como acreditar em melhoria do país?, depois vem a desculpa de não ter dinheiro para as necessidades básicas da população.

    1. Acho 20% pouco. Deveriam ser cortados cerca de 59% e quem não estivesse satisfeito que viesse para o mercado procurar trabalho! Seria a redenção do Tesouro Nacional.

  29. Solução:Emenda Constitucional que mude sua configuração para 81,três por unidade federativa eleitos por Colégio Eleitoral para mandato de 10 anos.Fim dos TCEs. Que Deus nos ilumine a todos e um abraço fraterno em agnósticos e ateus!

  30. Os TC empregam deputados derrotados em eleições e pelo que se escuta vendem a vaga por valores astronômicos. Este câncer tem que ser extirpado, um covil de ladrões em MT

    1. Cada matéria uma tristeza.! eita Brasil.. até quando? parabéns Crusoe

  31. REFORMA ADMINISTRATIVA JÁ PARA TODOS OS PODERES (FUNÇÕES) DA REPÚBLICA, POIS, DO CONTRÁRIO, CONTINUARÁ A SER RESPRIVADA, E DE POUCOS!

    1. Os reformadores serão ladrões também. Não tem saída!

  32. Faz tempo que é assim...o Brasil é pródigo em criar órgãos que mandam para o ralo o dinheiro público . País de m.. mesmo

  33. Estou no aguardo de fazerem alguma análise sobre o TCE em São Paulo. O conhecido Paulo Preto, pego no âmbito da Lava Jato, passou incólume pelo TCE de São Paulo.

  34. Os TCEs é um prêmio aos corruptos mais competentes, pelo menos em meu estado é assim, é desanimador chega a machucar a gente de ver esses bandidos dominando tudo.

  35. A Organização Criminosa chamada PT aparelho tudo, absolutamente tudo nesse país que desgraçadamente não tem patriotas! Quanto mais alto o cargo mais desonestos ,( para ser carinhosa) são!

    1. Neste assunto você está mal informada, Vera. Os problemas nos Tribunais de Contas såo muito antigos. Bem antes do PT.

    2. Neste assunto você estå mal informada. Os problemas com os Tribunais de Contas são antigos. Muito antes do PT.

  36. O cultura da corrupção, benesses, roubos, indicações políticas, entre outras imoralidades, tem que acabar. Não é possível vermos denúncias diárias e tudo ficar como sempre esteve. Serviço público, seja bwual for, não pode representar privilégios, ineficácia, corrupção.

    1. Parabéns Helena , a matéria por si so fala tudo, dai dispensa meus comentários

    2. Para tentar melhorar o desempenho dos Tces, concurso público para todos os pretendentes a membros. Tempo limite de OITO anos no exercício do cargo. Aí tudo se transformará para melhor. Ivan

    3. Podemos melhorar o plantel de Membros dos Tce’s, começando pela exigência do concurso público . Creio que 99,99% dos atuais seriam defenestrados.

    4. Mas Deus é grande! Ele já está olhando pelo nosso Brasil. Infelizmente as pessoas acostumadas com estas falcatruas não conseguem parar. Onde tem dinheiro roubado tem uma malha de pessoas envolvidas. Ninguém rouba do governo sem comparsa. Isso é uma quadrilha. Ainda bem que o povo acordou e agora acredita porque o Brasil está nesta situação. É aqui e ali e a soma só vai aumentando.

    5. Somos todos iludidos ao pensar q essa “mamata” como tantas outras já existentes e futuras “ideias” , sejam privilégios de nossos engravatados, desde o sempre, isto não foi criado aki, pois não somos do sempre. Ou usamos ou somos usados, a ganância pode não ser a “peste” mortal a qual nos faz devorar uns aos outros e sim a falta de não sabermos como será o Amanhã e não pensarmos no Semelhante. Sempre será o ter em detrimento ao SER.

    6. Desculpa desculpas equipe de povo sem escrúpulos bando mas organizado é este funcionários público e pior são os indicados quem manda no Brasil funcionário público tamos todos numa enrosca agora chorar ou um bomba

    7. bando de abutres mas este é o Brasil bando de cordeirinho tinha q tirar TD do poder público para ver se vai para frente

Mais notícias
Assine 7 dias grátis
TOPO