Golpe no Planalto

Prometendo meio trilhão de dólares para o Brasil, um conhecido golpe da internet fez o gabinete presidencial mobilizar tempo e energia de técnicos para concluir o óbvio: a história não passava de uma fraude
10.07.20

Não é segredo para ninguém que a pandemia abriu um rombo nos cofres públicos. Em meio à crise, o Ministério da Economia teve de envidar esforços para analisar o que seria uma doação generosa de fundos ao governo brasileiro: 500 bilhões de dólares. A oferta chegou por meio de várias cartas enviadas para o presidente Jair Bolsonaro. A história estava toda contada lá. O dinheiro, em poder de fundações internacionais, teria origem em polpudas heranças esquecidas nos Estados Unidos. O gabinete do presidente não só acreditou como mandou que técnicos do governo avaliassem a proposta.

Propostas mirabolantes como essa são conhecidas de quase todos que têm uma caixa de e-mail. Elas chegam de várias partes do mundo e variam de personagens, mas o enredo de fundo é quase sempre o mesmo: supostos príncipes africanos, xeiques, filhos de multimilionários e altos executivos de grandes empresas se apresentam oferecendo verdadeiras fortunas ao destinatário. Alguns dos generosos “doadores” exigem contrapartidas. Para outros, basta que o destinatário responda dizendo que topa a empreitada. O dinheiro, por óbvio, jamais vai aparecer na conta dos interessados – tudo não passa de uma fraude.

No caso da oferta feita ao governo brasileiro, porém, o gabinete pessoal de Jair Bolsonaro levou a ideia a sério. Mandou que as cartas, em inglês, fossem traduzidas para o português e as remeteu para a equipe do ministro da Economia, Paulo Guedes. Uma das cartas, sob o timbre de uma certa Arcode Europa, dizia que o dinheiro poderia ser usado “para financiar grandes projetos de capital como infraestrutura rodoviária e ferroviária, coleta e tratamento de resíduos, produção de eletricidade, construção de hospitais modernos e equipados, construção de habitações, construção de prédios administrativos, turismo etc”. Outras correspondências, todas integrantes de um mesmo pacote e enviadas por um mesmo intermediário, aparecem assinadas por representantes de uma tal Chardet Foundation.

Isac Nóbrega/PRIsac Nóbrega/PRBolsonaro e Braga Netto, chefe da Casa Civil, receberam as correspondências
Para efetivar a transação, bastaria que o governo brasileiro desse uma tal “garantia soberana” como contrapartida para a liberação da bolada e topasse bancar uma viagem dos dirigentes da fundação ao Brasil, para assinar o contrato – com tudo pago, claro, desde os bilhetes aéreos até um “carro com motorista” e “hotel 4 ou 5 estrelas”. A obscura fundação tem sede no Reino Unido. Ao governo britânico, seu presidente, que se identifica como Patrick Meyer, declara desde 2011 que a empresa teria ativos de 10 milhões de libras.

Um dos documentos submetidos ao governo detalha o mecanismo a ser adotado para a remessa do dinheiro ao Brasil. Uma vez expedida a “carta de garantia”, a ser depositada no Banco Central, o banco do operador financeiro dos tais “fundos de herança” seria comunicado e, então, liberaria a fortuna. O intermediário das propostas é um brasileiro de nome Alexandre Pereira. Foi ele quem enviou as cartas para o Planalto, apresentando-se como representante dos investidores estrangeiros. À diferença de muitas correspondências que aportam diariamente no Planalto, as de Pereira mereceram atenção. Após enviar as cartas, ele escreveu novamente pedindo pressa na análise da oferta, sob pena de os fundos serem direcionados para o México.

Do meio trilhão de dólares que o Brasil receberia, uma parcela teria que voltar para uma das fundações envolvidas e outra caberia ao intermediário. Por mensagem, Pereira disse o seguinte a Crusoé: “É uma grande oportunidade que o Brasil está recebendo! Estou buscando captação para um novo tempo para o Brasil”. “Não tem taxas, nem pagamentos, é sem dívidas; como um fundo perdido. Não tem custos!”, prosseguiu.

Adriano Machado/CrusoéAdriano Machado/CrusoéAcionada pelo Planalto, a equipe de Guedes teve que levar o assunto a sério
A primeira carta chegou ao Planalto no dia 3 de junho e foi logo encaminhada pelo gabinete pessoal do presidente da República para o ministério de Paulo Guedes. Entre idas e vindas, o papelório circulou entre o Planalto e a Economia por um mês inteiro. A equipe econômica, depois de análises feitas por diferentes funcionários, teve que preparar uma “nota técnica” para concluir o óbvio: não valia a pena embarcar na empreitada porque nada ali parecia crível.

“A alegação é feita por empresa desconhecida desta secretaria, em linguagem incompatível com a prática de negócios do setor, sem vinculação a instituição financeira de porte ou especificação de fontes críveis de recursos, e sem intermediação ou validação por qualquer entidade com conhecimento e experiência em projetos no Brasil”, diz um dos documentos anexados ao processo, assinado por Breno Zaban, diretor de Controle e Normas da Secretaria de Desenvolvimento da Infraestrutura.

No expediente que pôs fim ao caso, Vitor Lima de Magalhães, especialista da Coordenação-Geral de Financiamentos Externos do Ministério da Economia, talvez por saber que estava a fazer uma análise a partir de documentos enviados pelo Planalto, ainda fez um esforço para não tratar a proposta como coisa de lunáticos ou golpistas: “Tendo em vista as informações disponíveis é importante verificar as propostas oferecidas e indagar se tais propostas oferecem retornos desproporcionais aos riscos envolvidos, mecanismos de compliance e observância das práticas comumente adotadas, conforme advertência emanada por instituições fiscalizadoras”.

No documento, Magalhães cita um alerta do FBI, a polícia federal americana, apontando fraudes digitais em ofertas de grandes somas de dinheiro por meio de cartas de crédito. Na sequência, ele propôs ao ministério que desse a história por encerrada. Alexandre Pereira, o intermediário, não perdeu a esperança: ele diz que ainda espera uma resposta de Jair Bolsonaro.

Já é assinante?

Continue sua leitura!

E aproveite o melhor do jornalismo investigativo.

Só R$ 1,90* no primeiro mês

Edição nova toda Sexta-Feira. Leia com Exclusividade!

Assine a Crusoé

*depois, 11 x R$ 14,90

Deixar para mais tarde

Os comentários não representam a opinião do site. A responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos.

500
    1. só a Crusoé ??? A imprensa do Brasil inteiro. por aí você vê como estão sob as botas da justiça

  1. Num rápido paralelo com o famoso romance de George Orwell, na fazenda brasileira temos um burro na liderança cortejado por um rebanho de ruminantes!

    1. Concordo em gênero, número e caso. Não existe dinheiro sem trabalho.

  2. Só um governo fake news poderia cair nessa. De merecem. Pena é gastar o tempo de servidores públicos, o que implica em gastar recursos públicos, para avaliar tais propostas

    1. O atual governo recebe oferta falsa. O anterior fazia ofertas verdadeiras . E tome--lhe bilhões.

  3. GOLPE é o que a CRUSOÉ FAZ PARA MANTER O ASSINANTE. Tente cancelar a assinatura que você descobre umas surpresinhas. O texto do funcionário do PLANALTO também pode se aplicar aos leitores aqui. Enfim, eu sou assina-te que caiu no golpe dessa revista.

    1. Pois é! Vale por um ano! Fui cancelar e so vai valer depois de completarum ano!

  4. Golpe é o da CRUSOÉ no esquema de segurar o assinante. Fui cancelar o pagamento da assinatura dessa porcaria de revista eletrônica para encerrar a assinatura e simplesmente não o fazem. Primeiro não se cancela no site, tem que ligar para um número no dia e horário comercial. Informam que não é uma mensalidade e sim um parcelamento de uma compra feita uma vez ao ano. Ok! No início estava ciente desse “método”. Enfim CRUSOÉ... caindo seu GOLPE! Isso aqui também é GOLPE e nada vocês comentam!!!

    1. Pô cara estás chovendo no molhado, basta você cancelar o pagamento do seu cartão e não precisa andar fazendo lambança

  5. Esses tipos de negociações não são feitas exclusivamente entre governos? Afinal de contas como uma Pessoa Física faz e uma proposta dessa magnitude e o governo vai perder tempo em avaliar? E a Polícia Federal?

  6. Tá, daí conclui-se que nós devemos concluir que tem treta é isso? E que está provada alguma coisa das galáxias para incriminar o Paulo Guedes, o novo alvo do falecido MBL?? Ah tá tendi...

    1. A reportagem deixa claro que a equipe do Paulo Guedes acusou a fraude, coisa que o gabinete presidencial deveria ter feito antes

  7. O Antagonista virou um site de fofocas, quem, em sã consciência, acredita nesse tipo de e-mail? Penso que a única verdade na "reportagem" é dizer que esse tipo de "doação" é dirigido para várias pessoas. Eu já recebi e recebo, trocentas mensagens mês.

  8. Todo golpe é dado sobre a ganância do lesado... Nesse caso, a ganância seria o desespero na necessidade de cobrir o rombo monstruoso que o Brasil sofre com os gastos do covid-19. Sorte que houve bom senso e calma, não permitindo uma resposta reptiliana, como muitos fazem sem pensar, por puro instinto, dizem sim e deixam a emoção decidir... Parabéns pelo controle das emoções em um momento tão delicado ao país....

  9. Eu penso que o Tonho da Lua cairia nesse golpe, se o Tonho da Lua caisse muito certamente a DILMAnta estoca vento com a figura oculta (o cachorro atras) cairia facil facil.

  10. é fofoca relatar as cabeçadas do governo? vergonha é terem dado atenção a uma tentativa de golpe. provaram do próprio veneno.

  11. Já passei e passo muita vergonha com esses lunáticos, presidente e sua equipe. Mas essa foi de lascar o cano! Nem o prefeito de Sucupira, Odorico Paraguaçu cairia nessa. Dá vontade de rir mas a vergonha é maior.

  12. Lá lá lá lá Lá lá lá lá Senhoras e senhores, vamos abrir a Carta !!!!!!! Se o Brasil não ganhar, quem ganha é a Carta !!!!!! Lá lá lá lá Lá lá lá lá.....

  13. Apenas não leia, cai fora. Democracia é isso. Suas escolhas : suas mazelas ou bênçãos . Eu li, gostei que ninguém caiu no conto desse vigário. Ora, pois,pois.

    1. com certeza, a equipe do Luladrão e da Dilmanta teriam entrando de sola nessa. E a Esquerdalha criticando a turma que avaliou e não caiu no conto do vigário.

    1. Onde está as provas desse roubo? diga aí companheiro!!

  14. Nos governos PTistas não precisava nem examinar...os golpes eram de dentro do planalto...contra nós o brasileiros ...trilhões

    1. Onde vc viu que caiu, não leu com atenção essa história fantasiosa.

    2. Cara do governo atual. Incompetência gerencial em todas as áreas.

    3. kkkkkk... Que golpe amigo?! Decodifica a informação, por favor!!!

  15. Somos governados por líderes que caem no conto do vigário ou, mais especificamente, no conto do bilhete premiado... não é para rir, é para chorar!

  16. Fiquei chocado com a cretinice do Planalto. Como aposentado no cargo de vice presidente internacional da J&J informo que este tipo de golpe era tentativa comum no Brasil para apanhar empresas grandes e executivos. As famosas "Cartas da Nigeria" So mesmo incompetentes perdem tempo com isto.

  17. MEU NETINHO DE 5 ANOS JÁ TERIA DECIFRADO ESSA COISA TODA E DITO: VOVÓ, ISSO É DAQUELAS TENTATIVAS DE FRAUDE JÁ CONHECIDAS. ESQUEÇA...

  18. Ė inacreditavel que o atleta mau-carater tenha tocado isso pra frente! Mais inacreditável ainda ė que tenha chegado a ele! Estamos mais perdidos do q suponhamos ! 😫😫

  19. Isso está igual essa historia do fundo da Amazônia, se o pais para de queimar nossas florestas, bilhões de investimentos virão para cá, ou melhor bilhões deixarão o país. Estamos sendo bocós, nesse lero lero, somente este ano saíram US$ 70 bilhões do país, tudo por que estamos aumentando no deficit fiscal de forma irresponsável e todos percebem que o pais dificilmente conseguirá honrar no futuro. O País, tem que pensar, isso sim, nos 25 milhões de cidadãos que vivem lá!!!

  20. Os golpistas perceberam a ingenuidade e incompetência dos responsáveis atuais e se divertiram enviando o velho Golpe dos Bilhões. Vai que cola!

  21. Ao longo de anos, recebi muitas dessas propostas, que tiveram todas o mesmo destino: "deletar". Mas um governo que manda "estudar" tais propostas é simplesmente simplório. Nem o Jeca Tatu (perdão Monteiro Lobato) acreditaria...

  22. Deixem de perder tempo com isso. Nada vocês falam do Serra e das mazelas do demais poderes. Vá trabalhar "repórteres investigativos". 24 horas Bolsonaro não dá né!

  23. Nossa, o jornalista inteligente conseguiu chegar a uma conclusão. Houve uma tentativa de golpe, foi analisada, e recusada. Ponto.

    1. Também não renovei. Vence esse mês. Peguei nojo dessa Crusoé.

    2. Por isso estou cancelando minha assinatura....como um repórter pode perder tempo em apurar isso. Vá apurar denúncias contra Serra e o Judiciário.....

  24. Quanta gente pilantra no mundo! Nem durante uma pandemia com milhares de mortos, os golpistas monetários coseguem agir como seres humanos.

  25. Qualquer pessoa imediatamente informada já ouviu falar ou foi "alvo" desse tipo (rudimentar) de golpe. Era de se esperar que assessores palacianos soubessem que esse proposta desse tipo sempre vem intermediada por um governo ou, no mínimo, um instituição reconhecida. Portanto, ou a assessoria do presidente é composta por incapazes, ou por estupidamente ingênuos (ou as duas coisas). De qualquer modo fica evidente que tem gente sem ter o que fazer no Palácio do Planalto.

  26. Enquanto existirem otários, esperto não trabalha. Lembra do fato recente, propaganda da 123importados, prometiam entregar televisor de 50 ou mais polegadas por 50% do preço de mercado, óbvio que o pagamento deveria ser no boleto e antecipado, assim centenas de milhões foram para as conta corrente dos golpistas, tinha propaganda em TV etc. Pirâmides do tipo unick Forex então a toda hora, assim digo, para quê ficar assaltando?, trocar tiros com a polícia?, se basta um celular ou Notebook.

  27. Não são só senhoras ingênuas que caem nos golpes da internet... Até o Palácio do Planalto achou verossímil uma estória dessas, quem diria.

    1. Esse reporte não tem o que fazer, apesar de tanta demanda por um jornalismo investigativo de conteúdo. Se um gato mia em Brasília vão dizer que a culpa é por conta do governo frágil....

    2. Quando criança,meu pai me ensinou,”oferta demais a gente desconfia” ,o mais seguro é trabalhar!

    3. Com repórter dêste nível, o melhor é cancelar assinatura

Mais notícias
Assine
TOPO