Adriano Machado/CrusoéNa luta pela sobrevivência, Bolsonaro adotou um novo comportamento: ao se pronunciar, prefere o tom apaziguador

Missão: sobreviver

Ante o conselho de um velho amigo para renunciar, Bolsonaro respondeu que quer cumprir até o fim uma “missão de Deus”. Para se equilibrar no poder, porém, ele depende de ações bem terrenas: ceder ainda mais ao Centrão, conter os radicais à sua volta e evitar a debandada de militares
26.06.20
Mais notícias
Assine
TOPO